conecte-se conosco


Política

Max Russi pede estrutura para agricultura familiar de São José do Povo

Publicado

O deputado Max Russi acredita que a assistência é uma forma de ajuda vital para os pequenos produtores, principalmente por ajudar na economia local.

Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

Duas indicações apresentadas pelo deputado Max Russi (PSB), na Assembleia Legislativa, pedem mais estrutura para os pequenos produtores de São José do Povo. As demandas foram repassadas ao parlamentar pelo Nilson Tavares.

A primeira delas aponta a necessidade da viabilização de um veículo para a Secretaria Municipal de Agricultura. O vereador alega dificuldades na prestação de serviços às comunidades. “Um veículo seria essencial para que os servidores pudessem atender as demandas solicitadas pelos moradores”, argumentou.

Já a segunda trata da disponibilização de kit de irrigação por gotejamento. Esse equipamento teria papel fundamental na rega do plantio, assim como na economia de água, em até 60%, se comparado aos métodos tradicionais.  

“As pessoas que trabalham diretamente na produção rural precisam muito do apoio do governo, pois a estrutura é limitada e os recursos são poucos. Já houve um projeto que distribuiu equipamentos de irrigação para algumas cidades, mas nós não fomos beneficiados e essa aquisição trará muitas melhorias para a comunidade que produz”, explica Tavares.

Leia mais:   Após gestão de Dr. Leonardo, Governo Federal destrava pagamentos de obra de creche em em Cáceres

O deputado Max Russi acredita que a assistência é uma forma de ajuda vital para os pequenos produtores, principalmente por ajudar na economia local. Ele defende ainda que o fortalecimento da agricultura familiar, sobre tudo, ajuda em uma melhor distribuição alimentar que beneficia a população.

“Precisamos atender a esse pedido. Os pequenos e médios produtores precisam do nosso auxílio para aumentar e melhorar a produtividade do seu serviço. Através desse trabalho é gerado emprego, além de impulsionar a economia local e de diversas famílias vivem e dependem desse oficio”, analisa.  

Comentários Facebook

Destaque

Podemos: oficializa a pré-candidatura do médico Sérgio Arruda para disputar a prefeitura de Cáceres

Publicado

O Podemos de Cáceres decidiu em reunião com os seus filiados e confirmou o nome do médico Sérgio Arruda como pré-candidato a prefeito de Cáceres. O deputado federal José Medeiros é um dos grandes incentivadores da pré-candidatura de Sérgio Arruda e tem ajudado Cáceres e a região oeste quando as votações que contemplam recursos federais principalmente na saúde, onde participou com voto sobre as aprovações dos recursos milionários enviados às prefeituras para combater a covid-19.

Sérgio Arruda vem de um projeto antigo e que agora está consolidado pela formação de alianças partidárias e segmentos da sociedade que darão base para as eleições municipais. Sérgio Arruda é cacerense, e está maduro para a questão de administração pública para esta missão onde serão apresentados os projetos e apontamentos de soluções para dar a Cáceres uma gestão mais humanizada e de produtividade rumo ao desenvolvimento.

Com nomes de pré-candidatos, a vereadores selecionados e capacitados para legislar e fiscalizar, os pré-candidatos do partido estão cumprindo a missão que o vereador tem que fazer. O objetivo é a renovação dentro da Câmara de Vereadores e inovar as ações no poder legislativo.

Leia mais:   Previdência de Cáceres fecha 2020 com déficit de R$ 300 mi, diz prefeito

O médico Sérgio Arruda tem participado da formação do Aliança por Cáceres juntamente com Engenheiro Nakamoto do PRTB e outros partidos que estão construindo um plano de governo para apresentarem a sociedade. O grupo Aliança por Cáceres é composto por vários deputados estaduais, deputados federais e senador, que estão comprometidos para contribuir com Cáceres.

Fonte: Assessoria

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Prefeito prevê demissões de funcionários para enfrentar escassez de recursos provocada pela pandemia

Publicado

A demissão de trabalhadores contratados, principalmente, dos setores de varrição de ruas, asfalto comunitário e várias obras em execução no município, será uma das medidas adotadas pela administração, para enfrentar a escassez de recursos, provocada pela pandemia de coronavirus.

O anúncio é do prefeito Francis Maris Cruz que prevê períodos sombrios para economia municipal, principalmente, a partir do mês de outubro quando encerram os parcelamentos dos recursos federais para compensar as perdas dos repasses, como FPM, Fundeb e ICMS.

“Com o fim dos recursos federais para compensar as perdas dos repasses constitucionais, seremos obrigados adotar medidas rigorosas para fazer frente a escassez de recursos, caso contrário não teremos condições sequer de manter o pagamento dos salários e fechar as contas no final do ano” disse.

Francis se refere à Lei Complementar nº 173/2020, baixada pelo governo federal, também chamada “lei de ajuda financeira” que determina a liberação de recursos na ordem de R$ 26 milhões, aos municípios, divididos em quatro parcelas de R$ 6.5 milhões para compensar as perdas constitucionais.

Leia mais:   Após gestão de Dr. Leonardo, Governo Federal destrava pagamentos de obra de creche em em Cáceres

Já foram liberadas duas parcelas, correspondentes aos meses de junho e julho, faltando as dos meses de agosto e setembro.

“Os secretários já estão orientados a fazer um levantamento criterioso de onde cortar gastos. Não estão descartadas demissões de trabalhadores cooperados, principalmente, dos setores de obras, como os empregados na pavimentação de asfalto, varrição e construção”.

O prefeito diz que embora esteja mantido o início de execução de alguns projetos e cronogramas de obras, como por exemplo, a construção do galpão da feira livre e a conclusão da Unidade de Pronto Atendimento – UPA, previsto para ser inaugurada até no final do mês, eles sofrerão desaceleramento.

“O cronograma de algumas obras será mantido. A UPA será inaugurada ainda neste mês, também será iniciada, neste ano a construção da área da feira livre. Porém, devem sofrer desaceleramento, porque vamos reduzir o número de máquinas transitando para economizar combustível” explicou.

Diz que, além da falta de recursos, ele faz questão de honrar o compromisso do pagamento dos parcelamentos das constas de energia da prefeitura herdadas dos prefeitos que o antecederam, que giram em torno de R$ 90 mil por mês, e ainda as contrapartidas para várias obras, como da própria UPA e creches.

Leia mais:   Técnicos estão produzindo relatória sobre logística e porto de Cáceres

Sinézio Alcântara – Expressão Notícias

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana