conecte-se conosco


Mato Grosso

Servidores da MTI participam de curso de fiscalização de contratos

Publicado

Os servidores da Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI) participam nesta semana de um curso de fiscalização de contratos, direcionado exclusivamente para empregados que atuam em empresas públicas e sociedades de economia mista. O curso aborda a fiscalização de contratos sob a ótica da Lei das Estatais (Lei nº 13.303/2016).

Solicitado pela Diretoria Administrativa da MTI, o curso é realizado por meio da Escola de Governo, em parceria com a Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag). Ao longo do curso serão tratados os aspectos da aplicação da lei – que veio para substituir a Lei das licitações (Lei nº 8.666/1993). 

De acordo com a advogada Mara Florêncio, responsável por conduzir o curso, serão aplicados sete módulos que abordarão o planejamento da contratação, as principais definições e conceitos dos contratos administrativos, além das cláusulas necessárias do contrato administrativo, bem como possíveis alterações do referido contrato.

Também serão discutidos os fatores de sucesso para a fiscalização e as penalidades administrativas e ferramentas de gerenciamento e fiscalização. Por se tratar de um curso voltado especialmente para servidores que desempenham este papel fiscalizador de contratos, o curso é conduzido de forma prática, com aplicações do dia-dia.

Leia mais:   Dupla é detida em flagrante com 93 quilos de tucunaré e carne de jacaré em Luciára

“Como o curso é voltado para a Lei nº 13.303, a parte contratual é diferente da Lei nº 8.666. E essa diferença que vou trabalhar na fiscalização do contrato. Mas a fiscalização do contrato em si é verificar se o que foi planejado está sendo executado e se está tendo eficiência nessa execução contratual, no sentido de boa qualidade na prestação do serviço e se está pagando um preço justo por ele”, explicou.

Segundo Mara, todas as eventuais dúvidas serão sanadas ao longo do curso, que também pretende apresentar as inovações na área de licitações e contratos aplicadas em outras esferas de governo. “Há dúvidas sobre até onde vai a competência deles dentro da fiscalização do contrato, o que se pode fazer, o que não pode, quais são as atribuições do fiscal, quais as funções do fiscal administrativo, técnico, do gestor e vamos esclarecer tudo”, disse.

Apesar de já ter começado, o curso segue com inscrições abertas. Ainda estão disponíveis 30 vagas e as inscrições podem ser feitas pelo email silviafernandesbr@gmail.com. Para receber a certificação, porém, o aluno não poderá ter mais que um dia de falta.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Três recuperandos comemoram certificado de conclusão do Ensino Médio

Publicado

Três recuperandos da Cadeia Pública de Colniza receberam no dia 03 de julho o certificado de conclusão do ensino médio. Os formandos com idade entre 27 e 50 anos e eram alunos do Instituto de Educação Bhetel na modalidade de Educação de Jovens e Adultos a Distância, no ano letivo de 2019/2010.

As aulas já haviam terminado em março, quando a pandemia de Covid-19 suspendou as atividades, e eles aguardavam pela formatura com entrega dos certificados. Diante das circunstâncias atuais a solenidade não ocorreu, porém, os certificados foram entregues pelos servidores da unidade.

“Muitos enxergam na escola a chance de um recomeço, para ressignificar a liberdade e se reintegrar na sociedade preparados inclusive para o mercado de trabalho. través da conclusão dos estudos buscam a transformação da sua realidade de vida”, comentou o diretor da Cadeia Pública, Heitor Nogueira.

Educação no sistema penitenciário

Estudo realizado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen) mostra que Mato Grosso é o 6º estado brasileiro com mais recuperandos envolvidos em atividades educacionais. Dos 12.519 presos contabilizados até dezembro de 2019 em Mato Grosso, 22,9% estudavam ou participavam de alguma atividade de cunho educacional.

Leia mais:   Seduc apresenta plano de volta às aulas não presenciais à AMM, MPE e municípios

As atividades educacionais englobam desde o ensino básico formal – Educação de Jovens e Adultos (EJA), ensino fundamental e médio – ao ensino profissionalizante (cursos técnicos e formação inicial e continuada), projetos de leitura com remição de pena, até atividades complementares de lazer e cultura, como videoteca, entre outros.

Em Mato Grosso 5.133 pessoas privadas de liberdade tiveram acesso a algumas destas atividades educacionais em 2019, sendo que 3.582 as concluíram. 

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Policiais usam a música como meio de aproximação de criança que temia a presença de viatura

Publicado

Em Tangará da Serra (239 km de Cuiabá), policiais militares usaram a música para se aproximar de uma criança, a pequena Grabriela, de 4 anos, que dias atrás havia corrido assustada ao perceber que a viatura com uma equipe da Polícia Militar se aproximava de onde ela e uma amiga brincavam. Quando os policiais passavam perto a menina pegou a bicicleta e pedalou rapidamente na direção da casa dos pais.

Ao tomar conhecimento dessa situação, o tenente Marcelo da Silva Lima, comandante da Base de Polícia Comunitária da Vila Esmeralda, cuja área de atuação inclui o bairro onde a família dela mora, decidiu fazer uma visita surpresa levando música e um presente para Grabriela.

Horas depois de correr dos policiais, ela, ao lado da mãe e da amiga, recebeu a surpresa dos policiais. O sargento Athaufo da Luz interpretou a composição ‘Meu Barquinho’ (de autoria de  Giselli Cristina e Moisés Cleyton), e o próprio tenente Marcelo, que é músico e já atuou como maestro do Corpo Musical da PMMT, o acompanhou ao violão.  

Leia mais:   Dupla é detida em flagrante com 93 quilos de tucunaré e carne de jacaré em Luciára

Grabriela ouviu atenta, interagiu com os policiais e ao final ganhou um kit para pintura com desenhos didáticos. E a família recebeu uma cesta básica de alimentos. Agora, além se referir aos policiais como seus amigos, ela acena quando uma viatura faz rondas em sua rua e já disse que “quando crescer quer ser policial militar”.

Familiares confessaram que o medo demonstrado antes teria como origem as frases que costumavam dizer para mantê-la em casa, ou seja, que ela poderia ser presa se ficasse na rua. O sargento Wagner de Almeida Leite, que estava na companhia do colega Athaufo durante a ronda, também participou da homenagem.

O coronel Wendel Sodré, comandante do 7° Comando Regional de Tangará da Serra, disse que a PM não pode permitir essa visão distorcida ou pejorativa das ações e dos integrantes da Polícia Militar. E que a instituição militar atua, como fiz nesse caso, para desconstruir preconceitos e construir conceitos fundamentados no respeito, na confiança, na solidariedade, na caridade, no amor ao próximo.

Leia mais:   Seduc prepara retorno das aulas de forma não presencial a partir de 03 de agosto

Polícia Comunitária

Em Mato Grosso, parte da atuação da PM é por meio de Bases de Polícia Comunitária, como a que existe na Vila Esmeralda, em Tangará da Serra. Essas unidades integram o Programa de Polícia Comunitária da Segurança Pública e prioriza a integração das ações com outras forças de segurança e com a comunidade.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana