Connect with us

Da Redaçao

Duas menores em situação de risco foram identificadas em um bar durante uma operação de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescente em Cáceres. A operação contou com atuação em conjunto da 1ª Vara de Cáceres, sob a responsabilidade do juiz Pierro de Faria Mendes, a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o Conselho Tutelar de Cáceres, a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam).

A ação ocorreu na sexta-feira (13) e antecipou a data de Combate à Exploração Sexual Infantil, que é 18 de maio é dia de combate. Participaram da operação os agentes da infância Liliam Sá e Silva e Felipe Almeida dos Santos.

“Coibir a exploração sexual de crianças e adolescentes não é algo que acontece só no mês de maio, mas temos nesta data do dia 18 de maio um marco e é rotineiro fazer ações nesse período. É importante mostrar que as autoridades do município estão de olho, empenhadas em evitar esse tipo de situação. O trabalho com outras entidades, em conjunto, dá mais força. Mas precisamos deixar claro que isso vai continuar”, destacou o juiz Pierro de Faria Mendes.

Leia mais:   Avô que estuprava a neta por oito anos é preso em Mirassol D´Oeste

Foram inspecionados estabelecimentos como motéis, boates e bares de Cáceres. Em um dos bares teve flagrantes de menor em situação vulnerável à explorável.

“Encontramos duas meninas, de 12 e 13 anos, em situação de risco. Elas foram levadas pelo carro do Conselho Tutelar até o Cisc, foram ouvidas, os pais foram localizados e serão responsabilizados. O dono do bar foi levado à delegacia para prestar esclarecimentos quanto à presença das menores”, explicou a agente. O magistrado explicou ainda que irá acompanhar os casos das menores para que sejam assistidas e tenham seus direitos garantidos.

Andhressa Barboza

Coordenadoria de Comunicação da Presidência TJMT

 

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Prefeitura anuncia inscrições para os jogos de praia do 39º FIPE

Published

on

Por – Esdras Crepaldi

A Praia do Daveron é um lugar especial da Baia de Cáceres. Um dos cartões de visita da cidade, local de lazer muito frequentado pela população cacerense. Banhos, pescarias, atividades físicas e jogos, fazem parte do cotidiano deste maravilhoso complexo.

Todos os anos, os jogos de praia, inseridos na programação oficial do Festival Internacional de Pesca Esportiva, acontecem ali e movimentam ainda mais o FIPE. Com um colorido todo especial, atletas e banhistas se misturam e lotam as areias da praia.

Este ano, mais uma vez, a Secretaria de Esportes, parceira do Festival, preparou uma grande programação esportiva para o espaço.

O Coordenador de Esportes Cristiano Neves, anunciou que a partir desta terça-feira, 28/06, as inscrições para as modalidades de vôlei de praia, hand beach, futebol de areia e beach tênis masculino e feminino, e futevôlei masculino e misto, podem ser feitas na sede da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, na Prefeitura de Cáceres.

“Façam suas inscrições, teremos premiações em dinheiro, troféus e medalhas”, incentivou Cristiano.

Leia mais:   Magistrado cacerense José Lindote é escolhido juiz-membro titular do TRE-MT

Já o secretário de Turismo, Cláudio Henrique Donatoni, disse que os jogos de areia dão vida ao FIPE, movimentam a praia do Daveron  e esquentam ainda mais as emoções do Festival de Pesca.

“O FIPE integra todas as secretarias da prefeitura e proporciona diversas atividades esportivas, culturais e ambientais. Os jogos de praia estão inseridos na programação oficial do evento. Agradeço toda equipe da Secretaria de Esportes e Lazer pela parceria e coordenação desses jogos”, reconheceu Cláudio Henrique.

Comentários Facebook
Continue Reading

Cáceres e Região

Brasil já tem 17 casos confirmados de varíola dos macacos e imunologista dá dicas de como se prevenir da doença

Published

on

Da Redação
     Depois da pandemia da COVID-19, o mundo entra em alerta mais uma vez. A Monkeypox, ou varíola dos macacos, já tem casos confirmados em mais de 30 países. Aqui no Brasil, 17 pessoas testaram positivo para a doença.     A varíola dos macacos não é uma doença nova. A transmissão para humanos pode ocorrer por meio do contato com o animal, com humano infectado ou com material corporal humano com o vírus. Portanto, contato pessoal com secreções respiratórias, lesões de pele de pessoas infectadas ou objetos recentemente contaminados ajudam a transmissão.      As lesões se iniciam pelo rosto e depois se espalham para outras partes do corpo e genital, formando erupções cutâneas e bolhas com pus. A transmissão só termina quando a crosta desaparece. Além das lesões, a doença gera sintomas como febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, adenomegalia, calafrios e exaustão.     “Já temos vários casos confirmados no Brasil. É importante ficar atento aos sintomas e às lesões, que começam no rosto. O isolamento deve ser imediato, assim como o mapeamento das pessoas que tiveram contato com o doente. A liberação do paciente só pode acontecer após o desaparecimento das lesões”, explica Luiz Werber-Bandeira, imunologista/alergista e docente do IDOMED.

Patrícia Belarmino

(67) 9 9221-3227
Comentários Facebook
Leia mais:   Prefeitura anuncia inscrições para os jogos de praia do 39º FIPE
Continue Reading

Mais Lidas da Semana