conecte-se conosco


Esportes

Jogadoras da seleção dos EUA processam Federação por discriminação de gênero

Publicado


Seleção feminina dos EUA é a atual campeã mundial e recebe tratamento inadequado da Federação de futebol norte-americano
Getty Images

Seleção feminina dos EUA é a atual campeã mundial e recebe tratamento inadequado da Federação de futebol norte-americano

Neste 08 de março, Dia das Mulheres, todas as 28 jogadoras da seleção feminina dos Estados Unidos entraram com um processo contra a Federação nacional de futebol do país, a USSF.

Leia também:  No Dia das Mulheres, relembre as esportistas que fizeram história pelo mundo

De acordo com a Reuters, as jogadoras alegam pagamento menor de salários em relação aos jogadores masculinos e dizem que a Federação nega condições iguais de treinamento, viagem e jogo.

Parte do documento apresentado diz “O USSF se envolveu em discriminação salarial sistêmica baseada em gênero contra seus funcionários femininos da WNT. O USSF causou, contribuiu e perpetuou as disparidades de remuneração baseadas no gênero por meio de políticas, práticas e procedimentos comuns”

Carli Lloyd, co-capitã da seleção dos Estados Unidos, falou sobre o processo. “Tendo em vista o sucesso incomparável de nossa equipe em campo, é uma pena que ainda estejamos lutando por um tratamento que reflita nossas realizações e contribuições para o esporte”.

A seleção feminina dos EUA é tricampeã mundial, tendo conquistado o último título na Copa do Mundo de 2015, disputada no Canadá. Nessa ocasião, o jogo da decisão foi o mais visto da história da televisão norte-americana. Aproximadamente 23 milhões de pessoas assistiram as atletas levantarem a taça.

Além dos títulos mundiais, a equipe também possui cinco medalhas nos Jogos Olímpicos, sendo quatro ouros e uma prata.

Leia também:  Coluna – ‘Mulheres e o jornalismo esportivo, há espaços a serem preenchidos’

“Sentimos a responsabilidade não só de defender o que sabemos que merecemos como atletas , mas também o que sabemos que é certo – em nome de nossas companheiras de equipe, futuras colegas de equipe, atletas do sexo feminino e mulheres em todo o mundo’, disse Megan Rapinoe.

O processo movido pela seleção feminina foi aberto num tribunal federal de Los Angeles três anos depois que Rapinoe, Lloyd, Alex Morgan e Becky Sauerbrunn apresentaram uma reclamação parecida na Comissão de Oportunidades Igualitárias no Emprego. Em fevereiro as atletas foram notificadas que o pedido aberto foi  arquivado.

Leia também:  “Ser mulher é se superar”, diz Andressa Alves, jogadora da seleção brasileira

Oficialmente, a seleção de futebol dos Estados Unidos não se pronunciou sobre o levante das jogadoras contra a Federação . O caso deve criar certa instabilidade na seleção já que no mês de junho elas começam a disputar a Copa do Mundo de Futebol Feminino na França.

Comentários Facebook

Esportes

Torcedores violentos não entrarão no Brasil durante a Copa América

Publicado

Torcedores estrangeiros envolvidos em episódios de violência não poderão entrar no Brasil durante o período da Copa América 2019, que começa no dia 14 de junho, com a partida entre as seleções do Brasil e da Bolívia, no Estádio do Morumbi, em São Paulo, e vai até o jogo final no dia 7 de julho, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. A decisão consta de portaria do Ministério da Justiça e Segurança Pública publicada na edição desta segunda-feira (13) do Diário Oficial da União.

De acordo com o documento, os órgãos de controle fronteiriço e de atividades de fiscalização migratória nos portos, aeroportos internacionais e pontos de fiscalização terrestre de migração estão instruídos a impedir a entrada no país de pessoa que conste nos sistemas de controle migratório como “membro de torcida envolvida com violência em estádios”.

 Treinadores das seleções no sorteio dos grupos da Copa América Brasil 2019, na Cidade das Artes.
Treinadores das seleções no sorteio dos grupos da Copa América Brasil 2019, na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. – Fernando Frazão/Agência Brasil

Reconhecimento facial

Para aumentar ainda mais a segurança nos estádios, a Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) vai utilizar o sistema de reconhecimento facial para identificação de torcedores nos seis estádios onde serão disputadas as partidas.

De acordo com o gerente de Segurança do Comitê Organizador Local da Conmebol, Hilário Medeiros, esse será o primeiro evento no Brasil a trabalhar com o reconhecimento facial.

“Vamos deixar um banco de dados que será abastecido com informações de todo o mundo. Trabalhamos em parceria com os órgãos de segurança pública e a Interpol [organização internacional que ajuda na cooperação de polícias de diferentes países] para impedir que um indivíduo indesejado, que já tenha ou possa vir a causar distúrbios, entre nos estádios e perturbe o torcedor”, explicou.

Medeiros disse que, além da utilização do sistema de reconhecimento facial para coibir a presença de vândalos ou pessoas foragidas da Justiça nos estádios, um efetivo de 10 mil agentes de segurança privada será contratado pelo Comitê Organizador Local para o policiamento dentro dos estádios.

A Copa América Brasil 2019 será disputada em cinco cidades-sede: Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, com a participação de 12 seleções, sendo dez da América do Sul: Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela; e duas convidadas: Catar e Japão.

Edição: Aécio Amado
Por Agência Brasil Brasília
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Para comemorar seus 80 anos, 2º B Fron realizará corrida pedestre

Publicado

Em 24 de Maio deste ano, o 2º Batalhão de Fronteira, denominado de “Batalhão General José Miguel Lanza”, completará 80 anos de criação. Em razão desta data importante, diversas atividades comemorativas estão sendo planejadas, e dentre elas está a 1ª Corrida do 2º Bfron que acontecerá no dia 19 deste mês.

Os participantes poderão optar por dois percursos , sendo: um de 5 km e outro de 10 km. A largada e chegada, será dentro da unidade militar.

A inscrição, para o evento custa o valor de R$ 70,00 (setenta reais). Este valor, dá direito ao kt do corredor que contém: uma camiseta, sacola personalizada, número de peito, chip para cronometragem e medalha. Haverá premiação em dinheri para os 3 primeiros colocados na categoria geral (masculino e feminino), e na categoria militar/policial (10 km).

As inscrições podem ser feitas, através dos link: https://www.morro.mt.com.br/eventos/1a-corrida-do-2o-bfron-caceres-mt-183.

Presencialmente nos seguintes locais:

– 2º B Fron: Rua XV de Novembro nº 737 – de segunda á quinta-feira, das 09h30 ás 17:00h e sexta, das 09h30 ás 12:00h.

– Jubão: Rua Padre Casemiro, nº  1.299 – de segunda a sexta-feira, das 18 ás 20h e sábado e domingo, das 10:00h ás 12:00h

Data máxima para inscrições; 16 de Maio

Entrega de kits no 2º Bfron – Dias 17 e 18/05 – das 8h as 17h

5ca3f7a9523dc.jpg

História da criação do 2º B fron

O 2º B Fron foi criado em 24 de maio de 1939, a partir da aglutinação da 2ª Companhia de Fronteira (2ª Cia Fron), sediada em Cáceres desde 1932, com a 4ª Companhia de Fronteira (4ª Cia Fron, em Cáceres desde 1937).

Em 27 de julho de 1978, foi transformado em 66º Batalhão de Infantaria Motorizado, sendo subordinado à 13ª Brigada de Infantaria Motorizada, até 1994, quando volta a ter a atual denominação e subordinação.

Em 1999, numa cerimônia que ocorre tanto no Brasil como na Bolívia, recebeu a denominação histórica de Batalhão General José Miguel Lanza. Do lado boliviano, o Batalhão de Infantaria XVII, sediado na cidade fronteiriça de Guayaramerín, recebeu a denominação histórica Batalhão Marechal Luís Alves de Lima e Silva.

O coronel, Antonio Hervé Braga Júnior, é o atual comandante do 2º Batalhão de Fronteira.

Por: Redação – Luiz Garcia

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Entretenimento

Mais Lidas da Semana