conecte-se conosco


Policial

Polícia Civil investiga alvos envolvidos na aquisição irregular de materiais para escolares indígenas

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Civil de Mato Grosso cumpriu um mandado de prisão preventiva e uma ordem de  busca e apreensão, na operação denominada “Fake Delivery”, que apura a aquisição de materiais escolares destinados  a escolas indígenas. A operação foi deflagrada na manhã desta segunda-feira (19.08) pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Administração Pública (Defaz).

O mandado de prisão foi expedido para o então secretário Adjunto de Administração Sistêmica, à época, Francisvaldo Pereira de Assunção, e as buscas e apreensão na residência da  deputada federal Rosa Neide Sandes de Almeida, que era secretária na ocasião da aquisição dos materiais, no final do ano de 2014. O ex-secretário adjunto foi preso com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no Posto Gil, em Diamantino. 

O destino de mais de R$ 1,1 milhão em materiais “supostamente” entregue na sede da SEDUC, ao Secretário Adjunto de Administração Sistêmica, é apurado.  As informações foram remetidas à DEFAZ em 2017, através do Gabinete de Transparência e Combate à Corrupção, indicando irregularidades na aquisição de materiais escolares pela Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso (SEDUC),  tendo como destinatário final unidades escolares indígenas, no final do ano 2014.

Cinco irregularidades foram detectadas, sendo elas: 1. Ausência de comprovação da necessidade de aquisição dos materiais de expediente para escolas indígenas no montante comprado; 2. Ausência de planejamento nas aquisições; 3. Ausência de comprovação de vantagens na adesão carona de registro de preço nº. 05/2013 – derivada do Pregão Presencial nº. 04/2013, da Fundação de Apoio e Desenvolvimento da Universidade Federal de Mato Grosso – Fundação Selva; 4. Ausência de elaboração de contratos, vez que foram substituídos por ordens de fornecimento;  5. Ausência de comprovação de destino de material de expediente no valor de R$ 1.134.836,76.

Leia mais:   Polícia Civil prende casal por prática de estelionato

Elementos iniciais da análise dos processos apontam que parte dos materiais escolares foram entregues no setor de patrimônio da SEDUC, correspondente ao valor de R$ 884.956,48 (direcionados à comunidades indígenas, campo e quilombola) e que o montante de R$ 1.134.836,76 em material foi “supostamente” entregue diretamente na sede da SEDUC, ao Secretário Adjunto de Administração Sistêmica, à época, Francisvaldo Pereira de Assunção, sem que restasse evidenciado o destino desse volume expressivo de mercadoria.

O recebimento das mercadorias diretamente pelo investigado Francisvaldo Pereira de Assunção, sem a identificação de entrega no setor de patrimônio, foi ratificado por provas testemunhais e documentais.

Na investigação, há ainda outro indicativo de que os materiais foram adquiridos já com o propósito criminoso de desviar o patrimônio público em benefício particular, vez que o próprio coordenador da Coordenadoria de Educação Escolar Indígena (2010/2016) declarou que não lhe foi solicitado qualquer tipo de informação.

Destaca-se a gravidade dos eventos criminosos, vez que cada recebimento irregular teria consumado um crime de peculato, ocorrendo, assim, 28 atos que indicam o delito em continuidade delitiva.

Leia mais:   Sesp divulga balanço da Operação Carnaval 2020 nesta quinta-feira (27)

As testemunhas ouvidas indicaram que a aquisição seria uma determinação da então secretária, a deputada federal Rosa Neide Sandes de Almeida. Em seu depoimento na Delegacia Fazendária foi detectado contradições, razão que motivou o pedido de busca e apreensão em desfavor dela.

A Polícia Civil destaca que Francisvaldo Pereira de Assunção atualmente está cedido à Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, mas não há indicativo de participação de qualquer deputado estadual na investigação em andamento.

A apuração dos desdobramentos será concluída em autos complementares, com a finalização do inquérito policial em relação ao investigado preso preventivamente, que já responde a um processo por peculato tentado.

Após o cumprimento da prisão, o preso será encaminhado à juíza Ana Cristina Mendes, da Sétima Vara Criminal da Capital, que decretou a preventiva.

A investigação é coordenada pelos delegados Luiz Henrique Damasceno e Lindomar Tofoli.

Ao todo, participam da operação 20 Policiais, sendo 4 delegados, 2 escrivães e 14 investigador.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook

Policial

Polícia Civil prende casal por prática de estelionato

Publicado

Assessoria/PJC-MT

Um casal suspeito de envolvimento em estelionato foi preso pela Polícia Judiciária Civil do município de Sinop (500 km ao norte de Cuiabá), na tarde de quarta-feira (26.02). A mulher foi autuada em flagrante delito e o companheiro foi preso em cumprimento a mandado de prisão.

A suspeita de 27 anos possui cerca de quinze boletins de ocorrências registrados contra ela, sendo a maioria por estelionato, e vinha trabalhando como motorista de aplicativo. Ao fazer uma corrida, a mulher cobrou do cliente o valor bem acima do devido. A corrida era de R$ 20,00 e ao passar o cartão, a motorista cobrou o valor de R$ 4 mil.

Logo que o cliente observou a quantia errônea cobrada, a motorista foi procurada para fazer o ressarcimento, e como forma de devolução a mesma entregou à vítima uma folha de cheque preenchida no valor de R$ 4 mil. Porém, ao fazer a consulta do cheque foi verificado que se tratava de produto de furto ocorrido em outubro de 2019, na cidade de Sorriso.

Na ocasião do furto em Sorriso, a suspeita foi detida em flagrante e ficou presa por mais de 30 dias, em uma unidade prisional feminina de Nortelândia. Segundo apuração, ela possuía vários cheques da vítima moradora de Sorriso e estava utilizando as ordens de pagamento para outras vítimas.

Leia mais:   Polícia Civil promove atividades de qualidade de vida para servidoras

Já o seu companheiro foi detido ao comparecer na Delegacia de Polícia de Sinop para fazer a retirada do veículo que a esposa conduzia no momento da abordagem. Contra o homem foi constatado um mandado de prisão em aberto, decretado pela Comarca de Sorriso em novembro de 2019, também por estelionato.

A suspeita autuada em flagrante por estelionato. Após as providências cabíveis, ambos foram encaminhados para audiência de custódia do Poder Judiciário.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Polícia Civil promove atividades de qualidade de vida para servidoras

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Em alusão ao “Dia Internacional da Mulher”, comemorado em 8 de março, a Polícia Judiciária Civil, por meio da equipe psicossocial da Coordenadoria de Gestão de Pessoas, promoverá em Cuiabá um evento no dia 06 de março, com diversas atividades.

A programação será realizada em períodos (matutino e vespertino) e terá ações preparadas especialmente para as profissionais da Polícia Civil, voltadas ao bem-estar, valorização e autoestima das servidoras.

No cronograma terão atividades de massagem neurocirculatória e massagem quick, técnicas que visam proporcionar benefícios para a saúde física e mental da pessoa, além de potencializar e estimular qualidade de vida.

Haverá também a apresentação da prática corporal chinesa conhecida como Chi Kung e a Terapia Comunitária Integrativa (TCI), que trazem na essência a harmonia e fortalecimento do sistema corporal, aumento da longevidade, entre outros auxílios e estímulos importantes para o aconchego e felicidade.

O evento é realizado pela Gerência de Aplicação, Desenvolvimento, Saúde e Segurança, da Coordenadoria de Gestão de Pessoas da Polícia Civil, em parceria com o Instituto de Pesquisa e Ensino Avançado (IPEA) e Unidade de Referência de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (URPICS) da Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá.

Leia mais:   Polícia Civil recupera carga de óleo lubrificante e prende dois

Para as atividades do período vespertino, que ocorrerá no Horto Florestal Tote Garcia, em Cuiabá, é necessário fazer a inscrição até o dia 05 de março (quinta-feira) pelos telefones (65) 3613-5627 e/ou 99972-5945.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana