conecte-se conosco


Policial

Governo de Mato Grosso cria Delegacia de Especializada de Combate à Corrupção

Publicado

Raquel Teixeira/PJC-MT

O Governo do Estado de Mato Grosso, por meio da Polícia Judiciária Civil, tem a partir de agora uma unidade que atuará exclusivamente com investigações de fraudes ou modalidades de corrupção praticadas na administração pública e ações de agentes que atuem de forma isolada ou em grupo na lavagem ou ocultação de bens. O decreto criando a Delegacia Especializada de Combate à Corrupção foi publicado nesta sexta-feira (18.10), no Diário Oficial do Estado. 

O secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante dos Santos, destaca o alinhamento de Mato Grosso com as diretrizes do Ministério da Justiça e Segurança Pública que tem como um das prioridades o reforço nas ações de combate à corrupção. “Em consonância com a orientação do MJSP para que os Estados reforcem as atividades investigativas criamos essa estrutura que trabalhará nesse foco específico, com as atividades centralizadas nessa nova estrutura, que atuará em parceria com órgãos de controle externo”, reforçou Bustamante. 

Em julho deste ano, o Ministério da Justiça publicou os critérios para rateio entre os Estados dos recursos do Fundo Nacional de Segurança Pública. O fortalecimento da Rede Integrada de Banco de Perfis Genéticos, a Proteção das Fronteiras e a Criação de Unidades Especializadas das Polícias Civis específicas para o combate à corrupção são alguns dos indicadores definidos por serem considerados estratégicos e de ganhos substanciais na produção de provas e no enfrentamento às organizações criminosas.

Leia mais:   Polícia Civil de Canarana participa de ações de prevenção à propagação do Coronavírus

O delegado-geral da PJC-MT, Mário Dermeval Aravéchia de Resende, pontua que a  criação da nova Delegacia, permite à Polícia Civil atuar numa linha de trabalho investigativo nos moldes da força-tarefa da Operação Lava Jato, seguindo uma tendência de todos os Estados, conforme as premissas adotadas pelo Ministério da Justiça. “A Polícia Civil, mesmo com a crise de efetivo e escassez de recursos conta com apoio do governo para ter uma estrutura que possa atuar de maneira bastante rigorosa no combate aos crimes de corrupção e que as ações investigativas permitam ao Estado ter de volta recursos que porventura sejam desviados”, afirma o delegado-geral. 

Mário Dermeval acrescenta ainda que o trabalho da DECCOR será em conjunto com órgãos de controle. “Nossa prioridade nessa estrutura é atuar com base em uma boa relação com o Ministério Público, pois são todos engrenagem de um mesmo sistema que tem como resultado o zelo com recursos públicos”. 

Estrutura 

Conforme estabelece o Decreto 267/2019, a Delegacia Especializada de Combate à Corrupção ficará subordinada à Diretoria de Atividades Especiais e terá atuação em todo o Estado de Mato Grosso. 

Leia mais:   Traficante de Castanheira é preso pela Polícia Civil em Comodoro

O diretor de Atividades Especiais, delegado Fernando Vasco Spinelli Pigozzi, explica que a nova Delegacia ocupará, por enquanto, o mesmo prédio da Delegacia Fazendária, e que no futuro passará para outro local. “O próximo passo agora, a partir da criação é estruturar as equipes que atuarão na DECCOR, em conformidade com o que estabelece o Decreto”. 

O coordenador-geral do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Internacional do MJSP, Duílio Cardoso, pontua que a criação das Delegacias nos Estados demostra o comprometimento dos governos em fortalecer o trabalho policial investigativo no combate à corrupção para que no futuro, as Polícias Civis sejam os principais atores nesse processo. “A criação e estruturação das DECCOR fortalecem internamente as instituições e o processo de maturação para conquistar resultados efetivos nas investigações. Com essa resposta por parte dos estados está sendo criado um cenário que não permitirá retrocessos nas ações de combate à corrupção e o ganho é para toda a sociedade”, atesta Duílio Cardoso.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook

Policial

Polícia Civil recupera motocicleta furtada em Confresa

Publicado

Assessoria/Polícia Civil-MT

Uma motocicleta furtada em Confresa (1.160 km a noroeste de Cuiabá) foi recuperada pela Polícia Civil, na manhã desta quarta-feira (03.06), durante diligências para elucidar um roubo ocorrido no município.

Os policiais civis da Derf realizavam trabalho investigativo para apurar um roubo ocorrido no sábado (30.05), quando avistaram um homem em um motocicleta transitando em atitude suspeita no bairro Jardim do Éden 2.

Logo que percebeu a aproximação da viatura, o condutor empreendeu fuga em alta velocidade. Acompanhado pela equipe policial, o suspeito se deparou com uma rua sem saída, entrando em uma região de mata, onde abandonou a motocicleta e fugiu do local.

Os investigadores realizaram a checagem do veículo, sendo constatado se tratar de produto de furto ocorrido na madrugada do dia anterior, terça-feira (02.06), em uma residência no bairro Jardim Planalto.

Em seguida a vítima foi comunicada da recuperação do veiculo, comparecendo na Polícia Civil para restituição do bem furtado. As diligências continuam para identificação e prisão do suspeito.

Leia mais:   Homem é preso em flagrante por policiais civis por estupro de adolescente

 

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Polícia Civil prende homem que tentava fazer transferência de R$ 30 milhões desviados de contas bancárias

Publicado

Assessoria | Polícia Civil-MT

Um homem que tentava fazer uma transferência bancária no valor de R$ 30 milhões desviados de contas correntes do Banco do Brasil foi preso em flagrante pela Polícia Civil na manhã de terça-feira (02.06), no município de Lucas do Rio Verde (354 km ao norte de Cuiabá). Outras três pessoas que estavam com o suspeito foram conduzidas, ouvidas e liberadas.

O suspeito, de 31 anos, foi autuado em flagrante pelo crime de receptação, após ser surpreendido pelos policiais civis do interior de uma agência bancária do Santander, no centro da cidade.

As diligências iniciaram após a Delegacia de Lucas do Rio Verde receber informação da Gerência de combate ao Crime Organizado (GCCO) sobre algumas pessoas que estavam na agência bancária, tentando fazer uma transferência de uma conta para outra, no valor de R$ 30 milhões de reais.

Segundo as informações, a quantia era produto de furto, ocorridos de agências do Banco do Brasil. Com base no apurado, os policiais civis foram até a agência bancária onde o gerente disse que foi alertado por funcionários do Banco do Brasil sobre os fatos.

Leia mais:   Homem é preso em flagrante por policiais civis por estupro de adolescente

Em seguida, os policiais da Delegacia de Lucas do Rio Verde foram até as quatro pessoas suspeitas que estavam no interior da agência bancária aguardando a autorização da transferência.

Ao serem perguntados sobre a origem do dinheiro que seria transferido, os suspeitos apresentaram várias contradições. Inicialmente foi dito apenas que eles tinham recebido ligações de pessoas no estado de São Paulo, que não conheciam e que pediram para eles receberem o dinheiro.

Depois alegaram que o dinheiro era proveniente de uma comissão da venda de uma fazenda que eles tinham vendido, mas quando questionados sobre as partes implicadas no contrato de compra e venda e onde estava localizada a propriedade não souberam responder.

Em seguida os envolvidos foram conduzidos para esclarecimentos, e na apuração foi descoberto que na noite anterior, foram realizados ataques cibernéticos às agências do Banco do Brasil utilizando senhas e matrículas de funcionários do banco. Como resultado foram feitas anotações de créditos em contas diversas, cujo valor das anotações superou R$ 400 milhões.

Leia mais:   Polícia Civil prende dois homens e duas mulheres por tráfico de drogas no bairro Canjica

Do montante, de início, R$ 30 milhões estavam sendo fraudulentamente transferidos do Banco do Brasil para a conta da pessoa jurídica que estava em nome de um dos conduzidos.

O suspeito acabou informando que todo o esquema da receptação foi armado por ele e os outros nada tinham a ver com os fatos. De acordo com as informações levantadas, o montante que os envolvidos tentavam receber era bem superior ao inicial.

Diante das evidências o suspeito foi autuado em flagrante por receptação. 

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cáceres e Região

Policial

Política MT

Mato Grosso

Mais Lidas da Semana