conecte-se conosco


Mato Grosso

Parque Natalino: Conheça o percurso completo da Arena Encantada

Publicado

Até o dia 5 de janeiro, a Arena Pantanal se transforma na Arena Encantada, um espetacular parque natalino aberto à visitação todos os dias, sempre das 18h às 23h. A entrada é um quilo de alimento não perecível por família e os alimentos sugeridos são arroz, feijão, açúcar, café, macarrão, óleo, leite longa vida e panetone.

Com instalações interativas, o circuito de atrações conta com a Casa do Papai Noel, Presépio, Floresta Encantada, Vila dos Doces e Vila das Fadas e Duendes. No entorno da arena, o público poderá desfrutar de uma infraestrutura gastronômica completa, na praça de alimentação.

“Entregamos para toda a nossa população um espaço de lazer com lindos cenários natalinos, uma estrutura nunca antes montada em Mato Grosso. E nos próximos anos vamos interiorizar, promover em outros municípios”, afirma a primeira-dama Virginia Mendes, idealizadora do projeto.

Com mais de 4 mil m² de estrutura montada, a Arena Encantada se instala no entorno do campo da Arena Pantanal, no piso sintético das laterais, atrás das traves e nos túneis de acesso aos vestiários, de maneira a preservar o gramado, que estará inacessível.

A Arena Encantada, evento dedicado à magia das festas natalinas, com instalações interativas, cenários e ambientes que recriam a histórica da maior festa cristã, é uma iniciativa do Governo de Mato Grosso, em parceria com a Assembleia Legislativa de Mato Grosso e apoio da iniciativa privada.

Pórtico de entrada da Arena Encantada

Na arquitetura, um pórtico é o local coberto, na entrada de um templo, palácio ou grande edificação. No caso, o Portão F da Arena Pantanal se transforma na suntuosa entrada da Arena Encantada. É o marco de partida desse lúdico tour natalino. As luzes, cores e formas dão uma ideia do que espera o visitante na parte interna.

Floresta Encantada

Os ursos guardiões da entrada dão as boas-vindas. Reza a lenda que na véspera de Natal, os animais da floresta saem de suas tocas para comemorar o nascimento do Menino Jesus. A lenda diz ainda que à meia-noite do dia 25 de dezembro, os bichos ganham a habilidade de celebrar junto aos homens e mulheres de bom coração.

Todos comemoram numa grande festa debaixo do maior e mais antigo pinheiro da Floresta Encantada. Cada ser leva um presente para compartilhar entre todos, reforçando os espíritos de comunhão, gratidão e generosidade, característicos do Natal.

Leia mais:   Três pessoas morreram afogadas em rios de MT neste fim de semana

São dessa floresta que vêm as nove renas que ajudam Papai Noel na noite de Natal. Seus nomes? Corredora, Dançarina, Empinadora, Raposa, Cometa, Cupido, Trovão, Relâmpago e Rodolfo.

Vila dos Doces

Na Vila dos Doces é onde está instalada a Fábrica de Doces de Natal. Os cenários reforçam a atmosfera das fábulas infantis na Arena Encantada. Uma simpática edificação feita de guloseimas coloridas, um lugar encantado que promete adoçar a vida dos visitantes. Tem até um moinho de vento em sua doce estrutura ornamentada com pirulitos e balas de caramelo. 

Transportadora de Mel

Comandada pela família urso, próximo à Vila dos Doces está a Transportadora de Mel, uma companhia pensada para levar doçura aos homens e mulheres de boa vontade. Há que se considerar que pessoas “amargas” necessitam do mínimo da doçura para que aflorem os sentimentos mais bonitos, durante a jornada da vida.

Um dos mais antigos alimentos da humanidade, o mel foi exaltado muitos dos grandes profetas, em seus livros. O mel representa a ternura, a justiça, a virtude e a bondade divina.

Vila das Fadas e Duendes

Endereço dos mais ilustres ajudantes do Papai Noel. É graças ao auxílio dos duendes e fadas que Papai Noel consegue atender a todos os pedidos das crianças, na noite de Natal. O trabalho incansável na fábrica de brinquedos do bom velhinho garante a alegria de meninos e meninas na manhã de Natal.

É, Papai Noel estaria perdido sem seus ajudantes. Além da fabricação dos brinquedos distribuídos na Arena Encantada no dia 17 de dezembro (anote na agenda), são os duendes e fadas que adestram as renas e preparam o trenó do Papai Noel. Outra missão importante é observar se as crianças realmente se comportaram durante o ano. A essa altura, o relatório já deve estar pronto! Cruzem os dedos, crianças!

Presépio

Um dos símbolos máximos do Natal, o presépio, em escala real, é uma das mais aguardas atrações da Arena Encantada. Aqui, todos estão presentes, os animais, pastores, o anjo, os Reis Magos trazendo ouro, incenso e mirra, São José, Maria e o motivo de toda essa celebração, o Menino Jesus. 

Leia mais:   Levantamento aponta aumento da demanda por gás natural pelas indústrias do interior

Você sabia que o presépio foi criado por São Francisco de Assis com o intuito de facilitar a compreensão do nascimento de Jesus Cristo, no ano de 1223? No Brasil, a ideia do presépio foi apresentada aos índios e colonos portugueses poucos anos após o descobrimento, por iniciativa do padre José de Anchieta.

Casa do Papai Noel

Sejam bem-vindos a aconchegante Casa do Papai Noel. Aqui os visitantes poderão interagir com o bom velhinho e até fazer uma self com ele. Aliás, na Arena Encantada, o visitante pode e deve fotografar à vontade (use as hashtags #ArenaEncantada e #oMaiorNataldeMT e você pode aparecer no telão da Arena).

A Casa do Papai Noel chama a atenção por seus adornos, entalhes e afrescos repletos de enfeites natalinos. A propósito, uma das atrações mais aguardadas da Arena Encantada é a entrega de presentes. Reiterando, o bom velhinho chegará no dia 17 de dezembro para entregar brinquedos a milhares de crianças carentes, selecionadas pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e pela Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Setasc).

Árvore de Natal

A Árvore de Natal é um dos mais importantes símbolos das celebrações natalinas. Luzes e enfeites adornam os 15 metros de altura do pinheiro gigante da Arena Encantada. Não por acaso é uma das principais atrações desse parque natalino.

O enorme pinheiro, retirado da Floresta Encantada, simboliza a vida, já que é uma das poucas espécies que se mantêm verde durante todo o ano, mesmo durante o outono e o inverno, quando a maioria das árvores perde a folhagem. É, ao que tudo indica, este será, realmente, o maior Natal que Mato Grosso já viu.

Boas festas!

Serviço

Natal na “Arena Encantada”

Onde: Arena Pantanal

Quando: De 06 de dezembro a 05 de janeiro, sempre das 18h às 23h

Entrada: Um quilo de alimento não perecível por família (arroz, feijão, açúcar, café, macarrão e óleo).

A Arena Pantanal é uma arena multiuso localizada na Av. Agrícola Paes de Barros, s/n – Verdão, em Cuiabá.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Estadual

Mato Grosso é apontado como exemplo para o país no mapeamento e combate ao desmatamento ilegal

Publicado

“A tolerância é zero com o desmatamento ilegal”, disse Mauren Lazzaretti, secretária de Meio Ambiente de Mato Grosso, ao Valor Econômico, em reportagem publicada nesta quarta-feira (05.08). A publicação destaca que o Estado é um dos pioneiros no mapeamento e combate ao desmatamento ilegal, apontando a redução de 20% da área de desmate irregular em junho deste ano, em relação ao mesmo mês de 2019.

“Mato Grosso também largou na frente na análise e na validação dos CAR, outro diferencial no combate ao desmatamento ilegal. Cerca de 30% dos 91 mil registros no sistema estadual, que filtrou e solucionou milhares de sobreposições de áreas, já foram analisados”, escreveu o jornalista Rafael Walendorff.

O pioneirismo de Mato Grosso para garantir que produtores legalizem a situação ambiental das propriedades também foi apontado na matéria “Produtor pede sistema ágil para mapear desmate ilegal”, uma vez que no início do próximo ano será implementado módulo de Compensação de Reserva Legal dentro do Programa de Regularização Ambiental (PRA).

De acordo com a reportagem, os agropecuaristas e exportadores pedem métodos que comprovem que produtos, como soja, milho e carne bovina, não saem de áreas de desmatamentos ilegais.

Leia mais:   Detran-MT reabre mais unidades no Estado a partir de segunda (03)

Operação Amazônia Arco Norte na região de Aripuanã – Desmatamento
Créditos: Mayke Toscano/Secom-MT

Para isso, o Estado investiu R$ 6 milhões, em 2019, na plataforma de monitoramento em tempo real do desmatamento, o Satélite Planet, que emite alertas visuais diários e envia relatórios semanais por email de supressão da vegetação a partir de 1 hectare, que são cruzados com dados do Governo.

O sistema é capaz de checar quem é o proprietário da área e se há aval para desmate, acelerando uma eventual autuação, até de forma remota. Dois mil alertas foram atendidos só em 2020. “Vou direto ao local, economizo dinheiro e sou mais eficiente”, destacou a secretária.

O Valor Econômico trouxe ainda que “só este ano, 255 mil hectares foram embargados em Mato Grosso. São mais de 2,2 mil autuações e R$ 2,1 bilhões em multas aplicadas pela Secretaria de Meio Ambiente, Ministério Público, Ibama, Exército, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. O ‘maior rigor’ já inibiu a ação ilegal. Um dos motivos é a apreensão de mais 600 equipamentos usados por quem desmata ilegalmente – de motosserras e armas de fogo até um helicóptero utilizado na dessecagem aérea da mata que seria derrubada. A ideia é institucionalizar o modelo para replicar o que deu certo nos outros Estados da região”.

Leia mais:   Refis e Regularize são prorrogados para dezembro de 2020

Operação Amazônia Arco Norte na região de Aripuanã – Desmatamento
Créditos: Mayke Toscano/Secom-MT

A reportagem analisou que mesmo com avanços, a área desmatada ainda cresce, porém em um ritmo muito menor que em outros Estados da Amazônia Legal. “Enquanto no Pará houve avanço de 84% entre as safras 2018/19 e 2019/20, o aumento em Mato Grosso foi de 10% – menor índice da Amazônia Legal, que na média foi de 43%. ‘Ainda não é o esperado’, relata a secretária Mauren Lazzaretti com base em dados do Imazon. Foram 873 km² de floresta derrubados no Estado entre agosto do ano passado e junho deste ano, dos quais 14% de maneira legal e autorizada”, destacou a publicação.

Confira a íntegra da reportagem em anexo.

Download

  • Reportagem Valor Econômico

Carol Sanford | Secom-MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Levantamento aponta aumento da demanda por gás natural pelas indústrias do interior

Publicado

Apenas quatro empresas pesquisadas utilizariam um volume de gás natural de 40,5 milhões de m³ de gás ao mês para substituir o consumo atual de outras fontes de energia

Um estudo de demanda de gás natural em Mato Grosso revelou que apenas quatro empresas utilizariam um volume de gás natural de pouco mais de 40,5 milhões de metros cúbicos (m³) do combustível ao mês, para substituir o consumo atual de outras fontes de energia. O levantamento foi realizado pela Companhia Mato-grossense de Gás (MT Gás) em parceria com o Senai-MT, por meio de visitas técnicas aos empreendimentos.

Conforme o presidente da MT Gás, Rafael Reis, as empresas buscam uma matriz energética mais barata em comparação com outras fontes, como a energia elétrica. “Com base no grande interesse pelo de gás natural, estamos negociando um aumento da quantidade do combustível fornecida pela Bolívia, para poder atender a demanda interna, e fomentar o desenvolvimento de Mato Grosso”, afirma.

O levantamento aponta que a demanda ultrapassa os 1,5 milhão de m³ ao mês, previstos no contrato atual entre a estatal mato-grossense e a boliviana Yacimientos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB). A quantidade de gás pactuada atende hoje as indústrias, e o gás natural veicular (GNV), principalmente da Capital.

Estudo de viabilidade

O levantamento preliminar aponta que, as empresas pesquisadas optem por utilizar o gás natural, e façam a conversão com a instalação de equipamentos específicos para uso do gás ao invés de biomassa, ou energia elétrica, o consumo seria de cerca de 40,58 milhões de m³ ao mês.

Leia mais:   ATENDIMENTO ÁGIL: Produtores rurais criam grupo de whatsapp com brigadistas e corpo de bombeiros

As empresas que receberam as equipes para visitas técnicas e levantamento de informações são: Caramuru e Safras, em Sorriso; Inpasa em Sinop; e Excelência em Nova Mutum. Conforme o consultor do Instituto Senai de Tecnologia (IST), o engenheuiro mecânico Everton Medeiros Tarouco, que participou diretamente do levantamento, foram escolhidas para o estudo algumas empresas de grande porte, que possuem um alto consumo.

Ele afirma que um dos fatores que torna o gás natural mais atrativo é a possibilidade de maior eficiência no uso industrial, mas análise sobre a implantação, ou não, é uma avaliação de cada empresa.

“Observamos que com o uso do gás natural há uma produção homogênea e controlada de calor, o que aumenta a produtividade. Se compararmos com a biomassa, por exemplo, e em determinado momento do processo produtivo for necessária uma certa quantidade de energia, a lenha tem uma resposta mais demorada até chegar ao ponto que eu preciso”, explica.

Comparado com outros combustíveis fósseis, como a gasolina, e o diesel, também utilizados para a mesma finalidade, o gás é mais vantajoso ambientalmente, e possui uma queima mais eficiente, avalia o especialista.

Leia mais:   Mato Grosso é apontado como exemplo para o país no mapeamento e combate ao desmatamento ilegal

Outro benefício apontado pelo consultor é com relação a economia com área de estoque, segurança pois promove um fluxo de caminhões muito menor, e pelo controle do próprio combustível. “A madeira picada, por exemplo, que pode ser utilizada para a queima, às vezes pode conter impurezas que prejudicam o poder calorífico”.

“As empresas precisam de uma alternativa eficiente de matriz energética. A ideia não é substituir totalmente, de início, mas garantir a alternativa de abastecimento. O próprio transporte de biomassa tem uma burocracia muito maior, uma certificação exigida, e sobre o gás não há essa exigência”.

O Intituto Senai de Tecnologia está concluindo um estudo sobre qual será a melhor maneira de fornecer o gás para as indústrias do interior, da forma mais vantajosa e eficiente. A modelagem do negócio e a logística fazem parte da avaliação em conjunto com a MT Gás.

Outros empreendimentos que também podem se beneficiar do consumo de gás como substituto da biomassa são frigoríficos, indústrias de alimentos em geral, cervejarias, laticínios, e até hospitais e hotéis. “Há empresas que podem avaliar um gerador de energia elétrica a gá, apenas nos horários de maior consumo, de ponta”, conta.

Da Assessoria

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana