conecte-se conosco


Policial

Polícia Civil divulga fotos e pede denúncias para localizar envolvidos em morte de comerciante

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Buscando apoio da população através de denúncias, a Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção a Pessoa de Cuiabá (DHPP), da Polícia Judiciária Civil, divulgada a foto de dois homens procurados, por participação no homicídio do comerciante Geraldo Jamil Siman Moreira, 51, ocorrido no dia 18 de janeiro, no bairro Cidade Verde.

Todos os envolvidos na trama foram identificados pela Polícia Civil, nas investigações conduzidas pela DHPP. Sendo presos desde o mês de fevereiro, os mandantes Danielle Reis de Souza Siman (a esposa da vítima) e o seu amante Gabriel Brito Gabiato Pires e um dos executores, Atailson Espírito Santo.

Com os mandados de prisão em aberto, a Polícia Civil continua as buscas para localizar os suspeitos: Hermes Domingos de Oliveira, apontado como a pessoa contratada pelos mandantes para arrumar alguém para executar a vítima, e Ygor Henrique da Silva Martins, contratado por Hermes, para junto a Atailson matar o comerciante.

Segundo informações, o foragido Ygor foi o autor dos disparos de arma de fogo e companhia de Atailson que pilotava a motocicleta. A vítima foi morta com três tiros na cabeça, em frente à própria casa.

Leia mais:   Operação da Polícia Civil desmonta célula de facção criminosa em Campo Verde

Denúncias:

Além do disque denúncia via 197, a Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) conta com um canal exclusivo via WhatsApp para recebimento de informações referentes a captura de foragidos. Pelo telefone (65) 9 9971-7976 qualquer pessoa pode auxiliar as investigações. O sigilo é absoluto.

O caso

As investigações comandadas pela delegada Eliane de Moraes, o piloto e o executor ficaram dois dias de tocaia em uma casa abandonada, ao lado da residência da vítima, esperando o momento certo para assassiná-lo. No dia 17 de janeiro, a vítima, que tinha o costume de sair bem cedo de casa, se atrasou e o plano foi adiado. No dia seguinte, 18 de janeiro, às 5 horas da manhã, a vítima foi executada.

Inicialmente, com imagens de câmaras de segurança, que mostraram a motocicleta e pela placa os policiais chegaram até uma pessoa que informou aos policiais que havia vendido a motocicleta para Atailson.

Ao ser preso Atailson revelou que tinha sido contratado pelo filho do dono do supermercado, que fica em frente à casa da vítima. Essa pessoa foi identificada como sendo o jovem, Gabriel, que teve a prisão cumprida no dia 14 de fevereiro.

Leia mais:   Idoso acusado de aplicar golpes em fraudes de cheques é preso em Barra do Garças

Após a prisão de Gabriel foi descoberto o plano sórdido alimentado pela esposa da vítima. Danielle mantinha há quase dois anos relacionamento extraconjugal com Gabriel. Ela dizia a ele que sofria constantemente agressões físicas do marido e que um de seus dois filhos era fruto de estupro praticado pelo esposo, e o segundo engravidou em momento que ele (marido) tinha se aproveitado  do seu estado de embriagues. Ela também falava ao amante que não mantinha relações sexuais com o marido.

 

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook

Policial

Polícia Civil inaugura sede da Delegacia de Porto Esperidião

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil inaugura nesta quinta-feira (21.03) a sede própria da Delegacia de Polícia de Porto Esperidião (326 km a Oeste de Cuiabá), que passa a funcionar na região central do município, visando melhor atender os moradores do município.

A nova Delegacia de Polícia de Porto Esperidião foi instalada por meio do Termo de Cooperação nº. 0368/2017, firmado entre a Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso, através da Polícia Judiciária Civil e a Prefeitura Municipal de Porto Esperidião.

A unidade da Polícia Civil está em um imóvel locado pela Prefeitura Municipal, na Rua Ernesto da Silva, bairro Parque das Américas, Porto Esperidião, centro da cidade. A delegacia conta com salas apropriadas e ambientes adaptados para os trabalhos policiais, bem como para servir o cidadão.

Nove servidores, sendo seis investigadores e três escrivães de polícia, coordenados pelo delegado regional de Cáceres, Alex de Souza Cuyabano, desempenham as  atividades e atribuições de polícia judiciária, no atendimento de ocorrências e esclarecimentos de ilícitos penais.

Leia mais:   Polícia Civil cumpre mandados e prende envolvidos em morte de presidente de assentamento

Desde o ano de 2008, a Delegacia Municipal de Porto Esperidião funcionava no prédio do Grupo Especial de Fronteira (Gefron), que fica na Rodovia BR 174. A localidade tornava difícil acesso da população, por estar fora da cidade. As vítimas, muitas vezes, deixavam de comparecer para registrar boletins de ocorrências, fazendo somente em casos graves e de emergência.

A localização antiga da unidade também dificultava o deslocamento dos policiais, nas atividades diárias de expediente e atendimentos a ocorrências gerais.

Para o escrivão de polícia, Renato Antônio Moraes Castro, que exerce suas funções há 18 anos no município, pelo fato de estar anexa ao Gefron, a Polícia Civil deixou de ter uma identidade própria, sendo às vezes confundida pelo cidadão.

“Importante destacar a gratidão aos amigos e parceiros do Grupo Especial de Fronteira, por todos os anos de companheirismos em ceder o espaço, para os trabalhos em prol da segurança pública, fato que nos honrou e engrandeceu muito”, agradeceu o escrivão de polícia.

O policial avalia que  com a inauguração do prédio próprio, a população terá sanado o desejo de ter mais próximo um aparato de combate a criminalidade, como a Polícia Civil fortalecendo pronto atendimento mais rápido e eficaz, facilitando os trabalhos também servidores lotados na unidade.

Leia mais:   Patrulha Maria da Penha e Assistência Social de Cuiabá fazem parceria

Participam da cerimônia de inauguração, o prefeito de Porto Esperidião, Martins Dias de Oliveira, o delegado geral adjunto, Gianmarco Paccola Capoani, o diretor de interior, Walfrido Franklin do Nascimento, o delegado regional da Delegacia de Cáceres, Alex de Souza Cuyabano, entre outras autoridades e convidados.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Operação da Polícia Civil desmonta célula de facção criminosa em Campo Verde

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A operação “Lama Vermelha” deflagrada nas primeiras horas desta quinta-feira (21), pela Polícia Judiciária Civil, desmontou uma célula criminosa de uma facção criminosa que age dentro e fora de unidades prisionais do Estado de Mato Grosso. A ação realizada na cidade de Campo Verde (131 km ao Sul) cumpriu 17 mandados de prisão e apreendeu drogas (porções de crack, maconha e pasta base) do grupo que monopolizava o comércio de entorpecentes no município e regiões vizinhas.

Outras quatro pessoas foram presas em flagrante, totalizando 21 presos até o momento na operação. Também foram apreendidos cerca de R$ 4 mil e 170 pesos bolivianos, além de munições e outros produtos encontrados nas casas dos alvos investigados.

Duas das lideranças Deikson Conceição de Magalhães, conhecido por DK, Paulo Witer Farias Paelo, o “WT”, estão presas na Penitenciária Central do Estado. Eles eram tidos como os “conselheiros” da organização de Campo Verde, estando no topo da liderança, articulando crimes no município, juntamente com Adnilson Caetano de Oliveira. (Ditinho/Veião), que teve o mandado de prisão cumprido em Rondonópolis, em um bairro da cidade.  

Para a operação foram expedidos 54 mandados judiciais, sendo 27 prisões temporárias e 27 buscas e apreensão domiciliar. Do total de mandados de prisão, 18 foram expedidos para cumprimento em Campo Verde (área urbana e rural) e 9 em outras cidades sendo elas: Cuiabá (1 na Penitenciária Central do Estado), Chapada dos Guimarães (2), Rondonópolis (3 presos e 1 solto) e Barra do Garças (1).

Leia mais:   Polinter prende homens acusados de roubos, estupro e homicídio

Oito criminosos já estavam presos. Alguns exerciam liderança sobre a organização criminosa de Campo Verde, determinando a arregimentação de pessoas para prática de crimes orquestrados pela liderança principal, para obtenção de lucro e expansão do domínio da facção criminosa.

Os trabalhos investigativos foram iniciados pelo delegado Joaquim Leitão Junior, em outubro de 2018, quando respondeu pela Delegacia da Polícia Civil de Campo Verde, sendo após a apuração continuada pelo delegado Mário Santiago.

“A estrutura criminosa estava erradicada em Campo Verde e seus integrantes eram responsáveis por arregimentar e orquestrar crimes de homicídios, roubos, furtos, estelionatos  entre outros, na cidade de  Campo Verde e região circunvizinhas. Eles tinham uma fisiologia bem sofisticada, no sentido de obrigar seus afiliados, associados, seus integrantes a recolher uma mensalidade, intitulada de ‘caixinha’, no qual os pagamentos eram feitos todo o início de mês no valor de 100 reais”, explicou Joaquim Leitão.

Na investigação foram identificados mais de 30 membros da organização criminosa local, que operacionaliza no município e regiões vizinhas a busca e comércio de drogas, além de veículos roubados e outros produtos oriundos de roubos e furtos. Esse grupo também teria cometido ao menos quatro homicídios, todos ocorridos em Campo Verde, com o objetivo de garantir o domínio do território com eliminação de possíveis rivais.

Leia mais:   Revistas na PCE levam a prisão de sete mulheres com drogas destinadas a seis internos

O delegado Mário Santiago informou que algumas equipes ainda estão em diligências, mas o saldo da operação é positivo. “A grande maioria dos suspeitos foram presos e uma boa quantidade de drogas encontrada na casa de alguns suspeitos. Essa organização criminosa monopolizou o comercio de drogas aqui na cidade e cada ‘boqueiro’ (dono de boca de fumo) e pequeno traficante deveria pagar uma caixinha para essa organização numa espécie de franquia. A droga também vendida na cidade era toda fornecida pela facção criminosa”, detalhou.  

Os mandados são cumpridos por equipes de 96 policiais – entre delegados, investigadores e escrivães -, policiais militares e policiais rodoviários federais. A ação tem o apoio no patrulhamento aéreo do Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPaer) e ainda do Canil da PRF.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana