conecte-se conosco


Mato Grosso

Órgãos estaduais e federais dão início à etapa de resposta aos incêndios florestais

Publicado

O lançamento da etapa de resposta da temporada de incêndios florestais foi realizado na tarde de segunda-feira (15.07) na praça das Bandeiras, em Cuiabá. Nesta fase órgãos estaduais e federais se juntam para o monitoramento e combate às queimadas em áreas rurais, evitando que se transformem em incêndios de grandes proporções causando danos ao meio ambiente e a saúde humana e de animais.

Áreas prioritárias, como Unidades de Conservação, entre elas Pantanal e Chapada dos Guimarães, terão monitoramento constante.

A etapa de resposta se inicia durante o período proibitivo entre 15 de julho e 15 de setembro, que foi estabelecido por meio de decreto. O prazo pode ser prorrogado dependendo das condições climáticas. Durante estes meses fica proibido o uso de fogo em áreas rurais para limpeza e manejo até mesmo para os proprietários que tem certidão com autorização de queima controlada.

A proibição considera o aumento de focos de incêndio, devido ao período de estiagem, calor intenso e baixa umidade. As queimadas em perímetro urbano são proibidas durante o ano todo.

A secretária de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, falou da importância da colaboração da sociedade durante este período.

“Nosso objetivo é o controle e combate aos incêndios florestais em uma resposta rápida e com o maior número de recursos humanos e tecnológicos à nossa disposição. É um período complicado para o Estado e a população pode colaborar denunciando. Os esforços estão concentrados em promover uma diminuição no impacto da qualidade de vida do cidadão”.

A penalidade para quem provocar queimadas está prevista em lei, de acordo com a gestora.

“Desde multa até prisão para quem for pego em flagrante cometendo o incêndio está previsto na lei de crimes ambientais. A penalidade administrativa vai ser aplicada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e pelos órgãos cooperados e parceiros que estão trabalhando conosco. A sanção é dependendo do tamanho e peso da infração”, explicou Mauren.  

Leia mais:   Prefeitura decreta situação de emergência sanitária e ambiental em Cáceres

Centro Integrado

As secretarias de Segurança Pública e de Meio Ambiente junto com órgãos federais, como Ibama e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), trabalham de forma cooperada em Mato Grosso para minimizar os riscos com um Centro Integrado e com o desenvolvimento de etapas de preparação, prevenção, resposta e responsabilização. Os Bombeiros terão salas de situação desconcentradas em Cuiabá, Barra do Garças, Tangará da Serra, Sinop e Cáceres, com apoio dos Comandos Regionais dos municípios.

“Uma equipe formada por todas as instituições envolvidas trabalham no Centro Integrado para fazer o monitoramento do Estado e articular as operações integradas. A atuação em conjunto faz com que esta operação funcione muito bem, uma vez que Mato Grosso possui grandes áreas agrícolas e o clima é mais propício a esse tipo de incidente. Temos alcançado resultados positivos ao longo dos anos na diminuição dos focos do calor e no impacto causado na natureza e na qualidade de vida do cidadão”, afirmou o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso, Alessandro Borges. 

Ele ainda explicou como são monitorados os focos de calor no Estado.

“O monitoramento destes focos acontece na Sema, que indica locais para realizar operações de campo com o objetivo de diminuir focos de incêndios criminosos e identificar locais mais propícios devido a umidade baixa e supressão de massa de vegetação. Analisamos também os municípios que mais queimaram nos últimos anos. O trabalho preventivo, de educação ambiental e conscientização realizado nas outras etapas também é muito importante”, destacou.

Leia mais:   Sema oferece curso de multiplicadores em Educação Ambiental em Sinop

O Corpo de Bombeiros deixa uma alerta para a população. “É uma época de vegetação muito seca e incêndios ocorrem com mais facilidade. Precisamos da colaboração da sociedade para que não jogue pontas de cigarro ou promova limpeza de área rural, porque com a vegetação esturricada e com o vento não será possível controlar o fogo que se propaga muito rapidamente neste período. Sem a ajuda da sociedade, não temos como fazer este enfrentamento sozinhos”, pontuou o comandante.

Combate aos incêndios florestais

O secretário-executivo do Comitê Estadual de Gestão do Fogo, Paulo Barroso, destacou que a etapa de resposta acontece diretamente em 48 municípios do Estado. O combate em Mato Grosso é feito em parceria entre Ibama, ICMbio, Secretarias de Estado de Meio Ambiente e de Segurança Pública – por meio do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar Ambiental, Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema) e  Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec). A Defesa Civil do Estado é solicitada quando o incêndio atinge grande proporção, que pode se transformar em desastre.

Para esta temporada está previsto o uso de 87 veículos, dois aviões e um helicóptero e 1.327 combatentes entre civis e militares, se revezando entre 350 e 400 homens por dia. O investimento conjunto de todas as agências previsto é de R$ 8,5 milhões.

Denúncias e atendimentos

O atendimento imediato e combate aos incêndios florestais deve ser acionado pelo número 193 do Corpo de Bombeiros. Já em caso de denúncias de queimadas nas áreas rurais, o cidadão deve entrar em contato pelo 0800 647 7363.

Queimadas urbanas devem ser denunciadas na prefeitura do município da ocorrência, nas Secretarias Municipais de Meio Ambiente ou Defesa Civil municipal.  

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Comunidade indígena da Aldeia Kururuzinho comemora entrega de escola nova

Publicado

Cerca de 160 alunos da Escola Estadual Indígena Itaawy’ak, localizada na Aldeia Kururuzinho, que fica entre os municípios de Apiacás (a 1.010 quilômetros de Cuiabá) e Jacareacanga (PA), foram beneficiados com uma escola nova. A entrega da obra foi realizada neste domingo (18.08) em uma cerimônia que reuniu toda a comunidade, profissionais da educação e autoridades políticas da região.

O superintendente de Obras da Seduc, Milton Mendonça Jaqueira, explicou que a execução do novo prédio foi realizada pela empresa São Manoel Energia, por meio de acordo de cooperação técnica e em atendimento ao Programa de Fortalecimento das Organizações Indígenas do Plano Básico Ambiental Indígena (PBAI).

“Que essa escola seja o alicerce para um futuro digno para todo o povo dessa terra. Espero que daqui saiam grandes profissionais e grandes líderes para cuidar e defender as comunidades indígenas do nosso país”, disse.

O novo prédio é composto por seis salas de aula, laboratório de informática, refeitório, quadra poliesportiva, alojamento para os professores e dependência administrativa. O atendimento será para alunos do ensino fundamental e médio.

Leia mais:   Conferência discute processo de retomada de transplante renal em Mato Grosso

A escola estadual Itaawy’Ak foi umas das primeiras unidades criadas em Mato Grosso para atender alunos indígenas. A aldeia Kururuzinho, da etnia Kayabi, fica localizada às margens do Rio Teles Pires.

Conforme destacou a assessora pedagógica de Apiacás, Érica Mota, o atendimento à essa escola requer dos profissionais da educação muita logística, pois estão, em sua maioria, margeando o Rio Teles Pires, acesso esse que exige horas de viagem por estrada não pavimentada e tantas outras por via fluvial.

“Fico encantada ao encontrar nessas aldeias crianças e jovens que mesmo na diversidade estão sendo ensinadas a ler e escrever sem perder sua cultura, pois a língua materna, práticas culturais e sustentabilidade, práticas agroecológicas e tecnologias indígenas são disciplinas obrigatórias nessas escolas”, observou a assessora.

“Hoje é um dia muito especial para nosso povo, pois receber uma escola com toda essa estrutura era um sonho que está sendo realizado. Aqui serão formados nossos alunos e garantir um futuro melhor para todos”, disse o cacique Elenildo Kayabi.

Leia mais:   Mato Grosso planeja transição da matriz energética

Segundo o diretor da escola, Elimar Akay, a escola atende alunos da região dos municípios de Apiacás, Alta Floresta e também de Jacareacanga (PA). “O saber e o conhecer é o caminho para um futuro melhor de qualquer comunidade e essa escola vai facilitar a execução do nosso trabalho”.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Conferência discute processo de retomada de transplante renal em Mato Grosso

Publicado

Com o tema “Transplante Renal: Desafios e Oportunidade para a Nova Realidade de Mato Grosso”, os profissionais da Saúde que integram a equipe da Central Estadual de Transplante da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) e são atuantes no processo de retorno do serviço de transplante de renal no Estado participaram, nesta terça-feira (20), da Conferência de alinhamento dos procedimentos técnicos de desenvolvimento do programa.

O evento contou com a presença do secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, que falou sobre a importância do retorno desses serviços para os pacientes que precisam realizar este tipo de cirurgia.

“Essa força-tarefa, que envolve diversos protagonistas, retomará os transplantes de rim em Mato Grosso. Temos a certeza de que a convergência existente em um projeto dessa natureza será coroada com muito êxito e não faltará apoio do Governo do Estado no sentido de vencer os obstáculos – pois não é à toa que a iniciativa está paralisada há 10 anos. Pretendemos exercer um trabalho proativo de conscientização sobra a importância da doação de órgãos para a população que, certamente, será a maior beneficiada”, declarou.

Leia mais:   Prefeitura decreta situação de emergência sanitária e ambiental em Cáceres

Outro foco da Conferência foi reunir os representantes das Clínicas de Hemodiálise para apresentar o programa, visto que esses profissionais atuam na indicação dos pacientes que necessitam integrar a lista de pessoas à espera do transplante de rim.

Segundo informações repassadas pela coordenadoria Estadual de Transplantes, representado pela coordenadora Fabiana Molina, a Central já iniciou um processo de acompanhamento ambulatorial que está quantificando o número de pacientes que vão fazer parte da lista de seleção para realizar a cirurgia de transplante.

“Já iniciamos o acompanhamento ambulatorial, já avaliamos cerca de 200 pacientes, que estão em diversas fases. Nos próximos dias, vamos iniciar a listagem de pacientes, colocar todos no cadastro técnico para que eles possam de fato ser selecionados para um transplante na situação em que houver órgãos disponíveis aqui em Cuiabá”, explicou Fabiana.

A secretária adjunta de Regulação, Controle e Avaliação da SES-MT, Fabiana Bardi, disse que a retomada dos procedimentos de transplante Renal é uma grande conquista não penas para SES-MT, mas principalmente para Estado, pois este serviço foi interrompido há 10 anos.

Leia mais:   Policiais civis e militares prendem suspeito de estupro ocorrido em Várzea Grande

“Agora nós conseguimos, vamos dar início a retomada deste serviço que é tão importante para aqueles que precisam. Além disso, com essa retomada, teremos uma grande economia para o Estado, pois um dos maiores valores é o gasto com transporte de pacientes para fora de Mato Grosso”, pontuou a gestora.

Ainda de acordo com a secretária, a SES-MT trabalha intensamente para que o Estado comece a realizar ainda este ano os primeiros transplantes, pois os procedimentos documentais já foram protocolados no Ministério da Saúde e o Secretário trabalha intensamente para buscar todas as liberações necessárias para reiniciar os trabalhos.

Para alinhar toda parte estratégica, a Conferência contou com a participação do médico Valter Garcia, membro da Câmara Técnica de Transplante Renal do Ministério da Saúde. O profissional possui e um vasta experiência e veio para contribuir com os elementos finais para o reinicio das atividades.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana