conecte-se conosco


Destaque

Previsão é faturar R$ 769 milhões no Natal em MT

Publicado

Demanda maior de consumo faz o comércio projetar receita de R$ 769 milhões em Mato Grosso com as vendas no Natal de 2019. O valor é 3,1% maior que o resultado obtido em 2018 e junto com ele vem o aumento na oferta de vagas temporárias nas lojas. Neste fim de ano, o comércio contratará cerca de 1,7 mil pessoas para trabalhar em dezembro, o 2º melhor número desde o período pré-crise. As estimativas são da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), ao apontar que a principal data comemorativa do varejo deve movimentar R$ 35,9 bilhões no país.

Segundo a entidade, este será o 3º ano consecutivo de crescimento nas vendas natalinas em Mato Grosso. Em 2017 houve 14,7% e em 2018 de 0,7%, após dois anos de recuo: em 2015 a queda foi de 8,7% e em 2016 de 13,4%. Ainda de acordo com a instituição, as 1,7 mil vagas abertas este ano perfazem um dos maiores números desde 2013, quando os comerciantes do Estado contrataram 1,9 mil profissionais. Mas, apresenta leve recuo sobre 2018, quando foram 1,8 mil vagas.

Leia mais:   Projeto Bichos do Pantanal apresenta sua agenda para a Semana do Meio Ambiente

Fábio Bentes, economista da CNC, explica que o resultado mostra a tendência de recuperação da crise. “No país, este é o 3º ano de crescimento nas vendas para o Natal. Fica claro que as vendas e a economia vêm ganhando força lentamente. Este ano é mais otimista, também, por conta da liberação do FGTS e do PIS/Pasep, que coincidiu, em parte, com as compras do Natal. E a inflação mais baixa suaviza o parcelamento para o consumidor, o que gera ânimo para consumir”.

De acordo com a pesquisa, o setor de vestuário e calçados vai responder por 62,5% das vagas, seguido pelo segmento de hiper e supermercados (12,8%) e de artigos de uso pessoal e doméstico (10,7%). As vagas serão principalmente para as áreas de vendas (62%), operadores de caixa (14%) e almoxarifes e armazenistas (5%).

Na Big Lojas, que tem 5 unidades em Cuiabá, serão contratados cerca de 30 profissionais para o período, principalmente para vendas (25) e crediário (5). O proprietário da loja, Emir Teló, está esperando alta de 3% nas vendas de Natal. “Ano passado contratamos a mesma quantidade. As contratações começam em novembro e o volume total de vagas depende das vendas de novembro”.

Leia mais:   Mato Grosso antecipa o período proibitivo do uso do fogo

Na Real Brinquedos, o proprietário Gilmar Rocha quer aumentar o quadro em cerca de 20%, com a contratação de 20 temporários. O número pode chegar a 25, dependendo do movimento no fim do ano. São admitidos profissionais para os cargos de vendedor e auxiliar de vendas, com e sem experiência. “Normalmente eles ficam o mês inteiro de dezembro. E, se forem bons, ficam até janeiro e fevereiro e há possibilidade de efetivação”.

Segundo a CNC, a taxa de efetivação dos trabalhadores temporários deverá ser a maior dos últimos 5 anos, com expectativa de absorção definitiva de 26,1%.

GD

Comentários Facebook

Destaque

Liminar determina que Estado instale 15 novos leitos de UTI em Cáceres

Publicado

Da assessoria

A 4ª Vara Cível de Cáceres julgou procedentes os requerimentos em caráter de liminar do Ministério Público de Mato Grosso e da Defensoria Pública do Estado, em Ação Civil Pública (ACP) proposta para ampliação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinados ao tratamento da Covid-19 nos hospitais da cidade.

Conforme a decisão judicial de 3 de maio, o Estado de Mato Grosso deve providenciar a instalação de 15 leitos de UTI adulto, bem como de 20 leitos de enfermaria, todos devidamente estruturados, com equipes especializadas e protegidas com os equipamentos de proteção individuais (EPIs) pertinentes.

“Até que sejam implantados referidos leitos, deve o Estado de Mato Grosso dar imediatamente o necessário encaminhamento e tratamento aos pacientes acometidos de Covid-19, sob pena de responsabilidade”, determinou a juíza Joseane Carla Ribeiro Viana Quinto Antunes.

A magistrada estabeleceu ainda que o Poder Executivo Estadual realize estudo epidemiológico/estatístico a respeito da região Oeste, com base em metodologia científica, no prazo de 10 dias úteis. O prazo estabelecido pelo juízo é de 15 dias para início das obras e 40 dias para finalização, sob pena de multa diária no valor de R$ 20 mil e configuração do crime de desobediência.

Leia mais:   Projeto Bichos do Pantanal apresenta sua agenda para a Semana do Meio Ambiente

“A região de Cáceres apresentará nos próximos 15 dias um aumento que poderá alcançar entre 80 e 110 casos. As projeções de longo prazo apresentam a probabilidade geral que engloba os municípios de toda a Região Oeste Mato-grossense para que o pico de casos ocorra entre os meses de julho e agosto de 2020, em torno de 3.000 casos leves com orientação de isolamento domiciliar e monitoramento pelos profissionais da saúde e atenção primária e vigilância, podendo chegar, de forma acumulada nos 3 meses, 500 hospitalizados predominante de casos moderados que necessitam de acompanhamento e tratamento clínico”, argumentou a juíza.

De acordo com Boletim Informativo da SES, em 2 de junho Cáceres registrava 34 casos confirmados da doença, sendo 15 casos em monitoramento (isolamento domiciliar), 16 casos recuperados e três óbitos.

“Nota-se que a doença parece estar evoluindo de maneira célere e indesejada no Município, estando nesta data os leitos de UTIs quase próximos a lotação com pacientes da região Oeste. Desse modo, no que tange às evidências dos autos, o pleito liminar há que ser deferido”, afirmou Joseane Antunes.

Leia mais:   Presidente da Fapemat, Adriano Silva, morre de covid-19

Histórico – Em 9 de abril de 2020, promotores de Justiça e defensores públicos de Cáceres expediram notificação recomendatória conjunta ao secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, orientando que envidasse esforços concretos para ampliar em 15 novos leitos de UTI a capacidade dos hospitais de Cáceres.

Decorrido o prazo de 10 dias para a resposta, não houve retorno da SES. Diante disso, das mortes ocorridas na cidade, de haver transmissão comunitária e local na região e de faltarem testes rápidos para a detecção da Covid-19, o MPMT e a Defensoria Pública propuseram a ACP em 23 de abril.

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Governo vai investir quase R$ 4,9 milhões em compra de farda para Polícia Militar

Publicado

Débora Siqueira e Alecy Alves | Sesp-MT e PM/MT

Por meio do programa Tolerância Zero, a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) vai investir R$ 4,88 milhões para a aquisição de fardamento operacional para quase 7,5 mil policiais militares de Mato Grosso, de soldado a coronel. Os recursos são oriundos do Tesouro Estadual.

Além da compra do uniforme operacional, os policiais lotados nas tropas especializadas como Força Tática, Bope, Rotam, Batalhão de Trânsito, Cavalaria, Batalhão Ambiental, dentre outros, também serão contemplados com as aquisições.

“Os recursos para aquisição já estão em caixa e a Polícia Militar precisa deste importante investimento que o Governo do Estado está fazendo. A segurança pública é uma prioridade do governador Mauro Mendes”, destacou o secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante.

O processo de compra se dará pelo Comando Geral da Polícia Militar. De acordo com as informações do comandante-geral da corporação, coronel PM Jonildo José de Assis, será realizado um pregão para a compra do fardamento das tropas especializadas e para a farda operacional.

Leia mais:   Meu filho estava na hora errada e no lugar errado, diz mãe de soldado que dirigia o veículo envolvido no acidente

Assis destaca que a PM já fez a adesão a uma ata de registros de preços, passo fundamental, e está adotando outras medidas no sentido de agilizar a aquisição do fardamento.

O comandante diz que é prioridade e compromisso atender todos os policiais militares com fardas, armamentos e outros equipamentos de uso pessoal, assim como a infraestrutura necessária ao bom desenvolvimento das atividades policiais e prestação de serviços de qualidade à sociedade.

“O Governo do Estado e a Secretaria de Segurança Pública entenderam que mesmo em momento de crise, o investimento no fardamento é necessário e disponibilizaram verbas para a aquisição”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana