conecte-se conosco


Geral

Ana Claudia Lemos é suspensa por cinco meses e poderá participar da Rio 2016

Publicado

Por 6 votos a 0, a velocista Ana Claudia Lemos foi punida com cinco meses de suspensão por testado positivo para a substância Oxandrolona em teste realizado em período fora de competição pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) em fevereiro deste ano.

A punição será retroativa a 3 de fevereiro. Com isso, ela está liberada para participar dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro – estará liberada a partir de 3 de julho, enquanto a disputa do atletismo na Rio 2016 começará no dia 12 de agosto.

“É a primeira vez que temos uma decisão unânime no STJD nestes casos. A defesa da atleta provou que houve contaminação e que a quantificação da substância encontrada é mínima. Podem me perguntar então por que ela não foi absolvida? Porque ela é uma atleta olímpica e é responsável por tudo o que consome”, comentou o presidente do STJD, Gustavo Normanton Delbin. “Ela tem de pagar um preço por sua negligência.”

No entanto, ainda cabe recurso, tanto para a atleta, como para a IAAF e para a ABCD. Na saída da Federação Paulista, aliás, o presidente da ABCD, Marco Aurélio Klein, informou que irá recorrer a Corte Arbitral do Esporte (CAS), pedindo o agravamento da pena.

Leia mais:   Mato Grosso apresenta reduções de homicídios dolosos, feminicídios, roubos e furtos

Ele participou do julgamento com ouvinte, mas a ABCD teve dois outros representantes Cristiane Caldas e Luiz Gabriel Horta.

Marcelo Franklin, do escritório Franklin Advogados, fez a defesa de Ana Cláudia. “Queríamos a absolvição da nossa cliente porque mostramos provas concretas que ela não cometeu nenhum ato ilícito. Lamentamos a decisão de cinco meses de suspensão, mas achamos que ela pode voltar a treinar e se preparar para representar o Brasil na Olimpíada do Rio”, disse o advogado, que se prontificou a recorrer também ao CAS.

Participaram do julgamento o procurador Caio Medauar, o vice-presidente do STJD Amadeu Armentano, a relatora Fernanda Bazanelli Bini e e os auditores Antonio Carlos Pereira, Marcos André Franco Montoro e Pedro Alberto Campbell Alquéres.

Fonte: Espn

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Mato Grosso apresenta reduções de homicídios dolosos, feminicídios, roubos e furtos

Publicado

Julia Oviedo | Sesp-MT

O estado de Mato Grosso apresentou redução nos principais índices de criminalidade nos primeiros cinco meses do ano, em comparação com o mesmo período de 2020. Os casos de homicídios dolosos reduziram 7%, com 316 ocorrências, perante 339 no ano passado. Já o número de feminicídios reduziu 30%, passando de 27 casos no anterior para 19 neste ano.

Os dados são da Superintendência do Observatório de Segurança Pública, vinculada à Adjunta de Inteligência da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT). Ainda em relação a crimes contra a vida, o roubo seguido de morte teve aumento de 14%, com 14 casos no ano passado e 16 neste ano.

Outros índices que também reduziram foram: roubos (-28%), furtos (-10%), roubo de veículos (-41%) e furto de veículos (-26%). Para o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, a redução dos principais índices acaba refletindo em uma maior sensação de segurança.

“São números que quando apresentam redução, você consegue perceber um grande aumento da sensação de segurança por parte da população, principalmente relacionado a roubos e furtos, que causam um incômodo muito grande para o cidadão”, disse Bustamante.

Leia mais:   Corpo de Bombeiros e Sema iniciam queimas prescritas e aceiros no Parque Encontro das Águas, no Pantanal

Tráfico de drogas

As ocorrências de tráfico e uso de drogas tiveram um aumento de 38% em relação a 2020. Em contrapartida, o número de apreensões de drogas em todo o estado aumentou 63%, passando de 5 toneladas em 2020 para mais de 8 toneladas de entorpecentes apreendidos este ano.

Na avaliação do secretário, isso se deve principalmente à integração entre forças de segurança estaduais e federais, além dos grandes investimentos, que chegaram a mais de R$ 200 milhões.

“Nós temos a integração e o uso da inteligência como fator forte no estado. E os investimentos que o governo tem feito, com por exemplo um maior número de viaturas, investimentos em radiocomunicação digital, policiais em mais cantos do estado em circulação, possibilitando uma diminuição dos índices criminais”, finalizou Bustamante.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Corpo de Bombeiros e Sema iniciam queimas prescritas e aceiros no Parque Encontro das Águas, no Pantanal

Publicado

 

Carlos Celestino/Secom e Lorena Bruschi/ Sema-MT

Como forma de prevenir os grandes incêndios florestais no Pantanal mato-grossense, o Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso (CBM-MT) e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) vão realizar, entre os dias 15, 16 e 17 de junho, análises das áreas para realização da primeira queima prescrita e construção de aceiros em pontos estratégicos na região do Parque Estadual Encontro das Águas, na cidade de Poconé (104 km de Cuiabá).

O principal objetivo da queima controlada, autorizada pela Coordenadoria de Unidades de Conservação da Sema-MT, é proteger o Parque, que é uma das 46 unidades de conservação estaduais sob a responsabilidade do órgão ambiental. A região é conhecida internacionalmente como um refúgio de onças que podem ser observadas por turistas.

Com a aplicação da técnica do fogo controlado nas áreas, somente o excesso de biomassa (folhas, galhos secos) presente na superfície é consumido, reduzindo o combustível de fácil propagação do fogo durante o período mais crítico da estiagem no Pantanal.

O estudo é importante para avaliar e elaborar um planejamento estratégico da queima prescrita, devido às condições de umidade, temperatura e direção do vento. Fumaça e chamas poderão ser vistas toda a região, em especial por quem trafega pela região da MT-060, e por moradores das comunidades vizinhas, e pousadas.

Leia mais:   Corpo de Bombeiros e Sema iniciam queimas prescritas e aceiros no Parque Encontro das Águas, no Pantanal

Os aceiros são demarcações em uma área para criar uma espécie de faixa ao longo das cercas onde a vegetação foi completamente eliminada da superfície do solo. A finalidade é prevenir a passagem do fogo para área de vegetação, evitando queimadas e criando espaços para que os animais como onças e outras espécies menores possam escapar do fogo.

O Parque Estadual Encontro das Águas está delimitado em uma área de 108 mil hectares e é considerado um dos locais preferidos pelos turistas para a observação de onça-pintada. Segundo dados do Centro Integrado Multiagência (Ciman), nos incêndios florestais de 2020, cerca 55 mil hectares foram destruídos pelo fogo no Parque.

Uma equipe de quatro militares do Batalhão de Emergências Ambientais BEA, junto com os agentes da Secretaria de Meio Ambiente (Sema) estão integrados para desenvolver essa ação. Serão utilizadas pás carregadeiras apreendidas durante operações de fiscalização contra infrações e crimes ambientais.

“Essa mesma região foi bastante castigada pelo fogo com os grandes incêndios florestais que atingiu as áreas desta unidade de conservação em 2020. Por isso, nossas atenções estão voltadas para realização do trabalho preventivo para construção de aceiro nesta região, criando linhas de defesa para evitar que as áreas sejam atingidas pelas chamas”, disse o comandante da Companhia de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do BEA, 1° tenente Isaac Wihby.

Leia mais:   Mato Grosso apresenta reduções de homicídios dolosos, feminicídios, roubos e furtos

Período proibitivo do fogo

A medida antecede o período proibitivo do fogo, que começa no dia 1º de julho em todo o Estado, após antecipação em 15 dias por decreto estadual. Com o decreto, fica proibida qualquer atividade de limpeza de pastagem com o uso do fogo nas áreas rurais entre os dias até 30 de outubro de 2021. O uso do fogo em áreas urbanas é proibido o ano todo.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana