conecte-se conosco


Mulher

Mitos e verdades sobre ganho de peso durante a gestação

Publicado

O natural é ganhar um quilo a cada mês na gestação?

Mito Varia de cada mulher. Mas o normal é que a gestante ganhe entre 1 a 2 quilos por mês, no primeiro trimestre. Após este período, 500 gramas por semana.

A mulher engorda mais no fim da gravidez.

Verdade. Esta questão também varia de cada mulher. Mas, no final da gestação é comum que a gestante engorde um pouco mais de 1 quilo, devido ao aumento da concentração de líquidos no corpo. Mas varia muito.

 

Engordar muito significa dizer que o bebê será grande.

Mito. O ganho de peso pode estar associado, também, a quantidade de líquido amniótico.

Crianças com mães obesas ou que ganharam muito peso na gestação são mais propensas a se tornarem obesas.

Verdade. Na fase adulta sim. Também é interessante lembrar que há chances da criança desenvolver: hipertensão, diabetes, doenças cardiovasculares e renais.

 

Se ela engordar nos primeiros meses pode fazer dieta nas 10 últimas semanas.

Mito. O recomendado é que a gestante controle os alimentos que esteja ingerindo e que ela realize seis refeições pequenas ao longo do dia. Dietas são recomendadas após a amamentação.

 

A mulher que está acima do peso e se descobre grávida não pode fazer dieta?

Verdade. Dietas não são recomendadas durante a gravidez, porque o bebê não pode ser privado de determinados nutrientes para a sua nutrição. Caso isso aconteça, ele pode sofrer desnutrição fetal. Como indicado acima, a gestante pode ganhar, no máximo, 12 quilos. As dietas são recomendadas após o desmame

 

É preciso comer por dois durante a gestação senão o bebê nasce fraquinho.

Mito. Esta é uma crença popular. A gestante deve controlar mais o que está ingerindo para que não engorde mais do que 12 quilos. Engordar é um processo natural e ela não precisa aumentar a quantidade de alimentos, comparado ao de costume. É claro que ela deve comer em horários adequados. Caso ela tenha uma vida muito ativa – como trabalho e atividades físicas – deve-se ingerir um pouco a mais de carboidratos. Assim, ela ganha mais energia. Mas não precisa comer por dois.

 

Dr. Domingos Mantelli, ginecologista e obstetra – autor do livro “Gestação: mitos e verdades sob o olhar do obstetra”. Formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Santo Amaro (UNISA) e residência médica na área de Ginecologia e Obstetrícia pela mesma instituição. Dr. Domingos Mantelli tem pós-graduação em Ultrassonografia Ginecológica e Obstétrica, e em Medicina Legal e Perícias Médicas. Site: http://domingosmantelli.com.br

Comentários Facebook

Artigos

Como fica o sexo em tempo de Coronavírus?

Publicado

Sexólogo traz dicas para manter uma vida sexual blindada ao Covid-19

Isolamento social: esta é a medida que as pessoas no Brasil e no mundo estão adotando como forma de contenção à propagação do Coronavírus.  Em meio aos dias de confinamento, as pessoas têm tido de ser criativas para buscar entretenimento.

A masturbação; prática recomendada na rotina habitual das pessoas, e que comprovadamente faz bem à saúde, agora pode ser uma aliada durante a quarentena. Mas, a dúvida que impera entre as pessoas é: E o sexo? Está liberado fazer sexo em tempo de coronavírus?

A partir do princípio da necessidade de distanciamento social e da recomendação do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS) de manter, pelo menos, dois metros de distância das pessoas, compreende-se que, assim como beijos e abraços, o sexo também está incluído.

Segundo o urologista e sexólogo Danilo Galante, não há estudo que cite que é possível contrair coronavírus por relações sexuais, porém o risco está na aproximação dos corpos, uma vez que o vírus é transmitido por gotículas de saliva.

Quem precisa fazer abstinência sexual?

Pessoas que pertencem ao grupo de risco, como profissionais da saúde, por exemplo, e pessoas que estiveram com outras pessoas, declaradamente infectadas. De acordo com Galante, além da abstinência sexual, a orientação nesses casos é para que os parceiros durmam em quartos separados e se possível, em casas diferentes, além de evitarem dividir qualquer objeto de uso pessoal. Quem não tem parceiro fixo também deve optar por se preservar neste momento e evitar qualquer tipo de proximidade, uma vez que o simples fato de ir a um encontro, já é condenável pelo motivo de que, para isto acontecer, é necessário sair de casa.

Quarentena juntos

Nem para todo mundo tudo está perdido sexualmente falando. O cenário muda quando trata-se de casais que moram na mesma casa e estão fazendo isolamento juntos. “Se as duas pessoas estão na quarentena e se não apresentam qualquer tipo de sintoma, a OMS entende que não há riscos na prática sexual. Na verdade, este talvez seja um bom momento para se aproximar e ter mais contato com o par ou até se reinventar e aproveitar o tempo juntos para se redescobrir. Se saudável, o casal pode ir fundo nas fantasias, nos brinquedos e nos jogos sexuais”, afirma Galante.

Namoro à distância é permitido

O sexólogo recomenda que a quarentena é uma boa ocasião para estimular o contato na rede social. Para os solteiros, ou aqueles que estão afastados do seu parceiro, aplicativos de paquera, conversas apimentadas e trocas de nudes são uma boa pedida!

Dr. Danilo Galante – Formado em medicina pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) com especialização em Urologia pela UNESP. Pós-graduado em Cirurgia Robótica pelo Hospital Oswaldo Cruz – SP, além de Fellow Observer of Johns Hopkins School of Medicine Brady Urological Institute Laparoscopic and Robotic Urologic Surgery e doutorado na USP. Membro titular da Sociedade Brasileira  de Urologia e Instrutor do ATLS (Advanced Trauma Life Support), atua em áreas diversificadas como Cálculos Urinários; Infertilidade (incluindo Reversão de Vasectomia), Disfunção Sexual e Cirurgia Robótica. Site: https://drdanilogalante.com.br/

Redes Sociais:

Instagram: @drdanilogalante

https://www.instagram.com/drdanilogalante/

Facebook: @danilogalante.urologista

https://www.facebook.com/profile.php?id=100010710706213

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Coronavírus: higienização dos cabelos também deve ser considerada, diz especialista

Publicado

Lavar os cabelos diariamente e evitar o contato freqüente das mãos aos fios são uma das recomendações para combater o vírus

Entre os muitos cuidados para evitar a contaminação pelo coronavírus, lavar os cabelos com freqüência e evitar o contato das mãos nas madeixas pode ser mais uma iniciativa para manter a higiene e evitar contrair a doença.

Segundo o angiologista Álvaro Pereira, foi constatado pelo Medscape que o vírus se mantém vivo por períodos de tempo diferentes, variando de acordo com a superfície em que ele está. No cabelo e nas roupas, por exemplo, estima-se que ele sobrevive por cerca de seis horas.

O especialista afirma que os hospitais já seguem protocolos de higienização dos cabelos. Os profissionais de saúde que possuem cabelos longos devem prender os fios e, se em algum momento estiverem em contato com algum paciente com suspeita de Covid-19, usar toucas apropriadas.

Para a população em geral, uma boa higienização, lavagem dos fios diariamente, distanciamento das mãos no cabelo, além de prendê-lo, se for longo, é suficiente para afastar o vírus.

Algumas notícias circularam pela internet recomendando que as pessoas evitassem usar shampoos, ao alegar que o produto não tem pH suficiente para matar o vírus, no entanto, o Doutor Álvaro salienta que não há nenhum fundamento ou estudo científico que comprove isto, muito pelo contrário, o ideal é sempre higienizar os fios e deixá-los limpos.

Preocupada com este momento de pandemia, a Cosmedical disponibiliza no mercado a linha Capellux de dermocosméticos feitos com ingredientes 100% naturais, que atuam não só na limpeza profunda dos cabelos – sendo grandes aliados no combate ao coronavírus, como também ajudam a tratar a queda dos fios e o seu envelhecimento.

Entre os shampoos, destacam-se o Capellux Antiqueda: capaz de reduzir a perda capilar em até 60%, além de aumentar a espessura dos fios, graças à combinação de três ativos botânicos: baicalina (extrato de planta comumente utilizado pela medicina oriental), germinados de soja e trigo e a cafeína; juntos, eles agem diretamente no couro cabeludo, estimulando o crescimento, a força e o brilho dos fios.

Já o shampoo Capellux Anti-Aging auxilia os fios grisalhos e enfraquecidos para que recuperarem rapidamente a cor original perdida por conta do envelhecimento e da menor produção de melanina (pigmentação natural do corpo). Através da combinação de bio nutrientes como arginina, citrulina, e taurina associados à cafeína, é possível acelerar o crescimento dos fios, protegendo a queratina (proteína que compõe os cabelos) além de escudar também o couro cabeludo contra a radiação ultravioleta e contra os radicais livres, que ajudam no envelhecimento celular.

Dr. Álvaro Pereira: Angiologista formado na FMUSP em 1978, residência em Cirurgia Vascular no HCFMUSP, Doutorado em Cirurgia Vascular na Divisão de Bioengenharia do INCOR – HCFMUSP, pós-doutorado no B&H Hospital – Harvard.

Cosmedical 
Empresa especializada em oferecer tratamentos seguros e inovadores aos seus clientes, desde terapia capilar à recuperação de musculatura pós esforço físico com o intuito de promover qualidade de vida, sem dor e sem esforço, tudo ao toque de um botão. Atuando com a alta tecnologia e a eficácia da fotobiomodulação por meio de LEDs, a empresa se tornou referência em equipamentos home device. A COSMEDICAL fabrica, comercializa e importa equipamentos para a saúde, desde 2008

Caroline Carpi

Equipe Agência Contato Comunicação

comunicacao5@contatomcg.com.br

carpicaroline@gmail.com

Tel:  (11) 3251-2359 / 3288-7108

WhatsApp Redação: (11) 9.4565-9078 / (11) 9.9279-6713 / (11)99007-2877

Instagram: @agenciacontatocomunicacao

Facebook: @agenciacontatocomunicacaomkt

Linkedin: https://www.linkedin.com/company/agência-contato-comunicação/

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana