Se as eleições fossem hoje, as principais lideranças políticas de Cáceres estariam em lados opostos. O prefeito Francis Maris Cruz (PSDB) e o deputado doutor Leonardo (PSD) acompanhariam o governador Pedro Taques (PSDB) em uma possível reeleição, enquanto que o deputado Adriano Silva e o ex-prefeito e suplente de deputado federal Túlio Fontes, ambos até agora PSB, contra o chefe do poder Executivo.

Esse é o quadro que se desenha a um ano das eleições para presidente da República, governador, senador e deputados estaduais e federais, em todo o país.

A situação mais definida, até agora, é do deputado Adriano Silva. Embora, esteja na base governista, ele tem se comportado como verdadeira oposição. Antecipou que votaria contra a PEC – Proposta de Emendas Constitucionais – que limita os gastos públicos de Mato Grosso, o  chamado “Teto de Gasto” e vem criticando, sistematicamente, a política da saúde pública, adotada pelo governo.

No entendimento do ex-reitor da Unemat, a PEC do Teto de Gasto é prejudicial, principalmente, aos servidores públicos estaduais. Enquanto que, a saúde pública, segundo ele, vai da mal a pior e estaria da UTI. O ex-reitor da Unemat, admite que poderá migrar-se para o DEM ou para o PDT do colega deputado Zeca Viana, principal crítico do governador Pedro Taques na Assembleia.

Líder do governo na Assembleia, o deputado doutor Leonardo permanece fiel ao governador. Ele diz que, não pretende mudar de partido e continua na base governista. O prefeito Francis Maris não descarta uma possível mudança. Mas, se isso ocorrer, segundo ele, será para acompanhar o governador.

E justifica: “Cáceres é uma cidade com pouca arrecadação e que depende muito do governo para continuar obras como a implantação da Zona de Processamento de Exportação – ZPE, recapeamento da Avenida Tancredo Neves, asfaltamento da MT 343 e muitas outras. Se aliados politicamente, a situação já está difícil, imagine se estivermos contra o governo. Ai sim o município estaria inviabilizado”.

O ex-prefeito e suplente de deputado federal Túlio Fontes, também demonstra insatisfação com o governo Taques e não descarta deixar o PSB. Ele tem afirmado que será oposição ao governador nas próximas eleições. De acordo com correligionários, o ex-prefeito já teria recebido convites para ingressar em vários partidos. Entre eles, o PTB do conselheiro afastado Antônio Joaquim e o PDT do deputado Zeca Costa.

Editoria – Sinézio Alcântara

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here