conecte-se conosco


Destaque

Hospital São Luiz reduz mortalidade na UTI e promove capacitação com AMIB

Publicado

Após sete meses de gestão da Pró-Saúde e uma série de ações e investimentos em qualidade e segurança do paciente, o Hospital São Luiz, em Cáceres (MT), se consolida como referência em terapia intensiva

A UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital São Luiz (HSL), em Cáceres (MT), apresentou redução de 10% na taxa de mortalidade nos primeiros cinco meses de 2019, em comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados foram obtidos por meio de ferramentas de monitoramento e o indicador coloca o Hospital no mesmo patamar de UTIs de grandes centros do País. O estudo apontou, também, que o HSL atendeu o dobro de pacientes, ampliando a oferta de serviços – mantendo a mesma estrutura – para uma população de 22 municípios da região Oeste do Estado e da vizinha Bolívia.

Os resultados obtidos pelo HSL, unidade da Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, e a busca contínua por melhorias, resultaram em um curso que será ministrado no mês de julho, entre os dias 6 e 7, no próprio HSL, intitulado Construindo uma UTI de Alta Performance”, direcionado aos médicos e equipe multidisciplinar do hospital com envolvimento direto nos cuidados com o paciente.

Segurança, organização e gerenciamento da UTI, além de oficinas práticas, serão os temas trabalhados durante os dois dias. O curso, que terá entre seus palestrantes o ex-presidente da Associação Brasileira de Medicina Intensiva (AMIB), Ederlon Rezende, não terá custo algum para os participantes e fornecerá certificados da AMIB, responsável pela realização do evento, em parceria com o HSL.

De acordo com o diretor Hospitalar do HSL, Bruno Ferreira Rezende, as qualificações são parte de uma série de ações promovidas na administração da Pró-Saúde e já começam a mostrar resultados positivos. O curso irá desenvolver uma série de abordagens para aprimorar o trabalho na unidade.

Leia mais:   Ano letivo nas escolas estaduais inicia com aulas online e off-line; saiba como foi

“É importante porque vamos discutir a rotina e as responsabilidades de cada indivíduo dentro de uma UTI e isso é essencial para uma alta performance, qualidade e segurança assistencial”, explica Rezende.

Metas

 

Entre as ações promovidas pelo HSL, a redução da mortalidade na UTI envolve a implantação de metas diárias, com a participação de todos os setores e a criação de uma linha horizontal e efetiva de cuidados, impulsionando o NIR (Núcleo Interno de Regulação) na busca ativa de pacientes que precisam de UTI, otimizando o fluxo de entradas de pacientes.

Essas mudanças permitiram maior gestão e qualidade no atendimento. A realização de cursos de capacitação também estimula novas habilidade técnicas, como cuidados paliativos, ventilação mecânica, entre outros, e promovem ainda mais segurança ao paciente.

 

Sobre o Hospital São Luiz

Fundado em 1938, quando Cáceres ainda era um povoado, o Hospital São Luiz (HSL) nasceu quando o Frei Ambrósio Dayde, da Missão da Ordem Terceira Regular de São Francisco do Brasil, adquiriu uma casa com terreno para abrigar os enfermos, formando um “dispensário”, onde estava sempre a irmã Antônia Rodrigues, freira pertencente à Congregação do Instituto Imaculada Conceição. No mesmo ano, ocorreu a efetivação de convênio com o Estado de Mato Grosso. Em 1940, o dispensário foi transformado em hospital e, a partir da organização dos padres franciscanos, passou a chamar-se Hospital São Luiz. Em 1993, a Sociedade Educadora Beneficente Providência Azul, então proprietária da instituição, passou o Hospital São Luiz à Associação Congregação de Santa Catarina (ASCS). Em dezembro de 2018, após uma reestruturação, a ASCS transferiu a gestão da unidade para a Pró-Saúde.

Leia mais:   Médico, pré candidato a prefeito aponta que Cáceres precisa de projetos de desenvolvimento

O Hospital possui 156 leitos e atua com Clínica Médica, Cirúrgica, Obstetrícia, Ginecologia, Pediatria, UTI Neonatal e UTI Adulto, Pronto Atendimento e Centro Cirúrgico com seis salas cirúrgicas. O HSL é referência para 22 municípios da Região Oeste do Estado e do país vizinho, a Bolívia. Conta com moderno parque tecnológico, com equipamentos e serviços de diagnóstico e de procedimentos médicos, como Ressonância Magnética, Tomógrafo, Densitometria, Ultrassom, Ecocardiograma, Cardiotocógrafo, Laboratório de Análises Clinicas entre outros.

O Hospital São Luiz também promove atuação social por meio de doações de alimentos não-perecíveis, brinquedos e conta com o trabalho voluntário junto aos enfermos.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente, realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.

(Comunicação Hospital São Luiz).

Comentários Facebook

Cáceres e Região

Responsabilidade Social: Rede Juba de Supermercados vai doar 29 toneladas de alimentos  

Publicado

O Grupo Juba, composto por empresas de responsabilidade social, de forma voluntária, adota posturas e comportamentos que promovem de o bem-estar dos seus colaboradores, fornecedores, clientes e comunidades onde se instala.  

Em meio às notícias preocupantes sobre a pandemia da Covid-19 (Coronavírus), o Juba não ficou alheio e nem de braços cruzados. Medidas de proteção à saúde e ações sociais foram implantas.   

Nesta sexta-feira (14), começa mais uma grande ação do Grupo Juba, a Rede Juba de Supermercados vai doar 29 toneladas de alimentos, sendo duas mil cestas básicas e quatro mil quilos de carne para famílias e instituições em Cáceres e nas cidades da região.   

Segundo o Diretor Financeiro do Juba Supermercados, Marcelo Ribeiro, toda esta doação tem um custo de 200 mil reais. “O Grupo Juba sempre se caracterizou por sua responsabilidade social. Em um momento tão difícil que passa a humanidade, uma ação humanitária como esta, vai atender pessoas que estão em vulnerabilidade e sofrendo com os efeitos da pandemia”, observa Marcelo  

Para a Coordenadora de Projetos do Grupo Juba, Eloá Ribeiro, a sensibilidade da diretoria  e o engajamento dos colaboradores na montagem das cestas e cortes e embalagens das carnes, demonstra o comprometimento de todos com o próximo. “Sem dúvidas é um projeto de alcance humanitário e fizemos de tudo para que estes alimentos cheguem até as pessoas que realmente estão precisando” avalia Eloá.  Ela também reconhece que o apoio dos gerentes de loja, que foram fundamentais no contato com instituições parceiras e na triagem das famílias, contribuiu no sucesso do evento. 

Já o Diretor Administrativo, Mirko Ribeiro, aponta que a Rede Juba de Supermercados é a principal abastecedora da região e está engajada nas ações solidárias durante a pandemia. “Espero que nossa iniciativa possa motivar outras pessoas e empresas para aumentarmos a rede de solidariedade e atendermos cada vez mais pessoas, que necessitam de ajuda”, assinala Mirko.  

Ribeiro finaliza dizendo que outras doações, como máscaras faciais de mergulho, entregues no PAM de Cáceres, utilizadas para gerar pressão e oxigenação para os pacientes da Covid-19 , também foram efetuadas pelo Juba.  

 

Por: Esdras Crepaldi/Assessoria  

Comentários Facebook
Leia mais:   Ouvidoria-Geral da DPMT amplia em 154% o número de atendimento no primeiro semestre de 2020
Continue lendo

Destaque

Sindicato patronal do comércio em Cáceres desenvolve trabalho para superar crise e conta com apoio na representação estadual e nacional

Publicado

Assim como em todo o Brasil, as cidades menos desenvolvidas sentiram fortemente o impacto da Covid-19, principalmente aquelas que usufruem das atividades turísticas para se manterem vivas. O “Segmento Representado” da Fecomércio-MT ouviu o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Cáceres (Sincovac), Sebastião “Tato” Giraldelli, que falou do impacto na economia provocado pela doença no setor que só tem crescido ano a ano no município. Além disso, as ações governamentais para solucionar tais problemas e o papel das entidades representativas na atuação dentro do município, do estado e da União, inclusive da própria Fecomércio de Mato Grosso nesta atual gestão.

Como se apresentava o setor do comércio antes do período de pandemia no município?

Com algumas dificuldades, porém, otimista e com boas expectativas, devido ao cenário nacional que tínhamos antes da pandemia.

O setor de turismo vinha crescendo no município, ajudando na atividade comercial. Qual foi o impacto da pandemia no comércio da região?

O setor vinha colaborando muito na região, mas, infelizmente, a crise acabou por prejudicar várias empresas do comércio. O principal festival na região foi cancelado – Festival Internacional de Pesca – e que acabou por prejudicar principalmente o turismo de pesca e de contemplação na região. A própria Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) afirma que o setor já acumula perdas de R$ 87,7 bilhões em todo o pais desde que teve início a pandemia e, com certeza, boa parte dos prejuízos foi nesse setor em nosso município.

Leia mais:   “Quem praticar crime ambiental em Mato Grosso vai pagar caro”, alerta governador

Como tem sido a atuação do sindicato nas tratativas para a melhor retomada das atividades comerciais no município?

Orientando o comércio quanto aos cuidados, métodos de prevenção e combate à Covid-19. Defendendo também a liberação das atividades comerciais de forma responsável e segura, junto ao Poder Executivo e Legislativo, e ao Comitê de Combate à Covid-19 do município.

Como o sindicato enxerga a atuação de nossos governantes nas tratativas para superar o atual momento?

Estamos todos aprendendo a lidar com essa situação. Entendemos as dificuldades encontradas pelo poder público, porém, desde o início nos colocamos à disposição para somar e contribuir. Hoje, graças a todo o trabalho, esforço e empenhado, temos voz para defender o comércio local e tentar encontrar um meio-termo nas decisões. O Poder Executivo municipal, tem se mostrado aberto ao diálogo e com empatia ao comerciante de Cáceres.

O que a entidade sindical espera para um futuro próximo?

Esperamos que sejam criados incentivos aos empresários locais, que possamos atrair mais empresas, fomentar o empreendedorismo e também qualificar nossa mão de obra. É preciso criar um plano de ação em conjunto, com as entidades representativas, o poder público, o Sistema S e a classe empresarial para pensar o futuro de nossa cidade e nossa economia local.

Com a retomada das obras da ZPE (Zona de Processamento de Exportação), prometida para 2021 no município, o que esperar desse investimento para a região?

A retomada significa que o Governo do Estado acredita na viabilidade desse projeto de desenvolvimento para o estado. As ações paralelas, como o transporte fluvial, que está a todo vapor, vai se consolidando para concretizar a tão sonhada ZPE. Com isso, a industrialização nessa região corrobora para a criação de emprego e, consequentemente, aumento do consumo e renda na cidade, beneficiando o comércio local e toda região Centro-Oeste.

Leia mais:   Gefron apreende 170 kg de cocaína; 5 suspeitos morreram após troca de tiros

De que forma o sindicato tem atuado para representar o segmento nas demandas políticas?

Fazemos parte de uma rede, onde, a nível estadual, temos a Fecomércio-MT que vem nos representando muito bem, e a nível nacional com a nossa Confederação Nacional do Comércio (CNC). Portanto, independente de ideologia política ou partidária, sempre levamos as demandas dos empresários para aqueles que nos representam. Entendemos que em Cáceres somos a entidade que mais tem defendido e representado os interesses do empresariado local, sempre a postos para ajudar e defender os direitos de nossos associados.

Como a entidade vê a Fecomércio-MT nestes dois anos de gestão e também como a representante máxima do comércio em Mato Grosso?

A Fecomércio-MT, nestes dois anos, mostrou a responsabilidade e transparência na sua gestão. Mais forte na sua representatividade no âmbito estadual e federal, vem atuando em setores para que o nosso comércio fique cada vez mais solido, principalmente neste momento que estamos passando. Parabéns a todos envolvido direto e indiretamente e que Deus continue abençoando nesse momento que todo mundo vem passando.

Da Assessoria

Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana