conecte-se conosco


Destaque

TOCHA OLÍMPICA CHEGA AO BRASIL

Publicado

Chama olímpica chega hoje ao território brasileiro

Da agência Brasil

A viagem da chama olímpica de Genebra, na Suíça, para o Brasil, envolve uma série de estratégias e uma grande responsabilidade. E o mesmo vale para as viagens dentro do território brasileiro, onde o fogo desembarca hoje, pela manhã em Brasília. O Comitê Rio-2016 mobilizou um grupo de seis “guardiões” da chama para assegurar que tudo ocorra conforme o planejado.

São cinco pessoas aptas a cuidar da chama, mas as normas internacionais de aviação obrigam que haja guardadores certificados. Destes, há apenas dois. Portanto, eles não podem dormir na mesma hora, e se tiverem de ir ao banheiro têm de se revezar.

No voo, a chama se mantém acesa graças a quatro lamparinas, que são alimentadas por querosene. Para fixar o material e evitar riscos, foi desenvolvido um suporte especial para os objetos. Além disso, os tecidos das poltronas e dos carpetes das aeronaves já são não inflamáveis.

“O Brasil é um país muito grande. Há muitos desafios logísticos. O maior é garantir que a chama não irá se apagar durante os 95 dias. Há normas de segurança a serem seguidas e apoio da Força Nacional para garantir que tudo funcionará”, disse o coordenador do revezamento da tocha no Brasil, Marco Ferreira Elias.

Leia mais:   Prefeita Eliene sanciona Lei que anistia construções irregulares no município de Cáceres

A chama passou pelo revezamento grego, conduzido pelo Comitê Olímpico Helênico. O Rio-2016 só assumiu a responsabilidade nesta semana, em Atenas. A preocupação com danos causados por protestos não abala a entidade brasileira.

“Tenho certeza de que será um grande evento, que todos celebrarão o evento”, afirmou Elias.

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Três bebês nascem mortos no Hospital São Luiz em período de menos de 24 horas

Publicado

Sinézio Alcântara – Expressão Notícias

     Três bebês nascem mortos, em um período de menos de 24 horas, no Hospital São Luiz, em Cáceres. Um gemelar pré-maturo (gêmeos que não estava na hora de nascer); um pré-termo (criança que já estava no limite para nascer) e um a termo (criança que já estava pronta para nascer). Informações extraoficiais são de que, seriam duas crianças do sexo feminino e um masculino.

      Ainda não se sabe, exatamente, a razão dos óbitos. Há suspeita, no entanto, que tenha havido negligência médica.  Informações, não oficiais, são de que, no momento não havia anestesista e de que, os médicos plantonistas do dia não têm residência e tampouco título da área de ginecologista.

      Em Nota, o hospital diz que as mães eram gestantes de alto risco e que durante o período de internação, as gestantes receberam toda a assistência necessária da equipe multiprofissional. Destaca que o pré-natal não foi realizado no hospital. Veja a integra da Nota no final da matéria.

       As suspeitas se baseiam, nas  investigações realizadas, recentemente, pelo Ministério Público, após denúncias feitas por funcionários do hospital, que comprovaram ineficiência da qualidade de serviços decorrentes da falta de insumos, medicamentos e de equipe médica qualificada para prestar atendimento emergencial e urgente à população cacerense, principalmente às gestantes.

Leia mais:   Prefeitura inicia asfaltamento e drenagem de trecho da marginal da avenida Sete de Setembro

       Os óbitos, conforme informações, ocorreram entre quarta e quinta-feira. Entre as gestantes estariam uma boliviana, mãe dos gêmeos e uma presidiária, que estaria, inclusive, usando tornozeleira eletrônica, no momento do trabalho de parto.

       As mortes ocorrem há quatro dias de a Justiça acolher pedido liminar feito pelo MPE estabelecendo prazo de cinco dias para que sejam adotadas providências imediatas no âmbito do Hospital São Luiz, para atendimento integral às gestantes em trabalho de parto e aos recém-nascidos.

       A medida estabelece que “além de profissionais capacitados, terão que ser disponibilizados insumos hospitalares, medicamentos e aparelho de ultrassonografia, para realização de exames”

       Na liminar, datada do dia 27 de julho, a juíza Joseane Carla Ribeiro Viana Quinto determina ainda que no prazo máximo de 30 dias seja elaborado e implantado um Plano de Gerenciamento para prestação de ações e serviços de saúde às gestantes, nascituros e aos recém-nascidos em ambiente hospitalar.

       Diz que “em sede de cognição sumária, afiguram-se evidenciadas irregularidades no fornecimento de serviços médicos, sobretudo nas áreas de ginecologia e obstetrícia no âmbito do Hospital São Luiz, em virtude da falta de profissionais capacitados, insumos hospitalares, medicamentos, aparelhos hospitalares essenciais como de ultrassonografia”, enfatizou a magistrada.

Leia mais:   Pagamento do salário e vale alimentação não contem revolta dos funcionários do H.S.L com a Pró-Saúde

        A menos de um mês, o hospital deixou de realizar trabalho de parto em, pelo menos, 34 gestantes. Os médicos registraram ocorrência policial e alegaram que suspenderam os trabalhos por falta de insumos. A maioria das gestantes foram encaminhadas para Cuiabá.

NOTA À IMPRENSA

      O Hospital São Luiz informa que registrou nesta semana dois partos de natimortos, cujas mães eram gestantes de alto risco. Durante o período de internação, as gestantes receberam toda a assistência necessária da equipe multiprofissional.

     É importante destacar que o pré-natal não foi realizado no hospital. O São Luiz informa, ainda, que registrou um óbito neonatal de parto gemelar prematuro, cuja mãe, transferida de outro município, recebeu atendimento na unidade.

    Por fim, o hospital se solidariza com as mães e familiares neste momento difícil e se mantém à disposição. Em relação à tornozeleira eletrônica mencionada pela reportagem, o hospital informa que esta é de responsabilidade exclusiva da autoridade do sistema prisional.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

IFMT Cáceres inicia na segunda(02.08) aulas do semestre letivo 2021/2

Publicado

O Instituto Federal de Mato Grosso, IFMT, Campus Cáceres – Prof. Olegário Baldo recebe na próxima segunda-feira (02.08) estudantes da primeira turma do novo curso superior de Licenciatura em Química e ingressantes do primeiro semestre do curso técnico subsequente ao ensino médio em Agropecuária para início das atividades letivas do semestre 2021/2.

Devido a pandemia da Covid-19, as atividades presenciais no IFMT estão suspensas até 31 de outubro e as aulas para novatos e veteranos de todos os cursos do campus terão início em formato remoto por meio do Regime de Exercício Domiciliar (RED).

” Nesta segunda, iniciaremos o segundo semestre para todos estudantes dos cursos técnicos integrados ao ensino médio em Agropecuária e Informática, do curso subsequente em Agropecuária e dos cursos superiores de Engenharia Florestal e da nossa primeira turma de Licenciatura em Química. As alunas e alunos veteranas e veteranos manterão a dinâmica de acesso às aulas on-line do semestre anterior e para estudantes que ingressam neste semestre faremos programação específica das respectivas coordenações com orientações sobre os cursos e como terem acesso às aulas”, explica a diretora do Departamento de Desenvolvimento Educacional do IFMT Cáceres, Inez Aparecida Deliberaes Montecchi .

Leia mais:   Cáceres deve receber nesta quinta-feira mais 3120 doses de vacinas

No caso do novo curso de Licenciatura em Química, a programação de abertura terá ciclos de palestras on-line por meio de videoconferência na plataforma Meet, conforme programação no site www.cas.ifmt.edu.br

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana