conecte-se conosco


Destaque

Município perde mais de R$ 1 milhão de recursos da Saúde, denuncia vereador

Publicado

Além dos repasses referentes aos salários dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) que o município, supostamente, não recebeu, em 2018, Cáceres também não está recebendo os recursos de Assistência Farmacêutica, que deveria ser de mais de R$ 500 mil por ano. A nova denúncia do setor de saúde, foi feita pelo vereador Cesare Pastorello (SD) durante Audiência Pública, na Câmara Municipal. Os dois recursos, segundo ele, totalizam anualmente, mais de R$ 1 milhão de prejuízos aos cofres públicos.

“Infelizmente o desempenho da saúde em Cáceres é péssimo. Além dos R$ 543 mil dos Agentes Comunitários de Saúde, temos informações que, o município também não recebe os recursos da Assistência Farmacêutica que soma mais de R$ 500 mil ao ano” disse apresentando dados em uma tela que, segundo ele, mostra que, enquanto os outros municípios, com população inferior a Cáceres, recebem mais de meio milhão de reais da Assistência Farmacêutico do Ministério da Saúde, Cáceres recebeu, em 2018, apenas R$ 24 mil.

“Não vamos comparar Cáceres com Sinop ou Tangará da Serra. Para fazer esse parâmetro vou citar os 100 municípios mais pobres do Brasil, o G100, usando outros municípios do G100 com população aproximada. É daí que vemos que os municípios “pobres” do tamanho de Cáceres recebem até 35 milhões por ano do SUS. E, Cáceres, menos de 10 milhões.” afirmou o vereador.

Para exemplificar o vereador citou o município mineiro de Caratinga com população de 91.503 habitantes e que também está inserido entre os 100 mais pobres do país. Com menos de dois mil habitantes que Cáceres – que tem 93.882- a cidade mineira teria recebido, em 2018, R$ 35.740.276,25, de custeio do SUS, enquanto a nossa cidade recebeu apenas R$ 9.856.117,64 e mais 2,25 milhões obtidos através do Consórcio Intermunicipal de Saúde.

Pelos cálculos, diz Pastorello, chegamos à conclusão que Caratinga recebe R$ 390,59 por habitante, enquanto Cáceres recebe apenas R$ 104,98. Mostrou também os municípios de Itabaiana (SE), com R$ 388,32 por habitantes e outros, todos acima de R$ 250,00 por habitante. Destacou que o repasse do SUS não é “per capita” mais por programas e eficiência no gasto dos recursos. Explicou que a comparação por população mede o desempenho de uma gestão de saúde.

Em justificativa de um requerimento feito a Secretaria Municipal de Saúde, se referindo a JC-Excelência Consultoria e Planejamento Ltda, contratada pela prefeitura, através da Secretaria de Saúde, o vereador salienta que “é reprovável, ainda que não seja ilegal, que recursos destinados à aplicação direta aos munícipes sejam desviados para o pagamento de empresas que assumem funções do poder público, não deixando no município capacitação, desenvolvimento dos servidores ou ganho indelével para a gestão”.

Leia mais:   Aumento da Carga Tributária pode afetar o comércio de Mato Grosso

E, acrescentou assinalando que “essas empresas são verdadeiras terceirizadoras de gestão, e a cada dia se pode comprovar mais a sua ineficiência sob o ponto de vista institucional para a administração e muitas vezes a própria ineficiência operacional. Isso ocorre porque gestores se “tranquilizam” deixando nas mãos dessas empresas funções administrativas, operacionais e de gestão, desnutrindo o serviço público até de capacidade para fiscalizar a prestação do serviço, culminando na indesejável dependência de empresas de assessoria”.

Em Nota de esclarecimento empresa

 diz que acusações são falsas

A JC Excelência Assessoria e Consultoria em Saúde, empresa vem sendo alvo ou seja, notícias falsas que circulam na internet e que se propagam de maneira negativa nas redes sociais. Por isso, a JC- Excelência que tem profissionais com mais de 20 anos de experiência em saúde, vem a público informar que tem cumprido seus compromissos institucionais no município de Cáceres-MT em seus objetos de trabalho e continuará promovendo com esforços suas atribuições, com foco a partir dos seus princípios éticos e cristãos. Dirigimos com toda franqueza a população que nada tememos quanto abertura de CPI, ou seja, de qualquer fiscalização, pois temos a transparência descrita em nossos trabalhos.

O Diretor Técnico Drº Aluísio Anjos, vê a tal divulgação ilegítima, acusadora, falsa, com sentido difamatório e oportunista.” querem colocar a empresa JC-Excelência como responsável por toda uma pasta complexa, chamada saúde e por todos os fatos ocorridos dentro da saúde, esquecem que temos objetos definidos de trabalhos e que conforme os denunciante bem conhecidos por ele.” Ficamos imensamente triste pois a empresa possui em Cáceres todos seus colaboradores cacerenses, que foram treinados e capacitados para os serviços , e essas famílias  sabem o quanto essa empresa é séria e nunca mediu esforços para os resultados de seus serviços sejam refletidos na população, e sempre somos vítimas de declarações infundadas e falsas.

A empresa jamais inventaria dados ou quaisquer que seja a forma de burlar produção de servidores da saúde para ostentar números irreais, não faz parte do nosso caráter de gestão, lembrando a toda a alimentação dos programas de saúde é realizada pelos são seus próprios servidores em suas unidades de saúde, estas se encontram equipadas com computadores, portanto a empresa JC-Excelência, não dispõem de digitadores de programas do Ministério da Saúde, são os próprios colaboradores/servidores que inserem as informações. E certamente são sérios a ponto de reproduzir apenas o seu próprio trabalho, e ter justificativas de suas produções, a nós e comprovamos a  orientação e direção aos seus gestores, coordenadores, gerentes em saúde e até mesmo diretamente nas unidades. e sistema em saúde é diferente de sistemas de informática.

Leia mais:   André D’Lucca apresenta ‘Os Segredos de Almerinda’ neste domingo, no Teatro Zulmira

Dizemos que a saúde teve um processo evolutivo nos últimos anos benéfico a população, com muitas dificuldades sim, mas é inegável o quanto evoluiu o município, porém é a pasta mais desafiadora eu existe, por isso é melhor criticar do que querer assumir a pasta e fazer algo pelo povo.

Todos os gestores, coordenadores, gerentes, que passaram pela saúde tiveram em seu entendimento a permanência da empresa no município, não entramos pelas portas do fundo, e não permanecemos por incompetência todos esses anos, mas infelizmente alguns querem e os fazem gratuitamente acusações infundadas para auto-promoção, onde pessoas que não entendem podem achar que a gestão municipal não está firmada no compromisso com a população, pessoas essas que nunca compareceram a secretaria para ouvir suas dificuldades e tentar ajudar independentemente do lado político que estejam.

Ressalto aqui que não tememos nada, e não devemos temer, só gostaríamos de ser ouvidos antes de vincular qualquer notícia, pois essa é a nossa constituição federal, no mínimo o direito de resposta, porém já fomos denegridos em fontes jornalísticas e desmoralizados.

Isso sim é ferir o trabalho de inúmeros cacerenses que lutam por uma saúde melhor e sabem das suas limitações. Nós sozinhos não temos a obrigação de conduzir uma saúde municipal para 100 mil habitantes e demais demandas vizinhas que atendemos, ela é feita por um conjunto de pessoas que como nós também recebem pelo seu trabalho, e fazem de forma esforçada, benigna, pois entendem a complexidade de fazer Saúde. Quando nos expõem, expõem em conjunto servidores comprometidos com a gestão, e sabem toda verdade do nosso trabalho, e no nosso caso atinge diretamente famílias cacerenses, de forma lamentável.

A saúde na administração pública reforça o Diretor Técnico Drº Aluísio Cláudio, precisa respeitar todas as burocracias impostas pelas leis, e não somos nós que vamos desrespeita-las. Os planos de crescimento e as ações continuam em andamento e reafirmam o compromisso da Empresa JC-Excelência em atuar na saúde, sempre pautada pela defesa do bem comum, da justiça, da paz e da solidariedade.

Drº Aluisio Cláudio Anjos Diretor Técnico

Editoria – Sinézio Alcântara

Comentários Facebook

Destaque

De janeiro a junho, 181 mulheres são vítimas de estupro em MT

Publicado

Dados fazem parte de um levantamento divulgado pela Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp-MT). São contabilizados os casos em que as vítimas têm idade entre 18 e 59 anos de idade.

De janeiro a junho deste ano, 181 mulheres foram vítimas de estupro em Mato Grosso, segundo um levantamento divulgado pela Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp-MT), nesta terça-feira (16). São contabilizados na listagem os casos em que as vítimas têm idade entre 18 e 59 anos de idade.

Em comparação do mesmo período do ano passado, quando foram registrados 196 casos, o número de registros diminuiu 8%.

De acordo com o levantamento, o número de vítimas meninas menores de 18 anos de idade diminuiu. Esse ano foram registrados 93 casos. Em contrapartida, 143 registros foram feitos no ano passado.

Essa classificação de faixa etária engloba os sexos feminino e masculino.

No primeiro semestre, Mato Grosso registrou 659 casos. No mesmo período do ano passado, 683 registros foram feitos.

Por G1 MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Cachorros salvam homem atacado por onça

Publicado

Um homem de 58 anos foi salvo por 5 cachorros de estimação ao ser atacado por uma onça-pintada em uma fazenda de Porto Murtinho, a 440 km de Campo Grande.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o ataque foi no último domingo (14) e a vítima precisou de atendimento médico por conta dos ferimentos. Conforme a ocorrência, o homem levou uma mordida e um tapa do animal na região das costas, o que causou vários arranhões.

Segundo a corporação, o homem foi verificar um mau cheiro em uma mata, acompanhado de seus cães. Ao chegar ao local, constatou que tratava-se de um animal morto, e neste momento, foi atacado pela onça. Os cães começaram a latir e partiram para cima da onça, assustando-a, e ela fugiu.

Segundo o coronel Queiroz da Polícia Militar Ambiental (PMA), em duas outras ocasiões, funcionários de fazenda foram verificar mau cheiro e foram atacados por onças também, porque especialmente a onça pintada costuma defender seu alimento.

“Ela mata a presa, depois fica se alimentando e vigiando essa carne. Essa é uma das formas em que ela pode atacar o ser humano. A onça não encara um ser humano adulto como presa, ela tende a se afastar, mas para defender seu alimento ou seus filhotes ela ataca”, explica.

Leia mais:   Lideranças pedem apoio ao governador sobre situação de Jarudore

De acordo com os bombeiros, o homem foi levado para o hospital da cidade. Ele foi atendido e liberado no mesmo dia. O G1 tentou contato com a vítima, mas até a publicação desta reportagem as ligações não foram atendidas.

fonte: G1

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana