Prisão de secretários faz governador Pedro Taques cancelar viagem a Brasília

77

A prisão de 2 secretários de Estado que integram o staff do governador Pedro Taques (PSDB) fez o tucano cancelar um compromisso de governo em Brasília que estava previsto para esta quarta-feira (27). Por enquanto, não há um posicionamento oficial do Palácio Paiaguás sobre as prisões do secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos, Airton Benedito de Siqueira Júnior e de Rogers Jarbas, que já estava afastado do cargo de titular da Secretaria de Segurança Pública há 7 dias e usando tornozeleira eletrônica por determinação do desembargador Orlando de Almeida Perri, mesmo magistrado que agora decretou as prisões contra 8 pessoas, entre elas 2 ex-secretários de Taques.

Em Brasília, o governador participaria de uma audiência do Senado que debaterá a Lei Kandir. Sua participação no evento está suspensa, por enquanto. A tendência é que o vice-governador Carlos Fávaro (PSD) represente o governo de Mato Grosso na audiência.

Pedro Taques deve acompanhar agora pela manhã os desdobramentos da operação deflagrada pela Polícia Civil para cumprir 8 mandados de prisão, 16 de busca e apreensão e 1 de condução coercitiva. Também foram presos outros 2 ex-integrantes do governo Taques, todos acusados de envolvimento no esquema de escutas telefônicas clandestinas, já conhecido como o escândalo da “grampolândia pantaneira”, com destaque, inclusive, em veículos de imprensa nacionais, tanto em portais de notícias como emissoras de televisão.

Essa não é a 1ª vez que o governador precisa cancelar ou abortar compromissos fora de Cuiabá por causa de operações policiais envolvendo integrantes de seu staff. Isso já ocorreu em outras situações e a mais recente delas foi no dia 20 deste mês quando a Polícia Civil cumpriu mandados de busca e apreensão nas dependências da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp). Na ocasião, também foi cumprida uma ordem de prisão contra o titular da Sesp, Rogers Jarbas que foi convertida em cautelar para uso de tornozeleira eletrônica.

Taques estava em viagem pelo interior do Estado participando de mais uma edição da Caravana da Transformação e retornou para Cuiabá no mesmo dia e concedeu uma entrevista coletiva na qual afirmou que iria acionar o desembargador Orlando Perri no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Jarbas é acusado de tentar atrapalhar e intimidar as equipes envolvidas na investigação dos grampos ilegais, além de cometer crimes de abuso de autoridade, usurpação de função pública, denunciação caluniosa e prevaricação. Agora, foi alvo de mandado de prisão, também expedido por Orlando Perri.

Por enquanto, o posicionamento do Gabinete de Comunicação (Gcom) é de que o governo ainda está apurando os fatos e definindo qual a forma que vai se manifestar sobre o assunto, se fará uma entrevista coletiva ou se divulgará uma nota oficial.

Welington Sabino, editor do GD

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here