conecte-se conosco


Destaque

Projeto Bichos do Pantanal promove atividades para comemorar dias mundiais da Água e das Florestas

Publicado

Programação será realizada nos dias 20, 21 e 22, em Cáceres, e prevê três dias de palestras, dinâmicas, contação de histórias, trilhas, observação de vida silvestre e flutuação em dolina

O Projeto Bichos do Pantanal, patrocinado pela Petrobras, dedicará três dias para comemorar a importância das florestas e da água como recurso natural, celebrados, respectivamente, nos dias 21 e 22 deste mês. Para isso, a equipe do Programa de Educação Ambiental preparou uma programação de atividades que serão realizadas a partir da próxima quarta-feira (20.03) com alunos da rede pública de Cáceres e Porto Estrela, onde o projeto é desenvolvido. A expectativa é de que mais de 400 estudantes participem das comemorações.

As primeiras atividades serão desenvolvidas com alunos da Escola Municipal Dom Máximo Bienes. Na tarde do dia 20 haverá uma aula dinâmica com contos e histórias e uma palestra sobre os ciclos da água e a importância de sua conservação e, também, das diversas fontes de água acessíveis às populações. No fim do dia cada aluno vai ganhar uma muda de planta nativa como símbolo da conservação das florestas e também receberá dicas de como plantá-la.

A programação para quinta-feira (21), Dia Mundial das Florestas, será destinada a cerca de 80 estudantes das séries iniciais da Escola Municipal Tancredo Neves e do Centro de Atenção Integral à Criança (CAIC), além de 40 alunos da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat). De manhã os monitores do Projeto Bichos do Pantanal trabalharão com as crianças a importância de cuidar da natureza, por meio do plantio de mudas e espécies nativas do Cerrado. Já os universitários terão, à tarde, aula a campo para explorar a importância da formação florestal para a dinâmica climática e regime de chuvas e, ainda, como esses fatores atuam sobre a fauna.

Leia mais:   Grupo Juba promove noite do vinho com enólogo argentino

No terceiro e último dia de celebração, quando se comemora o Dia Mundial da Água, a aula será na Dolina Água Milagrosa, uma cavidade circular de grande dimensão e profundidade,  característica de magníficos relevos cársticos, tomada de água azul cristalina, e um dos cartões-postais de Mato Grosso. A dolina está localizada a cerca de 20 km quilômetros de Cáceres, em uma propriedade particular. Dessa vez, a ideia é levar estudantes das redes municipais de ensino de Cáceres e Porto Estrela para vivenciarem a conexão com a natureza com visita a um local de beleza única.

A atividade, além de envolver caminhada, trilhas, observação de vida silvestre com  binóculos e lunetas e flutuação na dolina, marcará o início do projeto Conhecendo a Dolina Água Milagrosa – A observação e Conexão com a Natureza como estratégia de Educação Ambiental e fomento ao turismo de natureza, em parceria com as secretarias municipais de Educação de Cáceres e de Porto Estrela.

“Queremos possibilitar às crianças a aproximação e a vivência com a natureza, estimulando o desenvolvimento de processos empáticos, que possibilitem a construção de uma postura de integração, admiração e respeito ao meio natural. Pequenas ações, como plantio de uma árvore ou a visita um lugar como a Dolina, são ferramentas transformadoras que podem impactar o futuro dessas crianças e gerar resultados positivos para o mundo”, explica o professor Mahal Massavi, coordenador do programa de Educação Ambiental do Projeto Bichos do Pantanal. Professores também participarão das atividades e haverá trilha para explorar todos os aspectos naturais da região.

Leia mais:   IFMT Cáceres abre inscrições gratuitas para vagas de curso Técnico em Agropecuária

A diretora do Projeto Bichos do Pantanal, Jussara Utsch, lembra que o bioma é uma das maiores áreas úmidas do planeta e de extrema importância para o ecossistema global. “Vamos comemorar essas datas com atividades especiais do nosso programa de educação ambiental Conexão com a Natureza do Projeto Bichos do Pantanal, e contaremos com parcerias e participação cooperativa numa soma de esforços comprometidos com um mundo melhor, mais consciente e com a missão de cuidar deste imenso reservatório de água doce, tão importante para o suprimento de água e equilíbrio ecológico”.

O projeto

Em sua segunda edição, o Projeto Bichos do Pantanal é gerido pelo Instituto Sustentar de Responsabilidade Socioambiental e conta com o patrocínio da Petrobras por meio do Programa Petrobras Socioambiental. Entre 2013 e 2015 a iniciativa conquistou prêmios e diversos resultados positivos, especialmente com as ações de educação ambiental, que envolveram 44 mil crianças e jovens do Alto Pantanal. Ao todo, 350 mil pessoas foram mobilizadas com as atividades.

A área de atuação do Bichos do Pantanal abrange o município de Cáceres, o rio Paraguai, a Estação Ecológica Taiamã até Pacu Gordo, e também o município de Porto Estrela, região do entorno da Estação Ecológica da Serra das Araras.

Para mais informações:
Assessoria de Imprensa Bichos do Pantanal Camila Cecílio (11) 99922-2105

Comentários Facebook

Destaque

COTA ZERO: Estado descarta ceder a pressão e manterá proibição da pesca por 5 anos

Publicado

Mauren Lazzaretti disse em conversa com jornalistas que projeto já é implantado em Estados vizinhos

A secretária de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), Mauren Lazzaretti, disse a jornalistas que o Governo do Estado está “firme” em manter a proposta de “cota zero” para a pesca de peixes nos rios mato-grossenses – disciplinada pelo projeto de lei nº 668/2019, que tramita na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL-MT). Em declaração dada a jornalistas que foi ao ar numa reportagem do programa Resumo do Dia, da última terça-feira (16), Mauren Lazzaretti revelou que outros Estados já vem adotando a política pública, cuja principal medida é a proibição do “transporte, armazenamento e comercialização do pescado oriundo da pesca em rios de Mato Grosso” pelo período de 5 anos.

“Há um consenso tanto nos Estados vizinhos quanto em Mato Grosso que a pressão pela retirada do peixe dos rios tem causado a diminuição do nosso estoque pesqueiro. O que nós queremos é que num período de 5 anos, a exemplo dos nossos Estados vizinhos, fazer essa restrição e depois avaliar, de forma paulatinamente, envolvendo as demais secretarias, qual é o modelo que Mato Grosso consegue comportar de equiparação entre a pesca, o consumo e o transporte desse pescado”, explicou a secretária da Sema-MT.

Leia mais:   IFMT Cáceres abre inscrições gratuitas para vagas de curso Técnico em Agropecuária

O projeto de lei encontra resistência de setores econômicos e também de políticos de Mato Grosso, que veem na iniciativa uma ameaça às populações ribeirinhas, que sobrevivem da pesca de peixes, utilizados tanto para consumo próprio quanto no comércio. Mauren Lazzaretti, entretanto, esclarece que o objetivo do Poder Público Estadual é “mudar o perfil” sócio-econômico dessas pessoas, investindo no setor do “turismo da pesca”.

“O que nós queremos é mudar o perfil. Não é deixar essas pessoas fora de qualquer contexto da sobrevivência. Mas sim incluí-las em outro tipo de atividade que é muito mais economicamente viável, que é o turismo da pesca. Mas não há turismo da pesca se não houver peixe”, analisou.

Atualmente, o projeto de lei nº 668/2019 tramita na AL-MT e já possui dois “substitutivos”, ou seja, dois outros projetos alternativos à proposição original. Nenhum deles proíbe a pesca o transporte de peixes dos rios por 5 anos.

DOURADO

A secretária da Sema-MT também comentou sobre a possibilidade da volta da pesca do dourado – proibida no Estado desde o ano de 2013. Mauren Lazzaretti admitiu que a população da espécie do peixe cresceu nos últimos anos, porém, ela também apontou que não há previsão para o fim da restrição.

Leia mais:   COTA ZERO: Estado descarta ceder a pressão e manterá proibição da pesca por 5 anos

“A proibição do dourado foi exatamente para saber de sua dificuldade para reprodução e da baixa reprodução. Nós já temos alguns números que demonstram que esse período proibitivo já promoveu um reabastecimento deste estoque pesqueiro mas não temos uma previsão exata de quando será liberada a pesca dessa espécie. Existe uma avaliação que é necessária fazer com outros Estados e isso ainda esta em fase de avaliação pela secretaria”.

DIEGO FREDERICI

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

PM recuperou e localizou mais de 2.400 veículos em Mato Grosso

Publicado

A Polícia Militar de Mato Grosso recuperou e localizou 2.496 mil veículos no primeiro semestre de 2019 em todo o Estado. O dado leva em conta motocicletas, caminhonetes, carros de passeio e outros veículos, roubados ou furtados, que foram devolvidos aos seus proprietários.

O relatório divulgado pela Superintendência de Planejamento Operacional e Estatístico da Polícia Militar (SPOE) aponta que dos 2.496 mil veículos localizados ou recuperados por policiais militares, 1.102 são motocicletas, 1.148 automovéis, 107 caminhonetes entre outros veículos.

O superintendente da SPOE, tenente-coronel Sebastião Carlos destaca que o grande número de veículos automotores recuperados é resultado da intensificação de ações preventivas e ostensivas. O tenente-coronel diz ainda que a população é também uma grande aliada, já que muitas pessoas repassam informações que colaboram no tempo resposta das ocorrências de roubo e furtos no estado.

Da Assessoria

Comentários Facebook
Leia mais:   Prefeito e secretário agradecem o sucesso do 38º FIPe
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana