conecte-se conosco


Sem categoria

Mês com a maior taxa de incêndios em 4 anos é registrado em 2020

Publicado

47% do uso do caminhão-pipa em ocorrências de queimadas, foram em agosto

O número de atendimentos de incêndio registrado na BR-163/364 em agosto de 2020 é o maior em 4 anos. Os dados são da Rota do Oeste e apontam ainda que das ocorrências registradas em 2020, em que houve a necessidade do auxílio do caminhão-pipa da Concessionária, 47% aconteceram neste mês. Os serviços foram prestados no trecho sob concessão, que vai de Itiquira à Sinop, compreendendo a BR-070 (Várzea Grande e Cuiabá).

Desde o início deste ano, até o dia 23.09, as equipes atuaram em 379 ocorrências de queimadas no trecho sob concessão, 39,33% a mais do que no mesmo período do ano passado. Só em agosto de 2020, as equipes foram acionadas 106 vezes para atendimentos de incêndio. O número é 73,77% maior do que os registros do mesmo período de 2019. Levando em consideração as ações durante o período proibitivo de queimadas em Mato Grosso (que teve início no dia 1° de julho e vai até o dia 30 de setembro), as equipes combateram entre julho e agosto, 188 incêndios. O dado aponta um aumento de 45,73% em relação ao mesmo período de 2019.

A Tenente Coronel do Corpo de Bombeiros, Sheila S. Santana explica que a presença da Rota do Oeste na BR-163/364 é um fator positivo no combate às queimadas. “Principalmente por chegar até o local do incêndio com mais rapidez, fazendo o primeiro atendimento, que é extremamente importante para que o incêndio não evolua e não vire uma ocorrência de grandes proporções”, diz. A Concessionária atua, e tem Integrantes preparados para agir, apenas em princípios de incêndio às margens da BR-163.

A empresa também possui comunicação eficaz com o Corpo de Bombeiros para que o combate a queimadas de grandes proporções seja feito de forma rápida, oferecendo apoio à Corporação. “O apoio é de extrema importância, porque sabemos que é um local que não vamos precisar nos preocupar, porque tem atendimento rápido. Se todas as estradas do estado tivessem o suporte que a Rota dá, seria bem melhor”, comenta o secretário executivo do Comitê do Fogo e Tenente Coronel do Corpo de Bombeiros, Paulo André Barroso.

Leia mais:   Débitos podem ser quitados pelo Refis e Regularize de forma on-line ou presencial

Atuação

 

Segundo a Rota do Oeste, ainda que a maioria das ocorrências não iniciem faixa de domínio, a fumaça que chega até a pista de rolagem causa transtorno e prejudica a visibilidade do condutor, exigindo maior cuidado do motorista que trafega na BR-163. O levantamento da Concessionária aponta que este ano a empresa realizou 15 interdições no trecho concessionado, devido a quantidade de fumaça na rodovia.

O gerente de operações da Rota do Oeste, Wilson Ferreira, explica que a medida é tomada quando a segurança dos usuários fica comprometida. “Quando a fumaça que vem das redondezas chega até a rodovia, nossa equipe realiza a devida sinalização e orienta os condutores no local. Sé há o comprometimento na visibilidade, realizamos a interdição total, com a autorização da Polícia Rodoviária Federal (PRF), até que os motoristas possam dirigir com segurança”, explica.

Para fornecer apoio ao Corpo de Bombeiros no combate aos incêndios, importante atividade para a segurança viária, a Rota do Oeste dispõe de cinco caminhões-pipa, que estão posicionados em locais estratégicos, em pontos onde existe um histórico de ocorrências para que a atuação seja feita ainda no foco inicial do incêndio. Além dos caminhões-pipa, a Concessionária possui 19 veículos de inspeção de tráfego (veículos que percorrem todo o trecho, prestando auxílio aos usuários, identificando ocorrências etc.), todos com abafadores. A orientação é de que a equipe de inspeção informe imediatamente ao Centro de Controle Operacional (CCO) sobre o indício de qualquer foco de incêndio, ampliando assim o atendimento e atuando no início da ocorrência.

Prevenção

 

A preocupação da Rota do Oeste com o aumento das ocorrências em época de estiagem é constante, por isso, o trabalho preventivo é realizado todos os anos, tendo início no mês de maio, quando a Concessionária intensifica os serviços de manutenção e limpeza da rodovia, executando a roçada (mecânica e manual) da faixa de domínio, construção de aceiros, que impedem que a vegetação avance.

É neste período que a empresa identifica os pontos com histórico de ocorrências para posicionar os veículos da empresa de forma estratégica. “É um trabalho que fazemos todos os anos e que permite que a nossa atuação aconteça, no início da ocorrência, quando o fogo ainda tem pequenas proporções”, explica Ferreira.

Leia mais:   Débitos podem ser quitados pelo Refis e Regularize de forma on-line ou presencial

Faixa de Domínio

 

Atualmente a Concessionária mantém sete equipes que atuam de forma permanente em todo o trecho, destas, três executam os serviços apenas no norte do estado, com a execução de roçadas (mecânicas ou manuais), evitando que a vegetação cresça na faixa de domínio, por no mínimo 4 metros da borda da pista de rolagem, conforme determina o contrato de concessão.

É importante lembrar que os produtores rurais que possuem propriedades às margens da BR-163, podem roçar a área localizada entre a cerca e o bordo da rodovia.  Para obter autorização para esta atividade, os interessados podem entrar em contato pelos telefones (65) 3056-9212 e (65) 99619-8157. A autorização é concedida em até 24h.

Mato Grosso

 

O cenário de aumento de queimadas acontece em todo o estado. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Mato Grosso teve 10.430 focos de incêndio em agosto de 2020. O número é 76,71% maior do que o mês anterior, e 23,01% a mais do que o mês de agosto de 2019. Santana comenta que, além da região do pantanal, os municípios de Novo Santo Antônio, São Félix do Araguaia, Ribeirão Cascalheira e Feliz Natal tiveram alta de ocorrências em 2020. Segundo o Inpe, Poconé foi o município de Mato Grosso que mais registrou queimadas em agosto, com 1.886 focos de incêndio.

Os dados Inpe apontam também que no mês de agosto, o Pantanal teve 202,31% de área queimada a mais do que no mês de julho de 2020. O tenente conta que está há 40 dia no Pantanal Mato-grossense e diz que este é o bioma mais atingido no estado. “Ele era o mais preservado, mas pelo menos 22% já foi queimado este ano. Estou atuando no resgate da fauna silvestre, pois muitos animais estão sofrendo com as queimadas”, fala. Barroso explica que vivemos um período de seca mais severo em 2020. Segundo ele, o ano representa a maior seca dos últimos 45 anos e, o acúmulo de biomassa e a dificuldade de acesso à mata são condições que influenciam no cenário, mas a ação humana, com incêndios criminosos também é um fator importante.

Assessoria

Comentários Facebook

Sem categoria

Débitos podem ser quitados pelo Refis e Regularize de forma on-line ou presencial

Publicado

Segue até o mês de dezembro o desconto de 75% nos juros e multas para quitação de débitos por meio Programas de Recuperação de Créditos (Refis e Regularize). O atendimento a contribuinte pode ser feito de forma presencial ou online nos canais de atendimento da Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Além de desconto, a negociação possibilita ainda opções de parcelamento em até 60 meses. Podem ser quitados pelo Refis débitos gerados até 2016, relacionados ao Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), Licenciamento, Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto Sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD). Pelo Regularize são negociados valores com órgãos estaduais como Sema, Detran, Procon, Indea e Ager.

Conforme o último levantamento da Subprocuradoria-geral Fiscal, 797.323 mil cadastros de pessoa física e 140.338 mil de pessoa jurídica estão inseridos em dívida ativa. Para negociação e emissão do boleto destes débitos, o contribuinte pode ligar no (65) 3613-5900, ir até a sede da procuradoria, bem como nas cidades onde tem Ganha Tempo, pode acessar o site da PGE ou utilizar os canais de atendimento (lista abaixo).

Leia mais:   Débitos podem ser quitados pelo Refis e Regularize de forma on-line ou presencial

Dessa forma, a negociação pode ser feita pelos sites dos órgãos ou e-mail: refis_pge@pge.mt.gov.br. No caso dos débitos do Regularize não inseridos em dívida ativa, a renegociação deve ser feita junto ao órgão que deu origem.

O atendimento é válido também para contribuintes que residem em outras regiões do Estado. Neste caso, o atendimento é feito em unidades do Ganha Tempo. Pelo site, o contribuinte deve acionar a aba “Portal do Contribuinte” e informar obrigatoriamente o tipo de processo (IPVA, Licenciamento), CPF ou CNPJ. A sede da PGE está localizada na a Avenida República do Líbano, nº 2258 – Cuiabá. O horário de atendimento é das 8h às 18h. Todas medidas de biossegurança são adotadas para evitar o contágio da Covid-19.

Para dar mais agilidade no processo de notificação aos contribuintes e evitar negativação nos órgãos de proteção de crédito, a Procuradoria tem informado a existência de débitos tributários via mensagem de texto no celular (SMS).

A mensagem informa que o CPF ou CNPJ será negativado no prazo de 10 dias, o valor do débito, data, e a qual imposto se refere. Além da negativação nos órgãos de proteção de crédito, a dívida ativa dificulta a obtenção de crédito, financiamentos, crediários e outras operações financeiras para procedimentos de pessoa física e jurídica.

Leia mais:   Débitos podem ser quitados pelo Refis e Regularize de forma on-line ou presencial

CANAIS DE ATENDIMENTO DA PGE

Gabinete da Subprocuradoria-Geral Fiscal

refis_pge@pge.mt.gov.br

Telefone: (65) 3613-5998

Celular/Whatsapp: (65) 9248-3233

Celular/Whatsapp: (65) 9608-8566

Coordenadoria de Dívida Ativa

Celular/Whatsapp: (65) 99238-0339

Coordenadoria de Compensação

Celular/Whatsapp: (65) 99244-4840

franciscosantos@pge.mt.gov.br

Superintendência de Gestão da Dívida Ativa

pasqualinaferreira@pge.mt.gov.br – 99238-4802

Atendimento Dívida Ativa

dividaativa@pge.mt.gov.br  – 99243-6157

rennersilva@pge.mt.gov.br  – 99246-8705

Assessoria

Comentários Facebook
Continue lendo

Sem categoria

Energia Elétrica: Dez dicas importantes para fazer uma obra em segurança

Publicado

Realizar atividades próximo à rede elétrica sem prestar atenção nas estruturas e cabos elétricos ao redor é uma combinação muito perigosa. Como os cabos são energizados, um rolo de pintura que encoste neles pode ter como consequência um acidente com ferimentos graves ou até mesmo um acidente fatal. Para evitar situações de risco e garantir que o serviço seja realizado com segurança, a Energisa traz algumas dicas para os profissionais que trabalham na construção civil ou mesmo aquelas pessoas que querem aproveitar um feriadão para fazer uma reforma na casa. São informações sobre pintura de fachada, manuseio de equipamentos metálicos, manobras com caminhão, entre outros.

“Quem trabalha com construção civil, vai reformar a casa ou instalar uma antena precisa avaliar muito bem o risco no local onde será feito o trabalho. Olhar 360 graus com atenção e observar, por exemplo, se há rede elétrica perto de onde está trabalhando. Essa é uma etapa muito importante e que pode salvar vidas. Segurança é a palavra que não pode ser esquecida”, comenta Victor Hugo Amorim, coordenador de Segurança do Trabalho da Energisa Mato Grosso.

Leia mais:   Débitos podem ser quitados pelo Refis e Regularize de forma on-line ou presencial

Victor explica que queimaduras, fraturas devido a quedas e até fatalidades podem acontecer quando a distância mínima de dois metros de segurança da rede de energia não é respeitada. “Alguns materiais metálicos sequer precisam tocar os cabos para provocar um choque elétrico por indução, basta estarem muito próximos”, lembra o coordenador.

Veja dez dicas do que deve sempre ser feito para garantir a segurança com a rede elétrica quando for fazer um obra ou uma reforma:

  1. Sempre use os equipamentos individuais de segurança;
  1. Mantenha distância segura da rede elétrica (cerca de 2 metros), principalmente ao movimentar materiais metálicos, como barras de ferro e arames;
  1. Ao realizar pintura de fachadas, ev​ite o uso de extensores nos cabos, pois eles poderão se aproximar ou tocar a rede elétrica;
  1. Nunca deixe vergalhões e calhas tocarem na rede;
  1. A montagem de andaimes deve ser planejada e com sinalização correta quando estiver próxima à rede de energia. Sempre que possível a rede deve ser protegida por mantas isolantes, instalada por profissional qualificado. Consulte as normas de segurança para o distanciamento correto;
  1. Consulte um profissional qualificado sempre que for interagir próximo a rede elétrica ou consulte a sua distribuidora de energia elétrica;
  1. Cuidado ao manobrar caminhões perto da rede elétrica; verifique a altura do caminhão e da rede e evite descarregar materiais debaixo da rede elétrica.
  2. Ao instalar ou consertar antenas, escolha um lugar afastado dos fios, observando quando o tempo estiver bom, sem chuva. Caso a antena caia na fiação, nunca tente segurá-la ou recuperá-la.
  1. Certifique-se de que as instalações elétricas não estão danificadas e que são dimensionadas para a carga elétrica instalada;
  1. Não use gambiarras ou benjamins (T) e não deixe fios expostos no local de trabalho;
Leia mais:   Débitos podem ser quitados pelo Refis e Regularize de forma on-line ou presencial

Caso perceba alguma situação de risco, entre em contato com a Energisa:

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana