conecte-se conosco


Mato Grosso

Governador autoriza atividades religiosas neste sábado e no domingo (03 e 04.04) com 30% da capacidade

Publicado

Por Lucas Rodrigues | Secom-MT
O governador Mauro Mendes – Foto por: Mayke Toscano/Secom-MT

O governador Mauro Mendes
Decreto do governador prevê permissão exclusivamente para os dias 3 e 4 de abril

     O governador Mauro Mendes autorizou, de forma excepcional, a prática de atividades religiosas em igrejas, templos e congêneres no próximo sábado e no domingo (3 e 4 de abril).

Mauro Mendes explicou que nos dias 3 e 4 de abril os templos poderão funcionar até às 20h, desde que respeitem o limite de até 30% da capacidade máxima do local, “distanciamento mínimo de 1,5m entre as pessoas e o uso de máscara de proteção facial”.

O decreto com a permissão foi publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (01.04), e levou em consideração a Semana Santa, que celebra a paixão, a morte e a ressurreição de Jesus. O ciclo dessa tradição encerra no dia 4 de abril.

A decisão foi tomada pelo governador após receber pedidos da primeira-dama Virginia Mendes, de deputados e de líderes religiosos que ressaltaram a importância dessas datas.

“As atividades religiosas já foram reconhecidas como essenciais à população, até pelas dificuldades que todos nós passamos por conta da pandemia. Para milhares de mato-grossenses, a fé em Deus é um alicerce fundamental para seguir em frente e poder superar esse momento difícil”, afirmou o governador.

Leia mais:   Deputado Thiago Silva tem destaque no Parlamento nas áreas da educação e saúde
Comentários Facebook

Estadual

Embaixador dos EUA: “É impressionante o trabalho que o Governo de Mato Grosso está fazendo”

Publicado

O embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman

Todd Chapman elogiou atuação do Estado e quer repetir esse modelo em outros locais

Por Lucas Rodrigues | Secom-MT

     O embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman, elogiou a atuação do Governo de Mato Grosso no combate aos crimes ambientais, em especial o desmatamento ilegal e os incêndios florestais.

Chapman e o governador Mauro Mendes se reuniram na tarde desta quinta-feira (22.04), por videoconferência, e falaram sobre as estratégias do Governo do Estado para prevenir e combater os crimes ambientais, bem como as potencialidades da nossa produção agrícola.

“No meio ambiente, Mato Grosso é um líder e eu quero muito ouvir sobre o seu programa, porque todos falam sobre isso. O que eu tenho ouvido sobre Mato Grosso é que vocês têm um sistema, através de sua Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), uma maneira tecnológica de saber quando e onde estão começando as queimadas ilegais, e entrar em contato com os proprietários dessas áreas. Muitos estão querendo repetir esse sistema”, afirmou Chapman.

De acordo com o embaixador, vários agentes públicos de outros estados têm comentado com ele sobre a eficácia do monitoramento de Mato Grosso sobre as áreas atingidas por desmatamento ilegal.

“Estou como embaixador há pouco mais de um ano. E várias vezes pessoas disseram a mim ‘Mato Grosso tem um sistema tal, que funciona’. Já ouvi pelo menos 10 vezes, de vários lugares. E eles dizem ‘Mato Grosso tem vantagem em relação a Pará, Amazonas, porque vocês sabem a quem pertence as áreas’. Me parece um extraordinário trabalho. É impressionante. Queremos articular para repetir esse modelo em outros estados do Brasil. É impressionante o que Mato Grosso está fazendo”, pontuou.

Leia mais:   Deputado Claudinei destaca atuação nas regiões sul e sudeste de MT

O governador Mauro Mendes explicou que a ferramenta em questão foi implantada pelo estado em 2019. O sistema monitora todo o território de Mato Grosso por satélite e detecta qualquer desmatamento acima de 1 hectare.

“Em qualquer ponto do Estado de Mato Grosso, se alguém começar um desmatamento e ele for superior a 1 hectare, o nosso sistema consegue – pelas imagens de satélite do dia anterior e do dia seguinte – cruzar as imagens e o sistema dá o alerta. O analista olha, identifica e imediatamente pelo Cadastro Ambiental Rural nós ligamos para o proprietário. A grande maioria cessa com aquele desmatamento e aqueles que persistem, as nossas equipes vão a campo e aplicam as multas”, relatou.

Mauro pontuou que, somente no ano passado, foi aplicado mais de R$ 1,5 bilhão em multas com o auxílio desse sistema. E que, ao contrário do que ocorria anteriormente, as multas geram consequências aos infratores.

“Temos feito campanhas muito fortes nos meios de comunicação, dizendo exatamente isso: não aposte na ineficiência do estado, pois nós estamos equipados tecnologicamente e aqueles que arriscarem poderão ter consequências muito graves. Alguns anos atrás, essas multas ficavam engavetadas. Hoje temos uma força-tarefa que está dando sequência e consequência em todas essas multas. Quem desmatou, vai ter que regenerar e responder criminalmente. Hoje uma multa resulta em um administrativo e simultaneamente os dados são enviados ao Ministério Público, que já começa o processo de responsabilização criminal”.

Leia mais:   Dr. Eugênio destina R$ 16 milhões para o Vale do Araguaia

O governador ainda destacou que Mato Grosso já reduziu os alertas de desmatamento em 31,5% entre agosto de 2020 e janeiro de 2021, comparando com o mesmo período do ano anterior. O dado oficial é do Sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (DETER) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

“Estamos aplicando corretamente a lei, o Código Florestal Brasileiro e penalizando a minoria que comete esses crimes, mas que causam danos ambientais, de imagem e econômico para a grande maioria. Estamos investindo R$ 73 milhões para combate ao desmatamento ilegal e incêndios florestais. É um trabalho que demanda tempo, investimento e muita dedicação, e que tem dado resultado”, finalizou.

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

O caminho da vacina contra a Covid-19 em Mato Grosso, sob olhar da PM

Publicado

Por Diário de Cáceres

Foto: PMMT

      Quando as doses da vacina contra o coronavírus desembarcam em Mato Grosso, inúmeras equipes das áreas de saúde e das Forças de Segurança Pública trabalham integradas para que o medicamento seja destinado aos pontos de vacinação e unidades de saúde na região metropolitana e em todo o interior do Estado.

Com mais de 7 mil policiais militares, a Polícia Militar faz parte desta equipe e vem atuando diuturnamente para que os grupos prioritários de todos os municípios recebam as doses da tão esperada vacina contra o coronavírus.

O comandante geral da Polícia Militar em exercício, coronel Daniel Lipi Alvarenga destaca que toda a tropa da instituição está trabalhando na pandemia; nas operações de dispersão de pessoas, fiscalizações, no policiamento de rotina nos bairros e na escolta, segurança e transporte das doses da vacina contra a Covid-19.

“Nas cidades mais longínquas, a responsabilidade destes profissionais que manuseiam, transportam, escoltam e entregam as vacinas é ainda maior. A Polícia Militar e todos os profissionais envolvidos nesta importante ação de combate ao coronavírus fazem um trabalho sincronizado para que as dificuldades impostas pela distância e os locais de difícil acesso não atrapalhem a vacinação dos grupos prioritários e que todos sejam imunizados contra essa doença”, explica coronel Alvarenga.

Leia mais:   Wilson Santos foca em social, educação inclusiva e preside 3 comissões

Para os policiais militares que participam deste momento, o trabalho deles é dedicado a salvar vidas de uma forma diferente e ainda levar a esperança de que a pandemia vai passar e tudo vai ficar bem com todo mundo vacinado.

Ajudar a retirar as doses do avião, escoltar as equipes de saúde até o posto de vacinação em cidades distantes é para os policiais uma missão de correr contra o tempo, que requer cuidados e sincronicidade entre os profissionais envolvidos neste trabalho.

Os policiais fazem a escoltas e ajudam nos imprevistos que surgem pelo caminho até a unidade de saúde como problemas mecânicos nos veículos, atoleiros, árvores ou quaisquer obstáculos que podem aparecer durante o trajeto. As viaturas da PM é mais uma opção de transporte, caso não seja possível os profissionais de saúde levarem o medicamento que tem o período certo para o armazenamento, transporte e a refrigeração.

Para escoltar as vacinas até a cidade de Serra Dourada ( a 639.29 km de Cuiabá), sargento Juscelino Ferreira, comandante do Núcleo da PM no município, confidenciou que ficou emocionado quando chegou no pequeno município e viu os idosos sendo imunizados. Do desembarque das doses vacina do avião, a equipe da PM encarou o trajeto de 150 km de estrada de chão até a unidade de saúde.

Leia mais:   Dr. Eugênio destina R$ 16 milhões para o Vale do Araguaia

“Levar a vacina e ajudar as equipes de saúde até os postos de vacinação é algo emocionante, sinto que estou levando esperança para os moradores desta querida cidade”, declara o policial militar.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana