Connect with us
Lojas estão investindo em promoções e segurando margens de lucro.
Segundo Acomac, construir ficará mais caro, mas expectativa é de melhora.

Construir em Mato Grosso ficou mais caro em 2016. O custo do metro quadrado em junho subiu em média 5,19%, num comparativo com o mesmo período de 2015. E no segundo semestre os índices de aumento devem subir ainda mais, isso porque as indústrias anunciaram que o cimento passará a ser comercializado cerca de 8% mais caro a partir do mês de agosto. Segundo a Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção do Estado de Mato Grosso (Acomac), o aumento no preço deste produto acumula 7,10% nos últimos 12 meses.

Só no primeiro semestre de 2016, as lojas de materiais para construção sofreram queda de 10% a 12% nas vendas. Para driblar a crise, os empresários estão investindo em promoções e segurando as margens de lucro. Tudo pra não impactar muito o bolso do consumidor. Para tentar aquecer o mercado, os bancos devem disponibilizar linhas de créditos especiais para o consumidor que vai construir e reformar neste período.

Leia mais:   Confira se você está no 2º lote de restituição do Imposto de Renda

“Todos nós empresários do segmento cortamos nossa margem de lucro e estamos adotando estratégias de venda a longo prazo sem juros. Estamos procurando instituições bancarias tanto públicas quanto privadas, procurando taxas baixas, confortáveis ao bolso do cliente”, explica o empresário José Wenceslau Souza Júnior.

O ramo da construção civil movimenta por ano cerca de R$ 1,2 bilhão no estado. Apesar da queda acentuada nos primeiros seis meses deste ano, a expectativa do setor para o próximo semestre é de melhora, mesmo com a alta do cimento.

“Em junho nós fechamos 4% melhor do que maio deste ano. O segundo semestre é sempre mais favorável ao segmento material de construção e para as pessoas que vão fazer sua construção”, disse o presidente da Acomac, Gustavo Nascimento.

Comentários Facebook

Cáceres e Região

AGUARDA REGULAMENTAÇÃO: Pesca do pintado não está proibida em Mato Grosso, afirma Conselho

Published

on

Assessoria/Sema

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) e o Conselho Estadual da Pesca (Cepesca) esclarecem que a pesca do pintado não está proibida em Mato Grosso e o Estado aguarda a regulamentação do Governo Federal. O assunto, que entrou em pauta após a Portaria nº 148/2022 do Ministério do Meio Ambiente (MMA), foi tema da reunião do Conselho Estadual da Pesca realizada na quinta-feira (23.06).

“A portaria não proíbe a pesca do pintado, mas estabelece que o peixe deve ser usado de forma sustentável. Vai depender de uma regulamentação federal esclarecendo quais as regras e procedimentos para o uso desta espécie e outras que possam ter sido acrescentadas dentro desta lista de animais ameaçados”, explica o secretário em exercício da Sema-MT e presidente do Cepesca, Alex Marega.

No dia 7 de junho, o MMA publicou a portaria com a “Lista Nacional Oficial de Espécies da Fauna Ameaçada de Extinção”, na qual consta a ‘Pseudoplatystoma corruscans’, que é popularmente conhecida como surubim ou pintado. A portaria também alterou o anexo da publicação nº 445/2014 com a inclusão de peixes e invertebrados aquáticos que entraram na lista de animais vulneráveis e em perigo de extinção, mas grande parte das normas estabelecidas na portaria anterior continuam válidas.

Leia mais:   AGUARDA REGULAMENTAÇÃO: Pesca do pintado não está proibida em Mato Grosso, afirma Conselho

Conforme Marega, o pintado foi agora categorizado como espécie vulnerável (VU), e, segundo o artigo 3º da Portaria 445/2014, poderá ser permitido seu uso sustentável, desde que regulamentado e autorizado pelos órgãos federais competentes e atendendo, minimamente, critérios especificados no documento.

A nova portaria entra em vigor a partir do dia 6 de setembro, conforme retificação publicada no Diário Oficial da União no dia 13 de junho. A Sema fará uma consulta ao Ministério do Meio Ambiente sobre a regulamentação do uso sustentável das espécies incluídas na lista e classificadas como vulneráveis.

A Sema também solicitou à Coordenadoria de Fauna e Recursos Pesqueiros do órgão um parecer técnico sobre a nova Portaria, verificando quais espécies foram acrescentadas à listagem para detectar outros animais importantes para a fauna mato-grossense. Também foi solicitada análise sobre quais medidas de gestão devem ser implementadas até a regulamentação por parte do MMA.

 

 

Comentários Facebook
Continue Reading

Cáceres e Região

Confira se você está no 2º lote de restituição do Imposto de Renda

Published

on

Assessoria

A Receita Federal liberou nesta quinta-feira (23) a consulta ao segundo lote de restituição do IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) 2022. O Fisco afirma que a fase de pagamentos vai contemplar mais de 4,2 milhões de contribuintes com R$ 6,3 bilhões. Todos os listados neste lote receberão o pagamento da restituição na quinta-feira da próxima semana (30 de junho).

O montante será creditado diretamente na conta bancária indicada no momento de entrega da declaração com um acréscimo de 1% em relação ao valor indicado no momento da entrega do documento, referente à variação mensal da taxa Selic.

De acordo com a Receita, o lote atual contempla 2,7 milhões de contribuintes membros dos grupos que têm prioridade no recebimento, como idosos, deficientes e aqueles que têm o magistério como principal fonte de renda. Figuram também na lista todos aqueles que entregaram a declaração até o dia 19 de março.

O primeiro lote de restituição foi pago no dia 31 de maio. Quem não receber a grana neste mês ainda poderá ser beneficiado em julho (dia 29), agosto (dia 31) ou setembro (dia 30). As liberações seguem a ordem da data de entrega da declaração.

Leia mais:   AGUARDA REGULAMENTAÇÃO: Pesca do pintado não está proibida em Mato Grosso, afirma Conselho

Como consultar?

Além da página na internet, os contribuintes também podem saber se estão no segundo lote de restituição acessando o aplicativo do Fisco disponível para os sistemas Android e iOS. Nos sistemas, o contribuinte descobre se a sua restituição foi liberada, se ainda está sendo processada ou se existem pendências que impedem a restituição. Nesse caso, as correções podem ser feitas por meio de uma declaração retificadora.

O pagamento da restituição é realizado diretamente na conta bancária informada na declaração. Após ser depositada, a restituição ficará disponível no banco durante o período de ano. Se o contribuinte não fizer o saque no prazo, deverá solicitar o montante pela, mediante o Formulário Eletrônico — Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Caso o valor a ser restituído não apareça na conta bancária, o contribuinte poderá contatar pessoalmente qualquer agência do BB ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Leia mais:   Confira se você está no 2º lote de restituição do Imposto de Renda

 

Comentários Facebook
Continue Reading

Mais Lidas da Semana