Connect with us
Taiany Zimpel quer por silicone nos seios antes do Miss Brasil, em outubro.
Ela já fez trabalhos como modelo em São Paulo e cursava direito.

Eleita Miss Mato Grosso 2016, Taiany Zimpel, 18 anos, declarou que, apesar do título ser um sonho realizado, a “ficha ainda não caiu”. Ela faz trabalhos como modelo e começou a cursar a faculdade de direito.

Ela trancou a faculdade de direito no ano passado, deixou a cidade natal, Sorriso, a 420 km de Cuiabá, e passou um tempo em São Paulo para atuar como modelo. Em abril deste ano, voltou para Mato Grosso e se preparou para o concurso estadual. Ela pretende continuar no estado até outubro, data do concurso de Miss Brasil.

“Em Sorriso, fui preparada por um amigo e estou em casa, assim é mais fácil. Minha cidade nunca teve uma Miss Brasil, então quero trazer esse título inédito para o município”, contou a miss.

Assim que chegou em Sorriso, ela entrou em contato com o preparador de Sinop, a 503 km de Cuiabá, Eduardo Garcia. Ele a orientou em relação aos treinos, dietas, trajes, atitudes e posturas a serem tomadas por uma miss. Apesar de ter experiência como modelo, a jovem teve de estudar e adaptar os conhecimentos para o concurso de beleza.“Ser modelo é diferente de ser miss. Misses são carismáticas, a passarela muda, o sorriso muda, as poses mudam. Mas, principalmente nos ensaios fotográficos, aproveitei o que já sabia”, disse Taiany.
Antes do Miss Brasil, no dia 1º de outubro, a jovem deve passar por uma cirurgia de implante de silicone nos seios. Apesar de sempre ter sido magra e nunca ter passado vontades, com relação à alimentação, ela já deve iniciar um acompanhamento de nutricionistas e preparadores físicos. Vaidosa, ela também deve ser submetida a sessões de massagens estéticas.

Com uma beleza clássica, 1,79m de altura e 88 centímetros de quadril, a jovem eleita Miss Sorriso em junho do ano passado foi descoberta por uma agência de modelos em São Paulo. Assim que completou 18 anos, em setembro, se mudou para a capital paulista e disse que só retornou a Mato Grosso para se preparar para a etapa estadual do concurso.

Com a coroa nas mãos, a miss contou que a nova rotina a surpreende em alguns momentos. Ela lembrou que até o dia do concurso os seguidores da conta dela no Instagram não passavam de 900. No começo da semana, esse número ja tinha quase triplicado, chegando aos 2576.

Além dos seguidores, Taiany ganhou amigas durante o confinamento do concurso, entre elas a Miss Barra do Garças, Jacqueline Ecke, e a Miss Cuiabá, Nicole Abdalla, que ficou em terceiro lugar no concurso.

“Tudo foi perfeito. As meninas eram todas queridas e não senti rivalidade de ninguém. A coordenação do concurso também era justa e organizada. Nunca vou me esquecer daqueles momentos”, relatou.

Do G1 MT

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Governador sanciona lei que ‘flexibiliza’ o uso do Pantanal

Published

on

Assessoria

O governador Mauro Mendes (União) sancionou nesta quinta-feira (4) a Lei 11.861/2022, que ’flexibiliza’ as atividades da agropecuária no Pantanal mato-grossense. O projeto polêmico que tramitou em carater de urgência e é criticado por ambientalistas e povos tradicionais do Pantanal, passa a valer a partir de hoje.

Entre as principais mudanças aprovadas estão a permissão para a atividade da pecuária extensiva em Área de Preservação Permanente (APP), a utilização de até 40% da propriedade em área alagável para pasto e a autorização de utilização de agrotóxicos e agroquímicos na região.

O projeto ainda prevê a possibilidade de alteração das paisagens de corixos, meandros de rios e baías, além de não especificar quais empreendimentos de utilidade pública e interesse social que serão permitidos a partir de agora, e que não necessitam de Estudo e Relatório de Impacto Ambiental – EIA-Rima.

A aprovação ocorreu antes do recesso legislativo e teve apenas dois votos contrários.   O projeto foi de autoria do deputado Carlos Avalone (PSDB), membro da Comissão de Meio Ambiente da ALMT, e teve total apoio da base de sustentação do governo Mauro Mendes (União).

Defensor do projeto, Avalone alega que o intuito é viabilizar a pecuária extensiva, autorizar o manejo de vegetação nativa, uso do fogo, introdução de pastagem exótica e a construção de empreendimentos de turismo, infraestrutura e abastecimento.

Um dos problemas bastante citado ao longo do debate foi a ausência dos povos tradicionais no processo de elaboração do texto, e a urgência na tramitação do mesmo.

Um dia após a votação o, Fórum Mato-grossense de Meio Ambiente e Desenvolvimento (Formad), composto por mais de 30 organizações socioambientais, emitiu uma nota de repúdio contra a aprovação do PL 561/2022.

Para as entidades, a lei aprovada, legalizará assinam a nota, o PL 561/2022 agora representa uma a degradação do bioma Pantanal.

”O PL 561/2022 é uma afronta ao Código Florestal brasileiro e trará prejuízos à qualidade da água, às espécies animais e vegetais, ao equilíbrio ecológico e aos povos tradicionais e indígena da maior planície alagável do mundo, o Pantanal, já ameaçado por uma crescente perda de sua superfície de água“, diz trecho da nota.

A nota ainda diz estranhar a pressa dos parlamentares em votar o projeto que pode transformar completamente o Pantanal.

‘Por que liberar o desmatamento de 40% de sua área, incluindo o uso de agrotóxicos? Por que não foi levado para o debate público? Por que não considera recomendações técnicas que alertam sobre os riscos de atividades exploratórias no Pantanal?‘, questionam.

‘Lutamos pelo Pantanal porque ele é nosso e, antes de interesses econômicos, deve-se pensar nos impactos disso para os direitos fundamentais daqueles que ali vivem e para o futuro das próximas gerações. O lucro a qualquer custo tem o seu preço e no caso do Pantanal, há prejuízos que não poderão mais ser recuperados‘, finaliza a nota de repúdio.

Comentários Facebook
Continue Reading

Cáceres e Região

Cáceres terá este mês o mutirão ‘Pai Presente’, para reconhecimento voluntário de paternidade

Published

on

Assessoria

O Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso designou o período compreendido entre 15 e 20 de agosto para a realização do mutirão “Pai Presente”, Programa instituído em 2010 pelo Conselho Nacional de Justiça e que visa estimular e facilitar o reconhecimento espontâneo de paternidade, reduzindo o número de pessoas sem o nome do pai na certidão de nascimento.

Em Cáceres, o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania – CEJUSC, realizará nesse período uma semana de conscientização, estimulando o reconhecimento voluntário da paternidade, cuja possibilidade e procedimento ainda é desconhecido por muitos.

O juiz de direito coordenador do Cejusc, doutor Pierro de Faria Mendes, salienta que o mutirão visa a facilicar e simplificar o reconhecimento de paternidade, garantido a todos o direito a sua identidade biológica com maior celeridade e menos burocracia, implementando, assim, tal direito fundamental.

Esclarece a Gestora do Cejusc, Adriana Del Castanhel, que todo pai pode reconhecer o filho de forma espontânea, bastando que compareça em qualquer cartório com cópia da certidão de nascimento do filho a ser reconhecido (mesmo que ele seja maior de idade) ou com informações de onde ele está registrado, entregando uma declaração particular (ou seja, o reconhecimento espontâneo de paternidade escrito em qualquer papel) ou preenchendo um formulário disponibilizado pelo próprio cartório, ou ainda, comparecendo ao CEJUSC munido de seus documentos pessoais, da certidão de nascimento do filho a ser reconhecido, comprovante de residência e comprovante de renda, caso tenha, e será dado inicio ao procedimento de reconhecimento espontâneo de paternidade, que terá tramitação célere, em média 30 (trinta) dias e  gratuita.

O CEJUSC localiza-se no prédio do Fórum, na Rua São Pedro, n. 257, Bairro Cavalhada, registrando que para maiores esclarecimentos os interessados poderão entrar em contato com o Cejusc pelos meios virtuais 65-3211 1351 (whatsapp business) ou [email protected]

Comentários Facebook
Continue Reading

Mais Lidas da Semana