conecte-se conosco


Destaque

Na Rede Pública: Jovens de 20 a 29 anos devem se vacinar contra sarampo

Publicado

Há quase duas décadas Mato Grosso não tem registros de casos de sarampo. O dado foi confirmado pelo secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo.

“Não existe nenhum caso efetivo de sarampo em Mato Grosso. Estamos há 19 anos sem nenhum registro da doença. Estamos fazendo um grande esforço para que essa doença não atinja nosso Estado, por isso, estamos convocando as pessoas para se vacinar”, disse Gilberto.

Leia também – Mato Grosso registra 76 focos de calor em 48 horas

A primeira etapa da vacinação, realizada entre os dias 7 e 25 de outubro, foi voltada para a imunização de crianças de 6 meses a menores de 5 anos. Mato Grosso está na lista dos 10 Estados que atingiram a meta de vacinação.

E para manter os bons resultados e garantir a proteção, o Estado distribuiu, aos 141 municípios, as 35 mil doses extras da vacina para a realização da segunda etapa da campanha, que começou no dia 18 de novembro e tem como público-alvo jovens na faixa etária de 20 a 29 anos. No entanto, a vacinação de crianças continuará acontecendo normalmente.

Leia mais:   Nove municípios de Mato Grosso passam a contar com atendimento online da Defensoria Pública

De acordo com as informações repassadas pelo gestor da saúde, mais de 100 municípios já atingiram a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde. Porém, outras 38 cidades ainda estão distantes do quantitativo ideal de pessoas imunizadas e a cobertura é considerada baixa.

“A maioria dos municípios do Estado já atingiu a cobertura, 103 cidades atingiram a meta, mas temos 38 municípios que precisam fazer um esforço para atingir a meta. Isso é preocupante, pois em alguns municípios o índice é inferior de 50%. Precisamos atingir a cobertura vacinal de todas as cidades do Estado”, afirmou Figueiredo.

De acordo com os dados da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), alguns municípios da baixada cuiabana – como Chapada dos Guimarães, Rosário Oeste, Santo Antônio de Leverger e Várzea Grande – apresentam índice baixo de cobertura vacinal.

A Campanha de Vacinação contra o sarampo faz parte das ações do Movimento Vacina Brasil e o Dia D será realizado no dia 30 de novembro, mesmo dia em que a campanha se encerra.

Leia mais:   Farmacêutica fala sobre descarte correto de medicamentos – Dia Mundial do Meio Ambiente

Perspectiva nacional

Conforme dados do Ministérios da Saúde, de janeiro deste ano até outubro, foram confirmados 10.429 casos de sarampo no Brasil. A maioria em municípios do Estado de São Paulo, mas a transmissão encontra-se ativa. Para proteger a população, interromper a circulação do vírus e garantir a proteção para novos casos da doença, uma força-tarefa foi montada para que os pais levem os filhos aos postos de saúde para receber a dose da vacina.

Sobre o sarampo

O sarampo é uma doença viral altamente contagiosa, que pode evoluir para complicações graves e óbitos. A doença é transmitida por meio das secreções expelidas pelo doente ao falar, tossir e espirrar. O comportamento endêmico/epidêmico do sarampo varia de um local para outro e depende basicamente da relação entre o grau de imunidade e a suscetibilidade da população, bem como da circulação do vírus na área.

Assessoria

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Meu filho estava na hora errada e no lugar errado, diz mãe de soldado que dirigia o veículo envolvido no acidente

Publicado

A comerciante Alessandra Ribeiro do Prado, mãe de um dos soldados do Exército que se envolveu no acidente que destruiu totalmente o veículo HB-20 e, parcialmente, uma casa na Avenida dos Bandeirantes, bairro Santos Dumont, diz que o seu filho é um jovem direito e que “estava na hora errada e no lugar”.

“Não que eu esteja passando a mão na cabeça dele. Meu filho não estava bêbado, meu filho é um jovem direito. Ele só estava na hora errada e no lugar errado” garante. Alessandra é mãe do soldado que dirigia o carro. O acidente envolvendo três soldados ocorreu na noite de segunda-feira por volta das 22h.

Na tentativa de escapar da Polícia Militar, os soldados colidiram, destruindo parcialmente a casa. Consta no Boletim de Ocorrência, que além de o condutor do veículo não portar habilitação, havia no interior do veículo, carne e algumas latas de cerveja. O que sugere que estivessem fazendo uma festa.

E, ainda duas garotas, supostamente, menor de idade. Sem contar que eles, desobedeceram a ordem de parada do veículo, orientada pela guarnição policial, resultando em perseguição e o acidente. As duas garotas feridas foram socorridas e encaminhadas ao Hospital Regional, pelo Corpo de Bombeiros.

Leia mais:   Projeto Bichos do Pantanal apresenta sua agenda para a Semana do Meio Ambiente

“No meu entendimento foi uma fatalidade” diz Alessandra contando que, os soldados estariam indo a uma confraternização. “Havia saído dinheiro do quartel e eles se reuniram para fazer uma confraternização entre os colegas. Meu filho saiu para buscar uma garota que era namorada de um colega dele”.

Diz que, ele havia tomado apenas uma lata de cerveja até porque, segundo ela, ele estava restabelecendo de uma doença.

“Ele ficou internado no mês passado com um problema nos rins. Tomou apenas uma latinha de cerveja. Foi uma fatalidade” afirma assegurando que “ele não parou o carro porque ficou com medo e se apavorou não ter habilitação” diz confessando que “eu errei por ter dado chave do carro a ele”.

A comerciante reafirma que seu filho é um rapaz direito que nunca fez nada de grave que pudesse comprometer sua idoneidade. “Ele é um rapaz direito. Mas, agora ele vai ter que pagar pelo erro que praticou” diz assinalando que está procurando as famílias das garotas que saíram feridas do acidente para ajudar no que for necessário.

Leia mais:   Meu filho estava na hora errada e no lugar errado, diz mãe de soldado que dirigia o veículo envolvido no acidente

Alessandra Prado afirma que, além da comoção com a “fatalidade” a família também terá prejuízos financeiros porque o veiculo não estava no seguro.

Coronel Ricardo Vieira Coelho, do Comando de Fronteira do Jauru, antigo 2º Batalhão de Fronteira, informou a pouco que os três militares envolvidos no acidente estão presos à disposição da Justiça. Disse ainda que o comando instaurou um procedimento disciplinar para apurar o caso. E, que se comprovado que eles foram responsáveis pelo acidente podem ser excluídos do Exército.

“Eles já estão presos no batalhão à disposição da Justiça. São jovens de 19 anos. Mas, nada justifica o que fizeram. Inicialmente serão punidos. E, caso o procedimento militar conclua que eles cometeram crimes podem ser excluídos à bem da disciplina do Exército. O processo disciplinar terá prazo de 8 dias. Só após o resultado desse trabalho e que se saberá o grau de punição aos acusados.

Sinézio Alcântara – Expressão Notícias

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Soldados envolvidos em acidente podem ser excluídos do Exército, afirma coronel

Publicado

Os soldados envolvidos no acidente que destruiu o veiculo e parcialmente uma casa na Avenida dos Bandeirantes, bairro Santos Dumont, deixando duas garotas, menores de idade, feridas, estão presos e podem ser excluídos à bem da disciplina do Exército. A afirmação é do coronel Ricardo Vieira Coelho, do Comando de Fronteira de Jauru, antigo 2º Batalhão de Fronteira.

“Eles já estão presos no batalhão à disposição da Justiça” afirmou o oficial assinalando que será instaurado um procedimento disciplinar militar para apurar o caso. “São jovens de 19 anos. Mas, nada justifica o que fizeram. Inicialmente serão punidos. E, caso o procedimento militar conclua que eles cometeram crimes podem ser excluídos à bem da disciplina do Exército”.

O procedimento disciplinar a que se refere o coronel Vieira já foi instaurado pelo comando. A comissão disciplinar terá prazo de 8 dias para concluí-lo. Só após o resultado desse trabalho e que se saberá o grau de punição aos acusados.

O acidente no qual envolveram três soldados do Comando de Fronteira Jauru ocorreu na noite de segunda-feira (1/6). Na tentativa de escapar da polícia militar, conduzindo um HB-20 branco, placas OBD – 1502, os soldados colidiram, destruindo parcialmente uma casa.

Leia mais:   Nove municípios de Mato Grosso passam a contar com atendimento online da Defensoria Pública

A situação é desfavorável aos militares. Consta no Boletim de Ocorrência confeccionado pela Polícia Militar, que além de não portar habilitação, havia no interior do veículo, algumas latas de cerveja. E, ainda duas garotas, supostamente, menores de idade. Sem contar que eles, desobedeceram a ordem de parada orientada pela guarnição policial, resultando em perseguição.

Com o impacto da colisão, peças do carro, ficaram espalhadas pelo chão. A bateria foi arremessada há 5 metros do local. Feridas, as garotas foram socorridas pela guarnição do Corpo de Bombeiros que as conduziram para o Hospital Regional. Os militares foram submetidos a exames médicos no batalhão.

Policiais militares que atenderam a ocorrência, conforme os familiares, informaram que a perseguição começou na Avenida 7 de Setembro. Os soldados estariam conduzindo o veículo com os faróis apagados. A polícia diz que, ao sinalizarem para que parassem, eles saíram em alta velocidade. E, em dado momento perderam a direção vindo a chocar com a casa.

Proprietário do imóvel, o comerciante, Alexandre dos Santos e Silva, diz que foi um “momento de horror” vivido pela família.

Leia mais:   Eliene diz que não esperava que Francis lançasse outra candidatura.

“Eu havia acabado de chegar. Quanto escutei o estrondo sai do quarto e vi a frente da minha casa destruída. Foi um momento de horror” conta lembrando que ainda foi atingido por estilhaços do vidro da porta. Alexandre diz que, sua filha que, nesta terça-feira, completa um ano, renasceu. “A minha filha renasceu. Ela estava no berço e uma parede caiu junto dela. Foi um milagre”.

O comerciante ainda não avaliou o valor da reconstrução da parte da casa destruída. Mas, afirma que irá responsabilizar os militares pelo prejuízo.

Sinézio Alcântara – Expressão Notícias

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana