conecte-se conosco


Cáceres e Região

Sem nenhum, óbito Hospital Regional de Cáceres é requisitado por familiares de pacientes de Covid-19

Publicado

Sinézio Alcântara – Expressão Notícias

A estrutura e o tratamento humanizado, principalmente, de pacientes contaminados pelo Covid-19 fazem do Hospital Regional “Antônio Fontes” em Cáceres, um dos mais seguros e requisitados da região Oeste do Estado. Embora, o protocolo da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT) oriente para que os infectados sejam encaminhados, a princípio, para o Hospital São Luiz, muitos fazem questão de que sejam levados para o Regional.

“A gente sabe que no Hospital Regional, as chances de cura são maiores. O hospital está muito bem estruturado e com médicos experientes e capacitados” disse a esposa de um caminhoneiro, diagnosticado com o novo coronavírus, vindo de Pontes e Lacerda, na semana passada.

Um ex-vereador de São José dos IV Marcos que está com uma irmã contaminada também luta para que ela seja tratada no Regional. “Estamos acompanhando os casos dos outros hospitais. A família está vendo a possibilidade de que nossa irmã seja levada para o Hospital Regional de Cáceres. As informações são de que lá, o tratamento é mais seguro e com corpo de profissionais capacitado”.

Leia mais:   Ministério da Saúde lança campanha de amamentação

Até mesmo uma médica de Cáceres, que trabalha na linha de frente no combate a doença, em conversa com um grupo de amigos, sugeriu que “caso eu seja contaminada me levem para Cuiabá, ou para o Hospital Regional”.

A direção do hospital, no entanto, evita comentar sobre a sugestão dos familiares dos pacientes.

Em contato, via-telefone, o diretor administrativo, Onair Nogueira, disse ser “gratificante” saber que o trabalho desempenhado pela equipe está sendo reconhecido. “Isso é gratificante. Mas, estamos apenas fazendo o nosso trabalho nada mais que isso. É certo também que contamos com o selo de qualidade Gilberto Figueiredo e Carolina Dobes” afirma numa referência ao secretário de Estado de Saúde e a secretária adjunta de Gestão Hospitalar.

Ressalta que, o reconhecimento e a credibilidade dos serviços desempenhados pelo Hospital Regional é o resultado de um projeto do atual governo. E, acrescenta que, além do tratamento, foram abertos no mês de junho, 10 novos leitos clínicos exclusivos para pacientes em tratamento de Covid-19. E, o que é mais, importante, conforme o diretor, o hospital não teve nenhuma perda de vida, desde o início da pandemia.

Leia mais:   Em um mês, polícias matam 23 pessoas em Mato Grosso

Os novos leitos para a unidade hospitalar, anunciados no mês de maio pelo governador Mauro Mendes, começa a ser entregues. Dos 30, os 10 primeiros leitos clínicos foram entregues no mês de junho. Os 20 restantes, entre eles, 10 UTIs para atender pacientes com o Covid-19 deverão estar concluídos nos próximos dias.

Ao contrário de a maioria das ampliações hospitalares, em várias partes do país, a ampliação não é hospital de campanha, mas uma estrutura definitiva para a população. E a atual UTI adulta será ampliada, passando de 6 para 10 leitos.

Para melhorar ainda mais o atendimento, o hospital passou a contar com profissionais médicos especialistas em neurofisiologia, neurologia e neurocirurgia. Este último, já tem se destacado pelas cirurgias de alta complexidade realizada no hospital. Inclusive, na última terça-feira foi realizada, com sucesso, uma artrodese de coluna cervical. Procedimento que antes era regulado para capital e que, na maioria das vezes, o paciente ficando tempos internado aguardando vagas.

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Hospital São Luiz realizará ações durante o mês de agosto para abordar a importância da amamentação

Publicado

Programação faz parte da campanha “Agosto Dourado”, que incentiva ações de saúde e segurança por meio do aleitamento materno

No decorrer do mês de agosto, o Hospital São Luiz (HSL), unidade própria da Pró-Saúde em Cáceres (MT), realizará diversas ações voltadas para gestantes, mães e familiares, com o intuito de orientar e incentivar o aleitamento materno, fundamental para a saúde dos bebês.

O HSL é referência no atendimento em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal, Ginecologia e Pediatria, para 22 municípios da região Oeste do estado, e alguns municípios do país vizinho, a Bolívia, atendendo gestantes de alto risco encaminhadas pelos serviços municipais.

As ações integram a campanha “Agosto Dourado”, mês dedicado à promoção, proteção e apoio à amamentação. Acompanhando o tema da Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM) deste ano, “Apoiar a amamentação para um planeta mais saudável”, a unidade abordará o impacto positivo do aleitamento no meio ambiente, além de detalhar seu o papel no desenvolvimento saudável do bebê e a relação com os laços familiares.

As atividades tiveram início no dia 3 de agosto, com a realização de rodas de conversa com pais dos bebês internados na UTI Neonatal e nas alas de ginecologia e obstetrícia da maternidade, que seguirão acontecendo até o fim do mês. As atividades previstas seguirão as orientações de segurança necessárias neste momento, como distanciamento social e o uso de máscaras. Além disso, a equipe de enfermagem do HSL fará, diariamente, orientações sobre armazenamento e doação de leite materno.

Leia mais:   II Encontro Mato-grossense de Aleitamento Materno começa nesta segunda-feira

A pediatra neonatologista da unidade, Patrícia Grassani, ressalta a importância de manter a amamentação como alimento exclusivo do bebê até os seis meses de idade, e complementar até os dois anos. “O leite materno é o alimento mais completo que temos, tanto do ponto de vista nutricional como emocional. Ele é fundamental para prevenir alergias e doenças infecciosas no bebê. Também pode prevenir o câncer de mama e ovário na mãe e diminuir os riscos de diabetes”, explica a profissional.

Para garantir todos esses benefícios, a pediatra ressalta que a mãe deve contar com o apoio de toda sociedade, principalmente durante este período de pandemia. “Não há indícios de que o coronavírus seja transmitido por meio do leite materno. Portanto, não contraindicamos a amamentação em casos suspeitos ou confirmados da Covid-19”, complementa.

Ao fim das rodas de conversa, as mães receberão o selo “Mamãe de Ouro”, na caderneta de vacinação do recém-nascido, como forma de valorizar sua dedicação ao aleitamento materno.

Programação

Neste ano, as equipes de assistência e humanização da unidade dividiram as ações em três blocos, cada um com um tema diferente. Ação em defesa da saúde, da vida e do planeta desde o nascimento, será um deles, com o objetivo de reforçar a pauta da SMAM 2020.

Leia mais:   Uma das metas da administração de levar água tratada e de qualidade à população está sendo cumprida, diz Júnior

Outro bloco abordará a importância do aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade e orientações sobre como mantê-lo após a alta hospitalar. E por fim, a segurança alimentar que a amamentação traz para as crianças pequenas, particularmente em momentos de crise e emergências.

Da assessoria

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Efeito Pandemia: Estudantes não terão mais aulas presenciais neste ano em Cáceres, afirma prefeito

Publicado

O ano letivo para milhares de alunos das redes públicas, municipal e estadual, pode estar comprometido, em Cáceres. Para evitar aglomeração, uma das principais recomendações da Organização Mundial de Saúde – OMS e Ministério da Saúde – MS, para conter a disseminação do coronavirus, eles não terão mais aulas presenciais, neste ano.

A decisão foi anunciada, na manhã desta quinta-feira, pelo prefeito Francis Maris Cruz (PSDB), após reunião “online”, com autoridades e representes de entidades e clubes de serviços, integrantes da comissão que delibera medidas de prevenção e combate a pandemia do novo coronavirus, em Cáceres e na região.

“Estamos mantendo contatos com representantes de empresas do setor de informática, viabilizando a aquisição de equipamentos para ministração de ensino a distância (EAD) porque, neste ano, para precaver da pandemia, não teremos mais aulas presenciais” explicou afirmando que os equipamentos serão adquiridos, principalmente, para professores da zona rural.

A decisão do prefeito cacerense diverge de sua colega de Sinop, a prefeita Rosana Martinelli (PR). Apesar de ser um dos municípios do interior do Estado com maior número de infectados pelo coronavirus– ontem de acordo a SES Sinop contava com 2.171 pacientes e 62 óbitos – Rosana disse que as escolas do município já estão em condições de retomar as atividades.

Leia mais:   Efeito Pandemia: Estudantes não terão mais aulas presenciais neste ano em Cáceres, afirma prefeito

Em Cáceres, conforme o boletim epidemiológico, expedido diariamente, pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), na quarta-feira, havia 548 casos confirmados com 39 óbitos. Ao todo, conforme o boletim foram recuperados, no município, 223 pacientes.

Sinézio Alcântara – Expressão Notícias

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana