conecte-se conosco


Geral

Resgatados 5 dias depois – Pilotos que sobreviveram a queda de avião estão em UTI após cirurgia

Publicado

O piloto John Cleiton Venera e o copiloto Marcelo Balestrin, resgatados vivos após 5 dias a queda da aeronave que pilotavam foram encaminhados ao Hospital Santa Rosa, em Cuiabá, e passaram por cirurgia na manhã desta quarta-feira (5). Eles foram encontrados na noite desta terça-feira (4), por volta das 19h40, por equipes da Força Aérea Brasileira (FAB) que participavam da operação de buscas desde o sábado (1º), quando o avião desapareceu na região da Serra do Mangaval (150 km a oeste de Cuiabá).

A equipe de reportagem do conversou com pai do piloto John Cleiton. Por telefone, Sebastião Venera contou que o filho e o colega “foram diagnosticados com fraturas e durante a noite foram levados para o centro-cirúrgico . Mas, apenas na manhã desta quarta-feira (5), foram operados e levados em seguida para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Não há previsão de liberação deles”.

Leia também – Pilotos são encontrados vivos após 5 dias de buscas

As vítimas foram levadas para o Aeroporto Internacional Marechal Cândido Rondon, em Várzea Grande, onde recebram socorro por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que já aguardava. Os dois foram localizados por equipe no helicópetero H-60 Black Hawk.

Após os primeiros socorros, os pilotos foram encaminhados até o Pronto-Socorro de Várzea Grande. John apresentou fraturas no osso do nariz, além de 3 fraturas na perna esquerda e duas na direita. Marcelo precisou passar por cirurgia, mas não há informações oficiais sobre o motivo do procedimento.

Durante a conversa, o pai, ainda muito emocionado, afirmou que o resgate, além de ser uma proteção divina, também contou com os cuidados excessivos que o filho sempre teve.

Ao pai, John contou que partiu de Pimenta Bueno (RO), na sexta-feira (30) e na madrugada de sábado (1°), não conseguiu chegar ao destino final, em Santo Antônio do Leverger (34 km ao sul de Cuiabá).

O problema foi ocasionado após uma forte chuva que caia no local. “O vento estava forte, chovia muito e a neblina atrapalhou a visão. E ainda não bastasse as situações climáticas ele disse que perdeu o contato com a base e, logo em seguida, o controle, bateu de frente com uma árvore e o avião caiu”, detalhou.

Após a queda do avião, John e Marcelo ficaram inconscientes e depois foram recuperando a memória. “Meu filho disse que se lembrou do Kit de sobrevivência que estava dentro da aeronave e, além disso ele tinha alguns alimentos. Assim, conseguiram passar esses dias na mata sem passar fome e mantendo o corpo”, pontuou.

As buscas duraram por 4 dias diante das dificuldades e do mau tempo.

 

Comentários Facebook

Destaque

Governo de MT decreta situação de emergência pelo período de 90 dias

Publicado

Reporter MT

O Governo do Estado decretou situação de emergência em todo o território mato-grossense por 90 dias, diante da pandemia do novo coronavírus, que tem feito vítimas por todo o mundo. A situação é considerada como desastre natural e classificada como epidemia de doença infecciosa viral. O decreto nº 420/2020 foi publicado em edição extra do Diário Oficial de segunda-feira (23).

O anúncio vem após a confirmação de seis casos de contaminação e 210 suspeitos, em mais de 40 municípios de Mato Grosso. O objetivo é de que o Estado tenha condições de resposta para a “prevenção, preparação, mitigação e recuperação frente à epidemia do novo coronavírus causador da doença denominada COVID-19”.

O decreto tem a vigência de três meses e pode ser prorrogado por mais um semestre, ou seja, 180 dias, de acordo com a necessidade de ações de contenção da doença.

Fica autorizado o recebimento de receitas destinadas à ação de prevenção e combate à doença, relacionadas com a assistência social, por meio de contas especiais do Banco do Brasil, abertas para esta finalidade. Os recursos recolhidos serão para a Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

O governo já vem adotando diversas medidas por meio de decretos, entre elas a proibição de aglomerações, fechamento de bares e estabelecimentos comerciais não essenciais, restaurantes e padarias podem trabalhar apenas com a opção de entrega ou retirada no local, a suspensão do transporte intermunicipal, e a distância de ao menos 1,5 m entre as pessoas em instituições públicas e privadas.

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Estado proíbe bares e conveniências; restaurantes ficam restritos

Publicado

Lucas Rodrigues | Secom-MT

O Governo de Mato Grosso publica decreto na tarde desta segunda-feira (23.03) em que proíbe o funcionamento dos bares e lojas de conveniência em todo o Estado.

A determinação – que deve sair em Diário Oficial suplementar –  foi tomada nesta manhã, após reunião com o Gabinete de Situação, montado para monitorar e implementar as ações de prevenção e combate ao coronavírus.

O decreto também prevê que os estabelecimentos como restaurantes e padarias podem operar apenas com a opção de entrega ou retirada no local.

Os alimentos entregues devem estar “prontos e embalados para consumo fora do estabelecimento, respeitado, em qualquer caso, o distanciamento mínimo de 1,5m entre entregador e consumidor, ficando expressamente vedado o consumo no local”.

Esta medida, no entanto, não abrange os restaurantes e serviços desenvolvidos nas rodovias estaduais e municipais “destinadas ao atendimento de transporte de alimentos, combustíveis, medicamentos e outras atividades essenciais ao abastecimento da população”.

“Nesse momento, estas restrições são necessárias para que o vírus não se alastre. Evitar aglomerações de qualquer tipo nos próximos dias será fundamental para frear o contágio”, afirmou o governador Mauro Mendes.

Neste novo decreto, ainda foi estendida para as praias de água doce a proibição de funcionamento, assim como já havia sido determinada em relação aos parques públicos e privados.

Transporte

Em relação ao transporte coletivo intermunicipal, a proibição continua em vigor.

Porém, caberá à Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Mato Grosso (Ager/MT) regular o funcionamento de linhas necessárias para o transporte de passageiros que necessitam de atendimento para tratamentos continuados de saúde.

Também fica permitida a circulação de veículos em rodovias estaduais e municipais destinada ao transporte de mercadorias e autorizado o transporte coletivo de funcionários, custeados pelo empregador, para deslocamento para estabelecimentos industriais.

Serviço público

Também foram publicadas mudanças em relação ao serviço público. Agora cabe à autoridade máxima de cada órgão estadual (secretário, chefe, diretor de autarquia) decidir se há ou não necessidade da presença física dos servidores nas unidades administrativas, “desde que garantida a preservação do funcionamento dos serviços considerados essenciais e prioritários”.

“Ao servidor que não possuir condições materiais de realizar atividades em teletrabalho, cabe à autoridade máxima do órgão ou entidade, por meio de portaria, avaliar a conveniência e a oportunidade da concessão, de ofício, de licença-prêmio por assiduidade e de férias”, consta outro trecho do decreto.

Também fica a critério dos secretários e chefes dos órgãos “avaliar a conveniência e a oportunidade da concessão, de ofício, de licença-prêmio por assiduidade e de férias aos servidores sob sua subordinação”.

Por fim, o decreto autoriza os gestores a suspenderem as ações e atividades pontuais dos respectivos órgãos, “desde que garantido o atendimento a situações urgentes, a preservação dos serviços considerados essenciais e/ou prioritários e que não incorram em prejuízo à Administração Pública”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana