conecte-se conosco


Mato Grosso

Seduc quer ampliar a participação dos alunos da rede estadual na Olimpíada de Matemática

Publicado

A premiação da 14ª Olimpíadas Brasileira de Matemática das Escola Públicas e Privadas de Matemática (Obmep), ocorrida nesta segunda-feira (18.11) no auditório da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), teve alunos da rede estadual de ensino entre os agraciados com medalhas. Escolas estaduais ganharam diplomas, kit de material de didático e troféu.

Para a secretária estadual de Educação, Marioneide Kliemashewsk, a participação da Seduc na Obmep é um privilégio e essa parceria deve ser ampliada, pois a meta é ter um maior número de alunos na próxima edição. “Precisamos acabar com essa ideia de que a matemática é o grande bicho-papão, pois é um instrumento para que possamos ver o mundo de outra forma. Faz com que nosso raciocínio melhore, exige mais concentração. Sem falar que a matemática é importante para otimizarmos nossa vida financeira”, destaca.   

Durante a premiação, a secretária Marioneide pediu para que os alunos presentes se levantassem e fossem aplaudidos, assim como os professores e pais dos alunos presentes. “Os alunos são os nossos protagonistas e sem os professores, não chegariam onde estão. E os pais precisam fazer o acompanhamento dos filhos. Não basta ser pai, tem que participar”, assinala.

Segundo o coordenador regional da Obmep, André Krindges, que participou do evento, a Olimpíada é uma realização do Instituto Nacional de matemática Pura e Aplicada (IMPA) e da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). Conta também com o apoio de diversas instituições de ensino superior, a exemplo do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e do Ministério da Educação (MEC) e da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Leia mais:   O Auditor Interno e o Combate à Corrupção

“A Obmep entre suas realizações, destacamos o Programa de Iniciação Científica Jr. (PIC), destinado aos seus medalhistas. Nesses anos todos, a Obemep ofereceu a cerca de 30 mil alunos a oportunidade de estudar Matemática por um ano, com bolsa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)”, ressalta.

340 mil alunos

A 14ª edição teve só em Mato Grosso, 340 mil alunos inscritos, e 1.181 escolas participantes. Ao final, foram premiados 569 alunos com menção honrosa e medalhas. Das 15 escolas finalistas agraciadas com kit escolar, nove são estaduais. O troféu foi para Escola Estadual Tiradentes de Nova Mutum (264 quilômetros ao norte da capital).

A Escola Estadual Cleufa Hubner, localizada no município de Sinop (500 quilômetros ao norte de Cuiabá) recebeu um kit de material didático.

A professora Caroline Deon, da EE Cleufa Hubner recebeu certificado e um livro como prêmio. Para ela, não há segredo para estar entre os finalistas, mas sim muito trabalho. “Fizemos muitos intensivões. Utilizamos muito material de outras instituições, avaliações antigas, enfim, tudo o que era necessário exigir” ressalta.

Leia mais:   Nota MT distribuirá R$ 800 mil em prêmios em dois sorteios este mês

Para Caroline, a premiação com certificado para a escola foi uma surpresa. “Não esperava os prêmios, mas é tão bom ter o esforço reconhecido. Nossa escola participou com alunos do 9º ano que teve um agraciado com medalha de bronze. O aluno Hugo Barbosa, não pode comparecer, por questão de logística.

“O Hugo foi meu aluno. Muito inteligente, um crânio. Ele cursa o ensino médio numa escola federal em Sinop. E conseguiu passar num seletivo com poucas vagas. O esforço recompensou”, comemora.

Participaram também do evento, o reitor em exercício da UFMT, Evandro Silva, o coordenador da OBmep 02 de Mato Grosso Clayton Eduardo Lente da Silva, o coordenador do Programa de Iniciação Científica Obmep Ruikson Sillas de Oliveira Nunes, o 1º coordenador da Obmep em Mato Grosso Martinho da Costa Araújo, o secretário executivo da Seduc, Alan Porto e a representante da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Vanilda Mendes.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Procon-MT esclarece pontos da lei que proíbe cobrança de taxas de repetência

Publicado

Está em vigor em Mato Grosso a Lei 11.041/2019, que proíbe a cobrança de taxas de repetência, sobre disciplina eletiva e de prova de segunda chamada por parte das instituições particulares de ensino superior. A legislação restringe-se à cobrança de taxas, o que não significa que o consumidor esteja isento de pagar pela prestação de serviço a ser contratada.

O Procon-MT esclarece que, no caso de reprovação do aluno em uma ou mais disciplinas, a instituição de ensino poderá cobrar apenas o valor proporcional à carga horária da disciplina repetida, não podendo onerar o aluno para além deste valor. O mesmo se aplica às disciplinas eletivas. 

Já em relação às provas, não será permitida a cobrança de taxa sobre nenhum tipo de teste, como segunda chamada e prova final. “O objetivo da lei é proteger o consumidor de cobranças abusivas, muitas vezes constatadas no ensino superior”, esclarece a Secretária Adjunta do Procon, Gisela Simona.

A lei foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) do dia 02 de dezembro de 2019 e está em vigor desde então.

Leia mais:   Governo finaliza obras de nova escola e quadra poliesportiva em Tangará da Serra

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Seminário aborda segurança na região de fronteira e aspectos sociais

Publicado

A região de fronteira, no Oeste de Mato Grosso, foi o foco do X Seminário sobre Segurança Pública e Violência, realizado pelo Núcleo Interinstitucional de Estudos da Violência e Cidadania (NIEVICi) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). O evento ocorreu nos dias 10 e 11 de dezembro, com o objetivo de refletir sobre a questão da violência na fronteira e temas transversais, como a questão da soberania de território, o espaço-território, a circulação de pessoas e mercadorias, entre outros.

O seminário contou com o apoio da Ouvidoria Geral de Polícia e a participação do ex-comandante do Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron) e atual comandante do 6º Comando Regional da Polícia Militar (PM-MT), coronel PM José Nildo de Oliveira.

Na noite de abertura, ele falou sobre o tema da mesa redonda 1: Segurança Pública na Fronteira e Integração Regional, com a professora doutora da UFMT, Tereza Cristina Cardoso de Souza Higa.

“Abordamos os reflexos das tensões e os conflitos dessa região na segurança e para a população, pois as cidades da faixa de fronteira possuem situações peculiares, relacionando também com a questão social, como oferta de empregos e outras relacionadas ao dia a dia das comunidades não só de Cáceres, mas também dos municípios do entorno”.

Leia mais:   Santuário de Elefantes tem impacto positivo na fauna e flora locais

O ouvidor-geral de Polícia, Lúcio Andrade Hilário do Nascimento, também participou do evento. “A contribuição deste seminário é muito grande, porque a academia é um espaço onde se produz conhecimento e se produz estatística e a segurança pública tem que ser feita de maneira pensada, planejada. As políticas públicas têm que ser constantemente avaliadas e renovadas, e a universidade possui mestrandos, doutorandos, alunos de graduação que estão produzindo conhecimento nesse sentido”, avaliou.

Conforme o coordenador do (NIEVICi), professor doutor Francisco Xavier Freire Rodrigues, os temas foram contemplados em mesas redondas, grupos de trabalho e minicursos, a fim de construir um amplo panorama destas questões tanto no Estado de Mato Grosso, como também em âmbito nacional.

Crime e punição

O professor doutor da UFMT, Giovane Santin, conduziu o minicurso “Criminologia e Direitos Humanos”. Fazendo uma análise sobre o conceito de crime e o Direito Penal em vigência no Brasil, ele ressaltou que as garantias e direitos fundamentais de todos, especialmente a população vulnerável, devem ser integralmente respeitados.

“Todos nós, em algum momento da vida, desenvolvemos uma conduta que é caracterizada como crime, e já tivemos a prova de que a postura punitivista não é a solução para o problema da violência”.

Leia mais:   Governo do Estado lança manual de turismo sustentável para Mato Grosso

A programação incluiu ainda a mesa redonda “Tensões, migrações e conflitualidades na fronteira”; os minicursos “Sociologia do Direito” e “Criminologia e Diretos Humanos”; e os Grupos de Trabalho “Violência, gênero e emoções”; “Violência e Conflitualidades”; “Fronteiras, tensões, conflitos e integrações”.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana