conecte-se conosco


Cáceres e Região

Vereador é cassado e condenado à prisão por apresentar documento falso para atestar escolaridade na Câmara Municipal

Publicado

Com medo de ter que passar por nova audiência, segundo a denúncia, Adilson apresentou histórico escolar falso, já que a lei eleitoral proíbe a eleição de candidatos analfabetos.

A Justiça Eleitoral condenou o vereador Adilson Barreto, de Reserva do Cabaçal, a 412 km de Cuiabá, por apresentar um certificado de escolaridade falso para concorrer ao cargo nas eleições de 2012. A decisão é do juiz Renato José de Almeida Costa Filho, da 41ª Zona Eleitoral de Mato Grosso, e foi proferida na quinta-feira (28).

G1 tenta localizar a defesa do parlamentar.

Em 2012, Adilson teve o registro de candidatura indeferido após não conseguir comprovar que era alfabetizado.

Quando ainda era candidato, Adilson passou por uma audiência e apresentou dificuldade para ler, bem como não foi possível decifrar o que havia escrito.

Com medo de ter que passar por nova audiência, segundo a denúncia, Adilson apresentou histórico escolar falso, já que a lei eleitoral proíbe a eleição de candidatos analfabetos.

Ao ser ouvido pela Justiça, Adilson afirmou que nunca estudou em Cuiabá e que os documentos que ele entregou foram os documentos pessoais. Segundo ele, para comprovar a escolaridade, entregou a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Ele confessou ter estudado apenas na zona rural, em Reserva do Cabaçal, há muitos anos.

Leia mais:   Empossada a nova diretoria de Comtur em Cáceres

Adilson Barreto foi condenado há 1 ano de prisão em regime aberto, mas o juiz substituiu a pena por pagamento de dois salários-mínimos ao Conselho da Comunidade do Município de Araputanga.

Por: G1-MT

Comentários Facebook

Cáceres e Região

LEI ESTADUAL: CDL de Pontes e Lacerda é declarada de utilidade pública

Publicado

A Lei nº 11.050, de autoria do deputado estadual Dr. Gimenez (PV), foi sancionada pelo governador e publicada no Diário Oficial que circulou na segunda-feira

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Pontes e Lacerda foi declarada uma entidade de utilidade pública a partir da publicação da Lei nº 11.050, que é de autoria do deputado estadual Dr. Gimenez (PV). Este foi o primeiro projeto de lei protocolado pelo parlamentar, no início de fevereiro, que, após ser sancionado pelo governador, circulou no Diário Oficial da última segunda-feira (9).

Mais que promover o impulso ao comércio, a CDL vem desempenhando um papel importante no município ao promover campanhas como Outubro Rosa, Novembro Azul, Troco Solidário, e sempre revertendo as doações às instituições beneficentes, como o Hospital Vale do Guaporé, Guarda Mirim, Associação de Proteção aos Animais, Lar dos Idosos e da Criança e Apae.

“A entidade foi fundada em maio de 2010 com a finalidade de defender os interesses dos comerciantes, por esta razão vem fomentando emprego, renda e levando produtos e serviços de qualidade à população. Como médico da região oeste e antigo morador de Pontes e Lacerda, fico honrado de levar este título à CDL”, pontua Dr. Gimenez.

Leia mais:   Deputado homenageia cidadãos que contribuíram com Mato Grosso

Para o presidente da CDL, Caio Henrique Moreira Roman, a iniciativa é de extrema importância, pois o poder público reconhece que o trabalho desenvolvido é desinteressado e visa ao bem comum. “Isso facilita, sobremaneira, a construção de parcerias com outras entidades e até mesmo a celebração de convênios com o poder público, agradecemos ao deputado, que tem sido parceiro de primeira ordem da nossa entidade”.

A evolução da CDL de Pontes e Lacerda é confirmada pelo crescimento não apenas físico, mas também pela expansão de inúmeras soluções empresariais, que compreendem ferramentas de cobrança, assessoria jurídica, recuperação de crédito, banco de currículos e um cartão convênio aos seus colaboradores, com mais de 2 mil já emitidos.

Vale destacar que o presidente da entidade tem cadeira em vários conselhos municipais e no Gabinete de Gestão Integrada Municipal de Segurança Pública (GGIM), reconhecida também de utilidade pública municipal por meio da Lei Municipal 1289/2011.

Assessoria

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Descarga elétrica mata 40 cabeças de gado em MT

Publicado

Uma descarga elétrica matou 40 cabeças de gado em uma fazenda de Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá, nessa segunda-feira (9). A propriedade fica na MT-480, a 30 km da cidade.

Segundo os moradores, o isolador da rede de energia estourou e o cabo de alta-tensão encostou no poste.

O incidente teria provocado um curto-circuito que energizou o solo.

Morreram 28 vacas e 12 bezerros que estavam perto.

Os animais foram enterrados em uma vala porque em casos assim a carne não pode ser consumida

A assessoria da Energisa disse que vai enviar uma equipe ao local e que está levantando mais informações sobre o caso.

A Energisa explica que no caso de ressarcimento por danos causados pela rede elétrica, o cliente deve entrar em contato com a empresa pelos canais de atendimento, como as agências e o call center (0800 646 4196), e solicitar o ressarcimento.

O pedido é submetido à análise da concessionária, que é feita de acordo com as regulamentações vigentes. É importante que o solicitante seja o titular da fatura e que o cliente tenha meios de comprovar as perdas/danos.

Leia mais:   CCJ da Câmara arquiva denúncia contra vereadores antes mesmo de investigar
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana