conecte-se conosco


Mato Grosso

Rotam prende 5 suspeitos de aplicar golpes em página de vendas na internet

Publicado

Uma equipe da Rotam prendeu na quarta-feira (15.01) uma mulher e quatro homens suspeitos de estelionato, no bairro Alto do Coxipó, em Cuiabá. Com o grupo foram apreendidos 10 celulares de vários modelos e marcas, 25 cartões de bancos, duas máquinas de cartão, sete comprovantes de depósito, nove munições calibre 22 e R$ 7,9 mil.

De acordo com o boletim de ocorrência, o grupo era monitorado após denúncia, apontando suspeitos e local usado para golpes pela internet. Durante patrulhamento na área, os policiais flagraram um dos suspeitos, que ao perceber a aproximação da viatura entrou em um imóvel, largando munições na calçada. Os militares entraram no imóvel e abordaram os suspeitos.

Um dos suspeitos confessou que o grupo praticava golpes pela internet todos os dias e contou como a ação cirminosa era realizada. Segundo ele, era feito o vasculhamento da página de vendas pela internet e uma nova postagem de venda de produto era escolhida. O vendedor, possível vítima, era contactado com promessa de compra e pedido para que o anúncio fosse retirado da página.

Leia mais:   PCE estuda aumentar visitas virtuais semanais e contato da defesa com presos

Os suspeitos forjavam o pagamento em terminal bancário, utlizando envelope vazio, e ofereciam o mesmo produto pela metade do preço em um novo anúncio com perfil falso. Uma nova vítima fazia o pagamento, porém ficava sem o produto.

Ao ser questionado a respeito das munições deixadas na calçada, um dos suspeitos contou que as levaria para um conhecido que mora em um sitio.

Serviço 

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Museu de Arte Sacra traz lives sobre a situação dos povos indígenas durante a pandemia

Publicado

“Vozes indígenas – a situação atual dos povos e a pandemia” é o tema da programação online desta semana do Museu de Arte Sacra de Mato Grosso (MASMT). Representantes de povos e organizações indígenas irão apresentar as dificuldades e perspectivas diante do avanço da Covid-19 em suas comunidades nas lives organizadas pelo equipamento cultural da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel).

Diferentes estudos mostram que os povos indígenas são mais vulneráveis a epidemias devido à falta de anticorpos a doença infectocontagiosas, condições sociais e à dificuldade de acesso a serviços de saúde. Dos 896 mil indígenas no Brasil, quase 52 mil estão em Mato Grosso (Censo IBGE 2010) e, todos enfrentam, ao mesmo tempo, os crescentes ataques a seus territórios e culturas, e mais essa grave ameaça à existência representada pelo novo coronavírus.   

De acordo com os dados compilados pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), até o dia 1º de julho havia quase 10 mil casos confirmados e 405 mortos. Dos 305 povos existentes no país, 121 já haviam sido afetados pela doença. 

Leia mais:   Sede da Sema em Cuiabá não terá expediente nesta sexta-feira (03)

O espaço aberto para dar visibilidade às vozes indígenas por meio das transmissões ao vivo pode ser acompanhado de quinta a sábado, sempre às 19h, no instagram do museu (@museudeartesacramt). Abaixo programação das lives e respectivos convidados:

Quinta-feira (02.07): Questões indígenas de enfrentamento à Covid-19 na aldeia Boe Bororo

O assunto será tratado por Eloenia Ararua do povo Boe Bororo. Formada em Serviço social pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), a ativista dos direitos indígenas atualmente assessora a Federação e Organização Indígena de Mato Grosso (FEPOIMT).

Sexta-feira (03.07): Povo Xavante durante a pandemia

O líder xavante Lucio Wa Ane Terowa vai falar sobre como a etnia está enfrentando a pandemia, apresentando as principais dificuldades e necessidades. Atualmente secretário-executivo da Federação dos povos e organizações indígenas do Mato Grosso (FEPOIMT), Lúcio atuou na defesa dos direitos povos indígenas e já foi presidente da Organização Abhuwawe Xavante e também assessor do Conselho Distrital de Saúde Indígena (Condisi Xavante). 

Sábado (04.07): Os desafios do movimento indígena na pandemia

Leia mais:   Governo do Estado e Sema lamentam falecimento de servidores da Regional de Confresa

A convidada que vai abordar o assunto é Eliane Xunakalo, assessora da Federação dos Povos e Organizações Indígenas do Mato Grosso (FEPOIMT). Pós-graduada em Direito Administrativo e Administração Pública, Eliane atua no movimento indígena auxiliando no planejamento e na execução de projetos sustentáveis. Ela também integra o Instituto Yukamaniro de apoio às mulheres Bakairi. 

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Fiscalização integrada vistoria preços de medicamentos e produtos de drogaria

Publicado

Ação fiscalizatória da Polícia Civil, em conjunto com o Procon Estadual, vistoriou nesta quarta-feira (01.07) mais um estabelecimento de venda de medicamentos no varejo para apurar preços dos produtos mais procurados neste período da pandemia do coronavírus. A fiscalização desta quarta-feira foi realizada em uma unidade de uma rede nacional de drogarias, localizada na Avenida Coronel Escolástico, na Capital.

A fiscalização, que tem a coordenação da Equipe Especial de Pronta Resposta da Polícia Civil, Delegacia Especializada do Consumidor e fiscais do Procon, apura se ocorre aumento abusivo nos preços de produtos e medicamentos, como álcool em gel, máscaras de proteção, termômetros, vitaminas e medicamentos como a ivermectina e antibióticos.

Responsável pela Equipe Especial da Polícia Civil, o delegado Rodrigo Azem Buchdid destaca que a ação ampliou o foco de fiscalização dos produtos, passando a checar também os valores de venda de antibióticos e da ivermectina, medicamento utilizado para tratar infecções causadas por parasitas.  

“Desde o início da fiscalização, a equipe focou as ações para apurar se há a prática de preços abusivos em produtos da cesta básica de alimentos e também em itens de higiene e medicamentos. Com a grande procura por medicamentos como a ivermectina, passamos a checar também os preços desse produto, além de termômetros, vitaminas e antibióticos”, explica o delegado.  

Leia mais:   Governo do Estado e Sema lamentam falecimento de servidores da Regional de Confresa

Desde o início da fiscalização, no mês de maio, em torno de 15 estabelecimentos do comércio, entre farmácias, distribuidoras de produtos e equipamentos de saúde, supermercados e posto de combustível foram vistoriados pela equipe integrada.

A ação é realizada semanalmente em empresas da região metropolitana de Cuiabá.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana