conecte-se conosco


Mato Grosso

Para entender conteúdo de química, alunos produzem perfumes em sala de aula

Publicado

Alunos do 3º ano do ensino médio da Escola Estadual Oscar Soares, localizada no município de Juara (a 709 quilômetros a médio-norte da Capital) estudam química aprendendo a alquimia das fragrâncias. São 65 alunos que participam do Fórmulas Químicas Aromáticas. Eles aprendem as fórmulas químicas fabricando perfumes e com um custo baixo. Alguns já pensam em se profissionalizar na produção de aromas com fragrâncias masculinas e femininas.

O responsável pelo projeto, o professor de química Luiz Eduardo de Brito Corrêa explica que o foco do trabalho é fazer a interação da teoria com a prática, facilitando a compreensão de algumas substâncias orgânicas.

“O objetivo é assimilar melhor fórmulas da química do carbono, tendo facilidade de aprender as fórmulas moleculares e estruturais. Para isso, desenvolvemos algumas fragrâncias artesanais a baixo custo e com muita qualidade”, comemora.

Os alunos utilizaram como ingredientes álcool cereal, fixador, fragância e água destilada. Cada um desembolsou 8 reais e ficaram satisfeitos com o resultado.

O estudante Caio Lucas não só ficou entusiasmado com o domínio do preparo de aromas como também soube o conteúdo na ponta da língua. “Perfumes são misturas complexas de compostos orgânicos extraídos de flores, plantas raízes que são as chamadas flagrâncias. As essências trazem um odor agradável e benéfico ao nosso organismo. O objetivo desse estudo é entender a composição dos ingredientes fracionados na fabricação dos perfumes”, detalha.

Leia mais:   Programa do Governo de Mato Grosso vai distribuir 200 mil cobertores

No entendimento do estudante, além de aprender química, é possível encontrar todos os produtos em farmácia. “O mais interessante é que podemos criar fragrâncias”, ressalta.

O professor avalia como positivo o projeto, pois melhorou a compreensão das fórmulas químicas, porque aprenderam os nomes científicos e fizeram a relação com o cotidiano.

Durante as aulas, os alunos produziram três tipos de perfumes com flor de algodão e erva doce. Um dos alunos até patenteou uma fragrância de “black man” e já pensa em fabrica-la. “Sem falar que, ao criar uma fórmula de perfume e pensar na sua produção é um exemplo de protagonismo e empreendedorismo”.

Luiz Eduardo acrescenta que esses experimentos auxiliam na estrutura dos compostos e dos álcoois, visto que também são usados no processo de produção dos perfumes. A atividade prática também permite mostrar a contextualização da química e o seu papel no desenvolvimento tecnológico da sociedade, tendo em vista que essa é uma ciência muito usada na produção de diversos produtos, como na indústria de cosméticos.

Leia mais:   “O Governo subiu o preço do plantão, mas há grande dificuldade para contratar”, relata governador

No final do quarto bimestre, os alunos pretendem organizar uma mostra biofísicoquimica, para apresentar os experimentos realizados em sala.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Três recuperandos comemoram certificado de conclusão do Ensino Médio

Publicado

Três recuperandos da Cadeia Pública de Colniza receberam no dia 03 de julho o certificado de conclusão do ensino médio. Os formandos com idade entre 27 e 50 anos e eram alunos do Instituto de Educação Bhetel na modalidade de Educação de Jovens e Adultos a Distância, no ano letivo de 2019/2010.

As aulas já haviam terminado em março, quando a pandemia de Covid-19 suspendou as atividades, e eles aguardavam pela formatura com entrega dos certificados. Diante das circunstâncias atuais a solenidade não ocorreu, porém, os certificados foram entregues pelos servidores da unidade.

“Muitos enxergam na escola a chance de um recomeço, para ressignificar a liberdade e se reintegrar na sociedade preparados inclusive para o mercado de trabalho. través da conclusão dos estudos buscam a transformação da sua realidade de vida”, comentou o diretor da Cadeia Pública, Heitor Nogueira.

Educação no sistema penitenciário

Estudo realizado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen) mostra que Mato Grosso é o 6º estado brasileiro com mais recuperandos envolvidos em atividades educacionais. Dos 12.519 presos contabilizados até dezembro de 2019 em Mato Grosso, 22,9% estudavam ou participavam de alguma atividade de cunho educacional.

Leia mais:   Procon-MT esclarece sobre cuidados na compra de medicamentos

As atividades educacionais englobam desde o ensino básico formal – Educação de Jovens e Adultos (EJA), ensino fundamental e médio – ao ensino profissionalizante (cursos técnicos e formação inicial e continuada), projetos de leitura com remição de pena, até atividades complementares de lazer e cultura, como videoteca, entre outros.

Em Mato Grosso 5.133 pessoas privadas de liberdade tiveram acesso a algumas destas atividades educacionais em 2019, sendo que 3.582 as concluíram. 

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Policiais usam a música como meio de aproximação de criança que temia a presença de viatura

Publicado

Em Tangará da Serra (239 km de Cuiabá), policiais militares usaram a música para se aproximar de uma criança, a pequena Grabriela, de 4 anos, que dias atrás havia corrido assustada ao perceber que a viatura com uma equipe da Polícia Militar se aproximava de onde ela e uma amiga brincavam. Quando os policiais passavam perto a menina pegou a bicicleta e pedalou rapidamente na direção da casa dos pais.

Ao tomar conhecimento dessa situação, o tenente Marcelo da Silva Lima, comandante da Base de Polícia Comunitária da Vila Esmeralda, cuja área de atuação inclui o bairro onde a família dela mora, decidiu fazer uma visita surpresa levando música e um presente para Grabriela.

Horas depois de correr dos policiais, ela, ao lado da mãe e da amiga, recebeu a surpresa dos policiais. O sargento Athaufo da Luz interpretou a composição ‘Meu Barquinho’ (de autoria de  Giselli Cristina e Moisés Cleyton), e o próprio tenente Marcelo, que é músico e já atuou como maestro do Corpo Musical da PMMT, o acompanhou ao violão.  

Leia mais:   Unemat participa de pesquisa para criação de vacina oral contra o coronavírus

Grabriela ouviu atenta, interagiu com os policiais e ao final ganhou um kit para pintura com desenhos didáticos. E a família recebeu uma cesta básica de alimentos. Agora, além se referir aos policiais como seus amigos, ela acena quando uma viatura faz rondas em sua rua e já disse que “quando crescer quer ser policial militar”.

Familiares confessaram que o medo demonstrado antes teria como origem as frases que costumavam dizer para mantê-la em casa, ou seja, que ela poderia ser presa se ficasse na rua. O sargento Wagner de Almeida Leite, que estava na companhia do colega Athaufo durante a ronda, também participou da homenagem.

O coronel Wendel Sodré, comandante do 7° Comando Regional de Tangará da Serra, disse que a PM não pode permitir essa visão distorcida ou pejorativa das ações e dos integrantes da Polícia Militar. E que a instituição militar atua, como fiz nesse caso, para desconstruir preconceitos e construir conceitos fundamentados no respeito, na confiança, na solidariedade, na caridade, no amor ao próximo.

Leia mais:   Programa do Governo de Mato Grosso vai distribuir 200 mil cobertores

Polícia Comunitária

Em Mato Grosso, parte da atuação da PM é por meio de Bases de Polícia Comunitária, como a que existe na Vila Esmeralda, em Tangará da Serra. Essas unidades integram o Programa de Polícia Comunitária da Segurança Pública e prioriza a integração das ações com outras forças de segurança e com a comunidade.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana