conecte-se conosco


Destaque

Pró-Saúde assume gestão do Hospital São Luiz, em Cáceres

Publicado

A Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar assumiu a gestão própria do Hospital São Luiz (HSL), localizado em Cáceres, na região do Alto Pantanal, no Mato Grosso, a partir de 1º de dezembro de 2018. O início da administração da unidade ocorreu por meio de um processo de transição que durou 30 dias e assegurou a continuidade dos serviços prestados à população por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) e de convênios médicos. Com a chegada em Cáceres, a Pró-Saúde marca presença em 11 Estados nas cinco regiões do País.

Referência para 22 municípios da região Oeste do Estado e da vizinha Bolívia, o Hospital São Luiz possui 156 leitos – destes, 72% são destinados ao atendimento gratuito (SUS). Para o 1º vice-presidente da Pró-Saúde, padre Robson Antônio Gonçalves, o novo projeto representa uma importante conquista institucional e uma oportunidade de disseminar o modelo de gestão exitoso da Pró-Saúde para mais uma região. “É uma grande satisfação atender a população cacerense e poder oferecer um atendimento humanizado e de excelência a todos”, destacou durante sua visita ao hospital, onde conheceu as instalações e abençoou todos os colaboradores.

Com 503 colaboradores diretos, o HSL atua nas especialidades de Clínica Médica, Cirúrgica, Ginecologia, Obstetrícia, Pediatria, UTI Neonatal e UTI Adulto, Pronto Atendimento e Centro Cirúrgico com seis salas. A Unidade atende partos de alto risco e gestantes encaminhadas pelo município. Possui um parque tecnológico moderno, com equipamentos e serviços de diagnóstico e de procedimentos médicos, como ressonância magnética, tomógrafo, densitometria, ultrassom, ecocardiograma, cardiotocógrafo, laboratório de análises clínicas entre outros.

Transferência de gestão

Leia mais:   Previ-Cáceres pagou em 2019 mais de R$ 2,5 milhões de auxilio doença

O Hospital São Luiz foi administrado pela Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) desde 1993. A entidade religiosa transferiu a gestão do HSL para a Pró-Saúde, após um plano de reestruturação da ACSC. Durante um mês, foram realizadas reuniões com os colaboradores de todos os setores do Hospital, além de prestadores de serviço, com o objetivo de esclarecer dúvidas, orientar e realizar uma transferência de gestão segura e transparente. A Pró-Saúde – entidade filantrópica sem fins lucrativos alicerçada em princípios católicos e que compartilha do mesmo objetivo da ACSC – definiu sua atuação a partir do plano estratégico do Hospital, assegurando o atendimento à população normalmente.

Sobre o Hospital São Luiz

Fundado em 1938, quando Cáceres ainda era um povoado, o Hospital São Luiz nasceu quando o Frei Ambrósio Dayde, da Missão da Ordem Terceira Regular de São Francisco do Brasil, adquiriu uma casa com terreno para abrigar os enfermos, formando um “dispensário”, onde estava sempre a irmã Antônia Rodrigues, freira pertencente à Congregação do Instituto Imaculada Conceição. No mesmo ano, ocorreu a efetivação de convênio com o Estado de Mato Grosso. Em 1940, o dispensário foi transformado em hospital e, a partir da organização dos padres franciscanos, passou a chamar-se Hospital São Luiz. Em 1993, a Sociedade Educadora Beneficente Providência Azul, então proprietária da instituição, passou o Hospital São Luiz à Associação Congregação de Santa Catarina (ASCS).

O Hospital possui 156 leitos e atua com Clínica Médica, Cirúrgica, Obstetrícia, Ginecologia, Pediatria, UTI Neonatal e UTI Adulto, Pronto Atendimento e Centro Cirúrgico com seis salas cirúrgicas. A Unidade é referência para 22 municípios da Região Oeste do Estado e do país vizinho, a Bolívia. Conta com moderno parque tecnológico, com equipamentos e serviços de diagnóstico e de procedimentos médicos, como Ressonância Magnética, Tomógrafo, Densitometria, Ultrassom, Ecocardiograma, Cardiotocógrafo, Laboratório de Análises Clinicas entre outros.

Leia mais:   IFMT Cáceres oferece 11 vagas no Curso de Engenharia Florestal com seleção por meio de notas do ENEM

O Hospital São Luiz também promove atuação social por meio de doações de alimentos não-perecíveis, brinquedos e conta com o trabalho voluntário da Pastoral junto aos enfermos e pessoas com AIDS.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma das maiores entidades de gestão de serviços de saúde e administração hospitalar do País. Fundada em 1967, como Associação Monlevade de Serviços Sociais, em João Monlevade (MG), a Pró-Saúde é uma instituição filantrópica sem fins lucrativos. Tem sob sua responsabilidade 2.068 leitos e o trabalho de cerca de 16 mil profissionais, sendo 2,9 mil médicos, além de reunir um dos maiores quadros de administradores hospitalares do Brasil, contribuindo para a humanização do atendimento hospitalar, em especial do Sistema Único de Saúde (SUS).

Com excelência técnica e credibilidade nacional, é uma entidade qualificada como Organização Social de Saúde (OSS) que oferece uma gama de serviços em benefício da vida. A atuação na área de administração hospitalar tornou a entidade amplamente reconhecida no setor, permitindo que a Pró-Saúde ofereça a mesma qualidade em assessoria e consultoria, planejamento estratégico, capacitação profissional, diagnósticos hospitalares e de saúde pública, gestão de serviços de ensino e muitos outros. A entidade faz a gestão de quatro Centros de Educação Infantil, em São Paulo, cidade em que também fica localizada a sua Sede Administrativa.

Da Assessoria

Comentários Facebook

Destaque

Juiz Federal condena 6 traficantes de Cáceres por tráfico internacional de cocaína

Publicado

O juiz federal Mauro César Garcia Patini, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região – subseção de Cáceres, condenou o fazendeiro Alessandro Pereira Marchezan a 18 anos, nove meses e 22 dias de reclusão, por envolvimento em uma quadrilha de tráfico internacional de cocaína.

Além de Alessandro também foram condenados outros cinco envolvidos. Leia mais: Câmara Temática da Mulher decide oficiar presidente do TJMT sobre vítimas agredidas por policial penal Alessandro chegou a ser preso pela Polícia Federal em 2009, no município de Palestina (SP), após decisão da Justiça Federal de Mato Grosso.

Ele foi alvo da Operação Fronteira Branca, que prendeu 44 pessoas no total, em todo o Brasil, divididas em sete grupos distintos de narcotraficantes. Alessandro e seu pai Valdenor Marchezan seriam os chefes de um destes grupos.

De acordo com a Polícia Federal, Valdenor comandava o esquema a partir da cidade de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. A Justiça de Mato Grosso também o procurava.

O Ministério Público Federal então denunciou os acusados de integrar sua quadrilha por crimes como associação para o tráfico, tráfico internacional de entorpecentes e evasão de divisas. Em várias ocasiões foram apreendidas quantias de cocaína e até U$ 20 mil, em Cáceres.

Leia mais:   Previ-Cáceres pagou em 2019 mais de R$ 2,5 milhões de auxilio doença

“Narra o Ministério Público Federal que, no ano de 2006, a Polícia Federal deu início, nos autos do inquérito policial nº 604/2006, a uma vasta investigação visando à identificação e responsabilização de diversos agentes, integrantes de uma intrincada e complexa rede de pessoas, atuantes na prática reiterada e habitual do tráfico internacional de entorpecentes”, citou o magistrado.

O juiz então condenou Alessandro Pereira Marchezan a 18 anos, nove meses e 22 dias de reclusão, e pagamento de 2.008 dias-multa. As outros condenações foram: Juliano Costa Silva em seis anos, sete meses e 27 dias de reclusão e pagamento de 866 dias-multa; Amarildo Gomes de Arruda em 20 anos, sete meses e 27 dias de reclusão e 2.105 dias-multa; Luciano Garcia Nunes em 37 anos e quatro meses de reclusão e 3.685 dias-multa; Antônio César Gatass 17 anos, quatro meses e sete dias de reclusão e 1.866; e Luciano Vaz de Souza 22 anos, um mês e 12 dias de reclusão, e 2.246 dias-multa.

Por Vinicius Mendes

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Prefeito Francis agradece ao Governo do Estado e acredita que Porto estará em funcionamento em 90 dias

Publicado

Francis visita porto de Cáceres

O Prefeito Municipal de Cáceres, Francis Maris Cruz, agradece ao Governador do Estado, Mauro Mendes, à Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, aos Deputados, DR Gimenez, Walmir Moreto, Wilson Santos, Max e Avallone, por atenderem ao pedido de continuidade das obras da Zona de Processamento de Exportação de Mato Grosso, a ZPE de Cáceres.
É de suma importância a reabertura e volta do porto para a cidade, pois tanto a ZPE quanto o porto são fatores importantes para atrair as indústrias, tornando-as competitivas, com esse resultado, gerarão maior produção e emprego para nossa cidade. Acreditamos que em breve tudo estará em andamento e logo o porto esteja em funcionamento, para exportar a produção de Mato Grosso. É importante ressaltar que o governo está de olhos abertos para nossa região, e que o governador Mauro Mendes esteve sempre disposto a nos ajudar e auxiliar no que foi preciso.
A cada ano o estado vem aumentando sua produção e com isso são necessários vários canais de exportação, é indispensável a ferrovia, rodovia e hidrovia é preciso várias saídas  para o sul, norte e oeste também. Então, sem sombra de dúvidas, o porto vem para empregar e fomentar a economia local, pois uma tonelada de soja transportada pelo rio Paraguai, gera uma economia de 100 dólares se for transportada por carretas. Além da exportação, terá também a importação de produtos que são fundamentais para adubação das lavouras, como ureia, cloreto de potássio entre outros.
Esperamos que seja uma nova fase e que Mato Grosso possa dar um salto com a hidrovia em funcionamento, e agradecemos ao empenho que estão fazendo pela região oeste do nosso estado.
Da Assessoria
Comentários Facebook
Leia mais:   Parceria Embrapa, Senar e IFMT: Eventos difundem tecnologia de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta em Cáceres
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana