conecte-se conosco


Destaque

São José lamenta chances perdidas contra Rio Preto e promete melhorar

Publicado

Águia do Vale fica no empate por 1 a 1 com Jacaré nessa quarta-feira, 4, pela primeira partida da semifinal do Brasileiro Feminino; times se reencontram na próxima semana

Assim que a partida entre São José e Rio Preto começou nessa quarta-feira, 4, a Águia do Vale tomou a iniciativa de atacar as visitantes. A postura deixou claro que as joseenses queriam fazer valer o mando de campo e abrir a disputa das semifinais do Brasileiro Feminino com uma vitória. Não deu. As equipes empataram por 1 a 1 no estádio Martins Pereira pelo jogo de ida.

Após a partida, a técnica Emily Lima e a zagueira Bagé, capitã do São José, lamentaram as chances perdidas pela equipe. Porém, evitam o desânimo e demonstram confiança em alcançar a classificação à final na próxima quarta-feira, 11, quando enfrentam o Rio Preto às 19h, no estádio Anísio Haddad.

– Sair perdendo já não era o que esperávamos. É uma equipe que está criando bastante, o que é bom, mas a bola tem que estar lá dentro. Não tem jeito. Ainda mais em casa. A gente poderia ter saído daqui com um placar de dois gols de diferença, sem ter tomado o gol que tomamos. Mas agora é trabalhar em busca da vitória – disse a técnica Emily Lima.

– Fomos para o intervalo falando disso. Tivemos muitas oportunidades, no primeiro tempo principalmente, oportunidades que não podemos deixar perder. Vamos trabalhar mais, corrigir o que erramos  aqui para ir para Rio Preto e fazer um bom jogo – acrescentou Bagé.

Com este empate, o São José precisa da vitória ou de um empate por mais de dois gols para garantir a classificação. Se o placar for o mesmo da partida de ida, a decisão será nos pênaltis. Empate sem gols dá a classificação ao Rio Preto.

Emily Lima destaca que a preparação da equipe para o duelo será, principalmente, psicológica. E sobre o clima de revanche sobre o Rio Preto, já que o Jacaré tirou o título Brasileiro do ano passado das joseenses, a treinadora minimiza.

– Não vale a pena ficar falando essas coisas. Temos que ir lá e jogar. Fazer o nosso trabalho e voltar com a nossa classificação. Se for lá ou não, temos que classificar para estar na final – ressaltou.

A zagueira Bagé segue a mesma linha e prega respeito pelo adversário.

– O Rio Preto é uma equipe diferente das outras equipes. Principalmente porque elas não param um minuto de correr, de se movimentar. Às vezes, para um padrão tático e para nós que estamos postadas mais atrás, isso acaba nos prejudicando um pouco. Elas saem de muitas posições diferentes. Isso nós temos que estar espertas. É uma equipe muito qualificada, que tem muita força. Mas vamos buscar essa classificação para a final do Brasileiro. Tenho certeza que faremos um jogo melhor – destacou.

Comentários Facebook
Leia mais:   Solidariedade na Pandemia: Grupo Juba distribuiu mais de sete toneladas de carne no último final de semana

Cáceres e Região

Ministério da Saúde atende bancada federal e enviará concentradores de oxigênio para MT

Publicado

 

Por – Jardel Arruda

Atendendo pedidos da bancada federal de Mato Grosso, o Governo Federal comunicou que enviará nos próximos dias aparelhos concentradores de oxigênio para reduzir as possibilidades de faltar o insumo necessário para atender pacientes em tratamento covid-19. A informação foi divulgada aos deputados federais e senadores de MT nesta terça-feira (20), após reiteradas solicitações para instalação de pequenas usinas de O2 nos hospitais.

Concentradores de oxigênio portátil é uma ferramenta cuja função é fornecer a oxigênio complementar para que o paciente mantenha a saturação da substância acima de 90%, o ideal para a saúde. “Informo que está em vias de ser enviado um lote de concentradores de oxigênio, equipamento que atenua a falta de cilindros, fornecendo oxigênio para consumo de pacientes leves e moderados”, informa o despacho da Assessoria Especial do Ministério da Saúde.

Para o coordenador da bancada federal de Mato Grosso, deputado federal Dr. Leonardo (Solidariedade), a vinda desses equipamentos mostra a força dos 11 parlamentares quando trabalham juntos e também em consonância com o governo do estado. “Mais uma vitória. As empresas de distribuição de oxigênio hospitalar comunicaram a Secretaria de Estado de Saúde, que comunicou a bancada que cobrou o Governo Federal. Com união os resultados são melhores para a população, que tanto tem sofrido com a pandemia. Também estamos cobrando insistentemente mais vacinas para Mato Grosso, porque só com a vacinação em massa vamos vencer a covid-19”, disse.

Leia mais:   Credores buscam receber dívidas milionárias junto ao Hospital São Luiz e Pró-saúde

Dr. Leonardo ainda agradeceu o comprometimento de todos os outros parlamentares federais de MT pelo comprometimento no combate a pandemia de covid-19, os senadores Jayme Campos (DEM), Carlos Fávaro (PSD) e Welllington Fagundes (PL), e os deputados Carlos Bezerra (MDB), Juarez Costa (MDB), Nelson Barbudo (PSL), José Medeiros (PODEMOS), Rosa Neide (PT), Neri Geller (PP)  Emanuel Pinheiro Neto (PTB).

Em março, as duas principais empresas fornecedoras de cilindros de oxigênio para os hospitais de Mato Grosso comunicaram as autoridades sobre o risco do desabastecimento do insumo causado pelo aumento da demanda e complicações na logística elaborada pelo Ministério da Saúde. A bancada federal desde então tem atuado tanto propondo soluções emergenciais e definitivas para o problema ao Governo Federal, quanto cobrando decisões. Com gestão da bancada, a Força Aérea Brasileira (FAB) prestou suporte logístico, entregando emergencialmente cilindros de oxigênio para Mato Grosso e agora o Governo Federal irá enviar concentradores de oxigênio.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Infraestrutura e Logística : Agenda Regional Oeste projeta encontro entre municípios para discutir demandas

Publicado

Por – Sérgio Robertp

A importância do sistema intermodal de transportes para o desenvolvimento socioeconômico da macrorregião oeste-sudoeste de Mato Grosso, a assimilação do conceito de hinterland e a compreensão dos benefícios e da participação de cada município da área de abrangência.

Este é o tripé ideológico que embasa o planejamento de um grande debate sobre infraestrutura e logística para cerca de 30 municípios que comporão a área geográfica de influência do sistema intermodal rodo-hidroviário que está em fase de viabilização nas regiões polarizadas por Cáceres e Tangará da Serra.

Estradas que integram a macrorregião oeste-sudoeste estiveram em pauta no encontro virtual.

Uma vez agendado, o evento reunirá as lideranças políticas e empresariais dos municípios envolvidos com objetivo de definir estratégias para agilização das obras do sistema intermodal, além de identificar os benefícios de cada município de acordo com suas respectivas demandas e vocações socioeconômicas. O encontro resultará na redação de um documento com encaminhamentos às autoridades das esferas estadual e federal.

Terminais portuários são engrenagens fundamentais no sistema intermodal de transporte.

A possibilidade de organização do encontro foi levantada durante a 1º Reunião Ampliada de Trabalho da Agenda Regional Oeste (ARO), que envolveu representantes dos municípios de Cáceres e Tangará da Serra, na tarde da última quinta-feira, através da plataforma digital google meet.

Leia mais:   Ação integrada apreende 360 kg de entorpecentes em Vila Bela da Santíssima Trindade

A data, a programação e o formato ainda serão definidos, conforme proposta a ser apresentada pela advogada e mestranda em Economia Adriane Nascimento, integrante da ARO que sugeriu a realização do encontro.

Reunião

Além dos membros da ARO, participaram o secretário de Agricultura e Desenvolvimento Econômico de Cáceres, Vilson Sato; o superintendente de Governo de Tangará da Serra, Alysson Vargas; o Capitão-tenente Sérgio Sales, comandante da Agência Fluvial de Cáceres da Marinha do Brasil, e a advogada e professora universitária Linnet Mendes Dantas, do campus Cáceres da Unemat.

Reunião foi realizada em plataforma virtual no último dia 15, com representantes de Cáceres e Tangará da Serra.

Os trabalhos foram liderados pelo coordenador do escritório da ARO em Tangará da Serra,  engenheiro civil, economista e especialista em logística Silvio Tupinambá, e pelo coordenador do escritório da ARO em Cáceres, engenheiro civil Adilson Reis. Ambos apresentaram, na oportunidade, um relatório técnico-analítico sobre o sistema logístico da região polarizada pelos dois municípios.

Também foram apresentados os atuais estágios das obras de pavimentação das rodovias estaduais MT-339 (Tangará-Panorama) e MT-343 (Cáceres-Barra do Bugres), das obras de extensão e pavimentação da BR-174 (que corta a região oeste do estado), dos terminais portuários APH, Paratudal e Barranco Vermelho (no trecho do rio Paraguai entre Cáceres e Corumbá), da hidrovia do rio Paraguai e, também, da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) de Cáceres.

ARO

A Agência Regional Oeste (ARO) é um movimento apartidário, de natureza privada, que tem por objetivo acompanhar as obras de integração logística e de desenvolvimento socioeconômico da mesorregião sudoeste do estado de Mato Grosso, colaborando com a sociedade e os poderes constituídos no que for possível e necessário para que os trabalhos tenham continuidade e a devida celeridade.

Leia mais:   Ministério da Saúde atende bancada federal e enviará concentradores de oxigênio para MT

Compõem a ARO representantes da sociedade civil organizada, através de profissionais de logística, engenharia civil, ciência da informação, direito, administração, comunicação e imprensa, além de representantes do agronegócio, do ambiente universitário e da iniciativa privada.

ZPE de Cáceres está em construção e impulsionará o setor industrial da região.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana