Governador eleito de MT diz que RGA está condicionada à LRF, reafirma 3 mil demissões e cogita suspender concursos

113
Mauro Mendes (DEM) afirmou que extinguir alguns cargos de funções gratificadas e empresas públicas.

O governador eleito Mauro Mendes (DEM) declarou nesta segunda-feira (10) que o estado precisa cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e a concessão da Revisão Geral Anual (RGA) aos servidores públicos implica no descumprimento da legislação. No entanto, disse que vai trabalhar para essa dívida seja quitada.

“Uma lei federal prevalece sobre as determinações estaduais. O texto é claro: quando o executivo estoura o limite de 49% de gasto com pessoal é possível suspender alguns reajustes para cumprir metas”, disse ele.

Mendes cogita ainda a suspensão de concurso de contratações para que a administração pública estadual consiga reequilibrar as contas.

“Pretendemos fazer alguns cortes para que possamos recuperar o equilíbrio entre receita e despesas. Como, por exemplo, a demissão de cerca de três mil contratados que estão em cargos comissionados”, afirmou.

O governador eleito comentou ainda que extinguir alguns cargos de funções gratificadas e empresas públicas fazem parte das estratégias para recuperar os cofres públicos.

Saúde

Com relação aos gastos com a saúde pública, Mauro Mendes diz que vai investir nos hospitais do interior para descongestionar os atendimentos nos hospitais da capital.

“Vamos rever os convêncios, as Programações Pactuadas e Integradas (PPI), rever os pagamentos feitos aos prestadores de serviço para que possamos melhorar a rede de atendimento”, destacou.

Segundo ele, é preciso ter efetividade no atendimento à população que depende da rede pública de saúde.

“Tem muita coisa errada na saúde e nós vamos investir dinheiro onde é necessário para reequilibrar o sistema”, concluiu.

Por Lidiane Moraes, G1 MT

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here