conecte-se conosco


Destaque

Vários municípios emancipados há dezenas de anos, entre eles Curvelândia, poderão ser reincorporados a Cáceres

Publicado

Vários municípios emancipados de Cáceres, nos últimos 40 anos, atualmente com menos de cinco mil habitantes e baixa arrecadação, poderão ser reincorporadas, ao município, em forma de distritos. É o que pode acontecer, em caso de aprovação, pelo Congresso Nacional, da Proposta de Emenda Constituição – PEC, denominada “Plano Mais Brasil” apresentada pelo governo federal na semana passada. Em Mato Grosso, podem acabar 34 municípios.

No caso de Cáceres, vários municípios poderão ser reincorporados, entre eles Curvelândia, emancipada em 28 de janeiro de 1998, há 21 anos. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população estimada do município para 2019 seria 5.219 habitantes. Porém, o último Censo, em 2010 o comprovou com 4.866 habitantes, tendo ainda reduzido cerca de 3 mil habitantes, no processo de biometria, realizado neste ano em todo país.

A proposta apresentada pela equipe do presidente Bolsonaro visa economia para a União. Com a incorporação de cidades menores a outras maiores haveria menos gastos com Câmaras de Vereadores, prefeitos, secretários municipais e assessores. Além disso, a proposta do presidente também cria restrição na criação de novos municípios. Em Mato Grosso, pelo menos, 23 distritos estão na fila para serem emancipados.

Além de Curvelândia, podem ainda serem reincorporados para Cáceres, caso o Congresso aprove o “Plano Brasil” os municípios de Figueirópolis D´Oeste, atualmente com 3.537 habitantes; Porto Estrela, com 3.050 habitantes e Reserva do Cabaçal, atualmente com 2.721 habitantes.

Leia mais:   Presidente da ALMT destaca produção do filme 'Cuiabá 300 anos em 100 minutos'

A proposta divide opiniões tanto em nível estadual quanto municipal. Na Assembleia Legislativa, um grupo de deputados defende a PEC, outros reprovam.  A primeira a se levantar contra a proposta foi a deputada Janaina Riva (MDB), que apresentou moção de repúdio contra a proposta do presidente, já apresentada no Congresso Nacional. A favor se manifestou o deputado Silvio Fávero (PSL). Segundo ele, é preciso ter um pouco de paciência e lembrou que é necessário, além de ter 5 mil habitantes, ter 10% de receita própria.

No município, o prefeito Francis Maris Cruz (PSDB), a menos de um ano para o fim do mandato, defende a proposta de “unhas e dentes”. “É a melhor coisa que poderia acontecer. Muitos desses pequenos municípios, de baixa arrecadação não tem recursos sequer para se manterem. Defendo essa proposta de unhas e dentes”. Por outro lado, a vice-prefeita e pré-candidata a sucessão municipal, Eliene Liberato Dias se manifesta contra.

“Na minha opinião deve haver um estudo bastante minucioso dessa proposta. Caso seja aprovada, esses municípios, vem com mais dívidas para a cidade a que eles forem reincorporadas. Não resta dúvidas que haverá economia, mas certamente, mais dividas para o município mãe. Por isso sou contra” enfatizou.  O número de habitantes leva em conta a estimativa do IBGE para 2018. A PEC prevê que os municípios pequenos sejam incorporados a outros maiores. A ideia é reduzir despesa e somar receita.

Leia mais:   Bloqueio na fronteira com a Bolívia impede de importar ureia e afeta comércio em Cáceres

Levando por base a quantidade populacional correm risco de ser extintos os municípios de: Canabrava do Norte (4.761 habitantes), São Pedro da Cipa (4.674 habitantes), Nova Guarita (4.578 habitantes), Santa Carmem (4.486 habitantes), São José do Povo (4.021 habitantes), Novo Horizonte do Norte (3.985 habitantes), Conquista d’Oeste (3,973), Rondolândia (3.966 habitantes), Nova Brasilândia (3.928 habitantes), Itaúba (3.901 habitantes), Tesouro (3.786 habitantes).

E, ainda Nova Nazaré (3.765 habitantes), Nova Santa Helena (3.699 habitantes), Torixoréu (3.672), União do Sul (3.562 habitantes), Figueirópolis d’Oeste (3.537 habitantes), Salto do Céu (3.437 habitantes), Santa Rita do Trivelato (3.330 habitantes), Nova Marilândia (3.249 habitantes), Santo Afonso (3.136 habitantes), Vale de São Domingos (3.128 habitantes), Araguaiana (3.119 habitantes), Porto Estrela (3.050 habitantes), Glória d’Oeste (3.045 habitantes),

Indiavaí (2.725 habitantes), Reserva do Cabaçal (2.721 habitantes), Planalto da Serra (2.676 habitantes), Novo Santo Antônio (2.574 habitantes), Santa Cruz do Xingu (2.495 habitantes), Ribeirãozinho (2.388 habitantes), Luciara (2.099 habitantes), Serra Nova Dourada (1.622 habitantes), Ponte Branca (1.602 habitantes), Araguainha (956 habitantes).

O número de habitantes leva em conta a estimativa do IBGE para 2018. A reportagem leva em conta o número de habitantes de cada cidade, sem analisar a receita do município. O projeto de Bolsonaro prevê que os municípios pequenos sejam incorporado a outro maior. A ideia é reduzir despesa e somar receita.

Editoria – Sinézio Alcântara

Comentários Facebook

Destaque

Mais antiga secretária da administração, Nelci é exonerada pelo prefeito: “brigava muito”

Publicado

“A lealdade e a capacidade dela são inquestionáveis. Mas, também muito polêmica. Nos últimos tempos ela brigava muito e humilhava as pessoas”. Essas, de acordo com o prefeito Francis Maris Cruz (PSDB), foram às razões da exoneração da secretária de Fazenda e Planejamento, Nelci Eliete Longhi, ocorrida na segunda-feira (11/11).

Considerada uma das secretárias mais influentes, Nelci foi também a que mais tempo durou na administração. Ela permaneceu durante sete anos no staff do prefeito. Começou na primeira gestão, no início de 2013. Durante todo esse período, ocupou várias secretarias. Entre elas, de Educação.

Atravessou também momentos difíceis. Ela foi acusada de usar mesas e cadeiras da Secretaria para uma festa de aniversário, em sua residência. A denuncia que feita à época pelo então motorista da secretaria e, atual presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SSPM), Fábio Lourenço. Ainda hoje, depois de 6 anos, o caso ainda tramita na justiça.

De acordo com o prefeito, Nelci será substituída pelo advogado Gustavo Calabria, que até então atuava na assessoria jurídica da Secretaria. A posse está prevista para segunda-feira. Francis estará fora da cidade, tratando de assuntos inerentes a administração. Nelci diz que “saio de cabeça erguida com a sensação do dever cumprido e de lealdade”.

Leia mais:   Comissão de Saúde discute processo de regulação em Mato Grosso

Editoria – Sinézio Alcântara

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Bloqueio na fronteira com a Bolívia impede de importar ureia e afeta comércio em Cáceres

Publicado

Protesto é contra a reeleição do presidente Evo Morales. Ele renunciou o cargo nesse domingo (10), mas os manifestantes afirmaram que sairão da fronteira quando tiver uma nova eleição no país.

A fronteira com a Bolívia na BR – 070, região de Cáceres, a 220 km de Cuiabá, bloqueada desde o dia 28 de outubro, está impedindo o município de comprar ureia para a agricultura, segundo o prefeito Francis Maris Cruz (PSDB). A manifestação também tem afetado o comércio da cidade.

Os bolivianos protestam contra a reeleição do presidente Evo Morales, que foi eleito pela quarta vez no dia 20 do mês passado.

Evo Morales renunciou o cargo no domingo (10), após uma escalada nas tensões no país. O vice-presidente, Álvaro García Linera, também apresentou a renúncia.

No entanto, os manifestantes afirmaram que sairão da fronteira somente quando acontecer uma nova eleição no país.

“Esperamos que a população boliviana volte ao trabalho e aos estudos e tenham uma vida de progresso”, ressaltou o prefeito de Cáceres.

“Cáceres perde muito com as fronteiras fechadas, pois os vizinhos bolivianos vinham muito para Cáceres fazer compras, principalmente de alimentos”, afirmou.

Por G1 MT e TV Centro América

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana