conecte-se conosco


Destaque

Procon-MT lista 20 recomendações para a Black Friday e compras de fim de ano

Publicado

Procon – MT
A pesquisa realizada pelo Instituto Provokers, por meio do Google, revelou que cerca de seis a cada 10 consumidores estão ansiosos pela Black Friday em 2020. Com a expectativa de preços mais baixos e promoções vantajosas, a data sempre motiva a ida de milhares de pessoas às compras. Ainda de acordo com a pesquisa, este ano, os produtos mais procurados serão: eletrônicos, celulares, moda, eletro e portáteis, móveis e decoração e alimentos e bebidas. O Procon-MT alerta sobre a importância do consumo consciente e para o planejamento financeiro, para evitar o comprometimento do orçamento doméstico. Pesquisar antecipadamente a média de preços, consultando várias lojas, é uma das dicas do órgão.

Em 2020, outra preocupação é a pandemia Covid-19. Com inúmeros casos de contaminação, o cuidado com a aglomeração e as medidas de segurança não podem ser esquecidos. Por isso, optar por compras pela internet, por não sair em grupo ou com toda a família são atitudes que podem prevenir o contágio.

Confira outras dicas de consumo e cuidados com as compras de Black Friday

Eletroeletrônicos e eletrodomésticos

1. A busca por aparelhos tecnológicos se destaca neste período. Entre tanta variedade e recursos diferentes, a melhor compra é aquela que satisfaz a real necessidade do presenteado. Além disso, confira o consumo de energia do aparelho, verifique se há rede credenciada de assistência técnica para a marca na sua cidade e peça para testar o equipamento.

Vestuário

2. Se optar por peças de roupas ou calçados, fique atento às etiquetas e confira se produto apresenta algum defeito. Vale destacar que a troca por questões de gosto e tamanho depende da política adotada pelo estabelecimento. Por isso, é importante que o prazo de troca esteja especificado por escrito no comprovante de compra. Devido às medidas sanitárias de prevenção da Covid-19, alguma lojas fecharam os provadores. Assim, a atenção aos tamanhos e possibilidades de troca do produto deve ser redobrada.

Brinquedos

Leia mais:   Defensoria Pública de Mato Grosso realizou mais de 500 mil procedimentos durante pandemia em 2020

3. Existe um selo desenvolvido pelo Instituto Nacional de Metrologia Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) que informa se o brinquedo foi testado e se está de acordo com as normas de qualidade e segurança. Assim, sempre verifique se esse selo está presente na embalagem e observe as indicações de faixa etária para não comprar algo que ofereça risco à criança. Compre brinquedos com procedência garantida em Nota Fiscal.

Arrependimento e garantia

4. Aquisições feitas fora do estabelecimento comercial (telefone, internet, catálogo) podem ser canceladas dentro de sete dias – contados da assinatura do contrato ou do recebimento do produto – e o consumidor tem direito à devolução dos valores já pagos. Em caso de defeito no produto, o Código de Proteção e Defesa do Consumidor (CDC) estipula uma garantia legal de 30 dias para produtos não duráveis (como alimentos, por exemplo) e 90 dias para bens duráveis (como celular, televisão, geladeira, etc).

CDC

5.Em caso de dúvidas, peça para verificar o Código de Defesa do Consumidor (CDC). É dever de todo estabelecimento comercial disponibilizar um exemplar para consulta dos clientes.

Compras pela internet

6. Verifique se constam no site o número do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), endereço físico e canais de troca e atendimento.

7. Ao efetuar a compra, imprima ou salve em seu computador a página do site com os dados e, antes de enviar os dados pessoais de seu cartão de crédito, observe se a conexão é segura.

8.  Atenção para a cobrança de frete, existência de outras taxas e prazo de entrega.

9. No caso de compras pela internet, catálogos, em domicílio ou telemarketing, é possível desistir da aquisição em até sete dias após a assinatura do contrato ou recebimento da mercadoria. O cancelamento deve ser solicitado por escrito.

Nota Fiscal

10. Não se esqueça de exigir o documento fiscal. Ele é que comprova a relação de consumo e será necessário para reclamar, caso haja algum problema com o produto.

Leia mais:   1ª vacina de covid em MT será simbólica; vacinação na terça

11. Não se deixe levar por promoções suspeitas, entre pagar mais barato e comprar produto com nota fiscal – que garante prazo de troca e garantia – fique com a opção mais segura.

12. O prazo para reclamações é de 30 dias para produtos não duráveis (que se extinguem rapidamente com seu uso, como os alimentos, por exemplo) e de 90 dias para os bens duráveis (que têm consumo prolongado, como aparelhos celulares, geladeira, televisão, dentre outros).

Cuidados sanitários o ao receber a mercadorias ou em contatos na hora da compra

13.  Se preferir realizar compras em lojas físicas, lembre-se que o uso da máscara é obrigatório. Leve sempre uma peça reserva, além de álcool para garantir a higienização e compras seguras.

14. Evite contato corporal com o vendedor/entregador, como aperto de mão e falar muito próximo.

15. Procure não manusear as peças e produtos expostos, observe e pegue somente o que deseja comprar.

16. Ao realizar pagamento em dinheiro, se possível, separe o valor exato da compra para evitar o manuseio de outras cédulas.

17. Quando o pagamento for por cartão, prefira que só você tenha contato com ele e logo depois o higienize.

18. Nos estabelecimentos comerciais observe se estão sendo seguidas as regras de segurança sanitárias;

19. Quando chegar em casa ou receber a mercadoria, higienize as embalagens antes de abri-las, se possível lavando com água e sabão, ou borrifando álcool 70% ou solução de água sanitária e água.

RECLAMAÇÕES

20. Caso tenha algum problema na relação de consumo, procure o Procon mais próximo ou registre sua reclamação pelo site www.consumidor.gov.br. Na plataforma online é possível registrar reclamações sem sair de casa, basta ter acesso à internet.

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Toque de recolher vai até o dia 3 de fevereiro em Cáceres

Publicado

Assessoria
Nesta segunda-feira (19) o governo do estado emitiu novas medidas de restrições visando inibir o crescimento da doença no estado. De acordo com o novo decreto estadual próximos 45 dias fica proibida a realização de eventos sociais, festas, shows, atividades em casas noturnas e confraternizações com mais de 100 pessoas em espaços privados ou públicos, “inclusive o uso de logradouros públicos, onde haja aglomeração e consumo de bebidas alcoólicas”.

O município de Cáceres seguirá a grande maioria dos itens do decreto estadual.

A diferença está na proibição de circulação de pessoas pela cidade entre as 22 horas as 6 horas da manhã. As medidas valem por 15 dias. Estão isentos do toque de recolher apenas trabalhadores de serviços essenciais, os serviços de delivery funcionaram até as 23h.

As atividades esportivas e em locais públicos também poderão ser suspensos durante o período de vigor do decreto de toque de recolher.

O documento autoriza as forças de Segurança do Estado de Mato Grosso a tomar todas as ações necessárias para fazer cumprir as novas medidas e também “possíveis normas municipais mais rígidas e/ou restritivas”.

Leia mais:   IFMT Cáceres oferta vagas para Engenharia Florestal em seletivos por Notas do ENEM e análise de Histórico Escolar

Clique no link abaixo e veja o decreto completo:
https://diariomunicipal.org/mt/amm/publicacoes/784027/

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Mais de 3 mil motoristas tiveram a CNH suspensa nos últimos dois anos

Publicado

Detran – MT

Mais de 3 mil motoristas tiveram a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa nos anos de 2019 e 2020, em decorrência de cometimento de infrações específicas de trânsito como dirigir sob efeito de álcool, transitar com a velocidade superior a máxima permitida para a via em mais de 50%, realizar manobra perigosa, entre outras. Além das infrações, as suspensões também ocorreram pela somatória de pontos na carteira, alcançando 20 pontos ou mais em um período de 12 meses.

Os motoristas que têm a CNH suspensa são notificados via Correios, no endereço que está cadastrado no Detran-MT, e por meio de editais publicados no Diário Oficial do Estado.

Para regularizar a Carteira Nacional de Habilitação nos casos de suspensão, o motorista deverá entregar, obrigatoriamente, a CNH em qualquer unidade de atendimento do Detran-MT, cumprir o prazo de suspensão do direito de dirigir, realizar um Curso Teórico de Reciclagem no Centro de Formação de Condutores (CFC) credenciado de sua escolha ou em instituição de Ensino à Distância credenciada que emitirá o Certificado conforme conclusão de matérias obrigatórias.

Leia mais:   Defensoria Pública de Mato Grosso realizou mais de 500 mil procedimentos durante pandemia em 2020

Após cumprir essas etapas, o condutor deverá ir até uma unidade do Detran-MT para a emissão da taxa de Exame Teórico de Reciclagem para Infratores. Assim que finalizar o Curso Teórico de Reciclagem para Infratores, será agendado o exame teórico. Com a aprovação no curso, o motorista poderá solicitar a retirada de sua CNH ou, caso esta já esteja vencida, emitir um novo documento.

Reciclagem

Um dos meios para o condutor reestabelecer o direito de dirigir é através do curso de reciclagem por ensino à distância. O link para acesso está disponível no site do Detran-MT (www.detran.mt.gov.br), em Reciclagem EAD.

Ao clicar no link, os condutores terão a opção de escolha de empresas nacionais que foram credenciadas junto ao Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) para a realização do curso de reciclagem à distância do Detran-MT.

“Todos os condutores que tiveram as carteiras suspensas são obrigados a passar pelo curso de reciclagem, bem como os que foram obrigados por determinação judicial”, destacou o diretor de Habilitação do Detran-MT, Alessandro de Andrade.

Leia mais:   1ª vacina de covid em MT será simbólica; vacinação na terça

A oferta do curso atende à Resolução 730/2018 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que estabelece os critérios e requisitos técnicos para a homologação dos cursos e plataformas tecnológicas, na modalidade de ensino a distância.

Conforme o artigo 268 do Código de Trânsito Brasileiro, o condutor infrator será submetido a curso de reciclagem na forma estabelecida pelo Contran quando: sendo contumaz, for necessário à sua reeducação; quando suspenso do direito de dirigir; quando se envolver em acidente grave para o qual haja contribuído (independentemente de processo judicial); quando condenado judicialmente por delito de trânsito e, a qualquer tempo, se for constatado que o condutor está colocando em risco a segurança do trânsito.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana