conecte-se conosco


Estadual

‘Ficha ainda não caiu’, diz jovem de 18 anos eleita Miss Mato Grosso 2016

Publicado

Taiany Zimpel quer por silicone nos seios antes do Miss Brasil, em outubro.
Ela já fez trabalhos como modelo em São Paulo e cursava direito.

Eleita Miss Mato Grosso 2016, Taiany Zimpel, 18 anos, declarou que, apesar do título ser um sonho realizado, a “ficha ainda não caiu”. Ela faz trabalhos como modelo e começou a cursar a faculdade de direito.

Ela trancou a faculdade de direito no ano passado, deixou a cidade natal, Sorriso, a 420 km de Cuiabá, e passou um tempo em São Paulo para atuar como modelo. Em abril deste ano, voltou para Mato Grosso e se preparou para o concurso estadual. Ela pretende continuar no estado até outubro, data do concurso de Miss Brasil.

“Em Sorriso, fui preparada por um amigo e estou em casa, assim é mais fácil. Minha cidade nunca teve uma Miss Brasil, então quero trazer esse título inédito para o município”, contou a miss.

Assim que chegou em Sorriso, ela entrou em contato com o preparador de Sinop, a 503 km de Cuiabá, Eduardo Garcia. Ele a orientou em relação aos treinos, dietas, trajes, atitudes e posturas a serem tomadas por uma miss. Apesar de ter experiência como modelo, a jovem teve de estudar e adaptar os conhecimentos para o concurso de beleza.“Ser modelo é diferente de ser miss. Misses são carismáticas, a passarela muda, o sorriso muda, as poses mudam. Mas, principalmente nos ensaios fotográficos, aproveitei o que já sabia”, disse Taiany.
Antes do Miss Brasil, no dia 1º de outubro, a jovem deve passar por uma cirurgia de implante de silicone nos seios. Apesar de sempre ter sido magra e nunca ter passado vontades, com relação à alimentação, ela já deve iniciar um acompanhamento de nutricionistas e preparadores físicos. Vaidosa, ela também deve ser submetida a sessões de massagens estéticas.

Leia mais:   Cáceres será umas das primeiras cidades de MT a receber a vacina

Com uma beleza clássica, 1,79m de altura e 88 centímetros de quadril, a jovem eleita Miss Sorriso em junho do ano passado foi descoberta por uma agência de modelos em São Paulo. Assim que completou 18 anos, em setembro, se mudou para a capital paulista e disse que só retornou a Mato Grosso para se preparar para a etapa estadual do concurso.

Com a coroa nas mãos, a miss contou que a nova rotina a surpreende em alguns momentos. Ela lembrou que até o dia do concurso os seguidores da conta dela no Instagram não passavam de 900. No começo da semana, esse número ja tinha quase triplicado, chegando aos 2576.

Além dos seguidores, Taiany ganhou amigas durante o confinamento do concurso, entre elas a Miss Barra do Garças, Jacqueline Ecke, e a Miss Cuiabá, Nicole Abdalla, que ficou em terceiro lugar no concurso.

“Tudo foi perfeito. As meninas eram todas queridas e não senti rivalidade de ninguém. A coordenação do concurso também era justa e organizada. Nunca vou me esquecer daqueles momentos”, relatou.

Leia mais:   MPF pede informações sobre o consumo de oxigênio na região de Cáceres

Do G1 MT

Comentários Facebook

Campeonato Brasileiro de Futebol

Cuiabá sobe para a série A pela primeira vez e rede hoteleira prevê movimento no setor após o fim da pandemia

Publicado

G1 MT

A ascensão do Cuiabá Esporte Clube para a série A do campeonato brasileiro pela primeira vez e um possível fim da pandemia com a chegada das vacinas podem reaquecer o turismo na capital e na rede hoteleira a partir deste ano.

Apesar de ter pedido o jogo por 3 a 1, o Cuiabá subiu para a série A, porque o CSA empatou com o Brasil – RS numa partida realizada um pouco antes.

A diretora de marketing da rede de Hotéis Mato Grosso, Adriana Aires, disse que o grupo está otimista com essa nova fase do time no estado.

“Isso representa mais jogos na nossa capital e mais movimento em toda rede hoteleira, aquecendo a economia e os negócios”, ressaltou. No entanto, ainda não é possível fazer uma estimativa precisa do impacto financeiro para o turismo.

Além disso, ela destaca que com a imunização da população por meio da vacina, consequentemente, chegará também o fim da pandemia e um movimento maior na capital.

“O Cuiabá poderá jogar contra grandes times brasileiros que têm torcidas fortes em todo o estado. Isso fará com que os torcedores do interior tenham a oportunidade de ver seus times atuando ao vivo e aproveitarem para passear pela Baixada Cuiabana. Além disso, torcidas organizadas de todo o país também podem vir para a capital”, explicou.

Em relação à recuperação do turismo neste ano, Jefferson vê com cautela a movimentação dos turistas. Para ele, esta retomada será gradual e os números só melhorarão significativamente em 2022.

“Temos uma campanha de vacinação em andamento, mas não sabemos quando ela será finalizada. Ainda vivemos uma pandemia e precisamos tomar todos os cuidados. Não acredito em um novo lockdown, mas em algumas restrições que visam preservar a saúde da população. Por isso, 2021 será um ano melhor que o anterior, mas ainda não retornaremos à movimentação que tínhamos pré-pandemia”, ressaltou.

Cuiabá Esporte Clube

De 2006 a 2008 por falta de recursos, o Cuiabá anunciou o licenciamento de suas atividades. Em 2009, o time retornou ao cenário do futebol disputando a segunda divisão e conquistando o vice-campeonato. Em 2003, ganhou o primeiro título do campeonato mato-grossense.

Já em 2014, o Cuiabá foi a final novamente, dessa vez contra o recém-promovido para a série B, Luverdense. As duas partidas foram vencidas pelo Dourado por 1 x 0.

Desde então, a equipe tem trabalhado para levar o tima à elite do futebol.

Neste ano, conquistando o 3° lugar no Brasileirão série B, o Dourado disputará o campeonato Brasileiro série A.

Faz 35 anos que Mato Grosso não tem sequer um representante na primeira divisão nacional. A última vez que isso aconteceu foi em 1986, com o Operário.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Comando de Fronteira Jauru/66º Batalhão de Infantaria Motorizado vem auxiliando na vacinação do Covid-19

Publicado

Assessoria

Comando de Fronteira Jauru pode prestar apoio logístico ao Secretaria Especial de Saúde Indígena durante o processo de vacinação.

O Comando de Fronteira Jauru/66º Batalhão de Infantaria Motorizado – Batalhão General José Miguel Lanza, juntamente com o 3° Batalhão de Aviação do Exército (BAvEx) e de integrantes do 13º Pelotão de Polícia do Exército vem atuando cumprindo missões de comando, controle e logística em apoio à SESAI (Secretaria Especial de Saúde Indígena) na atividade de vacinação nas áreas indígenas.

As atividades iniciaram no dia 21 de janeiro com apoio nos deslocamentos e no transporte de vacinas para terras indígenas no estado de Mato Grosso.

No dia 22 de janeiro iniciou a fase de execução da vacinação, onde o Comando de Fronteira Jauru pode prestar apoio logístico ao Secretaria Especial de Saúde Indígena durante o processo de vacinação.

O deslocamento para as comunidades indígenas isoladas de difícil acesso ocorrem com o apoio de aeronaves do 3° Batalhão de Aviação do Exército (BAvEx).

Leia mais:   Defensoria Pública de Mato Grosso realizou mais de 500 mil procedimentos durante pandemia em 2020

O Comando de Fronteira está atuando em 4 regiões e nas seguintes terras indígenas: Chiquitanos (região de Fortuna); Vale do Guaporé, Kithaulu e Cerrado (região de Comodoro); Aterradinho e Perigara (região Pantanal); Halataikwa, Kolinakwa, Manoki e Myky (região de Brasnorte).

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana