conecte-se conosco


Política

Orquestra Sinfônica da UFMT é homenageada na ALMT pelos 40 anos

Publicado

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

“Existem coisas imensuráveis. A Orquestra é imensurável. Não consigo medir sua importância, ou seu valor. Porque o que ela faz – a música! – supera expectativas, surpreende, abarca, acolhe, ensina, aprende, congrega. É com este olhar que não consegue medir o valor da arte e da beleza, que penso que a Orquestra ultrapassa os valores musicais e se torna, literalmente, um instrumento democrático que promove a cultura, a pertinência e a cidadania. Falo desta orquestra que caminhou por sol, e sóis e bemóis, que juntou gente tocando e gente ouvindo, que nasceu em um tempo em que poucos estavam habituados à música clássica, e que, ainda assim, floresceu. Que andou por asfalto e terra, foi onde o povo estava e está. Navegou por tantas harmonias, tocou tantos autores, recebeu tantos convidados, fez tantos e inusitados arranjos, que conseguiu ser reconhecida pelo nosso povo como sendo a orquestra de Mato Grosso. Esta orquestra, e seus componentes, nos orgulham”. Foi com esse tom solene que a deputada estadual Janaina Riva (MDB) se referiu à Orquestra Sinfônica da Universidade Federal de Mato e seus fundadores, durante sessão realizada na tarde desta segunda-feira (9), na Assembleia Legislativa, em alusão aos 40 anos de fundação.

Leia mais:   PSC deverá lançar nesta semana pré-candidatura de Valdeníria; já são 13 concorrentes a sucessão municipal

Janaina Riva ressaltou ainda a importância da atuação de professores e ex-dirigentes da UFMT, como Gabriel Novis Neves e Benedito Dorileo, responsáveis pela fundação e estruturação da orquestra, em 1979.

“Naquela época, a Instituição era ainda jovem, mas já marcava seu trajeto de grande importância sócio-cultural em nosso estado. Nossa homenagem também segue a trilha dos regentes desta orquestra: os maestros Konrad Wimmer, Marcelo Bussiki, Ricardo Rocha, Roberto Vitório, Silbene Perassolo, que conduziram a orquestra por aproximadamente 18 anos, e para o maestro Fabrício Carvalho, que seguindo a missão de seus antecessores, se encontra há 22 anos à frente da orquestra. Sabemos que houve, entre esses maestros, esses músicos e esse trabalho, uma relação de paixão, persistência, insistência e dedicação. Queremos que saibam que esta entrega se reflete em nós, aqui do outro lado do palco, a partir do momento em que a batuta se ergue através das mãos do maestro Fabrício Carvalho”, disse a parlamentar.

Em sua fala, o maestro enalteceu o compromisso da deputada Janaina com a educação e a cultura e ressaltou que compromisso com essas áreas significa cidadania.

“Compromisso com a educação e com cultura significa cidadania. Que bom que a gente tem a senhora como defensora da cidadania. Muito obrigada, me nome da Orquestra e dos músicos que fazem parte dela. É um dia de muita alegria e honra pra todos nós porque 40 anos não são 40 dias e todos os homens e mulheres que pela Orquestra passaram tem uma dose de contribuição, um tijolinho que forma essa ponte entra a Universidade e a sociedade. A orquestra é um mecanismo vivo, orgânico e que precisa desse reconhecimento institucional do povo de Mato Grosso, por meio do seu parlamento para que consiga e continue a executar a sua função que é que é de levar informação, conhecimento, que é de levar cultura. Um povo informado sabe muito mais dos seus direitos”, finalizou.

Leia mais:   Prefeito prevê demissões de funcionários para enfrentar escassez de recursos provocada pela pandemia

O deputado Dr. João José (MDB) que prestigiou a sessão, ao final, anunciou a destinação de uma emenda no valor de R$ 100 mil para que orquestra esteja mais presente no interior do estado. O deputado Dr. Gimenez (PV), também participou da sessão e enalteceu o trabalho de popularização da cultura que a orquestra tem feito ao longo desses 40 anos. Ao final, a deputada Janaina Riva também anunciou a destinação de emenda parlamentar, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, para a Orquestra.

Comentários Facebook

Destaque

Podemos: oficializa a pré-candidatura do médico Sérgio Arruda para disputar a prefeitura de Cáceres

Publicado

O Podemos de Cáceres decidiu em reunião com os seus filiados e confirmou o nome do médico Sérgio Arruda como pré-candidato a prefeito de Cáceres. O deputado federal José Medeiros é um dos grandes incentivadores da pré-candidatura de Sérgio Arruda e tem ajudado Cáceres e a região oeste quando as votações que contemplam recursos federais principalmente na saúde, onde participou com voto sobre as aprovações dos recursos milionários enviados às prefeituras para combater a covid-19.

Sérgio Arruda vem de um projeto antigo e que agora está consolidado pela formação de alianças partidárias e segmentos da sociedade que darão base para as eleições municipais. Sérgio Arruda é cacerense, e está maduro para a questão de administração pública para esta missão onde serão apresentados os projetos e apontamentos de soluções para dar a Cáceres uma gestão mais humanizada e de produtividade rumo ao desenvolvimento.

Com nomes de pré-candidatos, a vereadores selecionados e capacitados para legislar e fiscalizar, os pré-candidatos do partido estão cumprindo a missão que o vereador tem que fazer. O objetivo é a renovação dentro da Câmara de Vereadores e inovar as ações no poder legislativo.

Leia mais:   PSC deverá lançar nesta semana pré-candidatura de Valdeníria; já são 13 concorrentes a sucessão municipal

O médico Sérgio Arruda tem participado da formação do Aliança por Cáceres juntamente com Engenheiro Nakamoto do PRTB e outros partidos que estão construindo um plano de governo para apresentarem a sociedade. O grupo Aliança por Cáceres é composto por vários deputados estaduais, deputados federais e senador, que estão comprometidos para contribuir com Cáceres.

Fonte: Assessoria

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Prefeito prevê demissões de funcionários para enfrentar escassez de recursos provocada pela pandemia

Publicado

A demissão de trabalhadores contratados, principalmente, dos setores de varrição de ruas, asfalto comunitário e várias obras em execução no município, será uma das medidas adotadas pela administração, para enfrentar a escassez de recursos, provocada pela pandemia de coronavirus.

O anúncio é do prefeito Francis Maris Cruz que prevê períodos sombrios para economia municipal, principalmente, a partir do mês de outubro quando encerram os parcelamentos dos recursos federais para compensar as perdas dos repasses, como FPM, Fundeb e ICMS.

“Com o fim dos recursos federais para compensar as perdas dos repasses constitucionais, seremos obrigados adotar medidas rigorosas para fazer frente a escassez de recursos, caso contrário não teremos condições sequer de manter o pagamento dos salários e fechar as contas no final do ano” disse.

Francis se refere à Lei Complementar nº 173/2020, baixada pelo governo federal, também chamada “lei de ajuda financeira” que determina a liberação de recursos na ordem de R$ 26 milhões, aos municípios, divididos em quatro parcelas de R$ 6.5 milhões para compensar as perdas constitucionais.

Leia mais:   Técnicos estão produzindo relatória sobre logística e porto de Cáceres

Já foram liberadas duas parcelas, correspondentes aos meses de junho e julho, faltando as dos meses de agosto e setembro.

“Os secretários já estão orientados a fazer um levantamento criterioso de onde cortar gastos. Não estão descartadas demissões de trabalhadores cooperados, principalmente, dos setores de obras, como os empregados na pavimentação de asfalto, varrição e construção”.

O prefeito diz que embora esteja mantido o início de execução de alguns projetos e cronogramas de obras, como por exemplo, a construção do galpão da feira livre e a conclusão da Unidade de Pronto Atendimento – UPA, previsto para ser inaugurada até no final do mês, eles sofrerão desaceleramento.

“O cronograma de algumas obras será mantido. A UPA será inaugurada ainda neste mês, também será iniciada, neste ano a construção da área da feira livre. Porém, devem sofrer desaceleramento, porque vamos reduzir o número de máquinas transitando para economizar combustível” explicou.

Diz que, além da falta de recursos, ele faz questão de honrar o compromisso do pagamento dos parcelamentos das constas de energia da prefeitura herdadas dos prefeitos que o antecederam, que giram em torno de R$ 90 mil por mês, e ainda as contrapartidas para várias obras, como da própria UPA e creches.

Leia mais:   Após gestão de Dr. Leonardo, Governo Federal destrava pagamentos de obra de creche em em Cáceres

Sinézio Alcântara – Expressão Notícias

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana