conecte-se conosco


Entretenimento

‘Turma da Mônica – Laços’ ganha segundo trailer oficial com muita aventura e sustos; veja

Publicado

Turma da Mônica – Laços, o live-action dos personagens criados por Mauricio de Sousa,  ganhou seu segundo trailer oficial nesta quarta-feira (3), mostrando um pouco mais das aventuras da galerinha do bairro do Limoeiro tentando desvendar o sumiço do cão Floquinho. O vídeo mostra que a saga de Mônica (Giulia Benite), Cebolinha (Kevin Vechiatto), Cascão (Gabriel Moreira) e Magali (Laura Rauseo) não vai ser sem sustos e apresenta um pouco mais do Louco de Rodrigo Santoro, que avisa: “Coisa mais chata ser normal”.

LEIA MAIS: ‘Turma da Mônica – Laços’ tem primeiro trailer fofíssimo

Com direção de Daniel Rezende (de O Mecanismo), o filme estreia dia 27 de junho e é basado na obra homônima dos irmãos Vitor e Lu Cafaggi. O elenco principal tem ainda Paulo Vilhena vivendo seu Seu Cebola; Monica Iozzi como Dona Luísa mãe da Mônica;  Fafá Rennó interpretando a Dona Cebola; e Ravel Cabral como o Homem do Saco.

LEIA MAIS: Reconhece? Veja Rodrigo Santoro como o Louco em ‘Turma da Mônica – Laços’

Confira:

Turma da Mônica - Laços: pôster com os personagens (Foto: Divulgação)
O elenco do filme da Turma da Mônica: Gabriel Moreira como Cascão, Kevin Vechiatto como Cebolinha, Giulia Benite como Mônica,e Laura Rauseo como Magali (Foto: Divulgação/SerendipityInc)
O elenco do filme da Turma da Mônica: Gabriel Moreira como Cascão, Kevin Vechiatto como Cebolinha, Giulia Benite como Mônica,e Laura Rauseo como Magali (Foto: Divulgação/SerendipityInc)
por QUEM ONLINE
Comentários Facebook

Destaque

Organização veta torcedores do exterior das Olimpíadas de Tóquio

Publicado

Por Redação do ge — Tóquio, Japão

     Uma reunião entre o Comitê Organizador, os Comitês Olímpico Internacional (COI) e Paralímpico Internacional (IPC) e governantes japoneses definiu que torcedores residentes no exterior não serão permitidos nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2020. Apenas japoneses e estrangeiros residentes no país poderão adquirir ingressos para acompanhar as competições nas arenas.

     O presidente do COI, Thomas Bach, o presidente do IPC, o brasileiro Andrew Parsons, a presidente do Comitê Organizador, Seiko Hashimoto, a governadora de Tóquio Yuriko Koike e a Ministra Olímpica Tamayo Marukawa participaram da reunião.

     Em coletiva de imprensa concedida na sequência, Hashimoto disse que as partes japonesas apresentaram a decisão a Bach e Parsons, que lamentaram profundamente, mas respeitaram.

     – No momento a situação da Covid no Japão e em muitos outros países é muito desafiadora. Há restrições globais. As partes do lado japonês não poderiam garantir a entrada de torcedores do exterior sem afetar a segurança dos Jogos para os participantes e para o povo japonês. O COI e o IPC mostraram respeito e aceitaram esta conclusão. Estes Jogos serão completamente diferentes dos outros, mas a essência será a mesma, com os atletas dando o melhor e inspirando o mundo – disse Hashimoto.

     O Comitê Organizador disse não ser possível estimar neste momento o número de torcedores do exterior que viajariam ao Japão, mas confirmou que cerca de 600 mil ingressos haviam sido vendidos para as Olimpíadas e 30 mil para as Paralimpíadas para estrangeiros. Todos serão reembolsados, mas não foram divulgados ainda detalhes sobre o processo.

     A organização disse que só divulgará o impacto financeiro da medida após a definição da capacidade das arenas, que também deve acarretar em devolução de ingressos destinados ao público doméstico. Esta decisão será tomada e anunciada em abril, quando espera-se que a situação da Covid no país esteja melhor.

     – Haverá uma queda de receitas, isso é muito claro. Quando decidirmos na capacidade das venues também haverá um impacto, então ainda estamos no início dessa análise. Quando tivermos a figura geral vamos ter uma noção do impacto total – disse o CEO do Comitê Organizador, Toshiro Muto.

     Com o veto a torcedores do exterior, os atletas não poderão contar com a torcida in loco de familiares. A medida também afeta convidados de patrocinadores, que só poderão entrar no país se estiverem envolvidos de alguma forma na operação do evento.

     – Nos compartilhamos a decepção de todos os entusiastas das Olimpíadas ao redor do mundo, e claro, de parentes e amigos dos atletas que planejavam assistir aos Jogos. Realmente sinto muito. Sabemos que é um enorme sacrifício para todos. Mas dissemos desde o início desta pandemia que sacrifícios seriam necessários. Faremos todo o esforço junto às emissoras de televisão para que os fãs ao redor do mundo consigam ter a experiência olímpica – disse o presidente do COI, Thomas Bach.

     O caso dos voluntários será debatido em um outro momento. Estima-se que haja 8 mil voluntários do exterior, e a maioria deve ser barrada seguindo a mesma premissa. Mas é possível que haja exceções para aqueles com conhecimento específico em idiomas de minorias, por exemplo. Jornalistas estrangeiros credenciados terão entrada autorizada desde que cumpram os protocolos de segurança.

     A proibição começou a se desenhar de forma mais concreta no início do mês, diante da prorrogação do estado de emergência de Tóquio e três prefeituras vizinhas até o dia 21 de março. O surgimento de novas variantes do coronavírus no exterior, além da melhora tímida dos índices de contaminação no país e a falta de apoio da população foram determinantes.

     A presidente do Comitê Organizador, Seiko Hashimoto, havia estabelecido o dia 25 de março como data limite para a decisão sobre a presença de público estrangeiro. Apesar da vontade de adiar ao máximo a decisão na expectativa de uma melhora da pandemia, uma definição era necessária para o planejamento da rede hoteleira e de transportes do país.

     Torcedores japoneses ou residentes no Japão também terão que seguir protocolos de comportamento, mantendo distanciamento e evitando gritos e cantos. Em outubro do ano passado, os organizadores realizaram uma série de testes de medidas anti-Covid que podem ser implementadas para controle dos espectadores durante os Jogos.

     Chamaram atenção as diferentes tecnologias usadas para monitorar a temperatura corporal, desde o termômetro sem contato e câmeras termográficas a uma espécie de adesivo com cristais líquidos. Para minimizar aglomerações também havia adesivos colados no chão para controlar distanciamento social e pedidos para que os espectadores levassem às arenas apenas o indispensável. Com bolsas e mochilas menores o controle de segurança era mais ágil, e assim as filas tinham um fluxo melhor.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

LEI ALDIR BLANC: Banda de Cáceres lança performance audiovisual como ‘ensaio’ de seu primeiro álbum

Publicado

Assessoria
Enquanto o distanciamento social ainda é necessário, o audiovisual vem sendo aliado daqueles que anseiam por encontros proporcionados pela música. E é com o sentimento de saudade dos palcos que O Mormaço Severino entrega uma performance intimista, que reúne, em vídeo, seis das canções mais melódicas de seu extenso repertório autoral.

A partir desta quinta-feira (14), às 18h, o público poderá assistir a ‘Ensaio sobre a Cidade’ no canal do Youtube da banda pelo link: https://youtu.be/RkWPcWm8VzU.

O novo trabalho foi viabilizado com recursos da Lei Aldir Blanc, por meio de edital realizado pela Prefeitura Municipal de Cáceres, através da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, e Governo Federal via Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo.

Aliás, o conceito de “ensaio” cabe bem ao contexto, já que O Mormaço Severino prepara, após mais de uma década de trajetória, o tão esperado primeiro álbum de estúdio com incentivo da mesma lei – desta vez com projeto selecionado no edital MT Nascentes, da Secretaria de Estado de Cultura Esporte e Lazer (Secel).

“Estamos muito felizes por essas oportunidades, porque a banda está na luta há muitos anos. Nós que sempre falamos sobre a realidade da cidade de Cáceres e sabemos o quanto é difícil fazer música no interior, acreditamos ser muito importante que a Cultura do estado seja difundida para o maior número de pessoas possível”, destaca Janaina Lima, a Jheine, que imprime a potência de sua voz às canções da banda.

Assim como o futuro trabalho de estúdio, ‘Ensaio sobre a cidade’ traz narrativas musicais tecidas em Cáceres, que falam sobre a cidade, seus habitantes e expõem as dores que atormentam as margens calmas do Rio Paraguai. Reflexo de uma juventude esquecida, mas que se reinventa juntamente com a “princesinha do Pantanal”.

Até a gravação de ‘Ensaio sobre a cidade’, O Mormaço não se encontrava em sua formação completa desde o início da pandemia da covid-19. Após lives ‘voz e violão’ em festivais online durante período de isolamento – e até um videoclipe de música inédita feita por emulação no celular -, a gravação do vídeo foi também uma forma de registrar os experimentos sonoros que resultam da união dos seis integrantes em ação.

O vídeo foi realizado no Espaço Bosque, em Cáceres, e tem realização da produtora audiovisual Cubo Mágico, capitaneada pelo cineasta Leandro Peska, que também vive na cidade. Foi seu olhar que possibilitou que O Mormaço Severino fosse capturado com detalhes, e sem artificialidades.

“O Leandro realmente conseguiu captar o Mormaço em imagens. É puramente a banda, sem constrangimentos, com liberdade e em ação. Eu vejo o vídeo e consigo ver a gente ali”, adianta Rauni Vilasboas que, junto ao baixista Ronaldo Gonçalves, é fundador da banda e compositor das canções.

O Mormaço Severino

Voltada para músicas autorais e experimentações sonoras, O Mormaço Severino está na ativa desde 2009. A banda é composta por seis integrantes que fazem da música um instrumento de afirmação de suas identidades.

O Mormaço é Jheine Lima (voz), Rauni Vilasboas (letra e guitarra), Ronaldo Gonçalves (baixo), Diego Vicente (o Keka, teclado), Welington Fernandes (MC Fernandes, percussão) e Luis Guilherme (bateria). Musicalmente, mistura influências do blues, rock, baião, música folk mato-grossense e saranzo, com toques psicodélicos e letras ritmadas.

Em 2015, a banda se apresentou no IV Mato Rock de Músicas Autorais do Estado de MT, conquistando o 1º lugar na premiação. Depois disso, foram apresentações em Cáceres, Rondonópolis, Mirassol e Cuiabá, em festivais como Fipe, Cerrado Fuzz Festival, Cáceres Rock Festival, Ixpia O Festival, Sarau da Figueira e Sarau das artes Free.
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas tocando instrumentos musicais, pessoas no palco e violão
A imagem pode conter: 1 pessoa, no palco
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas tocando instrumentos musicais e barba
A imagem pode conter: 1 pessoa
A imagem pode conter: Luis Guilherme, sentando, tocando um instrumento musical e barba

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana