conecte-se conosco


Mato Grosso

Jornal Valor Econômico destaca pesquisa da Empaer com a cultura do trigo

Publicado

Em matéria assinada pela jornalista Fernanda Pressinott, o jornal de economia, finanças e negócio brasileiro, Valor Econômico, publicou no dia 5 de dezembro, que o “Moinho paranaense construirá fábrica em Mato Grosso” e que a produção de trigo era viável, agronômica e economicamente. Com investimento na ordem de R$ 118 milhões na construção, o moinho Dona Hilda estará em operação no ano de 2022. O pesquisador da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Hortêncio Paro, responsável pela validação da cultura do trigo no Estado, testou variedades que se adaptavam melhor ao solo e seis delas foram escolhidas.

O jornal Valor Econômico deu destaque a cinco variedades que já estão prontas para serem plantadas. “O Estado tem 140 mil hectares com pivôs preparados para o plantio no período de vazio sanitário da soja. O potencial de produção é e 5,9 milhões de toneladas, levando em conta um rendimento de 70 sacas por hectares”. Em 2020, deverão ser semeados 30 mil hectares e essa área deverá ser mantida até 2022, quando a unidade do moinho começará.

Leia mais:   Forças de Segurança Nacional virão a MT ajudar a combater incêndios florestais

Na matéria publicada, Hortêncio enfatiza que as margens dos produtores poderão ficar entre 15% e 20%, considerando um custo de produção de R$ 3 mil a R$ 3,7 mil por hectare. E que a pesquisa executada pela Empaer mostrou aos dirigentes do Moinho Dona Hilda que o cultivo de trigo no Cerrado poderia dar bons resultados. O desenvolvimento da cultura é realizado em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec) e a Associação dos Produtores de Feijão, Trigo e Irrigantes de Mato Grosso (Aprofir).

 Paro destaca que a pesquisa com a cultura do trigo  é realizada há mais de 30 anos.

A maior ênfase é dada para o cultivo do trigo irrigado, plantado em maio e colhido em setembro, exatamente no período do vazio sanitário da soja. Conforme Paro, o trigo é uma boa opção de manejo de solo nas áreas irrigadas, ajuda a controlar o nematoide de galha e o fungo sclerotinia (mofo branco). E também facilita o controle das invasoras de folhas largas e a palha do trigo após a colheita. Essas medidas impedem que haja erosão solar da matéria orgânica o que prejudicaria a vida microbiana do solo.

Leia mais:   Pantaneiros, quilombolas e indígenas relatam destruição causada pelo fogo

De acordo com Paro, o trabalho de pesquisa é feito há mais de 30 anos e tem comprovado a viabilidade técnica do cultivo do cereal em Mato Grosso e a qualidade do trigo colhido, que pode atingir de 300 a 500 de força de glúten (W). Com esse teor de glúten o trigo é classificado como excelente para uso na panificação. Ele explica que os valores de percentual de glúten são cruciais para fabricação de produtos diferenciados, como produção de pão, massas e farinhas. Vale lembrar, que 65% da farinha usada no país é para produção de pão. “O que falta atualmente é uma comercialização que dê sustentabilidade econômica a atividade”, salienta.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Ações do Gefron resultam na apreensão de quase 800 quilos de drogas durante esta semana

Publicado

Na tarde de quarta-feira (23), cinco pessoas foram presas pelo transporte de 133 quilos de drogas

Em três dias, o Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron) apreendeu, na faixa que liga Mato Grosso e a Bolívia, mais de 780 quilos de drogas. A ação mais recente ocorreu no final da tarde de quarta-feira (23.09), no município de Pontes e Lacerda (a 443 km ao Oeste de Cuiabá), que resultou na apreensão de 133 tabletes de entorpecente diversos e na prisão de cinco pessoas, sendo três com passagens criminais.

Por volta das 17h, um veículo com cinco pessoas seguia pela Estrada do Matão, MT-473. Os policiais seguiam na mesma via realizando patrulhamento. Ao avistar o carro, os militares deram ordem de parada, mas um dos ocupantes tentou fugir a pé. Os policiais fizeram a perseguição e conseguiram conter a fuga.

Ao realizar vistoria no veículo foram encontrados vários sacos com substância análoga a pasta base, cocaína e maconha. Além dos entorpecentes e das prisões, fora apreendido também o veículo. Aos policiais, os suspeitos confirmaram que o carregamento foi feito na Bolívia e o destino seria Pontes e Lacerda.

Leia mais:   Chuva diminui focos de incêndio no Pantanal de MT após 4 meses de estiagem

Outra apreensão ocorreu na segunda-feira (21.09) quando, também em patrulhamento, os policiais apreenderam uma carga de 652 quilos de droga que estava sendo transportada por uma carrega. O entorpecente estava separado em tabletes e escondido em um compartimento oculto. Cinco pessoas foram presas e encaminhadas para a Polícia Federal de Cáceres.

Outros crimes

Também no município de Pontes e Lacerda, na terça-feira (22.09), por transporte de armas de fogo e munições. A ação ocorreu no final da tarde, na MT 473. Cinco pessoas foram presas. Os suspeitos já tinham passagens criminais por tráfico de drogas, roubo, furto e receptação.

Ao todo, foram apreendidas 20 munições, sendo cinco já deflagradas, uma pistola calibre 9mm e um revólver calibre 38mm.

Hérica Teixeira | Sesp-MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Destaque

Força Nacional envia militares, viaturas e helicóptero para combate aos incêndios florestais em MT

Publicado

O Governo Federal também repassou R$ 10,1 milhões como recursos de emergência

Equipe formada por 48 militares da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) inicia nesta sexta-feira (25.09) as atividades de combate aos incêndios florestais em Mato Grosso, na região do Pantanal.

Além dos bombeiros, o apoio de logística ao Estado contará com 12 viaturas, um micro-ônibus, um caminhão de transporte, um helicóptero e três policiais militares, que vão atuar ainda no Vale do Araguaia, Chapada dos Guimarães e Amazônia.

O reforço foi solicitado pelo Governo do Estado e autorizado pelo ministro de Estado da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, em portaria divulgada no Diário Oficial da União, nesta quarta-feira (23.09).

O grupo segue para o município de Poconé na quinta-feira (24.09) e se apresenta ao Posto de Comando, localizado no Sesc Porto Cercado, para receber as orientações e informações necessárias.O grupo atuará na região por 30 dias, com a possibilidade de prorrogação, de acordo com a portaria.

“Estamos realizando o planejamento para distribuir as equipes no terreno conforme demanda e análise da equipe de geomonitoramento.Inicialmente ficarão na base na região do Sesc Pantanal, Fazenda Rio Novo, Pousada Aymara, outros na região do Pixaim e Região do Porto Jofre, estes para infiltração na RPPN Fazenda Estância e Parque Nacional do Pantanal, pois nestas frentes o deslocamento é feito somente com aeronave”, explicou a Comandante da Operação Pantanal 2 e Comandante Adjunta do Batalhão de Emergências Ambientais, Jusciery Rodrigues Marques.

Leia mais:   Ações do Gefron resultam na apreensão de quase 800 quilos de drogas durante esta semana

Ao chegar no município, as equipes terão acesso ao mapa contendo os pontos considerados mais críticos, passarão pelo Briefing Operacional da Área de Atuação, processo de checagem de equipamentos e orientações de segurança.

O Governo Federal também repassou R$ 10,1 milhões como recursos de emergência. Os recursos já estão na conta do Estado de Mato Grosso, que finaliza os trâmites bancários para contratação de aeronaves, reforço das equipes de combate aos incêndios, resgates de animais silvestres e compra de retardantes (insumo que auxilia no controle do avanço das chamas).

O Corpo de Bombeiros de Mato Grosso enviou na terça-feira (22.09) um reforço de 40 bombeiros militares para auxiliar as equipes da Operação Pantanal II que estão combatendo os incêndios florestais na região. Além deles, 60 militares da 13° Brigada de Infantaria Motorizada do Exército Brasileiro também auxiliam nos trabalhos.

Combate aos incêndios

O Governo do Estado tem atuado no combate aos incêndios florestais desde março, quando foi lançado o Plano de Ação contra o Desmatamento Ilegal e Incêndios Florestais em Mato Grosso. O governador Mauro Mendes decretou situação de emergência por conta dos incêndios florestais. O decreto tem como objetivo dobrar a estrutura para combater os incêndios florestais, uma vez que possibilita contratações em caráter de urgência.

Leia mais:   Casos de coronavírus passam de 112 mil em MT e mortes pela doença chegam a 3.262

Já foram mais de R$ 22 milhões investidos em recursos próprios, contando com 40 equipes espalhadas por todo o estado para o combate ao fogo, seis aeronaves, três helicópteros e mais de 2500 profissionais envolvidos, desde bombeiros militares, voluntários, integrantes da Defesa Civil e do Exército.

Evelyn Ribeiro | Secom – MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana