conecte-se conosco


Cáceres e Região

Prefeito assina novo decreto com medidas de combate ao coronavirus

Publicado

Editoria – Sinézio Alcântara

Além de evitar aglomerações, os estabelecimentos comerciais, em Cáceres, terão que disponibilizar um funcionário, com termômetro, para aferir a temperatura corporal dos clientes, antes de adentrar, principalmente, nos mercados, agências bancárias, casas lotéricas e demais locais de grande fluxo de pessoas. Essa é uma das medidas que foram inseridas no novo Decreto Municipal, que foi baixado na tarde desta quarta-feira pelo prefeito Francis Maris Cruz.

A decisão foi tomada, na manhã de hoje, em reunião entre o prefeito, os promotores Augusto Lopes Santos, Rinaldo de Almeida Segundo e o procurador-geral do município Bruno Cordova.  De acordo com o novo decreto, as pessoas que apresentarem temperatura corporal acima do normal, serão encaminhadas imediatamente a uma unidade de saúde do município.

O rigor nas ações para evitar a disseminação do coronavirus, partiu dos ministérios públicos estadual e federal. Cáceres é um dos municípios do Estado, onde o prefeito se mantém de pensamento alinhado com o governo federal, no sentido de manter as normas de segurança de combate a pandemia, mas contrário ao posicionamento de fechar os estabelecimentos comerciais, para evitar o colapso da economia.

Leia mais:   Prefeitura de Cáceres vacina quem tem 57 anos, sem comorbidades, nesta quinta-feira,17

No novo decreto, inclui-se também a obrigatoriedade dos estabelecimentos de fornecer álcool em gel para higienização dos clientes na entrada dos comércios; limitar o número de uma pessoa por família no interior do estabelecimento, para evitar aglomerações. E, ainda delimitar – com pinturas em faixas -, de uma área na entrada do comércio, de modo que cada cliente fique em uma distância mínima de um metro e meio um do outro.

Além das medidas imediatas, a principal e de maior dificuldade, proposta pelos representantes do MP e MPF, de acordo com o prefeito, será a criação de novos leitos hospitalares e aquisição de equipamentos como ventiladores e monitores mecânicos e luvas e máscaras, para socorrer eventuais vítimas do coronavirus. Eles sugerem a disponibilidade de, pelo menos, 50 leitos. A expectativa é de que de 6 a 20 de abril, será o “pico” da pandemia no país.

Em Cáceres, segundo eles, os hospitais São Luiz e Regional, contam com apenas 26 leitos disponíveis e serão necessários, no mínimo, mais 24 para totalizar os 50 e, dessa forma dobrar a capacidade dos atendimentos. A princípio, a ideia será transformar apartamentos e enfermarias em UTIs. Para suprir a necessidade de novos equipamentos a proposta será a aquisição dos ventiladores e monitores mecânicos que custam, atualmente, R$ 130 mil cada.

Leia mais:   Homens pedem água e matam donos da casa em San Matias

Para adquirir os ventiladores e demais equipamentos, a administração municipal já está mantendo contatos com o governo do estado e governo federal viabilizando emendas parlamentares para aquisição dos equipamentos da UTI.

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Homens pedem água e matam donos da casa em San Matias

Publicado

Por Jessica Vega / Juan P. Cahuana
      Dois homens chegaram a pé em uma casa na cidade de San Jose de la Frontera, localizada a 15 quilômetros de San Matías, pediram aos proprietários que os convidassem para a água e, em seguida, mataram duas pessoas. Eles então pegaram uma moto de propriedade das vítimas e fugiram.
       Os dois mortos a tiros foram identificados como Anderson Saovedra Da Silva (35) e Elias Chore Farías (25), o último cunhado de Anderson Saovedra.

A esposa de Anderson disse ao EL DEBER que o incidente foi registrado às 5h30.m da manhã de ontem (quarta-feira),quando os homens chegaram caminhando em busca de água.

      “Ambos eram brasileiros. Meumarido foi entregar a água e voltou para casa. Naquele momento, meu irmão chegou, os homens ainda estavam no portão e foram conversar. Eles disseram que tinham uma van limpa no Brasil e pediram para serem resgatados, mas como o carro foi limpo (meu marido e meu irmão) eles disseram que não”,  diz a viúva, esposa de Anderson, que minutos depois diz que entrou no quarto porque seu bebê de quatro meses estava chorando.
Leia mais:   Acompanhe os Projetos de Lei, indicações em andamento de autoria do vereador Luiz Landim
     Nesse momento, ela ouviu os tiros, agarrou seu bebê e pediu aos outros dois filhos para se jogarem no chão, fechou a porta e não se mexeu até ouvir os homens fugindo.

A viúva acrescentou que os dois assassinos voltaram para casa e bateram na porta, pediram as chaves do carro e uma motocicleta. “Quando o carro foi limpo, eles pegaram a moto e fugiram. Mas antes me perguntaram se eu tinha chamado a polícia e eles levaram meus celulares”, disse ele.

Elias, irmão da viúva, ao perceber que os homens sacaram suas armas de fogo tentaram escapar, mas foi morto a tiros. O investigador de plantão da Polícia de San Matias, Sergio Huanca Goitia, disse que um vizinho chegou à unidade policial às 7h30 e informou que havia duas pessoas mortas, uma brasileira e uma boliviana.

“Testemunhas nos informaram que dois cidadãos brasileiros tinham ido à casa do Sr. Anderson, pedido água e quando saíram com o cunhado foram mortos”, disse. Por sua vez, o diretor da Força Especial de Combate ao Crime (Felcc), Ángel Morales, indicou que os autores deste ato usaram armas de fogo de nove milímetros.

Leia mais:   Segunda-feira (14): Mato Grosso registra 429.557 casos e 11.466 óbitos por Covid-19

“Os corpos das pessoas que morreram como resultado de ferimentos causados por ferimentos de bala foram removidos, há testemunhas que estão testemunhando no Felcc”, disse Morales.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Escolas e postos de saúde terão que distribuir absorventes de graça

Publicado

Assessoria

Os deputados estaduais de Mato Grosso aprovaram em segunda votação na quarta-feira (16) o projeto de lei de autoria dos deputados Silvio Favero (falecido em março, vítima da Covid-19) e Janaina Riva (MDB), que prevê a distribuição gratuita de absorventes higiênicos para meninas de baixa renda nas escolas públicas de Mato Grosso e nos postos de saúde, para combater a chamada ‘pobreza menstrual’.

“A pobreza menstrual, que antes era tida como um tabu, veio à tona nacionalmente e hoje virou pauta em Mato Grosso. Aprovamos em segunda votação com a minha emenda que acrescenta a distribuição dos absorventes além das escolas, nos postos de saúde para as meninas de baixa renda, tal e qual já é feito com os preservativos masculinos e femininos. Ninguém fala disso, mas muitas meninas deixam de ir à escola no período menstrual por vergonha de não terem o absorvente íntimo. Algumas contraem infecções vaginais pelo uso de outras coisas no lugar do absorvente como papel higiênico, panos, dentre outras coisas”, explica.

Leia mais:   Segunda-feira (14): Mato Grosso registra 429.557 casos e 11.466 óbitos por Covid-19

De acordo com a parlamentar, quando sancionado, o projeto de lei deve reduzir faltas em dias letivos de educandas em período menstrual e, por decorrência, evitar prejuízos à aprendizagem e ao rendimento escolar.

“Esse projeto de lei é de um cunho social sem igual. Tenho certeza que o governador Mauro Mendes (DEM) não terá dificuldade de implantar, uma vez que o custo é mínimo, perto dos gastos com saúde que irá poupar e da evasão escolar reduzida. Uma opção é que esses absorventes sejam produzidos até mesmo pelos reenducandos no sistema penitenciário”, finalizou

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana