conecte-se conosco


Atlético-PR

Análise: lance polêmico e bola parada freiam embalo do Atlético-PR no Couto

Publicado

Coritiba Atlético-PR Atletiba (Foto: Divulgação/ Coritiba)Otávio e Edinho disputam a bola; no fim, vitória alviverde por 1 a 0 (Foto: Divulgação/Coritiba)

A derrota do Atlético-PR para o Coritiba por 1 a 0, quarta-feira, no Couto Pereira, pode ser resumida em dois lances. No primeiro tempo, um pênalti não marcado pelo árbitro Thiago Duarte Peixoto (SP) após o goleiro Wilson trombar no volante Deivid dentro da área. No segundo, uma falha de posicionamento do time na bola parada, e o gol do atacante Kazim para definir o resultado em jogo válido pela 12ª rodada do Brasileirão.

Apesar do lance polêmico, o Atlético-PR teve um jogo abaixo da média no clássico. Inferior tanto na posse de bola (48 a 52%) quanto no número de finalizações (8 a 13), os comandados de Paulo Autuori não conseguiram repetir as atuações demonstradas, por exemplo, nas vitórias recentes sobre Santos (1 a 0) e Grêmio (2 a 0) na Arena da Baixada. Segundo o próprio treinador, “o time não jogou o que poderia jogar”.

Paulo Autuori manteve a base do time escalado na vitória sobre o Tricolor gaúcho, com apenas uma alteração: o volante Deivid no lugar do suspenso Hernani. O Atlético-PR atuava no tradicional 4-2-3-1, com os laterais Léo e Sidcley e com Deivid subindo constantemente para o campo de ataque. O time, porém, tinha dificuldades para criar e finalizar.

Atlético-PR escalação (Foto: Arte/GloboEsporte.com)

Apesar de não viver uma de suas melhores apresentações, o Atlético-PR
até poderia ter saído na frente. O volante Deivid apareceu na área, mas o
goleiro Wilson cometeu – nas palavras de Paulo Autuori – um “pênalti
clamoroso”, ignorado pela equipe de arbitragem. O lance, aos 28 minutos do primeiro tempo, poderia ter mudado o rumo da partida:

 

Sem o pênalti, o Atlético-PR só conseguiu levar real perigo ao gol adversário depois de 32 minutos de bola rolando. O meia-atacante Nikão, um dos destaques do time, soltou a bomba na cobrança de falta, e a bola passou perto do travessão:

 

O Atlético-PR caiu de produção no segundo tempo, mas ainda levou perigo. Logo aos três minutos, Nikão – mais uma vez ele – finalizou com perigo, mesmo desequilibrado, e obrigou Wilson a fazer difícil defesa. Segunda finalização do camisa 11 – empatado com Pablo como os jogadores do Furacão que mais arriscaram durante os 90 minutos:

 

Quando o jogo caminhava para um empate sem gols, o Atlético-PR errou o posicionamento na bola parada. Juan cobrou escanteio, Edinho desviou, e Kazim completou para o fundo das redes. Na entrevista pós-jogo, Paulo Autuori admitiu o erro – fatal – cometido pelo time:

 

O
Atlético-PR vai tentar retomar o caminho das vitórias diante do América-MG, às 18h30
(horário de Brasília) de sábado, na Arena da Baixada. O Premiere FC
transmite, e o GloboEsporte.com acompanha em Tempo Real, com
vídeos dos principais lances. Para esta partida, Paulo Autuori não terá o atacante Pablo, suspenso; por outro lado, conta com a volta do volante Hernani.

Confira mais notícias do esporte paranaense no globoesporte.com/parana

Comentários Facebook

Atlético-PR

Depois de rodada polêmica, Autuori elogia arbitragem em jogo tranquilo

Publicado

Em meio a tantos ataques em relação à arbitragem no Campeonato Brasileiro, a categoria do apito ganhou elogios do técnico Paulo Autuori, depois da derrota do Atlético-PR por 1 a 0 para o América-MG. Na Arena Independência, a facilidade da disputa não minimizou os comentários positivos do treinador sobre o paulista Luiz Flávio de Oliveira. 

Luiz Flávio de Oliveira ilha do retiro (Foto: Aldo)Luiz Flávio de Oliveira recebeu elogios nominais do técnico Paulo Autuori (Foto: Aldo)

? Não poderia sair daqui sem fazer um elogio ao árbitro. Quando se fala tanto de arbitragem. do Luiz Flávio, era assim com o Paulo César, irmão dele, também. Não posso deixar de realçar aqui a qualidade, a categoria e a sobriedade dele. Em um momento de muitos problemas, ter um árbitro desse, para nós profissionais, quando entramos em campo, ter uma figura como o Luiz Flávio nos dá total garantia de que vai ser um jogo tranquilo em relação às decisões que um trio de arbitragem tem que ter. Parabéns a ele.

Ao contrário de pelo menos quatro partidas da 32ª rodada do campeonato, o jogo do Furacão com o time mineiro deu pouco trabalho para o árbitro. Foram apenas 14 faltas ? a partida menos faltosa dentre todas as disputadas nesta fase. Em toda a rodada, a média foi de 29,5 faltas por confronto. Nenhum cartão foi aplicado. 

Na rodada, a questão da arbitragem foi central em pelo menos quatro confrontos. Em Curitiba, o rival Coritiba reclamou do critério para expulsão do atacante Kleber contra o Fluminense, em um lance supostamente desmedido. No Maracanã, no empate em 2 a 2 entre Flamengo e Corinthians, o atacante Paulo Guerrero marcou um gol em posição de impedimento. Na partida entre Palmeiras e Sport, em São Paulo, o time visitante reclamou de um pênalti não marcado. A briga entre Edílson e Rodrigo Dourado, no clássico Grenal, também colocou a arbitragem em discussão.  

Tranquilo em campo, ruim para a tabela do Furacão. A derrota deixou o time na sétima colocação, com 48 pontos. O próximo confronto é no sábado, contra o Cruzeiro, na Arena da Baixada. A partida está marcada para às 16h30 (horário de Brasília). 

Confira mais notícias do esporte paranaense no globoesporte.com/parana


Comentários Facebook
Continue lendo

Atlético-PR

De volta ao time, Nikão diz não saber motivos de atuações ruins fora de casa

Publicado

 

A derrota por 1 a 0 para o América-MG, na Arena Independência, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi a oitava seguida do Atlético-PR fora de casa. O time está o mesmo tempo sem balançar as redes como visitante. O meia Nikão, que retornou ao elenco em Belo Horizonte, depois de três meses de recuperação, criticou o retrospecto, mas disse não saber o que precisa ser feito para motivar o time longe de seus domínios. (confira acima o vídeo dos melhores momentos)

? Se eu soubesse como, a gente já tinha resolvido. É uma situação que não dá para falar que é A ou B. Os nossos números são tão bons dentro de casa que a gente continua brigando pelo G-6, mesmo perdendo tanto fora de casa. Temos que procurar um jeito de vencer. O time está tentando de todas as maneiras. Tem dias que as coisas não acontecem. E é justamente fora de casa que são os momentos que as coisas não estão acontecendo. A gente tá procurando uma explicação para poder vencer. Temos que procurar um jeito de somar pontos. Se a gente quer brigar pelo G-6, temos que somar pontos fora de casa ? decretou o jogador. 

américa-mg x atlético-pr brasileiro (Foto: Marco Oliveira/Atlético-PR)Atlético-PR quase não atacou durante o jogo contra o América-MG (Foto: Marco Oliveira/Atlético-PR)

Pelo Brasileiro, a última vez que o Furacão venceu sem mandar a partida foi contra o Cruzeiro, no Mineirão. Na 14ª rodada, o Atlético fez 3 a 0 no time mineiro. Foi também a última vez que a equipe fez gols fora de casa. Para Nikão, o desempenho reflete na tabela, mas não afeta os jogadores de forma negativa.

? Em números, se for pensar, afeta sim. Mas a gente, como jogador, não. A gente está procurando jogar, procurando vencer. A gente jogou na Vila o último jogo e vencemos. Em casa, estamos há muitos jogos sem perder. Só que fora a gente não está conseguindo ganhar, fazer gols e repetir as atuações que a gente tem tido dentro de casa quando jogamos fora ? avaliou. 

Esse assunto já está ficando repetitivo. A equipe veio com propósito de jogo, mas isso não nos levou a concluir gols. 

Lucas Fernandes, meia do Atlético-PR

 Titular da partida, o meia Lucas Fernandes ficou em campo até os 10 minutos do segundo tempo, antes de dar lugar para Giovanny. De acordo com o jogador, o erro do Atlético-PR em Belo Horizonte foi não cumprir o que havia sido proposto. Para a sequência, Lucas Fernandes aponta uma solução. 

? Complicado falar, porque esse assunto já está ficando repetitivo. A equipe veio com propósito de jogo, mas isso não nos levou a concluir gols. Tem que levantar a cabeça. Contávamos com essa vitória pelo trabalho que vínhamos fazendo. Nossa equipe controlou o jogo. Infelizmente, não conseguimos concluir a gol. Quando isso não acontece, a gente tem que lamentar e continuar trabalhando ? disse o meia. 

Na sétima colocação, a derrota deixou o Furacão fora do G-6, com 48 pontos na tabela. O próximo confronto é no sábado, contra o Cruzeiro, na Arena da Baixada. A partida está marcada para 16h30 (horário de Brasília). 

Confira mais notícias do esporte paranaense no globoesporte.com/parana


Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana