conecte-se conosco


Política

Investigadores e escrivães sugerem mudanças no Estatuto da PJC-MT

Publicado

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

O presidente do Sindicato dos Escrivães, Davi Nogueira, e o vice-presidente do Sindicato dos Investigadores, Gláucio Castañon, participaram nesta quarta-feira (16) da reunião ordinária da Comissão de Segurança Pública e Comunitária da Assembleia Legislativa. Na pauta, eles apresentaram sugestões para mudanças no Estatuto da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso (PJC-MT).

Entre as propostas, está a participação dos investigadores e escrivães na votação da lista tríplice para o cargo de delegado-geral da PJC, ainda que seja de forma proporcional a quantidade de efetivos das três categorias. Outro ponto apresentado que as oitivas ou interrogatórios de policiais sejam gravados. “Também estamos sugerindo que todos os cargos da diretoria da PJC sejam assumidos apenas por nomes ‘ficha limpa’”, afirmou Davi Nogueira.

No que diz respeito à progressão de carreira, os profissionais pedem o fim da Avaliação de Desempenho Anual, já que muitas vezes os resultados não condizem com a realidade, pois são os próprios colegas de carreira que se avaliam. Especificamente quanto à mudança de classe C para D, os representantes propõem que seja exigida para os concursados do interior a permanência mínima de três anos no seu local de origem de aprovação do concurso. “São muitos os pedidos de remoção. O interessado faz concurso para o interior porque a concorrência é menor, mas, à vezes, em menos de um ano, ele consegue retornar para a capital”, comentou.

Leia mais:   Max Russi propõe fornecimento de EPIs e testes rápidos à regional de Rondonópolis e municípios de MT

Para o vice-presidente dos Investigadores, Gláucio Nogueira, há a necessidade de estudar o Estatuto da PJC para que mudanças como as que eles têm propostos aconteçam. “Temos que parar de pensar na categoria e pensar na entidade como um todo. É fato que faltam delegados, assim como investigadores e escrivães, mas hoje existem 13 funções que poderiam ser exercidas por policial civil, com formação e especialização na área, e que são exercidas apenas por delegados. Esse é mais um ponto de discussão e não queremos entrar no mérito de hierarquia e disciplina”, ponderou Nogueira.

Para o deputado Delegado Claudinei ,as sugestões são de grande valia e merecem ser amplamente discutidas. “Uma situação que eu concordo é com relação à questão de remoções, pois não há critérios definidos. E é preciso ter critérios objetivos nesses casos. Já as demais sugestões, nós estamos analisando com carinho, pensando sempre na valorização da carreira do policial civil”, avaliou Claudinei.

Duodécimo – Durante a reunião da Comissão de Segurança, o Delegado Claudinei pontuou mais uma vez sobre a indicação que fez para o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho, na semana passada, junto com o deputado Silvio Fávero (PSL), para que em uma eventual devolução do duodécimo ao Governo, o recurso seja destinado para aquisição de viaturas às Forças de Segurança do estado.

Leia mais:   Moradores reivindicam iluminação pública a Faissal

“Acreditamos que, se com R$ 30 milhões que economizarmos, vamos conseguir comprar, aproximadamente 240 viaturas ‘altas’, como caminhonete e, dessa forma, daria para beneficiar todos os municípios de Mato Grosso, com pelo menos dois veículos. E cada deputado vai poder contemplar entre 8 a 10 viaturas a sua base. Nós, deputado da Comissão de Segurança, vamos articular junto com os demais pares, e fazer um convencimento junto ao presidente Botelho”, finalizou Claudinei.

Ciopaer – Os representantes da Comissão ainda debateu o fortalecimento da frota do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), com a participação do coordenador do Ciopaer, tenente-coronel PM Juliano Chirolli; o secretário-adjunto de Integração Operacional da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), coronel PM Victor Fortes; e o secretário-adjunto da Casa Civil, Carlos Brito, além de representante do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso (CBM-MT).

Comentários Facebook

Política

Moradores reivindicam iluminação pública a Faissal

Publicado

Atendendo à demanda trazida por moradores dos bairros Real Parque e Residencial Jardim Pauliceia, o deputado Faissal Calil (PV) apresentou, na sessão plenária de quarta-feira (27) da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), uma indicação que será encaminhada à Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (SINFRA), solicitando a necessidade de iluminação na Rodovia Palmiro Paes de Barros.

O parlamentar ressaltou que a falta de iluminação em vias públicas gera insegurança e facilita a ação de criminosos. “Recebi muitas reclamações em razão da falta de iluminação nesse local, o que tem gerado insegurança e transtornos não só aos moradores da região mas a todos que transitam por ali. Sem contar que a escuridão facilita a ação de criminosos que aproveitam para cometer assaltos e outros delitos”, justificou Faissal.

A iluminação também proporcionará melhor visibilidade ao trecho, de forma a propiciar qualidade no trânsito e segurança para aqueles que trafegam pela rodovia.

Comentários Facebook
Leia mais:   Max Russi propõe fornecimento de EPIs e testes rápidos à regional de Rondonópolis e municípios de MT
Continue lendo

Política

Lúdio questiona quantidade e qualidade de respiradores nas UTIs do SUS em Mato Grosso

Publicado

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

O deputado estadual e médico sanitarista Lúdio Cabral (PT) cobrou do governo de Mato Grosso estruturação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) anunciados para o Sistema Único de Saúde (SUS), para que eles sejam úteis no combate à pandemia da covid-19. Durante sabatina do secretário de Saúde, na sessão de quarta-feira (27), Lúdio destacou a necessidade de cada leito de UTI ter um respirador adequado para atender aos pacientes infectados pelo coronavírus.

“Para que um paciente grave da covid-19 tenha tratamento adequado, não basta ter um leito de UTI. Esse leito precisa de toda uma estrutura, de retaguarda, equipe e equipamentos. Isso inclui respiradores de especificação técnica adequada. O leito de UTI para covid tem que ter respirador, ou não será leito para covid”, alertou.

Lúdio explicou que o padrão nas UTIs são cinco respiradores disponíveis e dois reservas para cada dez leitos. “O governo estadual anunciou ter 302 leitos de UTI disponíveis para a pandemia. Se esses leitos que o governo anunciou seguirem o padrão, na verdade temos apenas metade do que foi anunciado, porque todos os pacientes graves da covid-19 precisarão de respiradores”, observou Lúdio.

Leia mais:   Max Russi propõe fornecimento de EPIs e testes rápidos à regional de Rondonópolis e municípios de MT

Durante a sessão, o parlamentar fez diversos questionamentos ao secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, sobre o combate à pandemia da covid-19 em Mato Grosso. Porém, o secretário afirmou que não tinha as informações e muitas questões ficaram sem resposta. Por isso, Lúdio vai apresentar um requerimento para obter informações da Secretaria de Estado de Saúde.

Entre as perguntas feitas por Lúdio, e que serão repetidas no requerimento, está a quantidade de respiradores disponíveis no estado nas UTIs do SUS, bem como a especificação técnica desses respiradores. O deputado quer ainda dados sobre o tempo médio de internação e a taxa de mortalidade entre os pacientes da covid-19 internados em UTI no SUS em Mato Grosso.

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana