conecte-se conosco


Esportes

Tenista de MT faz história ao pontuar na ATP

Publicado

Vitória na 1ª rodada da chave principal valeu ponto no ranking mundial

Marvin Bernardo Spiering assinalou o nome na história do tênis mato-grossense ao vencer, nessa terça-feira (19.07), em Campos do Jordão (SP), uma partida em um torneio da série Futures, o Torneio Internacional Masculino de Tênis. A competição, gerida pela International Tennis Federation (ITF), começou dia 15 e segue até 24 de julho, no Tênis Clube de Campos do Jordão, e vale pontos para o ranking mundial da Association of Tennis Professionais (ATP).
De acordo com o presidente da Federação Mato-grossense de Tênis (FMTT), Rivaldo Barbosa, foi um feito de relevância ímpar para atletas da modalidade em MT. Uma conquista inspiradora para os jovens que estão a dar os primeiros passos no desporto. Segundo ele, só se entra para o seleto grupo de tenistas do ranking mundial após participar e ganhar ao menos uma partida de um torneio de nível internacional da ITF. Agora, Spiering é o único de MT nesse ranking.
“Quem assiste grandes torneios pela televisão, como Grand Slams, Copa Davis e outros, precisa saber que todos aqueles tenistas começaram as carreiras profissionais na disputa de torneios Futures. No mundo do tênis, como na maioria dos esportes, as competições são organizadas em uma hierarquia baseada em pontuação e premiação. E os torneios da série Futures são a porta de entrada (1º degrau) para qualquer um que queira ingressar no tênis profissional”, diz Rivaldo.
Marvin Spiering, de 18 anos, como não tinha histórico no tênis profissional, precisou de três wild cards, pleiteados pela FMTT junto a CBT, para se inscrever no Qualifying (classificatória) e ter a chance de disputar vaga na chave principal. Ele entrou nos quatro Qualifyings deste ano. No 1º, o sinopense venceu uma partida e perdeu outra. Não garantiu vaga. No 2º, ganhou dois jogos e perdeu o terceiro. Não garantiu vaga. No 3º, venceu três e faturou a vaga. Foi para a chave principal, mas perdeu na primeira. Por conta disso não anotou pontos e não entrou no ranking.
No 4º Qualifying, arrasou com os três adversários, subiu pela segunda vez para a chave principal e triunfou na primeira rodada. Venceu de virada o argentino Fermin Peralta Martinez por dois sets a um e parciais de 6-7 (5), 6-3 e 6-2. E foi essa vitória que valeu o primeiro 1 ponto dele no ranking mundial da ATP. E, nesta quarta-feira (20.7), às 12h, Spiering segue na disputa da chave principal e enfrenta André Miele por vaga nas quartas de final. Caso vença, somará mais pontos.
“Estou muito feliz por conquistar meu primeiro ponto. Comecei um pouco nervoso, senti a pressão, mas depois do primeiro set comecei a jogar melhor e passei a acreditar. Fiquei mais focado e tentei não cometer muitos erros não forçados. E deu certo. Saí com a vitória. Espero seguir assim na próxima rodada”, disse Marvin Spiering, que em agosto de 2015 foi para a Georgia Southern University (EUA), mas precisou voltar para o Brasil por problemas financeiros.
Scouts
4º Qualifying
Marvin Spiering x Matheus Nakamura – 6-2 / 6-2
Marvin Spiering x Ighor Halmenschlager – 6-1 / 6-3
Marvin Spiering x Hugo Moura – 6-2 / 6-1
Chave Principal
1ª Rodada – Marvin Spiering x Fermin Martinez – 6-7 / 6-3 / 6-2
Quartas de final – Marvin Spiering x André Miele
Texto: Junior Martins

 

Comentários Facebook

Destaque

Organização veta torcedores do exterior das Olimpíadas de Tóquio

Publicado

Por Redação do ge — Tóquio, Japão

     Uma reunião entre o Comitê Organizador, os Comitês Olímpico Internacional (COI) e Paralímpico Internacional (IPC) e governantes japoneses definiu que torcedores residentes no exterior não serão permitidos nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2020. Apenas japoneses e estrangeiros residentes no país poderão adquirir ingressos para acompanhar as competições nas arenas.

     O presidente do COI, Thomas Bach, o presidente do IPC, o brasileiro Andrew Parsons, a presidente do Comitê Organizador, Seiko Hashimoto, a governadora de Tóquio Yuriko Koike e a Ministra Olímpica Tamayo Marukawa participaram da reunião.

     Em coletiva de imprensa concedida na sequência, Hashimoto disse que as partes japonesas apresentaram a decisão a Bach e Parsons, que lamentaram profundamente, mas respeitaram.

     – No momento a situação da Covid no Japão e em muitos outros países é muito desafiadora. Há restrições globais. As partes do lado japonês não poderiam garantir a entrada de torcedores do exterior sem afetar a segurança dos Jogos para os participantes e para o povo japonês. O COI e o IPC mostraram respeito e aceitaram esta conclusão. Estes Jogos serão completamente diferentes dos outros, mas a essência será a mesma, com os atletas dando o melhor e inspirando o mundo – disse Hashimoto.

     O Comitê Organizador disse não ser possível estimar neste momento o número de torcedores do exterior que viajariam ao Japão, mas confirmou que cerca de 600 mil ingressos haviam sido vendidos para as Olimpíadas e 30 mil para as Paralimpíadas para estrangeiros. Todos serão reembolsados, mas não foram divulgados ainda detalhes sobre o processo.

     A organização disse que só divulgará o impacto financeiro da medida após a definição da capacidade das arenas, que também deve acarretar em devolução de ingressos destinados ao público doméstico. Esta decisão será tomada e anunciada em abril, quando espera-se que a situação da Covid no país esteja melhor.

     – Haverá uma queda de receitas, isso é muito claro. Quando decidirmos na capacidade das venues também haverá um impacto, então ainda estamos no início dessa análise. Quando tivermos a figura geral vamos ter uma noção do impacto total – disse o CEO do Comitê Organizador, Toshiro Muto.

     Com o veto a torcedores do exterior, os atletas não poderão contar com a torcida in loco de familiares. A medida também afeta convidados de patrocinadores, que só poderão entrar no país se estiverem envolvidos de alguma forma na operação do evento.

     – Nos compartilhamos a decepção de todos os entusiastas das Olimpíadas ao redor do mundo, e claro, de parentes e amigos dos atletas que planejavam assistir aos Jogos. Realmente sinto muito. Sabemos que é um enorme sacrifício para todos. Mas dissemos desde o início desta pandemia que sacrifícios seriam necessários. Faremos todo o esforço junto às emissoras de televisão para que os fãs ao redor do mundo consigam ter a experiência olímpica – disse o presidente do COI, Thomas Bach.

     O caso dos voluntários será debatido em um outro momento. Estima-se que haja 8 mil voluntários do exterior, e a maioria deve ser barrada seguindo a mesma premissa. Mas é possível que haja exceções para aqueles com conhecimento específico em idiomas de minorias, por exemplo. Jornalistas estrangeiros credenciados terão entrada autorizada desde que cumpram os protocolos de segurança.

     A proibição começou a se desenhar de forma mais concreta no início do mês, diante da prorrogação do estado de emergência de Tóquio e três prefeituras vizinhas até o dia 21 de março. O surgimento de novas variantes do coronavírus no exterior, além da melhora tímida dos índices de contaminação no país e a falta de apoio da população foram determinantes.

     A presidente do Comitê Organizador, Seiko Hashimoto, havia estabelecido o dia 25 de março como data limite para a decisão sobre a presença de público estrangeiro. Apesar da vontade de adiar ao máximo a decisão na expectativa de uma melhora da pandemia, uma definição era necessária para o planejamento da rede hoteleira e de transportes do país.

     Torcedores japoneses ou residentes no Japão também terão que seguir protocolos de comportamento, mantendo distanciamento e evitando gritos e cantos. Em outubro do ano passado, os organizadores realizaram uma série de testes de medidas anti-Covid que podem ser implementadas para controle dos espectadores durante os Jogos.

     Chamaram atenção as diferentes tecnologias usadas para monitorar a temperatura corporal, desde o termômetro sem contato e câmeras termográficas a uma espécie de adesivo com cristais líquidos. Para minimizar aglomerações também havia adesivos colados no chão para controlar distanciamento social e pedidos para que os espectadores levassem às arenas apenas o indispensável. Com bolsas e mochilas menores o controle de segurança era mais ágil, e assim as filas tinham um fluxo melhor.

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Com vagas quase esgotadas, Circuito Mato-grossense de Tênis 2021 encerra inscrições nesta sexta

Publicado

Assessoria
O Circuito Mato-grossense de Tênis 2021 terá o torneio de abertura na próxima semana, de segunda-feira (01), com 1ª rodada a partir das 17h, até domingo (07.03), chamado de EMHA Open de Tênis, em honra a patrocinadora EMHA Construtora e Incorporador, na academia Tennis Company, em Cuiabá-MT. E o período de inscrições encerrará nesta sexta-feira (26.02) ou antes, em caso de esgotarem-se as últimas menos de 20 vagas.

“Atenção tenistas! Estamos convocando vocês para as últimas inscrições. Restam menos de 20 vagas. Tão logo encerremos as inscrições avançaremos para os sorteios dos jogos e divulgaremos as chaves já neste sábado. Com início do torneio previsto para segunda-feira, com a primeira rodada marcada para as 17h”, avisa o diretor do torneio, professor de tênis e tricampeão da 1ª Classe, Givanildo Almeida.

Não perca tempo, não fique de fora, entre em contato para se inscrever. Inscrições são feitas por contato com a Federação Mato-grossense de Tênis (FMTT), por WhatsApp (65)99925-5536 ou site http://www.tenismatogrosso.com.br/, e por contato com a Tennis Company, nos números (65)3623-1311 e (65)98405-9685. E o valor das inscrições são de R$100,00 (primeira inscrição) e R$70,00 (segunda inscrição por pessoa).

O Circuito Mato-grossense de Tênis terá o total de 19 torneios em 2021, sendo 18 etapas abertas para a participação de todos e classificatórias e, por fim, um master fechado para apenas os oito líderes de cada categoria do ranking estadual. Um ranking composto por Classes, Classe Sênior e Infanto-Juvenil, organizadas em várias categorias por nível técnico e por sexo (masculino e feminino). E o EMHA Open de Tênis é o primeiro deles.

Pai e Filho

A 1ª Classe Pro, a categoria de maior nível técnico da competição, contará com dois tenistas tradicionais das quadras de MT, o professor de tênis, Emerson Gonçalves (o pai) e o tenista, Richard Gama (o filho prodígio). Ambos inscritos na mesma categoria, ambos jogando em alto nível, com possibilidade de se confrontarem, e o filho sendo um dos favoritos ao troféu de campeão. E, segundo o pai, a situação é um sonho concretizado.

“Tenho um orgulho imenso de ver meu filho jogando na principal categoria e sendo um dos favoritos de Mato Grosso. Essa jornada começou lá atrás, quando ele ainda era uma criança, e eu já visualizava que esse dia chegaria, o dia dele dominar o tênis do estado. E, vou além, também chegará o dia dele ser referência nacional e internacional. Vamos sonhar alto”, comenta o pai, Emerson Gonçalves, feliz pelo crescimento do filho.

Próximos Torneios

1ª Etapa – Tennis Company, 01 a 07/03, EMHA Open de Tênis, em Cuiabá-MT;
2ª Etapa – Ponto do Tennis, de 24 a 28/03, em Lucas do Rio Verde-MT;
3ª Etapa – Clube Monte Líbano, de 05 a 11/04, em Cuiabá;
4ª Etapa – Sinop Tênis Clube, de 21 a 25/04, em Sinop-MT;

FMTT

A Federação Mato-grossense de Tênis (FMTT) foi fundada, em 31 de março de 1979, com o objetivo de desenvolver as práticas das modalidades esportivas Tênis e Beach Tennis no Estado de Mato Grosso. E a diretoria (2018-2022) é composta pelo presidente, Rivaldo Barbosa, vice-presidente técnico, Bruno França, vice-presidente administrativo e de finanças, Maria do Carmo Mendes e pelo vice-presidente de relações esportivas, Joilson Borges. E a sede localiza-se no Clube Monte Líbano, em Cuiabá-MT.

Crédito Fotógrafo (Lei 9610/98): Junior Martins/FMTT

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana