conecte-se conosco


Cáceres e Região

Previ-Cáceres pagou em 2019 mais de R$ 2,5 milhões de auxilio doença

Publicado

O Instituto Previdenciário de Cáceres (Previ-Cáceres) pagou, em 2019, R$ 2,5 milhões de auxilio doença. O valor é R$ 700 mil a mais do que foi pago em 2018, quando o montante do auxílio foi de R$ 1,8 milhão. Uma média de 70 dos cerca de dois mil servidores entram em licença médica, mensalmente, no município. O prejuízo é ainda maior se levar em conta que, para não desacelerar a máquina pública com a ausência dos funcionários licenciados, a administração municipal é obrigada a contratar substitutos para a continuidade das atividades, fato que onera os cofres públicos.

Esses valores constam no balanço anual do Instituto. Embora, seja constatada uma redução do número de licenças, em razão de uma série de medidas adotadas pela Previ-Cáceres, a situação ainda é preocupante porque aumenta, a cada ano, os valores pagos a esse tipo de benefício, que pulou de R$ 1,6 milhão em 2017 para R$ 2,5 milhões em 2019.

Também chama a atenção o fato de que, o valor pago de auxilio doença em 2019 foi de R$ 1 milhão a mais que o destinado ao pagamento de pensão aos segurados. Nesse mesmo ano, o Instituto Previdenciário de Cáceres pagou R$ 1,5 milhão aos pensionistas. Embora, seja comprovado crescimento, o aumento das pensões, nos últimos três anos, não chega ser exorbitante. Em 2017 o valor foi de R$ 1,3 milhão; em 2018 R$ 1,4 milhão e em 2019, R$ 1,5 milhão.

Leia mais:   Deputado Thiago Silva pede mais UTI’s para cidades do interior de MT

Percebe-se também um crescimento considerável nos gastos com pagamento de salário maternidade, entre os anos de 2018 e 2019. Em 2018, conforme o balanço foi pago R$ 225 mil já em 2019 pulou para R$ 394 mil. Foram R$ 169 mil a mais, em 12 meses. No ano de 2017 foram pagos R$ 205 mil. Os benefícios pagos aos aposentados também vêm crescendo, absurdamente. Em 2017 foram pagos R$ 10,3 milhões; em 2018, R$ 11,55 milhões e em 2019, R$ 12,8 milhões.

Diretora do instituto, Luana Ortega Piovesan, admite o crescimento dos valores nos benefícios e reitera a necessidade de reequilíbrio no plano previdenciário. Tendo em vista que o município é antigo, portanto, há um número preocupante de servidores que já possuem requisitos para aposentadoria nos próximos anos, o que elevará os gastos consideravelmente.

Explica que “em atenção à proteção do plano previdenciário, nos últimos anos adotamos uma série de medidas administrativas, tais como: normatização dos procedimentos entre o Ente, servidor e o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), especializamos equipe de peritos médicos, criamos posto de perícia na sede do Instituto, passamos a apurar denúncias de fraudes nos afastamentos, dentre outras; de forma que conseguimos reduzir o número de licenças médicas, porém não foram suficientes, pois há servidores com sérias patologias.”

Leia mais:   Indicação pede instalação de posto de transformação elétrica para escola de Alta Floresta

Constituição determina que custeio de

 auxilio doença será pago pelo município

Luna Piovesan explicou que a Previ-Cáceres, desde sua criação em 1997, garantiu o pagamento de benefícios de auxílio doença de forma tempestiva.  Porém, a partir da publicação da Emenda Constitucional de n°. 103/2019, esse custo será arcado, tão somente, pelo Tesouro Municipal, ou seja, haverá um gasto muito superior a 2,5 milhão de reais por ano, fato que restringirá investimentos em outras prioridades do município, já que a saúde do servidor é essencial a continuidade da máquina pública.

Luana diz que, embora tenham ocorridos casos de licenças com indícios de fraudes, a maioria são por necessidade dos servidores. “Percebemos aumento de afastamentos por doenças mentais, musculares e dependência química”.

Ela defende que haja políticas públicas para tratamento e apoio nesses casos, não só com a massa de servidores públicos municipais, como também para a sociedade, eis que a reforma previdenciária exporá os trabalhadores a 40 anos de trabalho efetivo. Portanto, é imprescindível os cuidados e acompanhamentos nos tratamentos, inclusive preventivos.

Comentários Facebook

Cáceres e Região

COVID-19 Deputado reivindica equipamentos de proteção (EPIs) e respiradores para hospitais da região oeste

Publicado

Entre as demandas do Dr. Gimenez para os profissionais da saúde estão: luvas, máscaras, óculos de proteção, álcool em gel, álcool 70% e toalhas de papel

Com o objetivo de garantir proteção aos profissionais da saúde no enfrentamento à pandemia do coronavírus (Covid-19), o deputado estadual Dr. Gimenez (PV) reivindica à Secretaria de Estado de Saúde (SES) a aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como máscaras, luvas, óculos, álcool em gel, álcool 70% e toalhas de papel, para as unidades da região oeste de Mato Grosso.

O parlamentar, que é do grupo de risco, por ter 68 anos e ser cardíaco, está participando das sessões e reuniões de casa (modo online), em São José dos Quatro Marcos, e explicou nesta quarta-feira (01) que os 22 municípios dessa regional contabilizam mais de 300 mil habitantes e por estar na fronteira com a Bolívia deverá receber a população do país vizinho, por isso as medidas precisam ser urgentes.

“Estes profissionais hoje, em geral, estão adquirindo as EPIs com recursos próprios ou estão trabalhando sem a devida proteção, o que é muito arriscado e também diminuirá a nossa força de trabalho no momento em que mais precisamos deles. Além disso, estão expondo as suas famílias e pessoas próximas”, pontuou.

Outra demanda importante trazida por ele se refere à aquisição de ventiladores pulmonares (ventilação mecânica) para diversas unidades de saúde, entre elas, o Hospital Regional de Cáceres, Hospital Vale do Guaporé, em Pontes e Lacerda, Hospital Evangélico de Mato Grosso, em Vila Bela da Santíssima Trindade, e Hospital Municipal Samuel Greve, de Mirassol D’Oeste.

“Se considerarmos as projeções do próprio Governo de que 20% dos infectados necessitarão de cuidados médicos, concluímos que podemos ter uma população relativamente alta na região a depender destes equipamentos que atualmente são muito raros, portanto, é outra pauta urgente e esperamos sensibilidade do Estado para nos auxiliar na organização do sistema”, acrescentou Dr. Gimenez.

Leia mais:   AL antecipa sessões ordinárias  para segunda-feira (6)

Até a semana passada, quando a Secretaria de Estado de Saúde (SES) estava divulgando os casos suspeitos (passou a divulgar apenas os confirmados), havia: 03 casos suspeitos em Araputanga (um deles foi descartado – negativo); outros dois em Cáceres (um descartado – negativo); extraoficialmente, conforme as prefeituras, estão sendo monitorados ainda 02 pacientes de Pontes e Lacerda e um de Quatro Marcos.

Como médico, Dr. Gimenez explicou que o coronavírus pode desencadear um processo inflamatório nas vias aéreas e, principalmente, nos pulmões, sendo a causa de extensa pneumonia. A resposta anti-inflamatória exacerbada do sistema imunológico do paciente pode agravar a insuficiência respiratória, dificultando a absorção de oxigênio pelos pulmões.

“Então, nos casos mais acentuados, podermos ver quadros de hipoxemia (baixos níveis de oxigenação pulmonar), sepse (infecção generalizada) e alta de mortalidade entre doentes que fazem do grupo de risco (idosos, pessoas com hipertensão ou doenças cardíacas e portadores de doenças respiratórias, como bronquite, asmas e enfisemas pulmonares, ou seja, isso é muito sério”.

Segundo o deputado, a possibilidade de tratamento com a equipe multidisciplinar em serviços de terapia intensiva realmente pode salvar muitas vidas, uma vez que possui como protagonista a utilização de respiração pulmonar artificial por pressão positiva, realizada por um equipamento que é capaz de garantir as trocas gasosas, preservando o cérebro, com aporte contínuo do oxigênio e ainda o descanso da musculatura respiratória.

“As autoridades municipais têm sido proativas e orientado a população, mas ainda é insuficiente para um possível agravamento da situação, sei que o governo trabalha com números, mas não se trata apenas de números, são pessoas, que possuem famílias e qualquer vida é importante, não podemos perder ninguém e por isso que estamos trabalhando para ter estrutura adequada para atender a todos”, finalizou.

Leia mais:   Após gestão de Dr. Leonardo, Governo Federal libera R$ 244 mil para atender famílias atingidas por temporal em Cáceres

Cenário estadual e nacional – Nesta sexta-feira (03), o Governo Federal confirmou 8.261 casos de Covid-19 no Brasil e 345 óbitos oriundos da doença. Em Mato Grosso, há 41 casos confirmados da Covid-19 e a primeira morte, em Lucas do Rio Verde. Os números são: Cuiabá (25), Rondonópolis (5), Várzea Grande (04), Sinop (03), Tangará da Serra (02), Lucas do Rio Verde (01), Nova Monte Verde (01). Não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, a melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Outras informações na Central da Saúde do Estado: 0800-647-1223, das 7h às 19h.

Prevenção – A orientação sobre os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas são:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes. Ficar em casa quando estiver doente;
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência;
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Grupo Juba reconhece importância de trabalhadores em serviços essenciais e destaca colaboradores

Publicado

Em todo o Brasil, durante a quarentena necessária, para o enfrentamento e proteção ao Corona Vírus –COVID 19, muitos profissionais e setores da economia não pararam.

É o caso de supermercados, como os da Rede Juba de Supermercados com seis lojas na região e um atacado, que mantiveram suas portas abertas para abastecer a população em tempo de isolamento social.

Profissionais ligados a saúde e prestadores de serviços essenciais como caminhoneiros, continuam em plena atividade.

Segundo o Diretor administrativo do Grupo Juba, Mirko Ribeiro, o país parou, mas estes seguimentos seguem servindo a nação.

“Nós do Grupo Juba, sabemos que a situação é preocupante e que as medidas de isolamento social devem ser respeitadas para a prevenção, mas como nosso ramo é essencial para alimentar as famílias e proporcionar a higiene necessária a elas, queremos reconhecer e agradecer nossos colaboradores pelos serviços prestados às cidades onde temos lojas, sobretudo neste momento de enfrentamento do Corona Vírus. Eles e nós, temos adotado todas as medidas imperativas de proteção e precaução para atendermos as famílias e não deixar que falte o essencial nas suas casas”, reconhece Mirko.

Leia mais:   Após gestão de Dr. Leonardo, Governo Federal libera R$ 244 mil para atender famílias atingidas por temporal em Cáceres

O gerente de loja, Alexandre Vieira, comunga com seu diretor, destacando que o Juba está seguindo à risca a portaria do Ministério Público Estadual e da Prefeitura de Cáceres para garantir a integridade física de seus colaboradores e clientes. “Diversas medidas de higienização e prevenção foram adotadas nas nossas lojas. Estamos fazendo nossa parte faça você também a sua. Prevenção é o melhor remédio”, destaca Alexandre.

O diretor Mirko, ainda reverenciou os profissionais da saúde, médicos, enfermeiros, auxiliares, motoristas de ambulâncias, que estão tendo jornadas estafantes para salvar vidas, farmácias, trabalhadores da indústria e fornecedores que não param de produzir para abastecer os supermercados.

Já Marcelo Ribeiro, Diretor Financeiro, pontua outro setor que tem uma ligação direta com o Juba Supermercados e Atacado Pantanal, que é o transporte. “São os caminhoneiros, que transportam todos os tipos de produtos, entre eles alimentos, higiene, remédios para as farmácias, materiais hospitalares e combustíveis. Todas estas funções e outras que também são essenciais, devem receber homenagens”, destaca Marcelo. E complementa. “Nós do Grupo Juba, não só valorizamos, como rendemos nossas homenagens este trabalhadores essenciais em um momento difícil como este e estamos fazendo nossa parte para apoiá-los. Todos são fundamentais neste momento crítico que passa a humanidade. Parabéns a todos,” finaliza Ribeiro.

Leia mais:   AL antecipa sessões ordinárias  para segunda-feira (6)

Por: Esdras Crepaldi/Assessoria

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana