conecte-se conosco


Estadual

Embaixador dos EUA: “É impressionante o trabalho que o Governo de Mato Grosso está fazendo”

Publicado

O embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman

Todd Chapman elogiou atuação do Estado e quer repetir esse modelo em outros locais

Por Lucas Rodrigues | Secom-MT

     O embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman, elogiou a atuação do Governo de Mato Grosso no combate aos crimes ambientais, em especial o desmatamento ilegal e os incêndios florestais.

Chapman e o governador Mauro Mendes se reuniram na tarde desta quinta-feira (22.04), por videoconferência, e falaram sobre as estratégias do Governo do Estado para prevenir e combater os crimes ambientais, bem como as potencialidades da nossa produção agrícola.

“No meio ambiente, Mato Grosso é um líder e eu quero muito ouvir sobre o seu programa, porque todos falam sobre isso. O que eu tenho ouvido sobre Mato Grosso é que vocês têm um sistema, através de sua Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), uma maneira tecnológica de saber quando e onde estão começando as queimadas ilegais, e entrar em contato com os proprietários dessas áreas. Muitos estão querendo repetir esse sistema”, afirmou Chapman.

De acordo com o embaixador, vários agentes públicos de outros estados têm comentado com ele sobre a eficácia do monitoramento de Mato Grosso sobre as áreas atingidas por desmatamento ilegal.

“Estou como embaixador há pouco mais de um ano. E várias vezes pessoas disseram a mim ‘Mato Grosso tem um sistema tal, que funciona’. Já ouvi pelo menos 10 vezes, de vários lugares. E eles dizem ‘Mato Grosso tem vantagem em relação a Pará, Amazonas, porque vocês sabem a quem pertence as áreas’. Me parece um extraordinário trabalho. É impressionante. Queremos articular para repetir esse modelo em outros estados do Brasil. É impressionante o que Mato Grosso está fazendo”, pontuou.

Leia mais:   Presidente da ALMT lamenta falecimento da mãe de Virgínia Mendes

O governador Mauro Mendes explicou que a ferramenta em questão foi implantada pelo estado em 2019. O sistema monitora todo o território de Mato Grosso por satélite e detecta qualquer desmatamento acima de 1 hectare.

“Em qualquer ponto do Estado de Mato Grosso, se alguém começar um desmatamento e ele for superior a 1 hectare, o nosso sistema consegue – pelas imagens de satélite do dia anterior e do dia seguinte – cruzar as imagens e o sistema dá o alerta. O analista olha, identifica e imediatamente pelo Cadastro Ambiental Rural nós ligamos para o proprietário. A grande maioria cessa com aquele desmatamento e aqueles que persistem, as nossas equipes vão a campo e aplicam as multas”, relatou.

Mauro pontuou que, somente no ano passado, foi aplicado mais de R$ 1,5 bilhão em multas com o auxílio desse sistema. E que, ao contrário do que ocorria anteriormente, as multas geram consequências aos infratores.

“Temos feito campanhas muito fortes nos meios de comunicação, dizendo exatamente isso: não aposte na ineficiência do estado, pois nós estamos equipados tecnologicamente e aqueles que arriscarem poderão ter consequências muito graves. Alguns anos atrás, essas multas ficavam engavetadas. Hoje temos uma força-tarefa que está dando sequência e consequência em todas essas multas. Quem desmatou, vai ter que regenerar e responder criminalmente. Hoje uma multa resulta em um administrativo e simultaneamente os dados são enviados ao Ministério Público, que já começa o processo de responsabilização criminal”.

Leia mais:   ALMT aprova projeto para estimular empreendedorismo entre vítimas de violência doméstica

O governador ainda destacou que Mato Grosso já reduziu os alertas de desmatamento em 31,5% entre agosto de 2020 e janeiro de 2021, comparando com o mesmo período do ano anterior. O dado oficial é do Sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (DETER) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

“Estamos aplicando corretamente a lei, o Código Florestal Brasileiro e penalizando a minoria que comete esses crimes, mas que causam danos ambientais, de imagem e econômico para a grande maioria. Estamos investindo R$ 73 milhões para combate ao desmatamento ilegal e incêndios florestais. É um trabalho que demanda tempo, investimento e muita dedicação, e que tem dado resultado”, finalizou.

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Especialistas em Direito Eleitoral divergem sobre possibilidade da vereadora Valdeníria assumir vaga de Avallone na Assembleia Legislativa

Publicado

Sinézio Alcântara – Expressão Noticias

      Especialistas em legislação eleitoral, os advogados Nestor Fidelis, Amilton Lobo e José Renato de Oliveira, divergem sobre a possibilidade da suposta posse da vereadora Valdeníria Dutra Ferreira (PSC), na Assembleia Legislativa, em substituição ao deputado Carlos Avallone (PSDB) cassado, recentemente, pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) por caixa 2 e abuso de poder econômico.

      Caso a cassação de Avallone seja confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) se prenuncia uma briga jurídica. Com a morte do primeiro suplente Saturnino Masson a vaga deveria, em tese, ser assumida pela vereadora Valdeníria. Ocorre que, ela trocou de partido, durante a chamada “janela partidária” – está filiada ao PSC e há entendimento de que a vaga seja do partido.

    “A vaga é dela, mas o Avallone ainda vai recorrer para o TSE ou mesmo tentar recurso interno para ganhar tempo. Apesar de que ela tenha mudado de partido, ela mudou no momento certo porque a janela permitia. A situação é discutível, mas na minha visão, após o processo transitar em julgado, a vaga será dela” opina o advogado Nestor Fidelis.

Leia mais:   Deputado Claudinei recebe reivindicações de representantes de Santo Antônio de Leverger

      O entendimento do advogado Amilton Lobo é diferente. Na opinião de Lobo a vaga é do partido, não do suplente.   “O mandato eletivo decorrente de eleição proporcional é pertencente ao partido político ao qual o candidato eleito estava filiado na eleição em que foi sagrado vencedor. No caso da vereadora Valdeniria Ferreira ela mudou de partido em janela partidária de cargo eletivo diferente do de deputado estadual ao qual ela foi eleita suplente” explicou.

    Posição semelhante é do advogado José Renato de Oliveira. Ele fez questão de assinalar que não conhece o caso concreto da vereadora. Porém, em tese, disse que “a desfiliação de Valdeníria, durante a janela partidária, para mudar de partido, não se configura como justa causa para suplente de deputado, mas apenas para vereadora, para que ela não perdesse o mandato”.

     Nestor Fidelis, Amilton Lobo e Zé Renato, no entanto, são unânimes em um ponto: Todos afirmam que o deputado Carlos Avallone fará de tudo para permanecer no mandato, mesmo sendo cassado. “Ele irá entrar com recursos em todas as esferas para ganhar tempo. E, é bem provável que, ele termine o mandato sem que o caso seja julgado pelo TSE”.

Leia mais:   Prioridade a diabéticos em rede de saúde vira lei em MT

     Por sua vez, a vereadora Valdeníria assegura que “iremos lutar com todas as nossas forças, recorrer em todas as instâncias da justiça para assumir o mandato que não é meu, mas do povo de Cáceres que votou em mim. Esse é o nosso direito”. Caso assuma uma cadeira na Assembleia Legislativa, a vaga de Valdeníria na Câmara será assumida pelo ex-vereador Rosinei Neves, primeiro suplente.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Cáceres Esporte Clube é o novo time de futebol da Princesinha do Rio Paraguai

Publicado

Por – Ana Barros

A princesinha do Rio Paraguai acaba de ganhar mais um clube profissional, o Cáceres Futebol Clube  é novo membro da Federação Matogrossense de Futebol e pretende disputar os próximos  Campeonato do Estado.

O  clube realizou sua filiação em 23 de abril de 2021 e já se considera apto para montar a equipe que irá disputar as próximas competições esportivas do Estado.

Marcinho Lacerda

Fundador do time foi o entusiasta e apaixonado pela modalidade, Marcinho Lacerda, que junto com outros apaixonados,  lutaram por  muitos anos  para que esse sonho se torna-se realidade, como de fato agora é.

Marcinho conta que o grande  objetivo dos idealizadores do time, era que Cáceres continuasse a crescer no esporte e que a região oeste também tivesse o seu representante, assim como as demais regiões, por esse motivo nunca desistiram e foram em busca para que esse desejo fosse concretizado.

Marcinho pontua que o time tem tudo pra dar certo, “Fizemos da maneira legal, buscamos a CBF e a Federação Matogrossense de Futebol, então tudo está dentro dos trâmites legais”, disse.

Leia mais:   Presidente da ALMT lamenta falecimento da mãe de Virgínia Mendes

Conforme Lacerda,  já está tudo pronto para sair do papel, tudo já está esquematizado, o organograma está montado com todas as peças, desde o financeiro até a equipe técnica, as pessoas que vão compor esses cargos são pessoas que já integram o trabalho a muito tempo e almejam ver o time se destacando no cenário esportivo.

“A gente espera representar a região, assim como todos os clubes tem uma representatividade, a região oeste terá o Cáceres como uma referência, esse é o nosso objetivo”, pontua

Além de representar a região, Lacerda frisa que também a missão do novo time é dar oportunidade aos jovens atletas que foram agraciados com o dom de jogar, de desenvolver esse dom, para que eles não se sintam futuramente frustados.

Conforme Marcinho, toda a estrutura física e corpo técnico irá trabalhar para cumprir o papel e trazer orgulho para a sociedade cacerensse e aos apaixonados pelo esporte.

Toda a equipe do Cáceres,  tem o sonho de que esses jovens  talentosos da região tenham a oportunidade de se destacaram tanto no cenário estadual, quanto nacional e quem sabe até internacional,.

Leia mais:   ALMT aprova projeto para estimular empreendedorismo entre vítimas de violência doméstica

“Esse é o nosso objetivo, criar uma projeção para essas pessoas que Deus deu o dom, ser alguém na vida como atleta ” destacou a equipe do Cáceres.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana