conecte-se conosco


Destaque

Representante da ACEC diz que “o cavalo está passando encilhado pela terceira vez, não podemos deixar escapar essa oportunidade”

Publicado

Representante da Associação Comercial e Empresarial de Cáceres (ACEC), Valdinei Felix disse que a princípio tinha algumas dúvidas sobre a viabilidade do projeto, mas, agora, está consciente de que será a melhor obra que a cidade poderia ter. Ele recorreu a um antigo ditado popular para comparar a situação do momento sobre o projeto.

“O cavalo está passando encilhado pela terceira vez. Se perdermos essa oportunidade será difícil encontrar outra” afirmou lembrando que o município perdeu a oportunidade de realizar as obras de coleta e tratamento de esgoto em duas oportunidades no governo Lula, na administração do ex-prefeito Tulio Fontes.

“Perdemos a oportunidade de fazer essa obra por ocasião do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC I e PAC II), no governo Lula. Naquela época havia recursos públicos para esse tipo de obra” diz acrescentando que  “vamos ter que pagar tanto se fosse pelo governo federal, quanto pelo financiamento. Temos que ter a consciência que hoje não existe nada de graça” afirmou

            Na opinião do empresário Claudio Oliveira, está errado quem diz que, a execução do projeto da rede de esgoto vai causar aumento de 100% na tarifa de água. “Isso não é verdade. Hoje temos órgãos controladores cuja missão é, exatamente, controlar esse tipo de cobrança” afirma o empresário elencando uma série de benefícios que irão advir do projeto.

Leia mais:   Avallone alerta para continuidade da luta pela ferrovia em Cuiabá

“Vamos melhorar os nossos índices educacionais. As nossas crianças dificilmente faltarão aulas por doenças e automaticamente vamos gastar menos com medicamentos. Vamos melhorar os nossos índices econômicos porque os municípios que tem esgoto tratado são mais valorizados e o provo tem melhor qualidade de vida” explicou.

O comerciante Jaime Ferreira, representante do Rotary Clube disse que “não dá para entender a atitude de alguns vereadores. O tratamento do esgoto é o sonho de qualquer cidade. Essas pessoas tem que parar com esse mimimi. Esses vereadores deveriam era dar uma moção honrosa ao prefeito por estar viabilizando um projeto dessa importância para nossa cidade”.

O protético Geraldo Leão pediu: “peço, encarecidamente, à todos os vereadores para que aprovem esse projeto. São poucas cidades que tem o privilégio de ter uma oportunidade de financiamento como esse. Sabemos que é um projeto de alto custo, mas é um custo que irá trazer inúmeros benefícios. Eu creio que, daqui há alguns anos, cidades que não tiverem rede de esgoto tratado não irão sequer receber recursos do governo federal”.

Leia mais:   IBOPE inicia na próxima semana a segunda fase da pesquisa COVID-19

O engenheiro Adilson Reis, disse que o projeto se reveste de fundamental importância. Relembrou que estudos da Organização das Nações Unidas apontam que com cada R$ 1 real investido no tratamento do esgotamento sanitário economiza-se R$ 4 reais, na melhoria da saúde pública. Doutor Adilson estará fazendo uma esclarecimento sobre a viabilidade do projeto, momentos antes da sessão, na segunda-feira.

Editoria

Comentários Facebook

Destaque

Soldados envolvidos em acidente podem ser excluídos do Exército, afirma coronel

Publicado

Os soldados envolvidos no acidente que destruiu o veiculo e parcialmente uma casa na Avenida dos Bandeirantes, bairro Santos Dumont, deixando duas garotas, menores de idade, feridas, estão presos e podem ser excluídos à bem da disciplina do Exército. A afirmação é do coronel Ricardo Vieira Coelho, do Comando de Fronteira de Jauru, antigo 2º Batalhão de Fronteira.

“Eles já estão presos no batalhão à disposição da Justiça” afirmou o oficial assinalando que será instaurado um procedimento disciplinar militar para apurar o caso. “São jovens de 19 anos. Mas, nada justifica o que fizeram. Inicialmente serão punidos. E, caso o procedimento militar conclua que eles cometeram crimes podem ser excluídos à bem da disciplina do Exército”.

O procedimento disciplinar a que se refere o coronel Vieira já foi instaurado pelo comando. A comissão disciplinar terá prazo de 6 dias para concluí-lo. Só após o resultado desse trabalho e que se saberá o grau de punição aos acusados.

O acidente no qual envolveram três soldados do Comando de Fronteira Jauru ocorreu na noite de segunda-feira (1/6). Na tentativa de escapar da polícia militar, conduzindo um HB-20 branco, placas OBD – 1502, os soldados colidiram, destruindo parcialmente uma casa.

Leia mais:   Lojas do Grupo Juba aceitam pagamentos do auxílio emergencial em débito digital

A situação é desfavorável aos militares. Consta no Boletim de Ocorrência confeccionado pela Polícia Militar, que além de não portar habilitação, havia no interior do veículo, algumas latas de cerveja. E, ainda duas garotas, supostamente, menor de idade. Sem contar que eles, desobedeceram a ordem de parada orientada pela guarnição policial, resultando em perseguição.

Com o impacto da colisão, peças do carro, ficaram espalhadas pelo chão. A bateria foi arremessada há 5 metros do local. Feridas, as garotas foram socorridas pela guarnição do Corpo de Bombeiros que as conduziram para o Hospital Regional. Os militares foram submetidos a exames médicos no batalhão.

Policiais militares que atenderam a ocorrência, conforme os familiares, informaram que a perseguição começou na Avenida 7 de Setembro. Os soldados estariam conduzindo o veículo com os faróis apagados. A polícia diz que, ao sinalizarem para que parassem, eles saíram em alta velocidade. E, em dado momento perderam a direção vindo a chocar com a casa.

Proprietário do imóvel, o comerciante, Alexandre dos Santos e Silva, diz que foi um “momento de horror” vivido pela família.

Leia mais:   Moradores reivindicam iluminação pública a Faissal

“Eu havia acabado de chegar. Quanto escutei o estrondo sai do quarto e vi a frente da minha casa destruída. Foi um momento de horror” conta lembrando que ainda foi atingido por estilhaços do vidro da porta. Alexandre diz que, sua filha que, nesta terça-feira, completa um ano, renasceu. “A minha filha renasceu. Ela estava no berço e uma parede caiu junto dela. Foi um milagre”.

O comerciante ainda não avaliou o valor da reconstrução da parte da casa destruída. Mas, afirma que irá responsabilizar os militares pelo prejuízo.

Sinézio Alcântara – Expressão Notícias

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Soldados do Exército destroem carro e casa durante perseguição policial

Publicado

Sinézio Alcântara – Expressão Notícias

Uma perseguição policial por pouco não acaba em tragédia, na noite de segunda-feira, em Cáceres. Na tentativa de escapar da polícia, três soldados (recrutas) do Exército, conduzindo um HB-20 branco, placas OBD – 1502 colidiram, frontalmente, destruindo totalmente o veículo, e, parcialmente, uma casa na Avenida dos Bandeirantes, bairro Santos Dumont.

O acidente aconteceu por volta das 22h. Além dos militares, no veículo, conforme informações do proprietário da casa, encontravam-se duas garotas, supostamente, menores de idade. Com o impacto da colisão, peças do carro, ficaram espalhadas pelo chão. A bateria foi arremessada há 5 metros do local.

Há suspeita é de que o grupo planejava fazer uma festa. No interior do veículo, conforme as testemunhas, havia carne e duas caixas de cerveja, que foram recolhidas pela polícia, no momento do registro da ocorrência. As garotas foram socorridas pela guarnição do Corpo de Bombeiros que as conduziram para o Hospital Regional.

O estado de saúde, principalmente, das meninas inspira cuidados. Há informações de que uma está internada em estado grave, com fraturas em várias partes do corpo. A outra estaria recebendo atendimentos médicos, mas não corre risco de morte. Os militares, conforme informações, na manhã de hoje, foram submetidos a exames médicos no batalhão.

Leia mais:   Soldados envolvidos em acidente podem ser excluídos do Exército, afirma coronel

Policiais militares que atenderam a ocorrência, conforme os familiares, informaram que a perseguição começou na Avenida 7 de Setembro. Os soldados estariam conduzindo o veículo com os faróis apagados. A polícia diz que, ao sinalizarem para que parassem, eles saíram em alta velocidade. E, em dado momento perderam a direção vindo a chocar com a casa.

Proprietário do imóvel, o comerciante, Alexandre dos Santos e Silva, diz que foi um “momento de horror” vivido pela família.

“Eu havia acabado de chegar. Quanto escutei o estrondo sai do quarto e vi a frente da minha casa destruída. Foi um momento de horror” conta lembrando que ainda foi atingido por estilhaços do vidro da porta. Alexandre diz que, sua filha que, nesta terça-feira, completa um ano, renasceu. “A minha filha renasceu. Ela estava no berço e uma parede caiu junto dela. Foi um milagre”.

O comerciante ainda não avaliou o valor da reconstrução da parte da casa destruída. Mas, afirma que irá responsabilizar os militares pelo prejuízo. A reportagem entrou em contato com o Exército que ainda não se manifestou sobre o acidente.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana