conecte-se conosco


Mato Grosso

Professora que venceu luta contra câncer faz alerta para importância do diagnóstico precoce

Publicado

A professora de Zootecnia, Maria Aparecida Pereira Pierangeli, foi diagnosticada com câncer de mama, em 2004. Segundo ela, o autoexame e o diagnóstico precoce foram determinantes para um tratamento adequado e para cura da doença.

À época, ela tinha acabado de se mudar de Minas Gerais para Mato Grosso. Estava na Unemat em Pontes e Lacerda, contratada como professora visitante do curso de Zootecnia. Após assistir uma palestra no dia das mães, ficou sensibilizada para a necessidade de se tocar. A seguir, publicamos o relato dos meses de luta vividos pela professora.

“Sempre senti meus seios doloridos. Mas nunca imaginei que pudesse ter câncer de mama. Chegando em casa fiz o autoexame conforme o médico palestrante havia ensinado e senti algo estranho, não um caroço exatamente mas algo parecido. Vai no médico? Não vai? E se for câncer? Como fazer para tratar aqui no interior do MT? Ainda mais sem plano de saúde, recém-contratada, longe de casa, com dois filhos pequenos. Várias dúvidas e, a esperança: não há de ser nada!

Leia mais:   SES-MT analisa capacidade de ampliação de leitos no Hospital Regional de Sinop

Bom, enfim, fui ao médico aqui mesmo, que pediu um ultrassom que apontou a presença dos nódulos difusos na mama. Depois veio a mamografia para confirmação (tinha que ser em Cáceres) e, aproveitando uma das reuniões para elaborar a proposta de mestrado em Ciências Ambientais, fui fazer o ultrassom na hora do almoço

E o médico foi de uma sensibilidade tão grande que na hora me falou “não perca tempo. Seu nódulo tem todas as características de câncer de mama, vamos já coletar amostras para biópsia e enviar para o laboratório. E não espere o laboratório enviar o resultado, busque, e já vai atrás do tratamento”. Bom daí foi só a correria: confirmação do diagnóstico e tratamento.

Resumindo, fiz uma quadranctomia (retirada parcial da mama). Ao voltar para retirar os pontos, o médico disse que tinha que retirar a mama toda, pois o câncer estava todo disseminado pelo tecido mamário. Depois dessa cirurgia, fiz a quimioterapia e depois a radioterapia. Foram nove meses de luta.

Vi várias colegas pacientes morrerem de câncer de mama (nas consultas ou na quimioterapia era sempre a expectativa de saber quem encontraríamos, ou não). Fiz todo tratamento pelo SUS, no Hospital de Câncer de Mato Grosso, em Cuiabá.

Leia mais:   Visita técnica da Prefeitura constata que o Governo cumpre regras da Anvisa

Durante o tratamento, continuei com as atividades na Unemat, só me ausentando quando era estritamente necessário. Penso que continuar trabalhando, com o apoio dos colegas de trabalho e alunos, durante o período foi fundamental para eu ter forças e fazer o tratamento, com todas as dificuldades em função das distâncias.

Desde então, anualmente faço acompanhamento e, nunca mais tive nada relacionado ao câncer, por isso estou aqui contando minha história e alertando para o cuidado com nossa saúde!

Dez anos depois que eu tive o câncer de mama, meu marido morreu de câncer de fígado, que só foi diagnosticado já em estado avançado, sem chance de cura. Quem sabe se tivesse o diagnóstico precoce ele não estaria aqui? 

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Visita técnica da Prefeitura constata que o Governo cumpre regras da Anvisa

Publicado

A visita realizada pela Prefeitura de Cuiabá, nos 80 leitos de UTI, já em operação nos Hospitais Estaduais Santa Casa e Metropolitano, concluiu que o Governo de Mato Grosso cumpre com as preconizações do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O atesto foi feito pelo fisioterapeuta e funcionário do Hospital de Referência para COVID-19 em Cuiabá, Paulo Henrique de Oliveira. Ele explicou que a ANVISA preconiza que os hospitais precisam ter pelo menos um ventilador para cada dois leitos de UTI, e neste caso, a Santa Casa e o Metropolitano se enquadram.

“Para momentos de pandemia e em situações extremas de Síndrome Respiratória Aguda Grave, alguns pareceres técnicos preveem a utilização temporária de um ventilador pulmonar para mais de um paciente em caso de falta de mais aparelhos, mas que devem ser observados alguns critérios para que isso possa ser feito”, comentou. 

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, explicou que na Santa Casa há 40 leitos de UTIs em plena atividade e 10 UTIs pediátricas sendo implantadas. Já no Metropolitano são 40 leitos e outros 30 em fase de implantação. 

Leia mais:   Campanha Vem Ser Mais Solidário leva alimentos para famílias carentes do Sucuri

Dos 40 leitos da Santa Casa, 28 têm respiradores, e no Metropolitano, dos 40 leitos, 30 têm o equipamento. “Para todos os demais leitos, o governo já adquiriu os respiradores e eles estão no Aeroporto Internacional Marechal Rondon, na alfândega para serem liberados pela Receita Federal. Além disso, é bom destacar que os 10 leitos que o Ministério da Saúde encaminhou para a Santa Casa, nenhum chegou com ventiladores. Mas, como já dissemos, compramos para todos os leitos”, explicou.

“Nós agimos rápido, compramos os equipamentos e eles já estão em solo mato-grossense. Agora é uma questão de burocracia e logo já estaremos com todos os leitos de UTI com os respiradores. E é bom deixar claro que estamos cumprindo com todas as preconizações e protocolos do Ministério da Saúde”, destacou.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Museu Casa Dom Aquino oferece formação em patrimônio cultural

Publicado

O Museu de História Natural Casa Dom Aquino está com inscrições abertas para o curso online de formação em Educação para o Patrimônio Cultural em Espaços Educativos no Estado de Mato Grosso. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas pela internet (acesse AQUI o formulário) até o dia 20 de junho. 

Na modalidade de Ensino à Distância (EAD), a capacitação está dividida em cinco módulos, totalizando uma carga horária de 50 horas e o certificado será emitido pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Serão abordados em cada módulo, temas que versam sobre o patrimônio cultural material e imaterial, patrimônio cultural e museus, patrimônio cultural e arqueológico, e patrimônio cultural paleontológico e geológico.

Direcionado a professores da rede básica de ensino, educadores sociais, gestores e profissionais ligados a cultura, entre outros interessados pelo tema, o curso busca viabilizar a formação e o acesso à informação por meio da fruição dos bens culturais do Estado.

A capacitação foi formulada pelo Instituto Ecossistemas e Populações Tradicionais (Ecoss), que faz a gestão compartilhada do equipamento cultural da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel). Desenvolvido em parceria com a UFMT, o curso faz parte do Programa de Serviços Educativos e Projetos Especiais do Museu.

Leia mais:   MT vai sistematizar quantidade de leitos disponíveis para tratamento de Covid-19

Mais informações sobre o curso podem ser acessadas no link de inscrição.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana