conecte-se conosco


Destaque

Quatro são presos ao tentar atravessar veículos roubados para região de fronteira com a Bolívia

Publicado

Cinco pessoas foram presas e 3 veículos recuperados em Pontes e Lacerda  pela Polícia Civil. Inicialmente, 4 pessoas, sendo dois homens e duas mulheres, foram abordadas em posse de dois automóveis (um Toyota Etios de cor prata e um Gol de cor preta), todos produtos de crimes ocorridos em Cuiabá.

Os suspeitos de 33 e 27 anos, e as suspeitas de 29 e 30 anos, foram autuados em flagrante por receptação e associação criminosa.

Os policiais civis realizavam diligências na Estrada do INCRA, zona rural do município, quando inicialmente avistaram um carro Etios sendo conduzido por uma das mulheres acompanhada dos outros três indivíduos.

Na abordagem, a motorista afirmou que não possui a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) razão a qual trafegava pelo local para burlar a fiscalização da Polícia Rodoviária Federal (PRF), bem como o carro não possuía o documento CRLV.

Questionados, três ocupantes do veículo passaram a entrar em contradição e a apresentarem nervosismo. Durante buscas no interior do veículo, nada de ilícito foi encontrado. No entanto, ao ser feita a checagem do Etios foi descoberto se tratar de um automóvel roubado em Cuiabá.

Leia mais:   Polícia Civil cumpre ordens judiciais contra empresa de grãos em Nova Xavantina

Diante dos fatos, um dos suspeitos acabou revelando que havia pego o carro para levar até a cidade de Pontes e Lacerda, e pelo transporte receberia como pagamento o valor de R$ 2,5 mil.

Em seguida, os quatro suspeitos foram encaminhados para Delegacia de Polícia, onde foi confessado por um deles que havia outro carro (um Gol de cor preta) que também estava sendo transportado pelo grupo.

Porém, esse automóvel apresentou problemas mecânico e acabou sendo abandonado na mata, nas proximidades de uma fazenda na Estrada do Incra. Policiais estiveram no local e constataram a informação, onde o segundo veículo também produto de roubo foi localizado.

Ainda na posse de uma das mulheres foi encontrado um talão de cheque, o qual também foi obtido mediante um crime de roubo sendo ainda algumas folhas repassadas para outras vítimas consumando o crime de estelionato.

Conforme a delegada de polícia que coordenou a ação, Lizzia Ferraro, as investigações continuam para apurar o crime de estelionato e ainda identificar e prender outros possíveis integrantes da associação criminosa.

Leia mais:   Operação da Polícia Civil cumpre buscas e apreende arsenal em Bom Jesus do Araguaia

Outro preso

Em outra ação realizada pelos policiais civis de Pontes e Lacerda, um jovem, de 18 anos, foi preso em flagrante em posse de uma motocicleta produto de roubo/furto. O rapaz foi abordado na avenida Minas Gerais, próximo a  Rodovia BR 174B.

Com ele, além da motocicleta foram encontrados vários objetos suspeitos de serem usados para prática de crimes, como peruca e máscara de palhaço símbolos de resistência a ação policial, roupas e jogo de chaves para abrir fechaduras.

Após a abordagem, o suspeito de 18 anos foi conduzido para Delegacia de Pontes e Lacerda, interrogado e autuado pelo crime de receptação.

Redação do GD

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Corpo do idoso trocado no hospital São Luiz foi exumado na tarde de hoje por determinação judicial

Publicado

Editoria – Sinézio Alcântara

O corpo do idoso Adelio João de Souza, de 66 anos, que foi trocado, no sepultamento, pelo da idosa Alaíde Rosa de Aquino, 81 anos, que morreu no mesmo dia (terça-feira), no Hospital São Luiz, foi exumado na tarde desta quarta-feira, no cemitério Park dos Ipês, em Cáceres.  

A exumação foi determinada pela juíza da 5ª Vara da Comarca, Hanae Yamamura de Oliveira, após reclamações das duas famílias.

O desenterro do corpo foi realizado por uma equipe da Perícia Criminal, acompanhado pelo delegado Alex de Souza Cuyabano e familiares do idoso. O delegado diz que “a exumação foi apenas para desenterrar e enterrar no local certo”.

Adelio de Souza deu entrada no hospital no dia 20 de maio, após sofrer um infarto e morreu na terça-feira, momentos antes da morte de Alaíde Rosa. Moradora de São José dos IV Marcos, a idosa era cardíaca e deu entrada no hospital no dia 23 de maio com suspeita de Covid-19.

A confusão foi feita pela equipe do hospital. Ao serem informados da morte do idoso os familiares foram ao hospital. Lá receberam a informação de que ele já havia sido sepultado com suspeita de Covid-19. Na verdade, ele havia sido enterrado no lugar de Alaíde.

Por outro lado, familiares da idosa choraram e oraram pelo corpo errado. Uma neta da idosa, reclama que além da confusão teria sido maltratada pela equipe do hospital. Porém, a direção da Casa nega. Em uma Nota a direção informa que irá instaurar uma sindicância para apurar o ocorrido.

Outro lado

A direção do Hospital São Luiz informa que abriu sindicância para apurar o ocorrido e adotará todas as medidas cabíveis. A gestão mantém, de forma contínua, a revisão de protocolos de segurança e o caso mencionado não está de acordo com o rigor dos procedimentos do São Luiz.

Os familiares dos pacientes envolvidos foram informados, imediatamente, após identificada a situação, sendo oferecido todo o suporte para a resolução dos trâmites necessários.

Neste momento, o Hospital São Luiz lamenta o ocorrido e reitera seu compromisso com a população, amparado por seus princípios e a busca permanente pela qualidade, humanização e segurança nos serviços oferecidos.

Comentários Facebook
Leia mais:   Polícia Civil cumpre ordens judiciais contra empresa de grãos em Nova Xavantina
Continue lendo

Destaque

Prefeito cobra auditoria após troca de corpos em Hospital São Luiz

Publicado

Alaíde Rosa de Aquino, de 81 anos, morreu com suspeita de Covid-19 em Cáceres

O prefeito Francis Maris Cruz (PSDB), determinou auditoria no Hospital São Luiz, que atende ao Sistema Único de Saúde (SUS) e é administrado pela empresa Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, após acusação de troca de corpos na unidade. O gestor também requer que o Estado assuma o local, pois a empresa não está atendendo conforme estabelecido em contrato.

Segundo o gestor, as reclamações quanto ao atendimento oferecido na unidade de saúde ocorrem há meses e se agravaram na essa semana, após denúncia de troca de corpos de pacientes. O idoso A.J.S. 66 foi internado com problemas cardíacos. Já a senhora A.R.A. estava hospitalizada com suspeita da covid-19.

Ambos morreram no dia 26 de maio, no entanto o idoso cardíaco foi sepultado como se tivesse sido vítima do coronavírus, com todas as especificações que o Ministério da Saúde (MS) exige. Já a idosa com suspeita da doença permanecia na unidade à espera dos procedimentos fúnebres.

Leia mais:   Polícias Civil e Militar recuperam veículo roubado na cidade de Cáceres

“Nós que estamos tendo que correr atrás para desfazer essa situação, é um absurdo, o que estão fazendo com nossa família. Nosso pai morreu de infarto e foi enterrado como se fosse de covid-19, e por outra família”,, disse o filho do idoso, Roberto Fernandes de Souza, ao site Expressão Notícias.

De acordo com o prefeito, além da troca de corpos, as queixas contra a unidade preenchem uma lista extensa. “As reclamações são de falta de atendimento, demissão de mais de 100 funcionários, médicos que prestavam serviços deixaram de atender por falta de pagamento, falta de comida. A situação é grave”, informou o prefeito.

O gestor relata que um grupo filantrópico da cidade tem arrecadado alimentos e levado ao hospital para que sejam servidos aos pacientes, pois o hospital não tem.

“Já mandamos a Vigilância Sanitária fazer uma auditoria lá e vamos alertar o governo do Estado sobre isso. Provavelmente terá que assumir o hospital, assim como fez com a Santa Casa. Nessa época de pandemia o hospital não pode parar e a empresa está deixando a desejar”, declara Francis Maris.

Leia mais:   Educação em tempos de pandemia: Ciclo de Diálogos do IFMT Cáceres aborda cuidados para prevenção à Covid-19

O São Luiz presta atendimento a pacientes de 23 cidades da região e o dinheiro para manutenção e pagamento da empresa Pró Saúde é repassado pelo Estado e governo Federal. Segundo o prefeito, a empresa havia alegado que os atendimentos estavam comprometidos por falta de repasse do Estado. No entanto, foi comprovado que os pagamentos estavam regulares

jessica@gazetadigital.com.br

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana