conecte-se conosco


Destaque

Coronel Dênis Valle substitui coronel Edison De Carli no comando da PM em Mirassol D´Oeste

Publicado

O tenente-coronel-PM Dêniz Silva Valle assume o comando do 17º Batalhão de Polícia Militar, de Mirassol D´Oeste. Valle substitui o também tenente-coronel Edison Antônio de Carli Martins. A troca de comando aconteceu na quinta-feira, na praça Central da Cidade.

A solenidade foi presidida pelo coronel Ademar do Nascimento – Comandante do 6º CR, que no uso da palavra agradeceu a atuação do comandante sucedido e deu as boas-vindas ao novo comandante desejando sucesso na sua nova missão.

Durante o uso da palavra, coronel De Carli agradeceu a presença de todos e principalmente a confiança depositada nele enquanto esteve à frente do 17º Batalhão.

Durante a cerimônia a PM prestou homenagem ao major PM Robson Luiz Sales Ormay, que comandava a Companhia PM de São José dos IV Marcos que na madrugada de domingo (12.06), faleceu vítima de câncer em Cuiabá. Major Robson estava há 19 anos na Polícia Militar do Estado de Mato Grosso, comandou unidades em Cuiabá e interior.

O evento contou com a presença de diversas autoridades militares e civis, que externaram os agradecimentos ao comandante que no evento se despediu da comunidade mirasolense.

Leia mais:   Entidade cobra inclusão de quilombolas em grupo preferencial da vacinação

A solenidade iniciou ás 09 horas da manhã, e além do efetivo do 6º Comando Regional, o desfile contou com os alunos a soldado da Escola de Formação de Praças, e o Corpo Musical do 2º Batalhão de Fronteira.

Assessoria

Comentários Facebook

Destaque

Supremo envia a Aras denúncia contra Bolsonaro e Pazuello por crise no Amazonas

Publicado

Assessoria GD

Após empurrar para o Congresso Nacional a competência para análise de ‘eventuais ilícitos’ cometidos pelo governo federal na condução da pandemia do novo coronavírus, o procurador-geral da República, Augusto Aras, terá que se manifestar sobre uma denúncia apresentada por parlamentares do PCdoB contra o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, pela falta do oxigênio em hospitais de Manaus.

Isso porque o ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal), enviou nesta sexta-feira (22) o pedido de abertura de investigação para análise de Aras. “Encaminhe-se à Procuradoria-Geral da República”, diz a única frase do despacho.

O encaminhamento é protocolar, mas acontece em um momento de pressão para o chefe do Ministério Público Federal, que vem sendo cobrado a endurecer a fiscalização às ações do governo.

A bancada do PCdoB na Câmara dos Deputados protocolou a notícia-crime atribuindo ao presidente e ao ministro crimes de prevaricação e ‘exposição da vida ou da saúde de outrem ao perigo’.

Ao Supremo, o partido observa que o governo foi notificado com antecedência sobre o desabastecimento de cilindros de oxigênio na capital amazonense. Com estoques zerados em algumas unidades, pacientes morreram por asfixia.

Leia mais:   Ministério Público é acionado por vereadores para liberar leitos de Covid-19 nos hospitais de Cáceres

“O Governo Federal tem responsabilidade no processo que levou a capital amazonense ao status atual de crise de saúde pública”, diz um trecho do documento. Na manifestação ao tribunal, a sigla pediu o envio da denúncia à Aras para a abertura de um inquérito.”Considerando a competência da Procuradoria Geral da República para promover a responsabilização penal do Presidente da República e dos Ministros de Estado, requer-se seja a presente Petição recebida e encaminhada ao Procurador Geral da República, para adote as providências, no sentido de determinar a apuração dos fatos expostos e que, com certeza já são de seu conhecimento”, escreveram os parlamentares.

Na tarde de quinta-feira (21), Aras recebeu Pazuello em Brasília. Segundo informações divulgadas pela PGR (Procuradoria-Geral da República), a reunião presencial foi solicitada pelo general para prestar esclarecimentos depois que o procurador pediu informações sobre as medidas em curso para resolver a crise sanitária em Manaus. O requerimento foi feito após o Cidadania entrar com uma representação cobrando a investigação do ministro por prevaricação e improbidade administrativa.

Leia mais:   Entidade cobra inclusão de quilombolas em grupo preferencial da vacinação

O partido político não foi o único. Desde que o sistema de saúde da capital amazonense entrou em colapso, houve uma disparada na formalização de pedidos de apurações contra o governo federal pelo desabastecimento de oxigênio hospitalar na região e também pelo atraso na aquisição de insumos para produção das vacinas contra a covid-19.

Na quarta-feira, procuradores do próprio Ministério Público Federal, atuantes em seis estados, enviaram um ofício a Aras pedindo que ele acompanhe junto ao Ministério da Saúde e ao das Relações Exteriores as negociações para compra da matéria-prima.

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Mato Grosso receberá 24 mil doses da vacina AstraZeneca

Publicado

Assessoria GD

O Governo de Mato Grosso recebe do Ministério da Saúde, neste domingo (23), 24 mil doses da vacina AstraZeneca/Oxford. A chegada das doses está prevista para as 9h, em um voo da Azul, no Aeroporto Marechal Rondon em Várzea Grande. O imunizante contra a Covid-19 é produzido pelo laboratório indiano Serum.

Conforme as diretrizes do Ministério da Saúde, este quantitativo será totalmente destinado à aplicação da primeira dose em trabalhadores que atuam na linha de frente do combate ao coronavírus. Portanto, com as novas doses, será possível dar continuidade à imunização de 24 mil profissionais da saúde.

“O Ministério da Saúde orientou que essas 24 mil vacinas sejam utilizadas exclusivamente como primeira dose e prioritariamente destinadas aos trabalhadores da saúde. O Governo Federal segurou parte do estoque para o encaminhamento futuro aos Estados, por isso a estratégia de vacinar mais pessoas neste momento”, esclareceu o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo.

Como este é um imunizante diferente daquele já distribuído, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) irá elencar junto ao Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Mato Grosso (Cosems-MT) o público prioritário que integra o grupo de trabalhadores da saúde para a distribuição proporcional aos municípios.

Leia mais:   Prefeitura decreta estado de calamidade pública por seis meses em Curvelândia por causa da pandemia

Imediatamente após a chegada do imunizante, as equipes da Vigilância Estadual trabalharão no recebimento das doses, na conferência da quantidade, na catalogação dos imunizantes e no encaixotamento para distribuição e retirada dos municípios.

“O Estado repetirá toda a logística que já foi desenhada para a distribuição das doses da CoronaVac, que engloba o apoio das equipes de segurança”, concluiu o secretário adjunto de Vigilância à Saúde em exercício, Oberdan Coutinho Lira.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana