conecte-se conosco


Destaque

Patrimônio de Eliene aumentou 32% nas duas gestões que está como vice de Francis

Publicado

O patrimônio da candidata do PSB a prefeita de Cáceres, Eliene Liberato Dias, aumentou 32% durante as duas gestões que está como vice-prefeita do município. Em 2016, na primeira gestão do prefeito Francis Maris Cruz (PSDB), o patrimônio declarado pela candidata à Justiça Eleitoral, conforme o Divulgacand  foi o total de R$ 259.800,00.

Agora passou para 343.000,00. Dois veículos, uma moto e uma casa fazem parte de seus bens, segundo a candidata. Ainda não consta no site do Divulgacand as declarações dos demais candidatos:, Paulo Donizete (PSDB), James Cabral (PT), José Eduardo Torres (PSC) e Takao Nakamoto (PRTB)

Tangará da Serra 

Vander Massom, candidato do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), teve aumento percentual de até 393,87% de seus bens declarados em apenas dois anos. Atualmente concorrendo à Prefeitura de Tangará da Serra, ele divulgou ter o equivalente R$ 5.057.273,74 de bens, como ações da empresa Alimentos Masson Ltda, veículo, casa e mais.

Em 2018, quando foi suplente de deputado federal, ele declarou R$ 1.024.000,00 em bens. Na lista, constava um lote avaliado em R$ 800 mil, veículo e ação na empresa Alimentos Masson Ltda.

Leia mais:   Uma campanha para dias melhores, com muito diálogo e amor pela população, afirma Eliene Liberato

Poconé 

Há uma controvérsia com o patrimônio do prefeito de Poconé, Tatá Amaral, do Democratas (DEM). Candidato à reeleição, Tatá não declarou nenhum bem à justiça eleitoral em 2020. Além disso, quando foi candidato vitorioso em 2016, ele cadastrou apenas um Saveiro 98, no valor de R$ 7 mil. A candidata do Progressistas (PP), Camila Silva, também não declarou bens para a eleição municipal de 2020.

Quando concorreu à Câmara dos Vereadores, em 2016, ela também não divulgou seu patrimônio para a justiça eleitoral. Somente em 2012, também candidata a vereadora, que ela afirmou possuir R$ 30 mil em terras, com dois terrenos avaliados em R$ 15 mil.

Sinop 

Do Republicanos, Roberto Dorner diminuiu seu patrimônio em quatro anos – pelo menos é o que consta no Divulgacand. Na eleição deste ano, ele declarou o equivalente a R$ 16.766.075,69, numa longa lista contendo empréstimos, quotas, veículos, fazendas e mais. Contudo, em 2016, quando também foi candidato a prefeito, Dorner divulgou ter R$ 24.708.560,69. Ele perdeu R$ 7. 942. 485,00 um percentual de 32,14% aproximadamente.

Leia mais:   Homem usa tarrafas e redes para pesca e é flagrado com 55 peixes e acaba preso em Poconé

Rondonópolis 

Em quatro anos, o candidato do Democratas (DEM), Thiago Muniz, teve expressivo aumento no patrimônio. Em 2016, quando concorreu a vereador, ele declarou R$1.768.288,12 em bens, entre veículo, saldo em conta e quotas. Agora, candidato à Prefeitura de Rondonópolis, ele afirma possuir R$ 8.185.483,35, entre casas, quota, consórcio e chácara. Seu patrimônio aumentou R$ 6.417.195,23, que corresponde a 362%. 

Gazeta Digital e Expressão Notícias

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Paulo Donizete diz que vai fazer do turismo uma atividade de desenvolvimento econômico

Publicado

O Turismo representa hoje uma das atividades mais expressivas na economia de municípios que investem na modalidade e transformam potenciais em pontos turísticos. Fazer do turismo uma ferramenta de desenvolvimento econômico e oportunidades é um dos desafios propostos por Paulo Donizete e Anelise na gestão municipal.

Segundo Paulo Donizete, o turismo é uma vocação econômica do município de Cáceres, afinal são 242 anos de uma rica história, uma cultura singular, atrativos naturais e construídos riquíssimos, o pantanal mato-grossense, fauna e flora exuberantes, gastronomia que dá água na boca, um folclore inigualável e o grande diferencial, sua gente, o povo de Cáceres.

“Com tantos atrativos precisamos organizar a cidade e segmentar o turismo. Criar uma economia alternativa na indústria que não polui, sempre, é claro, respeitando os impactos, elaborando e executando políticas públicas integradas com o trade turístico e as entidades como o Conselho Municipal de Turismo, a Associação de Guias Turísticos, universidades, artesãos e produtores culturais”, discursou.

O candidato observa que não podemos fazer do turismo de pesca a única opção para atrair turistas. “Temos uma gama de possibilidades atrativas, turismo de eventos, turismo religioso, turismo de contemplação, turismo rural, turismo educacional, de observação de pássaros e animais, são muitos potenciais, precisamos fortalecer e criar possibilidades de consolidar essas alternativas”, refletiu Paulo.

Leia mais:   James Cabral: “servidores serão aliados da Prefeitura para garantir os serviços que a população precisa”

Para Paulo, o Turismo deve ser sustentável e responsável, para isso estudos de impactos ambientais devem ser implantados para que as gerações futuras também possam usufruir desse manancial.

Paulo anuncia que seu Plano de Governo prevê muitas ações para a modalidade, entre elas estão: Elaborar o Plano Municipal de Turismo de Cáceres para que se torne um instrumento de contribuição na elevação crescente do desempenho do turismo; Consolidar Cáceres como polo na prestação de serviços na área do turismo e meio ambiente; Buscar nas instituições públicas parcerias que possibilitem estudos de viabilidade turística e de valorização da produção do artesanato local.

E ainda, divulgar as potencialidades turísticas de Cáceres, nacional e internacionalmente, buscando difundir o potencial turístico do município e do Pantanal e Investir em ações no marketing e promoção do trade turístico de Cáceres; Dar prioridade no fortalecimento dos indicadores que foram diagnosticados como deficitários do município indutor, através de programas governamentais e projetos municipais, são apenas algumas propostas de Paulo Donizete e Anelise para este setor tão importante na economia do município.

Leia mais:   Violência contra mulher: Mato Grosso registra 45 feminicídios de janeiro a setembro

Assessoria

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Turismo é um dos pilares de geração de renda

Publicado

Um dos pilares de geração de renda é o Turismo. Esta é uma das constatações registradas no plano de governo do candidato à Prefeitura pelo PSC, José Eduardo Torres (Zé Eduardo). Para ele, turismo, agricultura familiar e atrair as empresas de fora para estabelecer-se no município – por meio de incentivos fiscais – transformarão Cáceres em uma cidade economicamente autossustentável.

“Temos de valorizar nossa mão de obra local e promover meios que fomentem esta geração de renda em nosso município”, ressalta o candidato.

Em sua gestão, Zé Eduardo vai estabelecer o Plano Municipal de Turismo, como uma construção coletiva que envolva toda a sociedade. O objetivo é garantir o planejamento e gestão que definirão os programas e ações do turismo local para os próximos anos.

“Temos a orla do Rio Paraguai, somos rodeados pelo Pantanal, temos diversos pontos turísticos naturais. Só precisamos nos preparar corretamente para atrair os turistas até Cáceres”, comenta.

Para isso, é necessário capacitar, tanto mão de obra, como os estabelecimentos que devem recepcionar este viajante. “Um bom atendimento atrai cada vez mais turistas”, diz. Além disso, está nos planos do Zé Eduardo garantir a infraestrutura necessária ao ramo turístico, inclusive com a implementação de um projeto de orla.

Leia mais:   Paulo Donizete e Anelise parabenizam o servidor e ressaltam compromisso com o funcionalismo

 “Há muito se promete uma orla mais atrativa tanto para os moradores como para os viajantes e eu pretendo concluir esta obra na minha gestão.”

A beleza natural alia-se a um patrimônio histórico que revela a beleza de Cáceres no passado. Há diversos estabelecimentos tombados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), que precisam de atração de investimentos para serem recuperados. “Vamos buscar estas parcerias, pois esta iniciativa também irá valorizar os imóveis da região”, ressalta.

CULTURA REGIONAL 

Promover a política cultural com o turismo é uma das ações que, na opinião de Zé Eduardo, vão atrair ainda mais interesse turístico para a região e, consequentemente, mais renda. “Nossa cultura é riquíssima e precisa ser valorizada.

” Por isso, ele pretende criar o programa de articulação, fomento e estímulo ao desenvolvimento das cadeias produtivas criativas em Cáceres, em parceria com instituições e também com as universidades locais. “Não existe política cultural sem a implementação do Sistema Municipal de Cultura. Quando consolidado, ele atrai verba de âmbito federal para este fim”, ressalta.

Leia mais:   Queda - Petrobras reduz preços de gasolina e diesel a partir de terça

Um dos eventos culturais que mais atraem turistas é o Festival Internacional de Pesca (Fipe).

“Queremos valorizar cada vez mais o cacerense em eventos como este, evidenciando suas habilidades, sua história, sua raiz”, ressalta Zé Eduardo, que pretende desenvolver mais ações regionais que preservem a cultura do povo e atraiam cada vez mais interessados em conhecer a cidade e, dessa forma, propagar a identidade cacerense para além destas fronteiras .

Assessoria 

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana