conecte-se conosco


Destaque

Operação Harlem – PF deflagra operação contra tráfico de drogas em Mato Grosso

Publicado

Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (09) a segunda fase da Operação Harlem, com o objetivo de desarticular associação criminosa voltada para o tráfico de drogas na região de Barra do Garças (MT) e Aragarças (GO).

Mais de 50 policiais federais cumprem 10 mandados de prisão preventiva, 11 mandados de busca e apreensão, além do sequestro de bens.

Leia também – Justiça mantém prisão de DJ que vendia drogas sintéticas

 

A ação também conta com a participação do Grupo de Pronta Intervenção da Polícia Federal e dos cães farejadores da PF, Déa e Tommi.

Os suspeitos foram identificados após a deflagração da primeira fase da operação, ocorrida em 12 de julho de 2018. A análise dos celulares apreendidos nas buscas e apreensões permitiu identificá-los.

A PF apurou que os novos suspeitos possuem envolvimento crucial na organização, sendo fornecedores dos investigados que já se encontram presos, atuando ainda como distribuidores para outros grupos criminosos e transportadores para ‘bocas de fumo’.

A maioria dos investigados possui vasta ficha criminal, sendo que alguns vinham comercializando entorpecentes de dentro do presídio de Aragarças, com a ajuda dos respectivos companheiros ou pessoas ligadas ao tráfico.

Leia mais:   Insatisfeitos representantes de partidos políticos fazem movimentação de protesto na Câmara

As ordens judiciais foram expedidas pela Justiça Estadual da Comarca de Aragarças (GO).

Origem do nome 

O nome da operação faz alusão ao bairro Harlem, palco do seriado Luke Cage (Marvel), onde um traficante e líder de uma organização criminosa comanda o tráfico de drogas local.

O bairro é situado na cidade de Nova York/EUA e é cortado pelos rios Hudson e Harlem.

Na investigação da PF, o principal suspeito é líder de uma organização criminosa que comanda o tráfico na cidade de Aragarças/GO, cidade cujas divisas também se dão por rios, o rio Garças e o rio Araguaia.

Vídeo

GD
Comentários Facebook

Destaque

Dona de casa de Pontes e Lacerda morre por coronavirus no Hospital São Luiz

Publicado

Um novo óbito por coronavirus foi confirmado, na noite desta quarta-feira (3/6) no Hospital São Luiz, em Cáceres. A dona de casa Maria Wanderleia Massavi, 52 anos, moradora de Pontes e Lacerda, faleceu por volta das 19h30.

Ela foi transferida para Cáceres há 10 dias, depois de iniciar o tratamento em Pontes e Lacerda.  Wanderlei deixa esposo e três filhas. O corpo, de acordo com familiares, será trasladado para o município da vítima, nas próximas horas.

Foi o segundo quadro de complicação fatal no hospital, em apenas, um dia. Primeiro foi o do professor da Unemat, Adriano Silva. O ex-reitor foi internado na segunda-feira. O quadro clínico se agravou, teve problema pulmonar, foi entubado, levado as pressas para Cuiabá, faleceu no início da noite.

De acordo com Boletim Médico expedido pelo hospital, às 16h30 antes nas mortes, havia internados na unidade cinco pacientes. Sendo dois confirmados e três suspeito com a Covid-19. Três pacientes estavam na enfermaria e dois internados na UTI.

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde – SES existem em Cáceres, 34 casos confirmados do novo coronavirus e 43 suspeitos. E, ainda 229 casos descartados da doença. Foram computados para o município três óbitos.

Leia mais:   Insatisfeitos representantes de partidos políticos fazem movimentação de protesto na Câmara

Sinézio Alcântara – Expressão Notícias

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Presidente da Fapemat, Adriano Silva, morre de covid-19

Publicado

Após parada cardiorrespiratória, o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso, Adriano Silva, morreu na noite desta quarta-feira (3), em Cuiabá. Ele foi transferido de Cáceres, onde estava internado, para a clínica Femina na capital.

Professor do curso de Direito da Unemat, ele foi reitor da instituição. Adriano contou em uma rede social no dia 1º que passou mal e procurou um médico que o recomentou a internação.

Os sintomas eram da covid-19. Nesta quarta-feira, Adriano teve complicações pulmonares, foi entubado e transferido para Cuiabá, já que em Cáceres não tinha UTI para o caso do professor.

Por volta das 20h47, o governo de Mato Grosso confirmou a morte do presidente da Fapemat. A nota diz que no domingo (31), ele sentiu os sintomas da covid-19.  Foi internado em um hospital particular de Cáceres na segunda-feira. Ele estava internado em um leito de UTI na unidade.

“Nesta quarta-feira, teve uma parada cardíaca, ainda em Cáceres, quando foi estabilizado. A pedido da família foi transferido para uma unidade hospitalar da rede particular em Cuiabá, no final da tarde desta quarta-feira. Durante a transferência, em UTI aérea, sofreu duas paradas cardíacas. Ele não resistiu e morreu no início desta noite. O presidente fez o exame de Covid-19, cujo resultado ainda não saiu”. diz o governo.

Leia mais:   Lojas do Grupo Juba aceitam pagamentos do auxílio emergencial em débito digital

O governador Mauro Mendes e a primeira-dama Virginia Mendes lamentam profundamente o falecimento do amigo e gestor e prestam condolências aos familiares. Suplente de deputado federal, Adriano estava filiado ao DEM.

pablo@gazetadigital.com.br

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana