conecte-se conosco


Mato Grosso

Resultado de perícia audiovisual sobre atropelamento na Isaac Póvoas é concluído

Publicado

A análise de conteúdo dos vídeos que registraram o atropelamento de três jovens em frente à Boate Valley Pub, na Avenida Isaac Póvoas, em 23 de dezembro de 2018, foi concluída pela Gerência de Perícias de Áudio e Vídeo da Politec. O laudo pericial foi requisitado pelo delegado Cristhian Cabral, com o objetivo de analisar especificamente as imagens da ocorrência.

O exame constatou que a velocidade média do veículo conduzido pela bióloga Rafaela Screnci da Costa Ribeiro era de 57 km/h com margem de erro de 6km/h, para mais ou para menos. Para as análises foram empregados conceitos de Física e de Processamento Digital de Imagens.

O cálculo de velocidade consiste na determinação da distância percorrida pelo veículo em um determinado intervalo temporal. O resultado foi obtido com a utilização das gravações originais do incidente em conjunto com as filmagens obtidas pelos peritos com a mesma câmera de segurança que registrou o fato, para a medição do deslocamento do veículo até o momento da colisão.

Leia mais:   Parcerias sociais vão permitir a pavimentação de estradas em 26 municípios

Os dados do deslocamento foram obtidos por meio de uma régua graduada, desenvolvida com um tubo de PVC posicionado perpendicularmente, ora a cada um metro, ora a cada dois metros da pista, durante um intervalo não superior a um minuto, sendo possível a elaboração de um “gabarito de referência”, que foi sobreposto aos quadros do vídeo original do incidente.

Outros resultados

A Perícia de Trânsito, realizada no local no acidente, logo após a ocorrência do fato levou em consideração os vestígios encontrados na ocasião. Como, as medições da posição do local do atropelamento e a posição de repouso das pessoas atingidas, as trajetórias dos corpos pós-colisão, e a projeção das vítimas com o impacto do veículo.

O resultado obtido, através do cálculo de velocidade com base nesses elementos, foi que o veículo estava a 54 km/h, com margem de erro de 4 km/h para mais ou para menos, no momento em que atingiu as vítimas.

O laudo pericial evidenciou que o fator humano, relacionado aos comportamentos do condutor do veículo atropelador e das pessoas atropeladas, contribuiu para o acidente. 

Leia mais:   Secretaria de Saúde implementa PlanificaSUS na região sul de Mato Grosso

O diretor metropolitano de Criminalística, Emivan Batista de Oliveira, avalia que os resultados das perícias demonstram a autonomia entre as gerências de perícias de trânsito e de áudio e vídeo, que trabalham com base em diferentes vestígios e tecnologias. “O objetivo da perícia criminal é buscar a materialidade de um crime utilizando-se, para isso, do conhecimento científico, por meio de metodologias e técnicas adequadas para a análise de cada vestígio. No caso da perícia de trânsito, o cálculo de velocidade é realizado a partir de medições no local da ocorrência, já a perícia de áudio e vídeo, neste caso, buscou elementos e variáveis a partir de imagens, que são trabalhadas em equipamentos e softwares específicos que convergiram para o resultado final”, explicou.

Os laudos periciais foram anexados ao inquérito policial, dando seguimento às investigações.  

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Mais de 4 mil pessoas participam da abertura do Encontro Nacional de Educação Matemática

Publicado

Mais de 4.000 professores da Educação Básica, estudantes de licenciatura em Matemática e Pedagogia, de cursos de pós-graduação e pesquisadores participaram no domingo (14.07), da abertura do 13º Encontro Nacional de Educação Matemática, realizado na Arena Pantanal, em Cuiabá.

Pela primeira vez sediada no Centro-oeste, esta edição tem como temática central “Educação Matemática com as Escolas da Educação Básica – Interfaces entre pesquisas e salas de aula”.

O coordenador da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, regional de Mato Grosso (Sebem-MT), e professor da Unemat, Márcio Urel, afirmou que o maior laboratório vivo para a pesquisa é a sala de aula. “Enquanto universidade, entendemos que a solução para este país passa pela Educação Básica, e principalmente as salas de aula lá da base. Do contrário, as nossas pesquisas servirão somente para entulhar bibliotecas e aumentar os currículos lattes dos próprios pesquisadores”.

Este é o mais importante evento da área no âmbito nacional. O reitor da Unemat, Rodrigo Zanin, frisou a importância da relação da universidade, institutos e sociedades científicas com a Educação Básica. “É a universidade saindo dos seus muros e indo lá na ponta, mantendo estreito diálogo com os diferentes atores envolvidos nos processo de ensino e aprendizagem em Matemática. Um evento como este mostra a importância do que está sendo pensado para a Educação”.

Encontro de Matemática em números

Leia mais:   Unemat participa da Audiência Pública sobre coleta seletiva em Várzea Grande

Os números evidenciam o tamanho desse evento. São 1.684 trabalhos durante os quatro dias de Encontro, sendo duas conferências, 30 palestras, 27 mesas redondas, 904 comunicações científicas, 446 relatos de experiências, 139 pôsteres e 138 minicursos.

Também estão expostos 74 experimentos na Feira de Matemática, trazidos por estudantes oriundos de oito estados brasileiros, de todas as modalidades de ensino. “É um espaço de democratização do ensino e publicização do trabalho realizado em sala de aula e também uma prestação de contas para a comunidade que olha para a Educação como um instrumento de transformação social”, declarou a representante da Comissão Nacional das Feiras de Matemática, Fátima Peres de Oliveira.

O 13º Encontro Nacional de Educação Matemática promove discussões sobre a Educação Matemática, seus fazeres múltiplos e complexos, tendências metodológicas e pesquisas que constituem a área. A Presidente da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, Regina Célia Grando, afirmou que há grande diversidade de contextos culturais, sociais e políticos, que marcam o exercício da profissão no País. Entretanto, os desafios experimentados são semelhantes.

“Os desafios diários dos professores e estudantes na sala de aula de Matemática podem ser compartilhados nos diferentes espaços na programação do evento, o que nos possibilita novas ideias e o sentimento de que o trabalho do professor não é solitário”.

Leia mais:   Secretaria de Saúde implementa PlanificaSUS na região sul de Mato Grosso

A Secretária de Estado de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, declarou que mesmo diante dos desafios, a Seduc está de portas abertas. “Às nossas universidades precisamos dizer que vocês são fundamentais no processo de mudança da educação, ao fazerem o papel de formadores”.

Programação

Os trabalhos serão apresentados em três eixos: Práticas Escolares, Pesquisa em Educação Matemática e Formação de Professores. Espera-se que as discussões possam contribuir, dentre outras esferas, com os processos de ensinar e de aprender matemática nas Escolas da Educação Básica do Brasil.

Nos dias 15, 16 e 17 de julho (de segunda a quarta- feira), das 7h30 às 18h, haverá mesas redondas, palestras, pôsteres, minicursos, sessão de comunicações científicas e relatos de experiências. A conferência de encerramento será dia 17 de julho, às 17h, com o professor Dr. Jonei Cerqueira Barbosa (UFBA), sobre “Perspectivas e desafios nas relações entre os conhecimentos produzidos na universidade e na escola básica”. Saiba mais: https://www.xiiienem.com.br/programacao.php

Organização: Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), Sociedade Brasileira de Educação Matemática (Sebem) e Sociedade Brasileira de Educação Matemática (Sebem), regional Mato Grosso (Sebem-MT). Apoio: Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Instituto Federal de mato Grosso (IFMT), CNPq, Capes.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

ETE de Diamantino forma 1ª turma do curso Técnico em Informática

Publicado

A Escola Técnica de Diamantino realizou na última sexta-feira (12.07), a colação de grau da primeira turma de estudantes do curso técnico em Informática. No total, 14 alunos se formaram.

O secretário adjunto de Educação Profissional e Superior, Stephano do Carmo, participou da solenidade e enfatizou a responsabilidade dos novos técnicos. “Busquem se aprimorar e alçar voos mais altos, para continuar sempre se aperfeiçoando dentro da profissão que escolheram”.

A professora Ana Carolina de Souza Amadari representou o diretor da unidade escolar. Ela ressaltou que no período de dois anos de curso os estudantes aprenderam a conviver entre si, fizeram novas amizades, enfrentaram dificuldades, superaram desafios, mas não desistiram e alcançaram o objetivo.

O orador da turma, Jonatha dos Santos Ferreira fez uma retrospectiva em seu discurso.  “Essa é a primeira turma a colar grau em Diamantino, por isso, sentimos uma grande honra pela oportunidade de abrir caminho e de demonstrar à sociedade que a Escola Técnica faz a diferença nas nossas vidas”.

Ana Carolina parabenizou todos os estudantes pela conquista e frisou que só é possível transformar vidas com os estudos. “Não tem como mudar o mundo sem a educação. Desejo muito sucesso e perseverança para que vocês continuem estudando e não desanimem diante dos desafios”, finalizou.

Leia mais:   Unemat participa da Audiência Pública sobre coleta seletiva em Várzea Grande

A solenidade contou com a presença do secretário de Esportes, Lazer e Turismo de Diamantino, Williomar Siqueira que representou o prefeito Eduardo Capistrano, o superintendente de Educação Profissional e Superior, Fernando Wosgrau, professores e familiares.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana